Flávio Cheker - Notícias - RSS 2.0http://www.flaviocheker.com.brÚltimas notíciaspt-brDIRETO DO RESTAURANTE POPULARhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12445 2016-10-16 16:28:10POR QUE VOTAR EM FLÁVIO CHEKER?http://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12438 UM VEREADOR NECESSÁRIO - Flávio Cheker 13609 Você conhece, confia e VOTA! ]]> 2016-10-01 16:20:17DOMINGO É DIA DE VOTAR 13609http://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12434 ]]> 2016-10-01 16:18:14PROTEÇÃO AO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E CULTURALhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12442 A proteção do patrimônio histórico e cultural de Juiz de Fora é uma das grandes preocupações de Flávio Cheker. Com a criação da lei que institui o prêmio “Amigo do Patrimônio”, Cheker tem estimulado ações de valorização dos bens culturais da cidade. A cerimônia visa reconhecer, anualmente, iniciativas para a conservação, a preservação, a defesa ou para a divulgação do Patrimônio Cultural de Juiz de Fora. ]]> 2016-09-30 16:23:35DIA DA ÁRVOREhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12432 2016-09-21 16:07:32INCLUSÃO SOCIAL PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIAhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12428 Hoje é comemorado o Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência, uma data que resgata o debate sobre a garantia de direitos e a inclusão social dessa parcela da população. Flávio Cheker sempre foi um profundo defensor da cidadania e da plena igualdade de condições para as pessoas com deficiência. Uma de suas conquistas enquanto secretário de Desenvolvimento Social foi a adesão de Juiz de Fora ao Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência – Viver sem Limite. A iniciativa prevê um conjunto de políticas públicas estruturadas em quatro eixos: acesso à educação, inclusão social , atenção à saúde e acessibilidade. Além disso, já no primeiro ano de seus cinco mandatos como vereador, Cheker aprovou lei que dispõe sobre cargos públicos municipais reservados às pessoas com deficiência. ]]> 2016-09-21 16:04:41DEBATE COM ALUNOS DO COLÉGIO MACHADO SOBRINHOhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12425 Muito produtivo! Obrigado ao Colégio Machado Sobrinho pela oportunidade de mostrar o meu trabalho, minhas propostas e por proporcionar um livre debate de ideias. Parabéns aos alunos pelo engajamento e pelo excelente nível dos questionamentos. É renovador testemunhar tal interesse da juventude pela política séria e qualificada. ]]> 2016-09-21 15:59:59SUPERAÇÃO DO RISCO SOCIAL ATRAVÉS DO TRABALHOhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12417 Quando Flávio Cheker foi gestor das políticas públicas de desenvolvimento social de Juiz de Fora, o município bateu recordes de encaminhamentos à qualificação profissional através do Pronatec. O resultado fez Juiz de Fora ser escolhida pelo Governo Federal, juntamente com outras oito cidades do país, para implementar uma nova versão do programa: o Pronatec Aprendiz, voltado para adolescentes em alto risco social. “É emocionante ver a iniciativa dando certo e possibilitando novos caminhos para os adolescentes e jovens. Esperamos agora que nossa experiência possa servir ao Governo Federal para o sucesso do programa no resto do país”, disse Cheker, à época. ]]> 2016-09-20 22:16:06APOIO DA APARES-JFhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12416 2016-09-19 22:10:25PRAZERES DA VIDA E DA FEIRA LIVREhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12412 O aroma gostoso do fumo de rolo, perfume da alma do Brasil do interior. Encontro com Biriba, lendário jogador do Tupi e do Sport, colega de Zé Carlos, da geração de ouro do Cruzeiro, ao lado também de Dirceu Lopes e Tostão. Entusiasmado com a política e de quem escuto: voto e peço votos porque conheço sua seriedade. Também A Cida e D. Val, em cujo carrinho tropeço e foi providencial para nos encontrarmos e bater longo papo. Prazeres da vida. ]]> 2016-09-19 12:08:13VÍDEO CAMPANHA TELEVISIVAhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12408 2016-09-17 12:03:02A ARTE COMO INSTRUMENTO SOCIALhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12404 14358852_1117137611674674_7050663390349149089_nAo longo de toda sua trajetória política, Flávio Cheker sempre valorizou a arte como instrumento social. Ele defende a utilização das expressões artísticas para auxiliar no resgate de vínculos sociais, por exemplo, e na construção da identidade de crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade.
]]>
2016-09-16 17:00:18
REENCONTRANDO O PÚBLICO DO CENTRO DE CONVIVÊNCIA DO IDOSOhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12398 2016-09-15 22:54:51QUALIFICAÇÃO PROFISSIONALhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12393 Durante a gestão das políticas de desenvolvimento social do município, Flávio Cheker encarou a qualificação profissional como uma tarefa prioritária. "Sempre demos ênfase naquilo que chamamos de porta de saída dos serviços oferecidos pela assistência social. As possibilidades de acesso ao mundo do trabalho, tanto através da qualificação profissional e da oferta de cursos que possibilitem o ingresso real no mercado de formal, ou ainda a busca por iniciativas como empreendedorismo individual, associativismo, ou economia solidária, são poderosos instrumentos para garantir a autonomia do cidadão". ]]> 2016-09-15 16:51:11RODA DE CONVERSA COM MORADORES DO PROGRESSO E MARUMBIhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12386Os anos de vida pública me mostraram que democracia é muito mais uma questão de substância do que de forma. Muito mais que os discursos e as palavras programadas, sempre me propus à recuperação do contato direto e da transparência dos encontros, do olho no olho. Na noite de ontem tive a oportunidade de me reunir com um público tão diverso quanto aquele que me confiou anos na Câmara dos Vereadores. Compareceram moradores dos bairros Progresso e Marumbi, profissionais de saúde, técnicos da área de assistência social, professores e estudantes. Igualmente variadas eram as demandas, as dúvidas e as questões levantadas. Foi uma excelente oportunidade de esclarecer pontos sobre a atuação de um parlamentar e sobre minha linha de atuação.
Obrigado a todos!
]]>
2016-09-14 00:44:52
UM MINUTO DE PROSAhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12380 2016-09-14 00:39:48BATE PAPO SOBRE DEPENDÊNCIA QUÍMICAhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12362 Na tarde de ontem, conversei com familiares e acolhidos do GAFADEQUI (Grupo de Apoio à Família e aos Dependentes Químicos). Entre sorrisos e abraços, abordei um pouco sobre a minha trajetória política e da luta constante em prol do tratamento para dependentes químicos, mostrando a importância da manutenção de organizações que auxiliem o poder público nesse trabalho. A dependência química é uma condição que merece toda a nossa atenção. Precisamos impulsionar o trabalho de instituições que oferecem tratamentos dignos para essas pessoas e amparam suas famílias.
Acima de tudo, essa é uma questão de respeito e solidariedade pelo ser humano.
]]>
2016-09-12 00:30:05
UM PASSEIO PELA FESTA ALEMÃ 2016http://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12358Ontem tive o prazer de prestigiar a Festa Alemã, tão tradicional em nossa cidade. Além de curtir as músicas e saborear as iguarias da cozinha, pude confraternizar com amigos e expor um pouco das minhas propostas para o incentivo à cultura em Juiz de Fora. De barraca em barraca, sucessivas surpresas. Um verdadeiro espetáculo!   ]]> 2016-09-11 22:26:31APOIO DE NILMÁRIO MIRANDAhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12354Nilmário Miranda à minha candidatura. Nilmário construiu uma sólida trajetória de luta pelos direitos humanos, sendo uma das maiores referências do país nesta área. Foi o primeiro ministro a ocupar a Secretaria de Direitos Humanos, no Governo Lula, e sua atuação no combate ao trabalho escravo, ao trabalho infantil, à exploração sexual de crianças e adolescentes e todas as causas relacionadas aos direitos humanos me inspiram a cada dia! ]]> 2016-09-11 18:19:25SEGURANÇA NO TRÂNSITOhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12346 Trabalhar a fluidez e a segurança no trânsito de forma equilibrada sempre esteve nos objetivos de Flávio Cheker. Em 2012, ele apresentou um projeto de lei que previa a instalação de temporizadores de contagem regressiva nos semáforos das principais avenidas da cidade. “Além de garantir maior segurança para motoristas e pedestres, evitando em particular freadas bruscas nos sinais vermelhos, a proposição permite um melhor ordenamento do trânsito, assegurando melhor fluidez dos veículos”.
No final do ano passado, Juiz de Fora passou a contar com oito temporizadores, instalados em cinco pontos da cidade.
]]>
2016-09-09 15:13:36
ACESSO À SAÚDEhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12343Muito antes de serem efetivadas políticas públicas de atenção às pessoas usuárias de drogas, Flávio Cheker aprovava a Lei que dispõe sobre o cuidado e atendimento a este segmento vulnerável da população. ]]> 2016-09-08 20:08:07VIOLÊNCIA E JUVENTUDE NEGRA: UM DEBATE NECESSÁRIOhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12332 2016-09-07 18:55:19DE MÃOS EM MÃOShttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12326Partilhar é preciso. E com o objetivo de criar mais uma ação para a propagação da cultura na cidade, Flávio Cheker apresentou um projeto de lei para instituir a Feira de Troca de Livros. No evento, que teve a sua 1ª edição em 2011, a população e as bibliotecas públicas e privadas têm a oportunidade de praticar a troca de livros, propiciando a circulação de títulos e o enriquecimento dos acervos. Flávio Cheker, em prol da Cultura! ]]> 2016-09-06 09:39:59PEGUE O SEU MATERIALhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12288Ajude na divulgação da candidatura de Flávio Cheker! Solicite o material de campanha do vereador que te representa! ? ENDEREÇO: Galeria João Beraldo, 763 - Sala 20 (primeira galeria do Calçadão da Rua Halfeld, à direita, no edifício Juiz de Fora). ? WHATSAPP: (32) 98410-5238 Contamos com o seu apoio! VAMOS JUNTOS! #MeRepresenta #FlavioCheker13609 #UmVereadorNecessário #FazDiferença ]]> 2016-09-05 17:18:46PELA FEIRA DA AVENIDA BRASILhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12298#MeRepresenta #FlavioCheker13609 #UmVereadorNecessário   [video width="300" height="440" mp4="http://www.flaviocheker.com.br/wp-content/uploads/14116872_1273915402618518_983300954_n.mp4"][/video]   ]]> 2016-09-04 19:31:50ÁREA ABANDONADA PODE VIRAR HORTAhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12295Flávio Cheker sempre esteve à frente de movimentos em prol do meio ambiente. É dele a lei que cria o Programa de Aproveitamento de Terrenos Baldios em Juiz de Fora, que consiste em autorização do uso dos terrenos, por seus proprietários, para o cultivo de hortaliças em geral. O terreno baldio só pode ser usado por dois anos, e a lei também prevê direitos e deveres na utilização dessas propriedades. ]]> 2016-09-04 17:24:06OUVINDO A VOZ DO POVOhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12315 [video width="640" height="480" mp4="http://www.flaviocheker.com.br/wp-content/uploads/14133781_261916157540431_1865486793_n.mp4"][/video] Em conversa com a população na manhã deste sábado (3), no Centro da cidade, Flávio Cheker ouve as necessidades dos juiz-foranos e apresenta propostas. #MeRepresenta #FlavioCheker13609 #UmVereadorNecessário ]]> 2016-09-03 14:48:03XADREZ: UM INSTRUMENTO PEDAGÓGICOhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12321Flávio Cheker é entusiasta do xadrez há muitos anos. Enxerga, no esporte, um grande potencial pedagógico, visto que combina aspectos esportivos, culturais e cognitivos, e sua inserção na área educacional contribui para a memorização, raciocínio e criatividade. Cheker busca, há mais de uma década, instituir o ensino do xadrez nas escolas públicas do município, a exemplo de cidades no Brasil e na Europa. ]]> 2016-09-02 19:00:20CIDADÃO HONORÁRIOhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12280Representante da mais alta expressão da arquitetura moderna brasileira, Oscar Niemeyer recebeu o título de Cidadão Honorário de Juiz de Fora após uma lei de autoria de Flávio Cheker. Niemeyer deixou parte de seu legado na cidade. Na década de 40, ele projetou o prédio que atualmente abriga o Banco do Brasil, na esquina da Rua Halfeld com a Avenida Getúlio Vargas, no Centro da cidade.
Na primeira foto, Flávio Cheker e Niemeyer durante a entrega do título ao artista, em sua residência, no Rio de Janeiro, no ano de 2008. Na segunda, o edifício que leva a assinatura de Niemeyer em Juiz de Fora. #Acervo #FlávioCheker13609 #MeRepresenta
]]>
2016-09-01 22:34:00
DIREITO À VERDADEhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12277Flávio Cheker participou ativamente dos trabalhos e foi o autor da lei que instalou a Comissão Municipal da Verdade em Juiz de Fora. O grupo colheu o depoimento de 37 pessoas e teve acesso a outros 18 relatos de vítimas da Ditadura, montando um relatório de mais de 270 páginas.
Após a finalização dos trabalhos, foi criado o ebook "Memórias da repressão: relatório da Comissão Municipal da Verdade de Juiz de Fora". Você pode acessar o livro digital através do link: https://www.pjf.mg.gov.br/…/docu…/relatorio_final_cmv_jf.pdf
]]>
2016-09-01 12:31:58
NA LUTA PELA DEMOCRACIAhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12274#MeRepresenta #FazDiferença #UmVereadorNecessário

[video width="362" height="640" mp4="http://www.flaviocheker.com.br/wp-content/uploads/Flavio_protesto_golpe_Dilma.mp4"][/video] ]]>
2016-08-31 18:23:06
INCENTIVO À CULTURAhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12268Reconhecida amplamente como uma das mais importantes políticas culturais da cidade, a Lei Murilo Mendes abriu as inscrições nesta terça-feira, 30. Nesta edição, serão destinados 750 mil reais para projetos culturais em diversas áreas. Confira todas as informações no edital: goo.gl/Zhuhzh
"Durante minha atuação como vereador pude contribuir, ao lado de outros colegas, para que a Lei pudesse ter o orçamento, o alcance e a importância para a produção cultural que tem hoje. Os artistas de Juiz de Fora merecem condições adequadas de realizar seus trabalhos e a população tem direito a produções culturais de qualidade".
  ]]>
2016-08-31 11:12:20
UM OLHAR AOS INVISÍVEIShttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12265Como vereador e gestor, Flávio Cheker sempre teve um olhar humanizador para a população em situação de rua, muitas vezes invisível aos olhos da sociedade.
“Essa parcela da população precisa ser alvo de políticas públicas, de ações, projetos de Governo e também da própria sociedade. O nosso grande desafio é divulgar esses direitos e, ao mesmo tempo, fazer com que a população não tenha preconceitos e atitudes de discriminação com o cidadão de rua, mas perceba, ali, uma pessoa que potencialmente pode sair dessa situação”. #FlavioCheker13609 #MeRepresenta #UmVereadorNecessário #Social
]]>
2016-08-30 09:10:33
RESTAURANTE POPULARhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12260Por mais de 7 anos, Flávio Cheker lutou pela construção do Restaurante Popular, um instrumento essencial para garantia da segurança alimentar de pessoas de baixa renda. Hoje, Juiz de Fora já conta com duas unidades do estabelecimento, que atendem, juntas, mais de duas mil pessoas. Flávio Cheker, faz diferença! ]]> 2016-08-29 11:35:05Votar em Flávio Cheker é garantir a segurança de uma Juiz de Fora melhor para todoshttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12255Em mais de duas décadas de vida pública aprendi que um legislador deve estar atento aos anseios da população nas mais variadas áreas. Por isso, ao longo de minha atuação como vereador e como secretário de Desenvolvimento Social pude contemplar a cidade com diversos projetos de lei e políticas públicas que beneficiaram diversos setores. Votar em Flávio Cheker é garantir a segurança de uma cidade melhor para todos. ]]> 2016-08-29 11:31:09Santinho 2016http://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12246SantinhoAmigos, nesta campanha busquei inspiração em um dos mais proeminentes legados culturais de nossa cidade: o painel "As Quatro Estações" de Cândido Portinari. Aqui estão elencadas minhas principais conquistas na vida pública, tanto no Legislativo quanto na gestão das políticas de assistência e desenvolvimento social do município. Vamos, juntos, assegurar uma Juiz de Fora melhor para todos! ]]> 2016-08-28 13:15:56É hora de votar em quem te representa! Flávio Cheker 13609http://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12227Convido todos a acompanharem nossa jornada nesta campanha. Aqui, vocês terão a oportunidade de ver por que Flávio Cheker é um vereador necessário. Um forte abraço, e Viva Juiz de Fora! [embed]https://www.youtube.com/watch?v=mn3Cyy2HBkA[/embed] ]]> 2016-08-27 11:17:09SDS, Sdeer e Abrasel realizam curso gratuito sobre “Alimentação Fora do Lar” com oportunidade de inserção no mercado de trabalhohttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12205 2016-02-12 11:22:57Servidores capacitados na segunda turma do curso de Libras recebem Certificadoshttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12202Qualificar os profissionais para o atendimento às pessoas com surdez. Este é o objetivo do curso de Língua Brasileira de Sinais (Libras), oferecido pela Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), através da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), que está em sua segunda edição. Nesta quinta-feira, 4, os profissionais que concluíram a capacitação receberam das mãos do prefeito Bruno Siqueira e do secretário da SDS, Flávio Cheker, o certificado de conclusão do curso. A turma contou com 34 alunos, sendo profissionais da saúde, servidores de diversos setores da PJF, da Câmara Municipal e público em geral. O curso de Libras é uma iniciativa do Departamento de Política para a Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos (DPCDH) da SDS, cuja proposta buscou desenvolver as habilidades de compreensão e expressão dos cursistas, possibilitando que os mesmos interajam com os surdos de forma a melhorar a comunicação e difusão da língua, viabilizando o acesso destas pessoas à informação. As aulas, que aconteceram no DPCDH, abordaram o conteúdo básico para conversação e elementos teóricos de conhecimento do funcionamento linguístico da Libras. De acordo com o prefeito, esta iniciativa é necessária, para que as pessoas possam ter acesso ao atendimento público, de qualidade: “É uma satisfação e uma alegria muito grande estar recebendo todos vocês aqui hoje. Esta é a segunda turma que está concluindo a capacitação deste projeto que iniciamos em nossa gestão e estamos dando continuidade. Gostaria de agradecer a todos os servidores que estão se formando e também aqueles que atuaram na realização deste projeto.” Flávio Cheker destacou que Prefeitura está proporcionando uma oportunidade inédita de treinar os servidores para que possam atender a população surda de Juiz de Fora: “Isso é um ganho muito grande. Para aqueles que querem começar, estamos abrindo novos cursos, e também abrindo turmas para aprofundamento, de modo que as pessoas possam cada vez mais se qualificar, para poder interagir, através da Língua Brasileira de Sinais.” Atendimento qualificado A chefe do DPCDH, Thais Altomar, explicou que a necessidade de se aprender libras é justamente trazer essa acessibilidade em comunicação para qualquer tipo de atendimento: “Quando você chega em qualquer local, a forma como você é recebido será a maneira que você se sentirá no ambiente. No caso, se o profissional souber libras, sem dúvidas, irá conseguir prestar um bom atendimento.” Já a supervisora de Acessibilidade e Desenvolvimento do DPCDH da SDS, Ana Paula Machado, que orientou o curso, ministrado por Andressa Maria da Silva, disse que a PJF trabalha com um público que precisa realmente ter um atendimento de qualidade: “E, para ter esse atendimento, precisamos garantir a comunicação plena. Queremos que todo surdo tenha acesso aos serviços da Prefeitura.” O presidente da Associação dos Surdos de Juiz de Fora, Bruno Viana, que nasceu ouvinte e teve meningite aos dois anos de idade, ressaltou a importância de se ter dentro dos departamentos da PJF o curso de Libras. “Me senti bem, percebendo que tem. Precisa ter acessibilidade dentro da Prefeitura de Juiz de Fora. As pessoas precisam aprender. É preciso se comunicar bem com os surdos. Às vezes, os surdos não conseguem ter acesso aos serviços por isso. Então, é muito importante o surdo conseguir ter essa acessibilidade, conhecer o serviço. Por muitas vezes, a pessoa chega e não tem dentro dos departamentos, das secretarias, alguém que saiba. É necessário que eles saibam que esta é a língua do surdo, para se ter uma interação real entre o surdo e o ouvinte. Senti orgulho da Prefeitura, hoje, com este trabalho.” O vereador José Márcio Garotinho também participou da solenidade. Inscrições abertas Mais duas turmas serão abertas em março, com vagas para o Módulo 1 e dando continuidade ao curso com o Módulo 2. Os interessados devem procurar o Departamento de Política para a Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos (DPCDH), na Rua São Sebastião, 750, Centro. O atendimento acontece das 8 às 18 horas. O telefone da unidade é o 3690-7215. O serviço O DPCDH é responsável por definir e coordenar as políticas de promoção e defesa de direitos da pessoa com deficiência no âmbito municipal, além de articular ações de direitos humanos e cidadania, independente do gênero, etnia ou crença. O departamento atua na defesa e divulgação de direitos, na política municipal de transporte adaptado e do benefício “Passe Livre”, na capacitação e qualificação profissional, no intercâmbio com as secretarias municipais, entidades e sociedade civil, bem como na promoção da acessibilidade. FOTOS: Gil Velloso ]]> 2016-02-04 11:12:45“JFQualifica - Inclusão Social” divulga data de pré-matrículas para novos cursos gratuitoshttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12210A Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) divulgou nesta sexta-feira, 5, a programação dos cursos oferecidos pelo projeto do “JFQualifica - Inclusão Social”. A iniciativa visa promover a autonomia das famílias usuárias da política de assistência social, por meio da qualificação profissional, com foco na inserção e integração ao mundo do trabalho. A partir deste mês, conforme cronograma em anexo, será realizada a pré-matricula para os cursos de maquiador(a) e noções básicas de pizzaiolo e de confeitaria. Em março serão abertas vagas para confeccionador de lingerie e moda praia, modelista e auxiliares administrativo e de pessoal. Para abril está previsto o curso de operador de computador. As pré-matrículas serão realizadas na SDS, Rua Halfeld, 450, 5° andar, no Centro, das 8 às 12 horas e das 14 horas às 17h30. A profissionalização será realizada, a princípio, pelos serviços Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai-MG) e o Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac). A iniciativa busca identificar as demandas e garantir direitos da população em situação de vulnerabilidade social. Conforme preconiza a política de assistência social, reconhece as capacidades e potencialidades dos usuários e promove seu protagonismo na busca de direitos, bem como o resgate da autoestima e autonomia. O programa O “JF Qualifica Inclusão Social” é o programa de inclusão socioprodutiva de Juiz de Fora. Resultado de uma ação intersetorial e da articulação de políticas de geração de emprego e renda, visa promover a qualificação profissional dos usuários dos programas de assistência social e o acesso ao mundo do trabalho. Com o propósito de dar oportunidade de inserção ao mercado de trabalho a todos, o programa tem como público-alvo famílias e indivíduos oriundos de populações urbanas e rurais, em situação de vulnerabilidade e risco social, com idade acima de 16 anos, inscritas no CadÚnico, com prioridade para os beneficiários do Bolsa Família. Outras informações podem ser obtidas pelos telefones 3690 7749 e 3690 8533. Confira o cronograma com as datas das pré-matrículas em anexo. * Informações com a Assessoria de Comunicação da SDS pelo telefone 3690-8314 ]]> 2016-02-01 11:34:00SDS discute novas estratégias para ampliar acompanhamento das condicionalidades do Programa Bolsa Famíliahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12207Nesta segunda-feira, 1° de fevereiro, a Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) promoveu uma reunião com profissionais das secretarias de Saúde (SS) e Educação (SE), com a intenção de discutir as novas ações das políticas intersetoriais e desenvolver estratégias, a fim de contribuir com a ampliação da cobertura do acompanhamento das condicionalidades do Programa Bolsa Família (PBF). Além disso, a intenção destas ações é atualizar o Cadastro Único Para Programas Sociais do Governo federal (CadÚnico), entre outros registros necessários. A reunião contou com a presença do titular da SDS, Flávio Cheker; da chefe do Departamento de Transferência de Renda (DTR), Miriam Monteiro; do subsecretário de Atenção Primária à Saúde, Thiago Horta; da supervisora de Gestão da Informação da SS, Priscila Aquino; e da supervisora de Apoio ao Educando da SE, Rita Simões. De acordo com Cheker, a iniciativa tem o objetivo de proporcionar as condições necessárias para o acesso das famílias aos serviços básicos de saúde, educação e assistência social. Conforme Miriam Monteiro, a articulação intersetorial é o passo mais importante no âmbito do PBF para superação da pobreza de forma permanente. Segundo informações do Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome do Governo Federal, as condicionalidades do Bolsa Família são: Na área de educação * Os responsáveis devem matricular as crianças e os adolescentes de 6 a 17 anos na escola; * A frequência escolar deve ser de, pelo menos, 85% das aulas para crianças e adolescentes de 6 a 15 anos e de 75% para jovens de 16 e 17 anos, todo mês. Na área de saúde * Os responsáveis devem levar as crianças menores de 7 anos para tomar as vacinas recomendadas pelas equipes de saúde e para pesar, medir e fazer o acompanhamento do crescimento e do desenvolvimento; * As gestantes devem fazer o pré-natal e ir às consultas na Unidade de Saúde. Na área da assistência social: * Para se inscrever no CadÚnico, é necessário assumir o compromisso de atualizar os dados com informações verdadeiras e atuais sobre o círculo familiar. Através deste cadastro atualizado, é possível conhecer as necessidades dos inscritos e oferecer serviços e benefícios sociais, que influenciam na melhoria da qualidade de vida da população, assim como é o caso do PBF e da Tarifa Social de Energia Elétrica, entre outros. O CadÚnico Instrumento de identificação e caracterização socioeconômica das famílias brasileiras de baixa renda, entendidas como aquelas com renda igual ou inferior a meio salário mínimo por pessoa ou renda familiar mensal de até três salários mínimos. Através do CadÚnico, é possível se inscrever em projetos e programas como o Bolsa Família; Carteira do Idoso; Tarifa Social de Energia Elétrica; de Telefonia; Curso Preparatório para Concursos (CPC); Minha Casa, Minha Vida; e o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), além do Benefício de Prestação Continuada (BPC), entre outros. FOTO: Divulgação SDS ]]> 2016-02-01 11:27:40Curso Preparatório para Concursos fecha parceria com três unidades de ensino em diferentes bairros da cidadehttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12199 2016-02-01 11:02:39Programa de doação de cadeiras de rodas entrega mais de 500 equipamentos para Juiz de Fora e regiãohttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12196A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, através do programa de Ajuda Humanitária, entregou mais de 500 cadeiras de rodas para moradores de Juiz de Fora e região no sábado, 30. A ação contou com apoio da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF). A cerimônia aconteceu na sede da igreja, localizada na Rua Maria Perpétua, 44, no Bairro Ladeira, e teve a presença dos secretários de Governo, José Sóter de Figueirôa, e de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker. A Secretaria de Desenvolvimento Social da PJF, através do Departamento de Políticas Para Pessoas com Deficiência e Direitos Humanos (DPCDH), realizou a busca ativa dos interessados em Organizações Não Governamentais (Ongs) e clínicas e o cadastramento de pessoas que precisavam dos equipamentos. Já a Secretaria de Saúde (SS), através do Departamento de Internação Domiciliar (Did), disponibilizou uma equipe de fisioterapeutas que avaliou cada interessado, inclusive registrando medidas, peso corporal e altura, para que as cadeiras doadas fossem adequadas à necessidade de cada um. Além disso, durante o evento, estudantes de enfermagem do Centro Universitário Estácio Juiz de Fora orientaram sobre os cuidados com a saúde em relação ao câncer de mama e próstata, além de aferição de pressão. De acordo com Figueirôa, “o projeto é um grande trabalho social desenvolvido pela Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Esta ação é muito importante, uma vez que não temos equipamentos suficientes para doar a todos. Desta forma, a doação garante a mobilidade e inclusão dessas pessoas. Este trabalho que a Igreja realiza em parceria com as secretarias de Desenvolvimento Social, Saúde e Governo garante que a gente assegure a esses cidadãos mais qualidade de vida, inclusão social e participação na vida comunitária”. Cheker também comentou a parceria: “Nós estamos no segundo ano desta iniciativa em Juiz de Fora e a Igreja já entregou alguns milhares de cadeiras. O trabalho da PJF é de extrema importância, uma vez que entra exatamente na seleção desse público-alvo, através da avaliação do grau de deficiência, da necessidade de cada uma destas pessoas, do perfil socioeconômico de cada agraciado, permitindo que essas cadeiras cheguem a quem mais precisa”. Segundo a chefe do DPCDH, Thais Altomar, a igreja realizou uma parceria com a empresa Ortobras, que confecciona os equipamentos, e buscou auxílio no município, através de algumas secretarias, para a realização da entrega. “A importância desse trabalho é facilitar que as pessoas com deficiência tenham acesso a esta doação. Com a junção de forças conseguimos este resultado”. Conforme a chefe do Did, Verônica Aparecida Mendonça Lima, o departamento se disponibilizou a realizar a aferição de medidas de todos os pacientes cadastrados. “Os fisioterapeutas do Did participaram de um treinamento oferecido pela Igreja e houve a reorganização das escalas de visitas domiciliares, a fim de que os profissionais realizassem a aferição de medidas do público-alvo. Das 510 cadeiras entregues, 96 serão doadas aos pacientes cadastrados no Did”. O acesso a uma cadeira de rodas de boa qualidade é um desafio para as pessoas portadoras de alguma deficiência, porque o custo é elevado, e o fornecimento gratuito pode ser demorado, por causa da demanda. A iniciativa A Ajuda Humanitária da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias tem um programa permanente de doação de cadeira de rodas, que atua em âmbito mundial, com a meta de entregar pelo menos três mil equipamentos todos os anos. Em 2014, foram 308 doações em Juiz de Fora e região. No Brasil, já são mais de 30 mil nos últimos anos. Em 2016, a doação acontecerá pela segunda vez à população de Juiz de Fora. Para outras informações da Ajuda Humanitária da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, entre em contato com Tiago G. Oliveira – (32) 98418-9846. ]]> 2016-02-01 10:46:14SDS atinge índice inédito na averiguação cadastral de beneficiados pelo Programa bolsa Família em 2015http://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12194 2016-01-14 10:34:42Balanço: 870 migrantes retornaram a suas cidades de origem com auxílio da SDShttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12191 2015-12-21 16:58:12PJF entrega certificados à primeira turma do cursohttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12087 2015-12-21 10:54:56Confraternização de final de ano do Conselho Municipal de Assistência Social marca parceria com a SDShttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12187Para marcar o encerramento das atividades do Conselho Municipal de Assistência Social de Juiz de Fora (CMAS/JF), nesta quinta-feira, 17, o Coral “Juiz de Fora em Serenata” realizou uma apresentação durante a reunião de confraternização, que marcou a parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF). O evento contou com a presença do secretário da SDS, Flávio Cheker, e do subsecretário de gestão do Sistema Único de Assistência Social (Suas) e Inclusão Socioprodutiva, e vice-presidente do CMAS/JF, Rogério Rodrigues, e da presidente do CMAS/JF, Valéria Wanda da Silva Fonseca, e demais membros do conselho. Ao final da apresentação, um lanche coletivo foi oferecido a todos os presentes. O secretário destacou a parceria com o conselho, que, mesmo em meio as dificuldades, consegue superar todos os obstáculos em prol de um trabalho de excelência: “Por isso, a importância do papel de nos reinventarmos. Porque é assim que aparecem as oportunidades de inovarmos, de fazermos mais com menos, de descobrirmos novos caminhos. Acho que podemos nos orgulhar de termos feito isso esse ano. Avançamos muito, as conquistas foram muitas, e esta parceria foi fundamental, para que fossem alcançadas. Sempre enfatizo o CMAS/JF, pois é um co-gestor da política de assistência e desenvolvimento social no município, com toda sua autonomia resguardada, assim como tem que ser. Sabemos que, para o avanço da politica é necessária nossa integração e nosso trabalho em conjunto, por isso, essa maturidade nós tivemos”. A presidente do CMAS/JF enfatizou que conselho e SDS são dois órgãos que caminham juntos, e a marca deste ano foi o diálogo: “Foram muitos avanços na construção das políticas públicas, como o Código de Ética dos Conselheiros, o regimento dos conselhos regionais de Assistência Social de Juiz de Fora (Coreas/JF), a revisão do regimento interno do CMAS/JF e a Lei do Suas municipal. Podemos ressaltar que 2015 foi um importante ano de capacitação dos conselheiros”. CMAS/JF Órgão responsável pela aprovação das políticas municipais de assistência social, além do estabelecimento das diretrizes a serem observadas no Plano Municipal de Assistência Social e a administração e fiscalização do Fundo Municipal de Assistência Social. FOTO: Divulgação SDS ]]> 2015-12-17 16:46:46Apresentações de corais marcam confraternização de final de ano no Centro de Convivência do Idosohttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12184Encerrando as atividades em 2015, o Centro de Convivência do Idoso (CCI) realizou nesta terça-feira, 15, uma tarde festiva, através de apresentações de música e dança. A ação contou com a presença do secretário de Desenvolvimento Social (SDS), Flávio Cheker, e do supervisor do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV), Leandro Barros Ribeiro. A tarde foi marcada pelas apresentações do Grupo de Canto do CCI e dos corais das crianças atendidas pelo Curumim São Benedito e “Mater Verbi” do Colégio Academia do Comércio. Na ocasião, o projeto “Família”, que culminou na produção de quatro árvores de Natal, foi apresentado, e o encerramento se deu com a visita especial do Papai Noel. A iniciativa ainda teve como proposta o fortalecimento do protagonismo dos idosos, oportunizando espaços para que vivam e relembrem suas experiências. Segundo Flávio Cheker, a importância do Centro, hoje, transcende os limites de Juiz de Fora. “O CCI é uma referência em todo estado e, porque não dizer, em todo país, com esse trabalho maravilhoso que é feito com nossos idosos. As ações realizadas aqui propiciam um serviço de convivência, de fortalecimento de vínculos, de integração social e familiar. Hoje estamos vivendo um momento de muita alegria, porque estamos unindo as pontas da existência, através da apresentação dos idosos do CCI e do coral do Curumim de São Benedito. Crianças e adolescentes se apresentaram ao lado dos idosos, mostrando que a música é mesmo uma grande linguagem, que fala aos nossos corações independentemente da idade”. O supervisor do SCFV explicou que os trabalhos desenvolvidos no CCI transformam vidas. “Através desses espaços, conseguimos promover a socialização, a integração, a autoestima das pessoas. Hoje estamos aqui celebrando todo um ano de excelentes atividades e, nessa oportunidade, congregando os idosos, adolescentes e crianças. Todos esses artistas, podemos chamá-los assim, mostraram que é possível realizar todos os nossos sonhos quando queremos. Por isso, a SDS e os profissionais da Amac estão de parabéns, por concretizarem mais um ano de ações de sucesso, dando exemplo e sendo referência no Brasil”. A coordenadora CCI, Rosângela Bonoto, destacou que as atividades desenvolvidas buscam inserir o idoso na sua comunidade, para que ele se sinta pertencente a um grupo, busca trabalhar com a família e promove a autonomia e a independência dos assistidos. O CCI permanecerá em funcionamento durante as férias da unidade, oferecendo aos idosos os espaços de socialização e jogos, além de lanches. Já as oficinas retornam em 4 de janeiro de 2016. A unidade O CCI é uma unidade da SDS da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), com execução da Associação Municipal de Apoio Comunitário (Amac). Realiza ações visando garantir o envelhecimento saudável no município. Entre as atividades oferecidas estão aulas de ginástica, dança, trabalhos manuais, teatro, jogos, ioga e informática. O telefone de contato é o 3690-7365. ]]> 2015-12-15 16:41:24Secretarias iniciam mutirão para auxiliar famílias no acompanhamento em saúde obrigatório para o Bolsa Famíliahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12181A Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), em parceria com a de Secretaria de Saúde (SS), iniciou, nesta segunda-feira, 14, um grande mutirão com o objetivo de auxiliar os beneficiários do Programa Bolsa Família (PBF) no acompanhamento em saúde, que é uma condicionalidade do programa federal. Assim, os profissionais dos departamentos de Transferência de Renda (DTR) e de Desenvolvimento da Atenção Primária à Saúde estão analisando as situações de cada família, individualmente, e realizando os serviços necessários para que fiquem de acordo com as exigências estabelecidas pelos ministérios do Desenvolvimento Social (MDS) e da Saúde. O evento está acontecendo na Praça da Estação, das 9 às 16 horas, e prosseguirá até quarta-feira, 16. Cerca de 25 funcionários estão distribuindo panfletos com orientações sobre o programa para as famílias; está sendo feita a verificação da situação vacinal, peso e altura das crianças menores de sete anos, mulheres entre 14 e 44 anos, gestantes e nutrizes. Caso seja identificada alguma inconformidade, como a necessidade de vacinação, as pessoas serão encaminhadas para a unidade de saúde de referência do seu bairro. Para a supervisora de Gestão da Informação da SS, Priscila Aquino o acompanhamento dos beneficiários do Programa Bolsa Família nas condicionalidades da saúde é primordial para o sucesso do Programa. "Através da verificação do peso e altura das crianças menores de 7 anos e das mulheres em idade fértil é possível avaliar o impacto do benefício nas condições nutricionais destas famílias, e através da verificação da situação vacinal das crianças tem-se a garantia de que estas estão seguindo o calendário de vacinação preconizado pelo Ministério da Saúde. O objetivo do mutirão é garantir que o maior número de famílias sejam acompanhadas nestas condicionalidades." “A importância do mutirão é garantir a classificação das famílias na condicionalidade de saúde, para que elas tenham o benefício do Bolsa Família em dia, evitando que seja bloqueado, suspenso ou cancelado, além da garantia do desenvolvimento das crianças beneficiadas pelo programa”, reforçou a chefe do DTR, Miriam Monteiro. A moradora do Bairro Aracy, Tainara Maísa, de 22 anos, que levou os filhos para a verificação de peso e altura, considera importante a ação. “Eu me cadastrei no programa há pouco tempo e sei que é importante estar dentro das regras, senão posso perder o benefício”. As condicionalidades O PBF, criado pela Lei nº 10.836, de 9 de janeiro de 2004, e regulamentado pelo Decreto nº 5.209, de 17 de dezembro de 2004, é um programa federal de transferência direta de renda destinado às famílias em situação de maior risco e vulnerabilidade social, no qual o recebimento do benefício está vinculado ao cumprimento de condicionalidades nas áreas de saúde, educação e assistência social. Na área da saúde, as condicionalidades são os compromissos assumidos pelas famílias beneficiárias que tenham em sua composição crianças menores de 7 anos e/ou mulheres. A Portaria Interministerial nº 2.509, de 18 de novembro de 2004, traz como atribuição do Ministério da Saúde (MS), compartilhada com as esferas estaduais e municipais do SUS, a oferta dos serviços para acompanhamento do crescimento e desenvolvimento infantil, da assistência ao pré-natal e ao puerpério, da vacinação e da vigilância alimentar e nutricional de crianças menores de 7 anos. O acompanhamento das condicionalidades de saúde do PBF consiste em importante estratégia de focalização das ações para a parcela mais vulnerável da população, assegurando o exercício do princípio da equidade no SUS. ]]> 2015-12-14 16:30:10SDS realiza palestra sobre primeiro emprego e qualificação profissional para jovenshttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12177A Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) e a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Geração de Emprego e Renda (Sdeer), em parceria com a empresa Almaviva e o Instituto Crescer, estão promovendo, nesta quarta-feira, 9, uma ação de capacitação e preparação de mão de obra para inserção no mercado de trabalho. O objetivo é beneficiar membros dos programas Bolsa Família e Poupança Jovem, acima de 18 anos, com ensino médio completo, que estão em busca do primeiro emprego. A iniciativa conta com a participação do Departamento de Inclusão Socioprodutiva e Qualificação Profissional (Disq) e com o Departamento de Transferência de Renda (DTR). Na ocasião, o Instituto Crescer ministrou palestra, a fim de explicar aos participantes o papel que o instituto desempenha, em parceria com a Almaviva, através de cursos de qualificação profissional. O propósito é integrar jovens ao mercado de trabalho, na área de callcenter. Já na primeira etapa da ação, foram selecionados candidatos, por meio de provas de conhecimentos gerais, português, matemática, informática e redação. Eles serão encaminhados às vagas disponíveis e farão o curso oferecido pelo instituto. Em seguida, serão direcionados ao mercado de trabalho, com o certificado de participação. A palestra contou com aproximadamente vinte participantes. O titular da SDS, Flávio Cheker, reafirmou que a secretaria continuará trabalhando intensamente uma das metas fundamentais da gestão, que é propiciar o acesso ao mundo do trabalho às pessoas em situação de vulnerabilidade e risco social. "É uma satisfação vermos beneficiários de programas sociais atingirem sua autonomia de vida através da qualificação profissional e do acesso ao emprego." Segundo o chefe de Departamento do Disq, José Francisco de Oliveira, o programa é uma forma de os jovens conquistarem sua autonomia financeira e também é uma porta de saída da dependência de programas sociais. A estudante Juliana Aparecida da Silva Pury, de 18 anos, considera a iniciativa importante para seu ingresso no mercado de trabalho, já que ainda não tem experiência e nenhum tipo de formação profissional. ]]> 2015-12-09 16:18:32Curumim Olavo Costa – Crianças da unidade encenam “Auto de Natal”http://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12174Abrindo as comemorações de fim de ano da instituição, o Curumim Vila Olavo Costa realizou nesta quarta-feira, 9, mais um “Auto de Natal”. O espetáculo, intitulado “E o Natal se Reconstrói”, uma atividade que busca resgatar a magia da época, contou com dezenas de crianças entre quatro e 14 anos, atendidas pela unidade. A apresentação teve a presença do secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, do supervisor de Serviços de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV) da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), Leandro Barros Ribeiro, e dos integrantes das instituições educacionais da região, parceiras da entidade, as escolas estaduais “Teodorico Ribeiro de Assis”, “Maria Ilydia Resende Andrade” e “Professor Reynaldo de Andrade”. O “Auto de Natal”, que já havia sido encenado na terça-feira, 8, no Curumim, será reproduzido na sexta-feira, 11, no Lar dos Idosos “Luiza de Marillac”. O secretário da SDS ressaltou que “este lindo e emocionante trabalho que o Curumim Vila Olavo Costa apresentou é resultado da integração da alegria das crianças com a realização dos pais e familiares, somado à dedicação dos educadores, além da satisfação da PJF, através da SDS, em poder contribuir para uma nova perspectiva de vida dessas crianças e adolescentes.” A coordenadora interina do Curumim, Maria Florentina Oliveira, destacou que o Natal é momento de reflexão de todas as atividades realizadas durante o ano: “O trabalho que fazemos aqui muda, e muito, essas crianças, principalmente no que diz respeito à formação cidadã. Nós oferecemos carinho, amor e respeito, tudo isso aliado aos ensinamentos que são passados”. A psicóloga do instituição, Priscila Moreira, disse que é emocionante ver a alegria dos atendidos, que cantam com entusiamo, do começo ao fim do espetáculo: “A gente recebe um feedback muito legal e positivo das famílias. Isso é muito gratificante”. O programa O Curumim é um serviço da SDS, com execução da Associação Municipal de Apoio Comunitário (Amac), que busca estimular a formação cidadã de crianças e adolescentes, através de práticas esportivas, artísticas e culturais. Além disso, são ofertados duas refeições diárias e espaço para os jovens estudarem. Juiz de Fora conta com oito núcleos do Curumim, localizados nos bairros São Pedro, Santa Rita, Santa Luzia, São Benedito, Vila Olavo Costa, Jóquei Clube, Benfica e Vila Esperança. As unidades atendem mais de mil crianças e adolescentes. Os usuários do programa frequentam os núcleos no contraturno escolar, recebendo apoio psicopedagógico. O Curumim Olavo Costa fica na Rua Esperança, 69. O telefone de contato é o 3690-7324. O trabalho é executado pela Associação Municipal de Apoio Comunitário (Amac). ]]> 2015-12-09 16:12:08SDS faz busca ativa no Residencial Vitória para inclusão de famílias no CadÚnicohttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12171A Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) realiza, entre terça-feira, 8, e sexta, 11, mais uma etapa do projeto de busca ativa “Alô Moradores, Cadastro Único Chama”. A ação será direcionada aos moradores do Residencial Vitória, do “Programa Minha Casa, Minha Vida”. O projeto tem como meta identificar, cadastrar e recadastrar famílias de baixa renda no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico). A equipe estará à disposição da população entre 14h30 e 17 horas, durante os quatro dias da ação, na Rua Paulo Moreira Guedes, 113, no Monte Castelo. O objetivo é levar o CadÚnico até as famílias mais vulneráveis de determinadas localidades e garantir seu acesso aos programas e serviços socioassistenciais oferecidos a partir do cadastro. Além disso, a equipe orientará os moradores quanto à rede de assistência social do município e realizará encaminhamentos para atendimento no Centro de Referência de Assistência Social (Cras). O CadÚnico Instrumento de identificação e caracterização socioeconômica das famílias brasileiras de baixa renda, entendidas como aquelas com renda igual ou inferior a meio salário mínimo por pessoa ou renda familiar mensal de até três salários mínimos. Através do CadÚnico, é possível se inscrever em projetos e programas como o Bolsa Família; carteira do idoso; Tarifa Social de Energia Elétrica; de Telefonia; Curso Preparatório para Concursos (CPC); Minha Casa, Minha Vida; e o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), além do Benefício de Prestação Continuada (BPC), entre outros. Para mais informações, o telefone do Departamento de Transferência de Renda é o 3690-7071. * Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Social, pelo telefone 3690-8314. ]]> 2015-12-07 16:05:04Centro Pop realiza 3.742 atendimentos à população de rua em novembrohttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12169 2015-12-04 15:30:47Palestra marca a abertura do projeto “Selo da Diversidade Étnico-racial e da Igualdade de Gênero” na SDS e lança campanhahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12166A Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) promoveu, nesta quinta-feira, 3, palestra para servidores da pasta sobre a implementação do “Selo da Diversidade Étnico-racial e de Igualdade de Gênero no Mercado de Trabalho”. Na ocasião, foi lançada a campanha interna que será desenvolvida executada na SDS. O projeto é uma iniciativa da Secretaria de Governo (SG) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), através do Conselho Municipal de Promoção da Igualdade Racial (Compir). A palestra foi ministrada pela supervisora de Atenção à Educação na Diversidade da Secretaria de Educação (SE) e integrante do Comitê Organizador do Selo, Margareth Campos de Moreira, e será realizada também nesta sexta-feira, 4, às 15 horas. Com a criação do “Selo da Diversidade”, lançado no final de 2013, a PJF ratifica o compromisso de criar iniciativas afirmativas, que serão desenvolvidas dentro de um ano, através de um plano de ações voltadas para as questões de raça, de gênero e da pessoa com deficiência. O supervisor do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV), Leandro Barros Ribeiro, explicou que a campanha que está sendo desenvolvida na SDS está pautada no viés democrático, com a participação de grande parte dos servidores da secretaria. “Tudo que estamos propondo fazer foi sugerido pelos próprios funcionários. Esse foi o pontapé inicial para todas as ações que serão implementadas na SDS.” De acordo com Margareth, essa discussão é um convite para se pensar nas relações de trabalho, que devem ser mais humanas. “A garantia da construção de respeito no nosso ambiente de trabalho é um processo longo, de reconstrução de nós mesmos”. Selo da Diversidade Étnico-racial e da Igualdade de Gênero no Mercado de Trabalho A PJF é a primeira prefeitura da Zona da Mata a promover o tema dentro do setor público. Cada setor do Executivo terá dois representantes, que colocarão o assunto em discussão dentro das suas secretarias. Dez órgãos do Executivo municipal, entre secretarias e administração indireta, fazem parte deste trabalho: Departamento Municipal de Limpeza Urbana (Demlurb), Fundação Cultural Alfredo Ferreira Lage (Funalfa), secretarias de Desenvolvimento Social (SDS), de Governo (SG), de Saúde (SS), de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Geração de Emprego e Renda (Sdeer), de Transporte e Trânsito (Setrra), de Administração e Recursos Humanos (SARH), de Governo (SG) e de Planejamento e Gestão (Seplag). Para conduzir os trabalhos, foi criado o Comitê Gestor, composto por organizações representativas do segmento governamental e da sociedade civil organizada. A “Cartilha da Diversidade Étnico-racial no Mercado de Trabalho”, elaborada pelo Compir, com apoio da SG, detalha os objetivos e as características do “Selo da Diversidade”, apresentado em novembro de 2013. A proposta é reconhecer o trabalho das empresas, associações civis e entidades públicas ou privadas, na promoção e valorização da diversidade nas políticas internas de recursos humanos e nos programas de responsabilidade corporativa, além de fomentar a superação da discriminação no mercado de trabalho. A intenção do projeto é implementar nas empresas as ações afirmativas, objetivando a promoção da diversidade étnico-racial e de gênero como um valor que gera igualdade de oportunidades, competitividade de mercado, geração e divisão de renda na sociedade. ]]> 2015-12-03 15:26:01População em situação de rua participa de assembleia realizada pelo Centro Pophttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12162Aconteceu nesta terça-feira, 1, a 4ª Assembleia do Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua (Centro Pop). A gestão e a execução do equipamento se reuniram com cerca de 20 pessoas, para discutir as necessidades e sugestões de cada um, a fim de melhorar os serviços e os vínculos entre eles e a Prefeitura de Juiz de Fora (PJF). Para esta reunião foram preparadas dinâmicas de grupo, incentivando a discussão sobre o Centro Pop. “Precisamos dar a estas pessoas a oportunidade de conversarem sobre a situação inerente a eles, as dificuldades que estão tendo, reivindicações, sugestões, e ainda levá-los a refletir sobre o espaço que utilizam. É muito importante para a rede melhorar o relacionamento com esta população. Por isso, questioná-los como enxergam o serviço e como imaginam o Centro Pop ideal, procurando trazer mais conforto e participação para dentro do equipamento”, pontuou a supervisora de Atenção à População em Situação de Rua, Denise Scoralick. A rede busca manter um contato próximo com os atendidos, realizando reuniões com frequência. Hoje, a unidade atende, diariamente, cerca de 120 pessoas em situação de rua. A unidade O Centro Pop é um serviço da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) da PJF, executado pela Associação Municipal de Apoio Comunitário (Amac). Oferece refeições, acompanhamento psicossocial e oficinas artísticas, entre outras atividades voltadas para a reinserção na sociedade do cidadão em situação de rua, buscando sempre referenciar os atendidos às suas respectivas famílias. A unidade conta, ainda, com uma biblioteca e uma sala de artes para a promoção de oficinas de artesanato. O Centro Pop tem capacidade para atender, em média, 120 pessoas por dia, e funciona na Rua Oswaldo Veloso, 190, no Centro. O cidadão pode ter acesso procurando pessoalmente a unidade ou através do Serviço de Abordagem Social, que pode ser solicitado por qualquer pessoa, pelo telefone 3690-7770. * Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Social, pelo telefone 3690-8314, ou com a Amac, pelo telefone 3690-7945. ]]> 2015-12-01 15:21:06Técnicos e assistentes sociais da SDS acompanham palestra sobre saúde mentalhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12159 2015-11-27 11:06:44Secretários participam de capacitação dos novos conselheiros tutelareshttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12151Os novos conselheiros tutelares, eleitos no início de outubro, estão sendo capacitados para exercer suas atividades. Nesta sexta-feira, 27, na Casa dos Conselhos, titulares e suplentes ouviram representantes das instituições que compõem a rede de proteção à criança e ao adolescente. Estiveram presentes os secretários de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, e de Governo, José Sóter de Figueirôa, além da coordenadora Regional da Defensoria Pública, Maria Aparecida Coelho, da promotora de Justiça da Vara da Infância e Juventude, Carolina Mattos, da juíza da Vara da Infância e Juventude, Maria Cecília Gollner, de representantes da Guarda Municipal e da Polícia Militar. O encontro foi o primeiro da série de capacitações que o grupo vai receber até que tome posse, em 8 de janeiro. As orientações passaram por rotinas do trabalho, infraestrutura, situações que necessitam de atuação dos conselheiros, Estatuto da Criança e do Adolescente, acolhimento institucional, entre outras. O titular da SDS, Flávio Cheker, deu boas-vindas aos novos membros e enfatizou: “Vocês estão investidos de um poder e de representatividade muito importantes para a sociedade, que está aprendendo a reconhecer o trabalho dos conselheiros tutelares. É tarefa de todos proteger a criança e o adolescente, e cabe a vocês estudar cada caso, sem automatismo, com atenção, buscando fortalecer a família e lembrando sempre que acolhimento institucional é medida excepcional, usada apenas em último caso”. Ele colocou a Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) à disposição dos conselhos, reforçando a parceria e o diálogo que devem ser frequentes para que as questões entre gestão e controle social sejam equacionadas de forma que melhor garanta proteção aos assistidos. Figueirôa também atentou para a importância do trabalho dos conselheiros tutelares. “Vocês serão os sentinelas do Estatuto da Criança e do Adolescente. Passarão a cuidar de vidas e têm como missão a proteção integral dos direitos deles”. Os conselhos tutelares São responsáveis por zelar pelo cumprimento dos direitos da criança e do adolescente, definidos na Lei Federal nº 8.069, de 13 de julho de 1990 (Estatuto da Criança e do Adolescente). Denúncias de abuso, violência, maus-tratos ou abandono devem ser notificadas, anonimamente ou não, ao conselho. Conselho Tutelar Sul/Oeste Avenida Presidente Itamar Franco, 992 – Centro Tel.: 3690-7397 Conselho Tutelar Leste Rua Vitorino Braga, 126 – Vitorino Braga Tel.: 3690-7390 Conselho Tutelar Centro/Norte Avenida Brasil, 9.501 – São Dimas Tel.: 3690-7398 *Informações com a Assessoria de Comunicação da SDS pelo telefone 3690-8314. ]]> 2015-11-27 10:52:32SDS abre 1º Encontro de Economia Solidária e Inclusão Socioprodutiva de Juiz de Fora e da Regiãohttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12155A Praça dos Três Poderes, na Rua Jarbas de Lery Santos, no Centro, recebeu dezenas de barracas de artesãos, produtores rurais e agricultores, para o 1º Encontro de Economia Solidária e Inclusão Socioprodutiva de Juiz de Fora e da Região. O evento foi aberto na manhã desta quinta-feira, 12, e vai até sábado, 14. É uma realização da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), com o objetivo de fomentar o desenvolvimento sustentável do município e promover redes e cadeias produtivas de consumo ético e solidário. Além de Juiz de Fora, várias outras cidades do entorno estão participando, como Matias Barbosa, Cataguases e Muriaé. Na abertura do encontro, que prioriza as atividades artesanais e a agricultura familiar, o secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, explicou que “este evento é o congraçamento de Juiz de Fora e região em torno da economia solidária. Pela multiplicidade de ações que integra essa prática, ela se torna um movimento muito importante de geração de renda e inclusão social, além de proporcionar uma relação direta entre produtor e consumidor”. O encontro reuniu, ainda, representantes de associações e cooperativas e entidades de apoio e fomento da economia solidária. Para o técnico da Incubadora Tecnológica de Cooperativas Populares da Universidade Federal de Viçosa (UFV), Emerson Alcides da Silva, este é o maior benefício da realização: “A economia solidária é mais do que apenas comercializar. Ela leva em conta a inclusão social, e é um movimento ainda em construção. Quando os três atores aqui presentes, ou seja, empreendedores, entidades de apoio e fomento e gestores públicos se reúnem, o movimento da economia solidária ganha em articulação”. Ele enumerou, também, os benefícios do encontro: “Nós, da incubadora, prestamos assessoria técnica. Os gestores entram com incentivos, e os produtores têm a oportunidade de divulgar o trabalho e trocar experiências.” O Encontro Até sábado, 14, produtores rurais, agricultores e artesãos vão expor e comercializar seus produtos na praça. A programação do evento também conta com palestras sobre o tema. “Acho maravilhoso realizar uma feira desse porte. É muito enriquecedor, tanto para os produtores quanto para os consumidores, pois abrange uma variedade de produtos que agrada a todos”, qualificou a artesã Sandra Cristina. Maria Aparecida Gonçalves montou uma barraca onde expõe seus crochês e produtos de tricô. Para ela, o encontro é uma oportunidade de divulgar seu trabalho: “O artesanato é sempre uma peça única. Gosto de participar da feira, para que as pessoas conheçam a produção”. Na área da agricultura familiar e da produção cooperativista, um dos benefícios é a qualidade dos produtos, orgânicos e sem agrotóxicos. O apicultor Serafim Botelho, por exemplo, explicou a diferença entre o seu produto e aqueles industrializados: “O mel tem suas variações, dependendo da região e da forma como é produzido. No processo industrial, todos eles são misturados em grandes centros de distribuição e encaminhados para as prateleiras, o que prejudica a qualidade de um produto original, ocasionando a perda das propriedades do mel”. Além desses produtos, o consumidor que passar pela feira durante os próximos dias encontrará bolsas, tapetes, hortaliças, licores, doces, decoração artesanal para casa, peças de vestuário e uma grande diversidade de produtos. ]]> 2015-11-12 11:00:47“3º Encontro Socioprodutivo: Um Olhar Sobre o Social” destaca o empreendedorismo como novo e importante gerador de rendahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12147Aconteceu nesta quarta-feira, 11, o “3º Encontro Socioprodutivo: Um Olhar Sobre o Social”, abordando o papel do trabalho na inclusão social da população. O evento foi uma realização da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), com execução da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) e do Conselho Municipal de Assistência Social (CMAS). Além da apresentação de novas ideias para projetos futuros de inclusão ao mundo do trabalho, as lideranças comunitárias puderam participar dos painéis expositivos, debatendo sobre o assunto e trocando experiências. Durante a tarde, a primeira discussão foi com o tema “Demandas Sociais”, tratado pelo secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker: “Antes de oferecermos novas alternativas, precisamos ficar atentos ao que já está sendo feito no município. Hoje, a assistência social, através do Departamento de Inclusão Socioprodutiva e Qualificação Profissional (Disq), oferece excelentes portas de saída para o mercado de trabalho. Somos a cidade que mais encaminhou pessoas aos cursos de qualificação profissional do estado. Inclusive, estamos na frente da capital, Belo Horizonte”. O secretário de Desenvolvimento Econômico da PJF, André Zucchi, destacou o empreendedorismo em sua palestra, como forma de trabalho que vem crescendo na região: “O desenvolvimento local hoje se deve não apenas aos empregos, mas também, e principalmente, ao empreendedorismo. Então, queremos passar essa informação à sociedade, a fim de ajudar as pessoas não só com a formalidade do emprego, mas como também com a questão do empreendedor individual”. Com metas traçadas e um novo planejamento para 2016, o aumento do encaminhamento de pessoas para o mercado de trabalho deve se manter através de programas municipais, como o “JF Qualifica / Inclusão Social” e o “JF Empregos”. “É essencial que esta discussão seja contínua. Trabalhamos na assistência social com a proteção, mas também precisamos visar a promoção destas pessoas. Não há política melhor do que a do trabalho, que é aquela que vai garantir a autonomia e a emancipação do indivíduo e de suas famílias, para que não fiquem reféns dos programas existenciais”, complementou o subsecretário de Desenvolvimento Social, Rogério Rodrigues. ]]> 2015-11-11 10:36:34SDS conclui análise sobre propostas de combate à discriminação e preconceito em ambientes de trabalhohttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12144A Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) deu prosseguimento nesta quarta-feira, 11, às ações de planejamento para a implantação do programa “Selo da Diversidade Étnico Racial”. O projeto é uma iniciativa da PJF, com o objetivo de combater a discriminação étnica, racial e de gênero no ambiente de trabalho. Durante o encontro foi feita uma análise do tema, de maneira prática, através de uma breve pesquisa com os funcionários da secretaria. Todos os servidores da SDS tiveram a oportunidade, de forma anônima, de expressar suas ideias sobre como combater racismo, machismo e homofobia dentro do trabalho, além de poder discorrer abertamente sobre como esses males tomam forma no ambiente profissional. Todas as opiniões foram lidas e discutidas pelos membros da comissão responsável pela implantação do projeto dentro da SDS. A partir dos resultados da reunião, será elaborado umplano de atividades, a ser encaminhado para análise de um comitê gestor, composto de organizações representativas do segmento governamental e da sociedade civil organizada. Ao final desta análise, a PJF avaliará se a SDS deverá, ou não, obter a certificação. Todas as secretarias participarão do “Selo de Diversidade”, garantindo, assim, que a PJF preze por um ambiente sem preconceitos. Com o “Selo” adquirido, a PJF irá então premiar empresas que promovam a diversidade étnico-racial e de gênero, como um valor que gera igualdade de oportunidades, competitividade de mercado, geração e divisão de renda na sociedade. O selo tem o caráter de reconhecimento da “Responsabilidade Social Corporativa” das empresas, e não haverá custos para a entidade que o solicitar. ]]> 2015-11-11 10:28:36Juiz de Fora tem a maior rede socioassistencial entre as cidades de grande porte de Minashttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12141Juiz de Fora está no topo do ranking das cidades com maior número de equipamentos socioassistenciais. O levantamento é baseado em informações do Censo Suas (Sistema Único de Assistência Social) 2014, disponível no site do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS). Em comparação com outras 26 cidades do mesmo porte, com população entre cem mil e 900 mil habitantes (como Uberlândia, Contagem e Montes Claros), Juiz de Fora apresentou a maior rede socioassistencial disponível à população em situação de vulnerabilidade e risco social. São 81 equipamentos, divididos em nove centros de Referência em Assistência Social (Cras), três de Referência Especializado em Assistência Social (Creas), um de Referência Especializado em População em Situação de Rua (Centro Pop), 51 de Convivência e 18 instituições de acolhimento. Para o secretário de Desenvolvimento Social da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), Flávio Cheker, o destaque coroa uma gestão baseada em parcerias sólidas e consciência da necessidade do usuário: “Para nós, da equipe da SDS (Secretaria de Desenvolvimento Social) e dos parceiros AMAC (Associação Municipal de Apoio Comunitário) e das entidades da rede socioassistencial, é uma notícia gratificante e animadora, sobretudo em um momento de tantas dificuldades como o atual. O reconhecimento de que Juiz de Fora está na vanguarda quantitativa nos traz também o reconhecimento pelos enormes avanços de gestão, na busca permanente e concreta de padrões de atendimento e acolhimento para o público da assistência social”. A pesquisa As informações levantadas pela pesquisa foram retiradas do questionário anual do Censo Suas, que toda instituição deve preencher. De acordo com a supervisora de Avaliação e Acompanhamento de Indicadores da SDS, Auzenda Vilella, responsável pela execução do levantamento, ele contém a descrição de cada equipamento, nível de escolaridade de recursos humanos, perfil do usuário, atividades realizadas, fluxos, acessibilidade e outros. Para ela, “esses dados permitem gerar informações de gestão e controle dos equipamentos, apontar deficiências e pontos fortes”. Segundo a chefe do Departamento de Avaliação e Gestão da Informação da SDS, Giovana Brito, “a ideia é fazer um comparativo anual, qualitativo e quantitativo, dando respostas a cada equipamento, sobre a sua evolução. É a chave para implantar no município um padrão de monitoramento, conforme preconiza a Vigilância Socioassistencial”. Esse ranking é parte da pesquisa que busca estudar profundamente cada equipamento de Juiz de Fora. O primeiro foi o Centro Pop, considerando dados de 2012, 2013 e 2014 e, em breve, cada unidade terá o seu estudo individual. Os próximos equipamentos a serem analisados serão os Cras e os Creas. Confira, no anexo, o ranking que aponta Juiz de Fora como destaque na rede socioassistencial de Minas Gerais. ]]> 2015-11-09 10:14:36Crianças e adolescentes da Casa do Pequeno Artista visitam a 1ª Feira Literária de Juiz de Forahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12122Cerca de 130 atendidos na Casa do Pequeno Artista (CPA), entre crianças e adolescentes, visitaram nestas quarta e quinta-feiras, 28 e 29, as instalações da 1ª Feira Literária de Juiz de Fora. O evento, parceria da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) com seis livrarias da cidade, tem como objetivo aproximar a comunidade, em especial os jovens, da prática da leitura. Segundo o educador da CPA, João Marcelo, a Feira proporciona aos jovens uma experiência diferente da que eles conhecem, relacionada à leitura: “Aqui, nossos atendidos podem perceber que existem maneiras diferentes, e muito mais divertidas, de se interessar pela leitura. Por termos um índice grande de defasagem escolar entre eles (os atendidos), queremos que ao menos se habituem com a forma mais lúdica, e não apenas com a questão massiva e formal de ler, imposta no ambiente escolar”. Durante o evento, os jovens puderam conferir a produção de livros e conversar com escritores. “Na quinta-feira tivemos um bate-papo com a autora do livro ´Casamento do Galo José`, Marisélia Abreu. Ela contou como a obra foi produzida, desde o princípio, ou seja, desde o rascunho, até as ilustrações. Esta é uma maneira de mostrarmos aos jovens que não são apenas palavras, mas todo um trabalho que pode se tornar profissão”, acrescentou João Marcelo. A resposta dos jovens foi positiva. “Foi importante para a gente conhecer outras maneiras de leitura, como a contação de histórias. Essa foi a melhor parte. Gostei muito de como os autores interpretam suas histórias e passam para a gente”, afirmou Hyuri de Oliveira, 14 anos. A Casa do Pequeno Artista Atualmente, a CPA, serviço da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) da PJF, executado pela Associação Municipal de Apoio Comunitário (Amac), mantém mais de 200 educandos com idades entre 12 e 17 anos, em situação de vulnerabilidade pessoal e ou social. O programa oferece aos participantes oficinas de musicalização, dança, artes e informática. A unidade fica na Rua Espírito Santo, 456 – 2° andar – Centro. O telefone de contato é o 3690-8336. * Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Social, pelo telefone 3690-8314, ou com a Amac, pelo telefone 3690-7945. ]]> 2015-10-29 15:46:19Aumento no índice de efetividade do pagamento do Bolsa Família revela sucesso das ações realizadas pela SDShttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12117 2015-10-20 15:36:20“Muito Prazer, Bolsa Família ao seu Dispor” - Reunião com novos beneficiários aposta na informaçãohttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12119Aconteceu na tarde desta quarta-feira, o primeiro encontro do Departamento de Transferência de Renda com os novos beneficiários de julho, agosto, setembro e outubro do programa federal Bolsa Família. O projeto, elaborado em 2013 e colocado em prática em 2015, tem como objetivo acolher os novos participantes e repassar informações para a utilização do benefício. No total, serão seis encontros, um por semana, que reunirá cerca de 800 novos beneficiários, para explicar o funcionamento do programa. Durante a tarde, informações como “para que serve o Cadastro Único”, “como ingressar” e “quais os outros programas sociais que utilizam o cadastro” foram repassadas aos presentes. Segundo a supervisora de Auditoria de Beneficiários, Tânia Franklin, o objetivo é fazer com que as famílias tenham conhecimento do programa, para que não percam seu benefício: “Organizamos estes encontros para trocar informações, tirar dúvidas e repassar orientações. Assim, minimizamos o risco de benefícios indevidos, tanto no sentido de algumas pessoas não terem direito de recebê-lo, quanto no de ter ainda mais direitos” Para os que estão ingressando agora no programa, as informações são fundamentais, para que estas pessoas tomem conhecimento de outros serviços oferecidos pelos governos federal, estadual e municipal. “Queria saber mais sobre o programa, porque precisamos saber como agir daqui pra frente. Não conhecia os centros de Referência de Assistência Social (Cras), por exemplo. A partir das informações tomei conhecimento e vou querer participar das atividades oferecidas”, disse a estudante Tainan Caetano, 22 anos. Para os beneficiários antigos, que de alguma forma perderam o direito do recebimento do Bolsa Família e estão retornando, as expectativas são ainda maiores. “Perdi o benefício por falta de informação. Então, acho muito importante a participação nestas reuniões. Quanto mais conhecimento adquirirmos aqui, mais cumpriremos com nossos deveres, para assim receber nosso direito”, avaliou a aposentada Maria Luiza Caetano, 65. O Cadastro Único para Programas Sociais O CadÚnico é um instrumento de identificação e caracterização socioeconômica das famílias brasileiras de baixa renda, entendidas como aquelas com renda igual ou inferior a meio salário-mínimo por pessoa ou renda familiar mensal de até três salários-mínimos. Através do CadÚnico é possível se inscrever em projetos e programas como o Bolsa Família, carteira do idoso, Curso Preparatório para Concursos (CPC) e Minha Casa Minha Vida, além do Benefício de Prestação Continuada (BPC), entre outros. ]]> 2015-10-18 15:39:24SDS reúne todos os seus departamentos e inicia programa do “Selo da Diversidade Étnico Racial”http://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12115 2015-10-16 15:23:32Centro de Defesa dos Direitos Humanos de Petrópolis visita unidades da PJF voltadas para a população em situação de ruahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12131Representantes do Centro de Defesa dos Direitos Humanos de Petrópolis, entidade conveniada ao Ministério das Mulheres, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos, estiveram em Juiz de Fora nesta quinta-feira, 8, para conhecer os serviços da Prefeitura para a população de rua na cidade. O grupo visitou o Centro de Referência Especializado para População de Rua (Centro Pop), o Núcleo Cidadão de Rua e a Casa da Cidadania, todos equipamentos da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), executados pela Associação Municipal de Apoio Comunitário (Amac). Os visitantes puderam conhecer as iniciativas da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) acerca dos moradores de rua, além de vivenciarem a rotina dos mesmos. “Petrópolis tem equipamentos muito parecidos com os de Juiz de Fora. Porém, ainda existe uma forte resistência por parte da população em situação de rua. Por isso, a visita é de extrema importância, uma vez que Juiz de Fora é referência em serviços para esta população, além de ter uma aceitação forte por parte deles”, pontuou a coordenadora administrativa do Centro de Defesa dos Direitos Humanos de Petrópolis, Carla de Carvalho. Desde o inicio da gestão, a SDS recebe representantes de municípios vizinhos que querem conhecer os serviços desenvolvidos na cidade. Já estiveram presentes profissionais de Congonhas, Ubá, Leopoldina, Dores do turvo e Pedro Leopoldo. “As visitas são essenciais para o crescimento de nosso trabalho. Uma vez que, recebendo estes representantes em nossas unidades, estamos passando experiências que podem ajudar no crescimento dos projetos em outras regiões, assim como contribuir para que desempenhemos um trabalho exemplar aqui”, destacou o Chefe de Departamento de Proteção Especial, Lindomar José da Silva. As unidades O Centro Pop e o Núcleo do Cidadão de Rua têm como público-alvo cidadãos com vivência de rua e migrantes em Juiz de Fora. O Centro Pop oferece refeições, acompanhamento psicossocial e oficinas artísticas, entre outras atividades voltadas para a reinserção do morador em situação de rua na sociedade, buscando sempre referenciar os atendidos às suas respectivas famílias. A unidade conta ainda com uma biblioteca e uma sala de artes, para a promoção de oficinas de artesanato. O centro tem capacidade para atender, em média, 120 pessoas por dia. A unidade funciona na Rua Oswaldo Veloso, 190, Centro, sempre de segunda a sexta-feira, das 8 às 23 horas, e aos finais de semana, das 8 às 18 horas. O Núcleo do Cidadão de Rua atende a população adulta em situação de vulnerabilidade social e pessoal e que vive nas ruas de Juiz de Fora. Os moradores de rua que chegam ao núcleo, abordados ou por demanda espontânea, além da possibilidade de pernoitarem, recebem alimentação e cuidados com higiene. Todo esse trabalho é supervisionado por uma equipe técnica multidisciplinar. O núcleo possui 134 leitos masculinos e 16 femininos. Ele fica na Rua José Calil Ahouagi, 592, Centro. Além desses dois equipamentos, Juiz de Fora conta com mais uma unidade socioassistencial voltada para a população em vivencia de rua: a Casa da Cidadania. Esse equipamento realiza o acolhimento institucional de cidadãos que se encontram em vivência de rua, em situação de alto risco e vulnerabilidade social. São oferecidos 55 leitos masculinos e 15 femininos, e, em geral, são pessoas que fazem uso de substâncias psicoativas. A Casa da Cidadania fica na Alameda Silva Mello Reis, 6.001, Bairro Jardim Esperança. ]]> 2015-10-08 09:38:59Primeiros alunos do programa "JF Qualifica - Inclusão Social" recebem as boas vindashttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12128A semana começou festiva para os cem alunos que integrarão a primeira turma do “JF Qualifica – Inclusão Social”, o mais novo programa de inserção socioprodutiva da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF). A aula inaugural aconteceu no auditório do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), nesta segunda-feira, 5, e contou com as presenças do prefeito Bruno Siqueira, dos secretários de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, e de Comunicação Social, Michael Guedes, do diretor da Faculdade Senai de Tecnologia, Vander Montesse, e do diretor regional do Serviço Social da Indústria (Sesi) e Senai, Marcelo Leal. Dando as boas-vindas aos novos estudantes, Bruno Siqueira falou da tradição da cidade na promoção de cursos de qualificação e a criatividade para buscar novas alternativas de crescimento frente aos momentos de adversidade: “Desde 2013 trabalhamos muito para nos destacar em qualificação profissional e promoção ao mundo do trabalho. Conquistamos o primeiro lugar em vagas ofertadas pelo Pronatec (Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego), na frente ainda da capital do estado, Belo Horizonte. Frente ao cenário de crise econômica do país, a oferta de cursos foi cortada, mas não podíamos desanimar. Estudamos alternativas e conseguimos custear os cursos com recurso próprio. É uma grande oportunidade e vocês são a primeira turma desse programa. Não sabemos como será o mercado, mas vocês estarão qualificados para se destacar e ingressar no mundo de trabalho”. Ainda nessa linha sobre o encaminhamento para o mercado de trabalho, Cheker explicou a escolha dos cursos e a origem das demandas: “Os cursos ofertados foram amplamente estudados. Existe demanda por esses profissionais por parte das empresas. É um caminho aberto não só para a qualificação, mas também para o mercado de trabalho. O que vocês vão adquirir nas aulas ninguém pode tirar, o conhecimento. É a nossa maior riqueza e a chave para um futuro melhor”. Os diretores das instituições ofertantes completaram a cerimônia, enfatizando os benefícios que essas oportunidades podem trazer. Para Montesse, “Juiz de Fora se mostra novamente na vanguada, ainda que pese a crise. Quando há muito mais demissões que contratações, a qualificação é um diferencial, Isso soma no currículo e ajuda a conseguir o emprego”. Leal compartilhou da opinião e completou: “Vocês estão sendo privilegiados com esse investimento na sua formação. Aproveitem ao máximo as aulas nessa instituição, que é reconhecida mundialmente em educação profissional. Que possam ingressar no mercado de trabalho e, quem sabe, futuramente, até estar empregando outras pessoas”. A pedagoga do Senai, Marilda Valadão, reforçou os valores da instituição, como assiduidade, pontualidade, seriedade nas aulas e sua missão final: “Melhorar a indústria de Minas Gerais e qualificar vocês para estarem preparados para assumir os quadros do mercado de trabalho”. Os cursos - auxiliar administrativo e de departamento pessoal, operador de computador e soldador - começam essa semana e, além das aulas, os alunos terão transporte, alimentação e material didático integralmente custeados pela PJF. Outras oportunidades de qualificação serão ofertadas no início de novembro, para o primeiro trimestre de 2016. Os primeiros beneficiados O aluno do curso de soldador mig mag, Edir da Silva, 49 anos, interessou-se pela formação para aumentar suas chances no mercado. Ele já trabalha com manutenção, mas quer se qualificar: “Já mexo nessa área mesmo, mas tem firma que pede, além da experiência de trabalho, o conhecimento de soldador também. Minhas expectativas serão melhores agora”. O otimismo dele é compartilhado pela aluna do curso de operador de computador, Edilene Cassimiro, 26 anos, desempregada: “O curso aumentará minhas chances de conseguir um emprego, e quero ter um certificado. Esse conhecimento é fundamental para a vida de qualquer profissional, em qualquer área. O mundo está muito atualizado, a gente tem que se atualizar também”. O programa O “JF Qualifica - Inclusão Social” é resultado de uma ação intersetorial e da articulação de políticas de geração de emprego e renda. Visa promover a qualificação profissional dos usuários dos programas da assistência social e o acesso ao mundo do trabalho. Com o propósito de dar oportunidade de inserção ao mercado de trabalho a todos, o programa tem como público-alvo famílias e indivíduos oriundos de populações urbanas e rurais, em situação de vulnerabilidade e risco social, com idade acima de 16 anos, inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico), com prioridade para os beneficiários do Bolsa Família. TEXTO: Michelly Meireles FOTO: Gil Velloso ]]> 2015-10-06 09:31:09Secretário de Desenvolvimento Social da PJF entrega premiação aos vencedores mineiros do programa “Itaú-Unicef”http://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12125A Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) esteve representada, na noite dessa quinta-feira, 1º, na cerimônia de premiação dos vencedores de Minas Gerais do Prêmio Itaú-Unicef. A solenidade ocorreu no Museu Inimá de Paula, em Belo Horizonte. A 11ª edição do programa teve como tema “Educação Integral: Aprendizagem que Transforma”, e buscou valorizar as organizações da sociedade civil e as escolas públicas responsáveis por boas práticas de educação integral. O secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, integrante da equipe avaliadora, foi responsável por entregar o prêmio na categoria de projetos de “Grande Porte”, junto com o representante do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef). “Além do convite para participarmos da seleção, foi motivo de muita satisfação sermos chamados para fazer a entrega do primeiro prêmio aos projetos de grande porte. É um reconhecimento ao trabalho de toda a equipe da SDS”, declarou o secretário. O projeto premiado foi o “Vida da Associação Jaibense de Apoio ao Menor”, do município de Jaíba, realizado em parceria com a Escola Estadual Clara Menezes. Cada dupla de vencedor regional, organização e escola pública, recebeu R$ 50 mil para fomentar o desenvolvimento do projeto. A avaliação De acordo com a organização, o Prêmio recebeu 1.947 projetos inscritos de todos os estados do Brasil e do Distrito Federal. Para selecionar as iniciativas semifinalistas e finalistas, o programa convidou uma equipe de cerca de 300 avaliadores de todo o país, formada por gestores públicos da área de educação e assistência social, e os dividiu em oito regionais. Todos ele passaram pelo processo formativo, que contou com ações presenciais e a distância. Cheker integrou a equipe da Regional Belo Horizonte, responsável por avaliar os projetos de todos os inscritos de Minas Gerais. “Foi um verdadeiro processo de formação e informação, além, é claro, do estímulo em participar da avaliação de tantos projetos bem-sucedidos e conhecer experiências de parcerias entre ONGs e escolas”, declarou o secretário. Agora, as quatro duplas mineiras selecionadas nas categorias “micro”, “pequeno”, “médio” e “grande porte”, disputarão a fase nacional do programa, cuja premiação será de R$ 200 mil. Já a dupla vencedora na premiação geral receberá R$ 500 mil cada integrante, tanto a escola parceira quanto a organização. A seletiva final será realizada por uma banca de 60 avaliadores de todo o país, da qual o secretário fará parte novamente. Educação Integral em Juiz de Fora Em Juiz de Fora, a SDS é responsável pela gestão de serviços e unidades que trabalham em estreita conexão com a proposta do programa. Destes, o mais abrangente é o Curumim, serviço que busca estimular a formação cidadã de crianças e adolescentes no contraturno escolar, através de práticas esportivas, artísticas e culturais. Com oito unidades no município, os Curumins têm capacidade para atender mais de 1.100 crianças e adolescentes, que recebem duas refeições diárias e atividades educacionais e recreativas, fazendo do espaço uma referência para formação social dos jovens e crianças. Ainda com a proposta de fornecer um complemento à educação regular, através do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, a SDS conta com a AABB Comunidade, a Casa do Pequeno Jardineiro, Casa do Pequeno Artista, Casa da Menina Artesã e Agente do Amanhã, abrangendo cerca de 1.700 crianças e adolescentes com idade entre 4 e 17 anos. Para o secretário Flávio Cheker, o diferencial da participação no Prêmio Itaú-Unicef foi a troca de experiências e o conhecimento de práticas bem-sucedidas na área. “Levamos as ações de Juiz de Fora e debatemos os problemas comuns, os avanços obtidos e novas formas de levar adiante o olhar cuidadoso para com as crianças, os adolescentes e jovens. Foi uma oportunidade de discutir o papel fundamental da assistência social nas ações socioeducativas para efetivar a educação integral”, avaliou. ]]> 2015-10-02 09:25:16Evento comemora um ano do programa Ciranda Cidadã e lança projeto Territórios em Cirandahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12112O programa “Ciranda Cidadã” é executado pela Prefeitura de Juiz de Fora, com o intuito de promover os direitos humanos por meio dos serviços do município em assistência social e saúde. Na tarde desta quarta-feira, 30, o prefeito Bruno Siqueira participou do evento comemorativo pelo primeiro ano do programa e de lançamento do projeto “Territórios em Ciranda”, no auditório da Vigilância em Saúde (Avenida dos Andradas, 500). Na cerimônia, estiveram presentes o vice-prefeito Sérgio Rodrigues, o secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, o subsecretário de Atenção Primária à Saúde, Thiago Horta, a chefe do Departamento de Políticas para Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos (DPCDH), Thais Altomar, a idealizadora do programa, supervisora de Direitos Humanos da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), Giane Elisa Salles de Almeida e a professora da faculdade de Serviço Social da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Elizete Menegat, além de servidores das duas pastas envolvidas no programa. Um vídeo institucional contou a história da “Ciranda Cidadã” através de depoimentos de servidores e ilustrou a transformação dos serviços e dos profissionais de assistência social e saúde em agentes de promoção de direitos humanos. Apresentado o programa, Bruno ressaltou os benefícios das ações. “Uma administração não é feita só de obras, mas também de ações como esta. O programa, que completa seu primeiro ano, veio para ficar pela sua relevância social, por promover os direitos através da ciranda, do diálogo”. O prefeito rendeu uma homenagem a Giane Elisa e ao coordenador do programa na saúde, Marcelo Campos, pela iniciativa e realização das atividades ao longo deste primeiro ano. O titular da SDS, Flávio Cheker, enfatizou a importância dada aos direitos humanos na atual administração municipal. “A celebração de um ano prova que o programa deu certo e surtiu resultados tanto para os servidores como para o cidadão que é atendido nos equipamentos. Torna essa relação mais humana, fraterna, respeitosa e tolerante com as diferenças, sobretudo com o público que mais precisa dessa acolhida, aquele mais vulnerável, em risco pessoal e social”. O subsecretário Thiago Horta lembrou que “o programa é único e genuinamente juiz-forano. Traz um elemento de formação e reconhece a política intersetorial no encontro”. Ciranda Cidadã A supervisora Giane Elisa, emocionada, trouxe à tona a origem do Ciranda Cidadã e lembrou de todas as mulheres negras que a antecederam e fizeram a ciranda girar até o momento atual. “O programa é sustentando por três pilares: o afrocentrismo, as metodologias participativas e os recortes de gênero, classe social e raça. É preciso pensar que a ciranda é como a vida. Acreditar que esse país, que a nossa cidade, pode ser um lugar mais justo, mais fraterno e melhor para todos”. O programa consiste em capacitar servidores públicos que atuam na ponta dos serviços para lidar melhor com o público, entender seus pertencimentos e respeitar as diferenças entre as pessoas, com o objetivo de promover proativamente os direitos humanos e ainda combater as violações, a violência institucional e a marginalização. Territórios em Ciranda O projeto está contido no Ciranda Cidadã e busca promover a imersão nos territórios onde os serviços de saúde e assistência estão inseridos para entender a comunidade além de sua cartografia e promover ações baseadas em suas especificidades, história e construção cultural. O lançamento oficial ocorreu após a fase-piloto do projeto, realizada com as equipes de Estratégia de Saúde da Família dos bairros Industrial, Retiro e Santo Antônio. Cada grupo apresentou suas impressões e as experiências colhidas com os moradores mais antigos dos bairros, como origem do nome, fotografias antigas, mitos e lendas que construíram aquilo que os territórios são hoje. Nesta segunda fase, o “Territórios em Ciranda” será expandido para cerca de cem profissionais, entre agentes comunitários da saúde, pedagogos dos Centros de Referência de Assistência Social (Cras) e educadores das unidades socioassistenciais da PJF que atendem crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social. Ao final do evento, a professora Elizete Menegat ministrou a palestra “Território como Produtor de Direitos Humanos”. FOTO Carlos Mendonça ]]> 2015-09-30 10:12:09The Street Store JF – Evento beneficia mais de 600 pessoas carentes e em situação de ruahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12109Uma loja na rua, com peças totalmente gratuitas, onde as pessoas que sentirem necessidade podem pegar o que quiserem, de acordo com seu gosto e preferência. A iniciativa partiu de jovens estudantes que nunca tinham se visto, mas compartilham da ideia que surgiu em 2014, na África do Sul, e nesse tempo se espalhou pelos quatro cantos do mundo. A rede social os uniu e a Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), através da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), abraçou a causa. O primeiro Street Store de Juiz de Fora aconteceu no sábado, 26, na Praça da Estação e apresentou números impressionantes. Mais de oito mil peças arrecadadas beneficiaram mais de 600 pessoas carentes ou em situação de rua. O secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, esteve na praça durante o evento e presenciou a solidariedade das dezenas de voluntários que recebiam e guiavam as pessoas pela loja aberta. “Parabenizamos a equipe organizadora e agradecemos a parceria firmada. Realçamos ainda a importância de que as pessoas busquem os serviços da SDS através de ações coletivas como essa, lembrando que a ajuda individual, infelizmente acaba colaborando para fixação da pessoa em situação de rua”. Para Cheker, a iniciativa ainda reforça a humanidade desses cidadãos. “O gesto incentiva o protagonismo da pessoa em situação de rua através do livre exercício da escolha do que vão usar e vestir. Realça ao conjunto da sociedade que, embora estejam em situação de rua, são sujeitos detentores de direitos.” A organizadora do evento Carolina Stroppa, estudante de Secretariado Executivo na Universidade Federal de Viçosa (UFV), mostrou-se satisfeita com o resultado e pretende fazer uma nova edição. ”O sucesso do evento nos surpreendeu pelo número de doações e pela quantidade de voluntários interessados em ajudar. A gente esperava umas 300 pessoas, não sabíamos que ficaria assim, cheio o tempo todo.” Clientes da loja aberta Durante a manhã e tarde do sábado, 26, mais de 600 pessoas passaram pela loja aberta do Street Store. O público se dividiu em pessoas em situação de rua e outras que não necessariamente estavam nessa condição, mas que também precisavam de ajuda. Alex Lima da Silva esteve em situação de rua por 12 anos e agora vive com a esposa no bairro Santa Rita, em uma casa paga com o aluguel social, benefício concedido pela PJF. Hoje é catador de papel e saiu da loja com a sacola cheia. “Eu achei muito bom poder escolher as coisas, ver o que é do meu tamanho. Peguei calça, camisa e um chinelo que era o meu número.” A esposa dele, Elaine Cristina da Silva, acompanhou o marido. “Peguei as coisas que estava precisando, peças íntimas, vestido e chinelo. Adoro coisas chamativas. Meu marido não vai poder falar que eu não me arrumei.” A família de Vera Lúcia Fernandes, que mora no bairro São Damião, também foi beneficiada com a loja. Ela estava acompanhada pelas três filhas, além de outros cinco filhos, entre meninos e meninas, que esperavam em casa. “Eu estava precisando. Peguei coisas para todo mundo”, afirmou, apontando para dois sacos cheios de roupas. A filha dela, Bianca, de 5 anos, aproveitou a loja também para se divertir. Durante todo o tempo em que a mãe fez a triagem de roupas e calçados, a menina desfilou looks diferentes de vestidos, sandálias de salto e bolsas brilhosas. “Eu gostei muito de tudo, principalmente desse vestido e da bolsa” contou a menina, desfilando sua nova bolsa dourada, colar e anéis. TEXTO: Michelly Meireles *Informações com a Assessoria de Comunicação da SDS pelo telefone 3690-8314. ]]> 2015-09-28 09:58:13Dia Nacional da Pessoa com Deficiência – Prefeito participa do “Algo em (In)Comum” e troca ideias sobre o temahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12106Todo mundo tem “Algo em (In)Comum” para compartilhar: foi a grande descoberta da manhã desta segunda-feira, 21. No dia em que é celebrada nacionalmente a luta da pessoa com deficiência, o prefeito Bruno Siqueira e o secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, estiveram numa roda de bate-papo com pessoas com deficiência e seus familiares, na sede do Departamento de Políticas para a Pessoa com Deficiência (DPCDH) da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS). Os técnicos das secretarias de Saúde, Alfeu Gomes, de Desenvolvimento Econômico, Leila Abrahão, de Educação, Isabel Campos e do presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Harrison Nassar. Durante duas horas, no meio da roda, o dado foi lançado. As faces representavam os temas: 1 – Trabalho, 2- Educação, 3-Saúde, 4-Acessibilidade, 5-Cidadania e 6- Liberdade. A dinâmica consiste em usar memórias de experiências relacionadas ao tema sorteado e ouvir problemas e soluções comuns dos participantes. A chefe do departamento, Thais Altomar, e as supervisoras Ana Paula Machado e Giane Elisa Salles mediaram a conversa. A intérprete Andressa da Silva fez a tradução simultânea para Libras. Margarida, mãe de Letícia, que tem deficiência motora e intelectual leve e cursa o último ano do ensino médio, quer realizar o sonho da filha de entrar na faculdade. A mãe da Gabriene, que é surda e cursa Administração numa faculdade particular, quer que a filha tenha o acompanhamento do intérprete em sala de aula, conforme prevê a lei. O Jorge também é surdo e já concluiu a faculdade de Arquitetura. Ele conta como foi a luta para conseguir prestar vestibular e se formar numa faculdade particular, quando conquistou o direito pelo acompanhamento do profissional de Libras. José Wilson é cadeirante. Quis pegar um táxi, mas o taxista se negou a levá-lo por causa da cadeira, que podia arranhar o porta-malas. Quis comprar uma televisão e a loja, a única que tinha rampa de entrada, não tinha acessibilidade para o segundo andar, onde se concretizava o pagamento. Ele já tomou cafezinho na porta da padaria por falta de rampa de acesso. Hoje, depois de tomar café com o dono e falar sobre essa necessidade, pode usufruir do espaço comum no estabelecimento. A academia onde ele malha tem rampa, banheiro adaptado e espaço entre os aparelhos. O Felipe, cadeirante, 24 anos, é educador físico, e a academia onde ele treina ainda não oferece acessibilidade completa. Ele não desanima, aceita um pouco de ajuda para o acesso e parte para as atividades. A cada tema, o bate-papo apontava novas possibilidades. Do prefeito Bruno, vieram ideias com visão de gestor. “Vim muito mais para escutar do que para falar. Temos que ter a sensibilidade de ouvir para saber do que o outro precisa, para ter uma cidade mais inclusiva. É até uma questão de visão, não só do poder público, mas também dos empresários. A pessoa com deficiência também compra, consome, estuda. Gera uma mídia positiva, e os outros estabelecimentos não vão querer ficar para trás”. Para o secretário Flávio Cheker, o diálogo aberto foi o diferencial do momento. “É exatamente isso que as pessoas querem, alguém que as escute, que mostre interesse sobre as suas necessidades. É assim que avançamos na busca e construção de objetivos e na sensibilização da sociedade pela inclusão da pessoa com deficiência”, finalizou. FOTO: Gil Velloso * Informações com a Assessoria de Comunicação da SDS pelo telefone 3690-8314 ]]> 2015-09-21 09:46:24Prefeitura lança “JF Qualifica – Inclusão Social”, e matrículas começam no dia 25http://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12103Na tarde desta quinta-feira, 17, foi lançado, oficialmente, o programa “JF Qualifica – Inclusão Social”, um trabalho desenvolvido sob gestão da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), em cerimônia no auditório da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF). Durante o evento, o prefeito Bruno Siqueira chamou a atenção para o momento econômico pelo qual o país está passando e para a necessidade de novos programas que supram os cortes, em especial os sofridos pelo Pronatec: “Tivemos destaque nacional na procura pelos cursos do Pronatec. Para atender a essa demanda, buscamos uma possibilidade com os recursos que eram viáveis. A criatividade é fundamental nesse momento de crise. O JF Qualifica Inclusão Social vai ofertar aos cidadãos qualificação profissional e ingresso no mercado de trabalho”. O secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, explanou sobre a trajetória de construção do programa e corroborou das impressões do prefeito sobre a aplicação social da iniciativa. “Sabemos que a ausência do acesso ao trabalho e da renda não são os únicos componentes da vulnerabilidade, mas, com certeza, são essenciais para que se construa uma vida digna. Por isso, acreditamos que o JF Qualifica Inclusão Social será de grande importância para estas pessoas que tanto precisam de uma oportunidade”. O programa conta com a parceria das escolas do “Sistema S”, que incluem as instituições Senai, Senac e Senat e o Instituto Federal de Educação, IF Sudeste. “Oferecemos a estas pessoas uma oportunidade de qualificação. Neste momento de transição que o país está atravessando, a capacitação é fundamental”, ressaltou o diretor do Senac JF, Luiz Henrique Andrade. O gerente da Faculdade de Tecnologia do Senai JF, Vander José do Amaral, também enxerga o caráter socioeconômico do programa. “Justamente neste cenário de crise econômica e desemprego, Juiz de Fora se reergue para oferecer à população uma oportunidade única. O JF Qualifica – Inclusão Social é um pacote completo para a qualificação. Além de ficar responsável por todos os custos, oferece ensino de qualidade à população em vulnerabilidade”, concluiu. As inscrições para os cursos podem ser feitas a partir do dia 25 de setembro, na Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) de Juiz de Fora, conforme orientações especificadas no site da Prefeitura de Juiz de Fora e nos Centros de Referência de Assistência Social (Cras). O programa O “JF Qualifica Inclusão Social” é o mais novo programa de inclusão socioprodutiva de Juiz de Fora. Resultado de uma ação intersetorial e da articulação de políticas de geração de emprego e renda, o projeto visa a promover a qualificação profissional dos usuários dos programas da Assistência Social e o acesso ao mundo do trabalho. Com o propósito de dar a oportunidade de inserção ao mercado de trabalho a todos, o programa tem como público-alvo famílias e indivíduos oriundos de populações urbanas e rurais, em situação de vulnerabilidade e risco social, com idade acima de 16 anos, inscritas no CadÚnico, com prioridade para os beneficiários do Bolsa Família. FOTO: Carlos Mendonça *Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Social, pelo telefone 3690-8314. ]]> 2015-09-17 09:39:22Idosos assistidos pelo Cras Leste Linhares participam de oficina de xadrezhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12101 2015-09-15 09:32:32“A Casa é Sua” - SDS oferta exemplares a educadores do “Poupança Jovem” e divulga serviços disponíveis para a população de ruahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12098O livro “A Casa é Sua – Onde é a Casa do Morador de Rua”, lançado em agosto pela Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), foi o ponto de partida para a discussão da realidade dos cidadãos em situação de rua na cidade e para a divulgação da rede socioassistencial do município voltada para esse público. Na manhã desta terça-feira, 15, o livro foi distribuído aos educadores e às escolas da rede pública estadual participantes do programa “Poupança Jovem”, em um bate-papo com o secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker. A iniciativa faz parte de um esforço da SDS para difundir a publicação em toda a rede de ensino. O livro já foi encaminhado a bibliotecas, universidades públicas e particulares e para as unidades socioassistenciais de Juiz de Fora. Aos educadores do Poupança Jovem, o secretário destacou o duplo valor da obra. “É fundamental que saibamos nos relacionar com este cidadão, porque existe a carga negativa na visão da sociedade. Este livro conta histórias de sucessivas perdas que ajudam a explicar como alguém chega a parar nas ruas, humanizando essa visão. Por outro lado, é um instrumento que trabalha na perspectiva do encaminhamento às políticas públicas de assistência social e aos serviços da PJF que atendem estes cidadãos”, detalhou Cheker. O secretário citou a campanha “Mostre o Caminho”, iniciativa da SDS que busca apresentar à sociedade os serviços oferecidos aos cidadãos em situação de rua e desestimular a prática da doação de esmolas, incentivando o encaminhamento à rede socioassistencial. “Do ponto de vista das políticas públicas, a ajuda individual, sem o encaminhamento para os serviços do município, é contraproducente. O cidadão deve acionar a abordagem social. Hoje, a rede que o município possui tem capacidade de atender à demanda do cidadão de rua através dos serviços e das unidades”, garantiu Cheker. “Poupança Jovem” O “Poupança Jovem” é um processo estratégico do Governo de Minas, executado na cidade pela PJF, através da SDS, voltado para alunos do ensino médio das escolas públicas estaduais. No programa, os estudantes participam de atividades que visam ao conhecimento e à capacitação para o futuro profissional, com acompanhamento do rendimento escolar, atividades extracurriculares e cursos profissionalizantes. De acordo com Flávio Cheker, a ideia é que o “Poupança Jovem” seja mais um multiplicador do conteúdo da obra entre professores, alunos e educadores. “Esta divulgação vem no sentido de incentivar ações pedagógicas baseadas neste material e fomentar a leitura do livro nas escolas pelos adolescentes participantes do programa”, declarou o secretário. A educadora do programa, Erika Senra, ressaltou o valor da obra e o potencial de atividades educativas que ela oportuniza dentro das escolas. “Este livro levanta questões como tolerância, compaixão e nos permite suscitar a cultura de paz com os alunos. Muitas vezes, somos muito rápidos em categorizar o outro sem conhecer, e o livro mostra um olhar que pode ser muito importante na formação de indivíduos mais tolerantes”. “A Casa é Sua” As páginas contam a história de 22 pessoas em vivência de rua, a partir de uma oficina artística feita na Casa da Cidadania, unidade da Secretaria de Desenvolvimento Social, com execução da Associação Municipal de Apoio Comunitário (Amac), que acolhe os cidadãos em estado de maior vulnerabilidade. O propósito era traduzir, em papelão, tinta e material reciclável, algo que lhes remetesse à vivência de casa, da construção física e emocional do lar. As peças resultantes desse trabalho foram expostas no CCBM, fotografadas e reunidas aos depoimentos de cada autor, dando vida ao livro. As histórias somam-se a informações técnicas sobre o panorama da população em situação de rua em Juiz de Fora e aos serviços que a PJF disponibiliza para resgatar a dignidade dessas pessoas. * Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Social, pelo telefone 3690-8314. ]]> 2015-09-15 09:24:24Comitê se reúne para deliberar e encaminhar propostas que garantam proteção à população em situação de ruahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12093Na manhã desta sexta-feira, 11, o Comitê Intersetorial de Acompanhamento da Política Nacional para População de Rua (Comitê Pop Rua) se reuniu para discutir direitos e deveres dos cidadãos em situação de rua. A reunião teve como objetivo deliberar e encaminhar propostas que garantam a proteção destas pessoas com alta vulnerabilidade para a Secretaria de Governo (SG). O propósito é levar ideias que sejam incluídas em uma política municipal. Durante o encontro, cerca de 38 representantes do poder público e da sociedade civil discutiram propostas específicas, como a garantia do acesso a serviços e programas que integram as políticas públicas de saúde, educação, assistência social e a profissionalização destas pessoas. Segundo o Presidente do Comitê Pop Rua, Rogério Rodrigues, o encaminhamento dos documentos à política municipal busca um novo olhar para as pessoas em situação de rua. “A inclusão social também é uma forma de tirar essas pessoas da rua, principalmente se for possível fazer com que sejam tratadas de maneira igualitária a todos nós”, afirma. O Comitê Instituído em junho do ano passado, o “Comitê Intersetorial de Acompanhamento da Política Nacional para População de Rua” foi uma das obrigatoriedades para que Juiz de Fora aderisse à Política Nacional para a População em Situação de Rua. O grupo, composto por representantes do poder público e da sociedade civil, é responsável por apontar as diretrizes do reordenamento da política na cidade, considerando as particularidades e a necessidade de articulações, utilizando-se dos indicadores construídos pós-diagnóstico para a implantação, execução e monitoramento da política. As reuniões do Comitê Pop Rua acontecem uma vez por mês na SDS. Mudança no tratamento Para trazer esse novo olhar necessário para a sociedade, a Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) continua a veicular a campanha permanente “Mostre o Caminho”, que tem como foco conscientizar as pessoas sobre os direitos da população em situação de rua, além de apresentar à sociedade os serviços oferecidos pela SDS para esse segmento. A mobilização é feita através da distribuição de panfletos informativos para a população e da fixação de cartazes de conscientização em locais com grande concentração de moradores de rua e estabelecimentos comerciais. Além disso, o material da campanha está sendo utilizado permanentemente em todas as ações realizadas pelo Serviço de Abordagem. ]]> 2015-09-11 09:28:34PJF entrega certificados à primeira turma do Curso de Libras da PJF e defende cidade mais inclusivahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12090Juiz de Fora deu mais um passo rumo à inclusão social e continua avançando na proposta da acessibilidade para cidadãos com deficiência. Na manhã desta sexta-feira, 11, o prefeito Bruno Siqueira entregou os certificados à primeira turma do curso de Língua Brasileira de Sinais (Libras) oferecido a servidores, funcionários e estagiários da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF). O projeto da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) visa a qualificar o atendimento à pessoa com surdez ou alguma deficiência auditiva nas secretarias e unidades da PJF. A solenidade ocorreu na sala de reuniões do gabinete do prefeito (Avenida Brasil, 2001, 9° andar). O curso foi iniciado em março e formou 17 alunos no módulo básico de Libras. Durante a entrega dos certificados, o prefeito enalteceu a disposição dos funcionários em se qualificar para oferecer o melhor atendimento possível aos cidadãos. “A Língua de Sinais é uma forma fundamental de comunicação com o público que a utiliza, e o poder público disponibilizar este atendimento inclusivo é praticar a acessibilidade que queremos”, defendeu. “Porém, muito mais que uma ação da PJF, essa é uma iniciativa de vocês, que servirá de exemplo para outros servidores. Não daríamos esse passo tão importante se não fosse por vocês”, concluiu, dirigindo-se aos alunos do curso. A primeira turma foi formada por profissionais da assistência social, incluindo unidades e departamentos da SDS, o Conselho Municipal de Assistência Social (CMAS) e o Espaço Cidadão. “O objetivo do nosso projeto é que todos os pontos de atendimento ao cidadão tenham, minimamente, a capacidade de atender com dignidade as pessoas com deficiência auditiva. Estes são só os primeiros passos, é uma iniciativa que veio para ficar”, assegurou o secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker. Atendimento qualificado “É importante entender que acessibilidade vai muito além de rampas. A acessibilidade na comunicação é essencial ao atendimento ao público”. As palavras da chefe do Departamento de Políticas para a Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos (DPCDH) da SDS, Thais Altomar, sintetizam o alcance da iniciativa. Além de formar a primeira turma no módulo básico do curso de Libras, o projeto já está com duas outras turmas em andamento. A segunda é direcionada a agentes comunitários de saúde, e a terceira é aberta a todas as secretarias da PJF, e conta com alunos oriundos da Câmara Municipal e da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). “Ações como essa mostram a sensibilidade da PJF para com o cidadão juiz-forano. O grande benefício é ver o efeito multiplicador que este projeto pode ter para a população”, afirmou o presidente da Câmara, vereador Rodrigo Mattos. A capacitação já se reflete nos serviços prestados pela SDS e outras unidades da PJF. “Já consigo garantir a comunicação e a acolhida ao usuário através da língua de sinais. A grande marca do curso é a qualificação do atendimento. Não é somente o fato de se comunicar, mas também entender e saber se relacionar com a pessoa com surdez. Minha intenção é continuar aprofundando e participar do módulo intermediário”, disse a assistente do Centro de Referência da Assistência Social (Cras) Nordeste Grama, Gláucia Lopes de Oliveira. A sequência da capacitação está garantida. Leia Pereira dos Santos também foi aluna da primeira turma do curso de Libras. Ela é recepcionista no Espaço Cidadão, que trabalha com um fluxo intenso de atendimentos. “O curso fez uma grande diferença. Antes, um deficiente auditivo chegava e a gente ficava perdido. Agora, até eles se sentem mais à vontade conosco, e o trabalho se desenvolve com mais facilidade. Como profissional, sinto-me totalmente renovada e não pretendo parar com as aulas”, relatou. Inclusão Social O curso de Libras é mais uma iniciativa da PJF, através da SDS, que coloca a acessibilidade e inclusão social na pauta da gestão. Além da capacitação aos servidores, o Departamento de Políticas para a Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos (DPCDH) executa projetos como o “Algo em Comum”, que reúne pessoas com deficiência e seus familiares para oficinas e trocas de experiências, e o “Ciranda Cidadã”, projeto que abrange capacitação pedagógica a funcionários de diversas pastas da PJF e ações sociais acerca das questões de igualdade racial e de gênero, entre outros temas dos Direitos Humanos. Já um marco de gestão foi a adesão, feita pela PJF em junho deste ano, ao “Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência - Viver sem Limite”, o que colocou Juiz de Fora como uma das primeiras cidades não capitais do país a se comprometer com a garantia da cidadania plena a pessoas com deficiência. * Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Social, pelo telefone 3690-8314. ]]> 2015-09-11 09:09:26<a href="http://www.flaviocheker.com.br/wp-content/uploads/GetAttachment.aspx-livro.jpg"><img src="http://www.flaviocheker.com.br/wp-content/uploads/GetAttachment.aspx-livro.jpg" alt="GetAttachment.aspx livro" width="214" height="159" class="alignleft size-full wp-image-12078" /></a>http://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12076GetAttachment.aspx livro ]]> 2015-08-20 11:08:05Estagiários da SDS discutem formação humanística com usuários do Centro Pophttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12061Sem título 1 IMG-20150723-WA0011A Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) promoveu, nesta quinta-feira, 23, uma oficina para aguçar a formação humanística dos estagiários. Os estudantes do Departamento de Políticas para a Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos (DPCDH) foram levados a conhecer a realidade da população em situação de rua atendida no Centro de Referência Especializado para População de Rua (Centro Pop). A atividade foi orientada pela supervisora de Direitos Humanos e Cidadania do DPCDH, Giane Elisa Sales de Almeida. Ela afirmou que intenção do projeto é “criar um espaço de estágio que realmente seja educativo e crie uma cultura de Direitos Humanos nas práticas profissionais”. A ação foi um convite do próprio Centro Pop e discutiu o olhar da sociedade sobre a população em situação de rua, como eles mesmos se veem e os Direitos Humanos. Com um tom lúdico e dialético, usando objetos como brinquedos de encaixe e uma caixa de presente com um espelho colado ao fundo, foram trabalhados temas como a autoestima e a legislação prevista na Constituição Federal. Para a equipe de estagiários, composta por estudantes de Serviço Social, Jornalismo e Enfermagem, o momento de formação gerou um grande aprendizado. Para a estudante de Jornalismo Thaís Mariquito, “foi um aprendizado para todos nós, estagiários e moradores de rua. Eles conheceram um pouco mais dos próprios direitos e nós conhecemos um pouquinho dessa realidade que parece tão distante da nossa, mas que, na verdade, está sentada na nossa porta, deitada na nossa rua, e nós fingimos não enxergar”. Já Débora Scoralick, do Serviço Social, pretende repetir a ação em outras ocasiões.“É com o intuito de fazer abrir caminhos, despertar consciências, que voltaremos abordando assuntos pertinentes à necessidade deles. Pensar que nesses cidadãos, que a sociedade insiste em não querer enxergar, residem sonhos, esperanças, desejos, dignidade, caráter, afeto e amor”. * Informações com a Assessoria de Comunicação da SDS pelo telefone 3690-8314. ]]> 2015-07-24 10:58:19Programação especial movimenta férias de crianças e adolescentes do acolhimento institucional da PJFhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12058tupi e CearaSessão de cinema, passeios, caminhadas, brincadeiras com pipas e até presença no Estádio Municipal durante o jogo do Tupi, na quarta-feira, 22, marcaram a primeira semana de férias dos serviços de acolhimento institucional da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF). E ainda há mais por vir. Na próxima semana, a programação continua, com muito mais atividades recreativas e educativas. A iniciativa reúne todas as unidades geridas pela Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS). Participam da programação Estância Juvenil, Lar de Laura e Vivendas do Futuro, executadas pela Associação Municipal de Apoio Comunitário (Amac) e Aldeias Infantis SOS. Nesta sexta-feira, 24, os adolescentes acolhidos pela Aldeias SOS participaram de uma sessão de cinema no Cine Palace. Já na quarta-feira, 22, os atendidos da Estância Juvenil engrossaram a torcida do Galo Carijó no Estádio Municipal Radialista Mário Helênio, no duelo contra o Ceará, em partida válida pela Copa do Brasil. De acordo com a supervisora de Políticas de Acolhimento Institucional da SDS, Nathália Meneghine, “as atividades de férias são um exemplo da concretização da garantia da convivência comunitária, que é um direito das crianças e adolescentes em acolhimento institucional. Além disso, o acesso permanente a atividades de lazer, cultura e educação fazem parte do cotidiano das unidades de acolhimento do município". O roteiro de atividades segue durante a próxima semana. Na Estância Juvenil, um rodízio de pizzas, campeonato de videogame e festa julina vão garantir a diversão dos acolhidos. Já o Lar de Laura e Vivendas do Futuro planejaram caminhadas no campus da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) e no Parque da Lajinha, contação de histórias na Biblioteca Municipal Murilo Mendes e piquenique no parque do Museu Mariano Procópio. A programação cultural da Aldeias SOS inclui visita ao Jardim Zoológico do Rio de Janeiro e ao Museu Imperial de Petrópolis. * Informações com a Assessoria de Comunicação da SDS pelo telefone 3690-8314. ]]> 2015-07-24 10:25:24SDS lança plataforma de dados online para facilitar identificação de Cras e Creas de cada bairrohttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12070GetAttachment.aspxOs usuários dos serviços socioassistenciais oferecidos pela Prefeitura de Juiz de Fora contam agora com mais uma ferramenta facilitadora de acesso à informação. A Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) lançou, oficialmente, nesta quinta-feira, 23, uma listagem completa online que permitirá ao cidadão identificar as unidades de Proteção Básica e Proteção Especial que atendem ao seu bairro. Através da nova plataforma, o usuário poderá acessar informações como telefone e endereço das nove unidades do Centro de Referência de Assistência Social (Cras) e das três do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), com a indicação dos bairros atendidos por cada uma delas. A ferramenta está disponível no site da PJF. O Cras é a principal porta de entrada para os serviços da Proteção Básica. Através dele, a PJF presta atendimento a famílias e indivíduos em situação de vulnerabilidade social que moram nos bairros do seu território de abrangência. Já o Creas é a unidade pública que oferta serviços especializados e continuados a famílias e indivíduos em situação de ameaça ou violação de direitos, como vítimas de violência, maus-tratos, negligência, entre outros. O secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, realçou o alcance da disponibilização desses dados. “Trata-se de uma medida simples, mas que exigiu grande esforço e talento técnico, o que será de enorme valia para informar a população sobre onde se dirigir em busca de seus direitos e orientações”. A plataforma A plataforma de informação permite ao usuário encontrar a unidade de assistência em que ele pode buscar atendimento, apenas selecionando o bairro ou microárea (loteamentos, vilas, etc) onde reside. As unidades podem ser identificadas pelo nome popular conhecido da comunidade, normalmente comum ao nome do ônibus que atende à região. Desenvolvedor do aplicativo, o supervisor de Território Socioassistencial da SDS, Eduardo Oliveira Santos, explica que a disponibilidade da informação permite maior participação popular no sistema e oficializa a base de dados territoriais, que antes era subjetiva e informal. A exatidão acerca da abrangência de bairros e microáreas beneficia tanto os usuários da rede quanto entidades e técnicos. “A listagem facilita o acesso do usuário à rede socioassistencial e minimiza os custos do cidadão para o receber atendimento. Do lado dos técnicos que executam as políticas sociais, a consistência das informações facilita o preenchimento dos dados em questionários enviados a plataformas do Ministério de Desenvolvimentismo Social e Combate a Fome (MDS), como o Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico) e o Cadastro Nacional das Entidades de Assistência Social (CNEAS)”. Segundo o supervisor, as informações são atualizadas frequentemente, de acordo com o georreferenciamento da cidade, a cada novo bairro, microárea ou loteamento que surge, sendo regular ou não. A supervisora de Avaliação e Acompanhamento de Indicadores, Auzenda Villela, foi a primeira a utilizar a plataforma, desde as fases iniciais de teste, e aprovou. Para ela, o trabalho ficou mais prático e capaz de gerar dados informativos corretos e efetivos. “Os erros nos questionários de referenciamento são frequentes pela dificuldade de referenciar as unidades que atendem a cada território. Hoje, eu consigo corrigi-los mais rapidamente, apenas consultando a plataforma, e enviar dados consistentes do CNEAS ao MDS”. Territorialização A territorialização é mais uma vanguarda da assistência social em Juiz de Fora, que foi uma das primeiras cidades brasileiras a aderir ao conceito de vigilância socioassistencial. Segundo a chefe do Departamento de Avaliação e Gestão da Informação (Dagi), Giovana Brito, a vigilância prevê que todo cidadão deve estar referenciado em algum território coberto pela rede de proteção básica e especial. “A territorialização evita que algum cidadão fique descoberto pelo serviço socioassistencial ou que um mesmo usuário seja atendido por mais de uma unidade, de forma concorrente”. Além da efetividade no atendimento ao cidadão, sobretudo àquele que está em vulnerabilidade social, o lançamento correto dos dados territoriais permite o cruzamento de bases, levantamento de demandas de serviços, identificação de necessidades dos territórios, monitoramento de indicadores, busca ativa de usuários em vulnerabilidade, atualização de cadastro, entre outros. Como usar o identificador online Inicialmente, existe um banner na página inicial do site da PJF (pjf.mg.gov.br) que direciona o usuário para a página de consulta da unidade de Cras ou Creas que atende o seu bairro ou microárea. O caminho completo éfeito de acordo com o esquema abaixo: Para identificar o Cras de referência: Na aba “Prefeitura”, clicar em “Secretarias”>“Desenvolvimento Social”>“Serviços”>“Cras” Para identificar o Creas de referência: Na aba “Prefeitura”, clicar em “Secretarias”>“Desenvolvimento Social”>“Serviços”>“Creas” Já na página específica de cada serviço, o usuário precisará apenas inserir o bairro onde reside para ter acesso ao endereço e telefone do Cras ou Creas de referência, tendo acesso às políticas públicas de assistência social executadas pelo município. * Informações com a Assessoria de Comunicação da SDS pelo telefone 3690-8314. ]]> 2015-07-23 11:55:33"Rua, Arte e Fé” - Cidadãos em situação de rua expõem trabalhos no CCBMhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12045181531“Cada dia que amanhece a gente tem a oportunidade de recontar a nossa história através da arte”. A frase de Jean Carlos de Aguinel, 38 anos, usuário do Centro de Referência Especializado Para População em Situação de Rua (Centro Pop), descortina uma realidade ainda pouco conhecida. Jean é um dos 25 cidadãos em situação de rua atendidos pelas unidades da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) e da Associação Municipal de Apoio Comunitário (Amac), a apresentar seu trabalho na exposição “Rua, Arte e Fé”. A exibição foi aberta na manhã desta quinta-feira, 9, no Centro Cultural Bernardo Mascarenhas (CCBM), reunindo trabalhos de atendidos do Centro Pop e da Casa de Cidadania. A exposição foi concebida com releituras e adaptações das obras de Arthur Bispo do Rosário e José Datrino, o “Profeta Gentileza”, ícones da arte nas ruas. Na abertura, o secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, defendeu o papel da arte na educação e reinserção social dos atendidos: “Toda vez que vocês se dedicam a esse tipo de atividade, vocês expressam o pensamento e o sentimento de vocês. E quando a inspiração do trabalho vem de dois artistas como o ´Profeta Gentileza` e Arthur Bispo do Rosário, o resultado é melhor ainda, porque o contexto social deles era o mesmo que o de vocês. A arte é um excelente caminho de ressocialização, porque humaniza o olhar”. Os mais de 40 trabalhos são resultado da oficina “Informação e Cultura”, realizada nas unidades da SDS, que atendem os cidadãos em situação de rua. “Já trabalhávamos a confecção de objetos artísticos nas oficinas, mas, dessa vez, decidimos fazer um trabalho específico, para ser exposto. Escolhemos Arthur Bispo do Rosário porque a arte dele era realizada com materiais do cotidiano, e que está muito ligado à rotina dos nossos atendidos, como materiais que eles encontram na rua. Já o ´Profeta Gentileza` está presente pelas mensagens que ele enviava através do seu trabalho, propondo uma mudança de perspectiva nas relações e na comunicação com o outro. Estudar a biografia destes dois artistas foi muito interessante, porque possibilitou a identificação das pessoas envolvidas nesse projeto”, explicou Maria Cláudia Siqueira, coordenadora executiva da Amac. Arte das ruas Jean Carlos foi um dos maiores entusiastas do projeto: “Está sendo uma atividade renovadora. Essas criações me deram uma nova visão sobre mim mesmo. O ´Profeta Gentileza`nos diz que nossa força está na cabeça, e este trabalho, junto com o acompanhamento dos psicólogos do Centro Pop, esta sendo muito bom para mim. Acredito que a arte pode, inclusive, abrir portas para o trabalho no futuro”. Realizando trabalhos artístico pela primeira vez, o usuário do Centro Pop, Samuel Francisco Pinto, 27 anos, acredita que as oficinas foram a oportunidade de dar vez a um talento nato: “É impressionante as possibilidades que a criação permite. Através da arte, você pode fazer qualquer coisa que venha na cabeça. Acho que já tinha guardado comigo esse dom há um tempo, e agora pude manifestá-lo”. Samuel relatou que já foi usuário de drogas e que está há três meses sem fazer uso de qualquer substância ilícita, e que a participação nas atividades do Centro Pop está sendo fundamental neste processo: “Arte é educação, ela ensina a simplicidade, a humanidade. Hoje acredito que sou uma pessoa melhor, só quero praticar a gentileza. Estou no auge de um processo de recuperação que está sendo difícil, mas há tempos não vivia um sentimento tão grande de bondade e gratidão dentro de mim. O Centro Pop está sendo um pedestal, uma instituição na qual a gente se apoia e que proporciona um escape para o trabalho. Afinal de contas, não somos moradores de rua, estamos em situação de rua”. A exposição “Rua, Arte e Fé” pode ser conferida até 2 de agosto, de terça a sexta-feira, entre 9 e 21 horas, e nos sábados e domingos, das 10 às 18 horas. * Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Social, pelo telefone 3690-8314. ]]> 2015-07-09 12:09:19Diversidades na Roda” - Técnicos da SDS recebem capacitação sobre formas de lidar com preconceito racialhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12055ÍndiceEducadores e profissionais de diversos equipamentos da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) participaram, na manhã desta sexta-feira, 3, de uma palestra sobre os impasses do racismo e a luta por direitos da população negra. O encontro foi ministrado pelo coordenador da Rede Nacional de Religiões Afro-Brasileiras e Saúde, José Marmo da Silva, e faz parte do curso de capacitação “Diversidades na Roda”. Os técnicos, educadores e assistentes sociais trabalharão, até dezembro, questões como a autoestima dos jovens e a valorização de características étnicas e corporais de cada indivíduo. De acordo com José Marmo da Silva, o objetivo da palestra foi desconstruir o imaginário por trás das formas em que o racismo se manifesta na sociedade. “Procurei mostrar como determinados preconceitos geram obstáculos na vida da população negra. Devemos lutar contra o racismo institucionalizado e colocar a população negra em seu devido lugar, como uma gerente da sociedade”, explicou. Em sua exposição, da Silva mostrou as diferentes formas em que o preconceito racial se denuncia, inclusive nos serviços públicos. Para ele, capacitar agentes públicos para lidar com esse problema é um ponto crucial na promoção dos direitos humanos. “Acho esse curso uma experiência extremamente exitosa. Este trabalho realizado pela Prefeitura com seus educadores tem um grande potencial de gerar ações mais inclusivas para os usuários de seus serviços. A capacitação busca elaborar ferramentas pedagógicas que vão impactar diretamente na autoestima das crianças e dos adolescentes, contribuindo para o desenvolvimento da cidadania e das potencialidades delas”, finalizou. “Diversidades na Roda” O curso “Diversidades na Roda” surgiu de uma demanda do trabalho executado nas unidades da SDS que atendem crianças e adolescentes, onde 76% dos atendidos se autodeclararam de etnia negra. Através de um diagnóstico, realizado entre 2013 e 2014, a gestão identificou que permaneciam obstáculos que prejudicavam o desenvolvimento pleno desta juventude, como autoestima negativa, insatisfação com as formas corporais e alta influência da mídia na forma de lidar com estes aspectos físicos. Até dezembro, os educadores sociais participarão de módulos que discutirão questões como estigma, preconceito e relações de gênero, além de formas pedagógicas de aplicar o conhecimento no cotidiano de trabalho nas unidades. * Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Social, pelo telefone 3690-8314. ]]> 2015-07-03 09:54:54SDS participa de assembleia geral no Centro Pop e anuncia projeto de alfabetização para população de ruahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12041175803A Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) realizou, na manhã desta terça-feira, 23, uma assembleia geral com os usuários do Centro de Referência Especializado para População de Rua (Centro Pop), no próprio local. O encontro reuniu cerca de 40 cidadãos atendidos pelo serviço. O objetivo foi apresentar o reordenamento do Centro Pop e as novas atividades que serão desenvolvidas na unidade, além de captar as demandas dos usuários em relação ao funcionamento. A grande novidade anunciada na assembleia foi o “Círculo de Alfabetização e Cultura”, realizado em parceria com a Secretaria de Educação (SE), que vai começar em agosto, no Centro Pop. “Este ciclo terá duração de 6 meses e visa a elevar o nível de escolaridade dos cidadãos de rua. Os benefícios vão desde a possibilidade de reinserção no mercado de trabalho à elevação de autoestima, pois resgata a cidadania que muitas vezes é negada a quem não sabe ler e escrever. Eles sairão daqui com certificados que atestam o nível de escolaridade, podendo continuar os estudos em outras instituições de ensino”, destacou a responsável pelo Círculo, Marli Corrêa Pires, técnica da Supervisão de Jovens e Adultos da SE. Na ocasião, foi apresentado ainda o Plano Individual de Atendimento (PIA), desenvolvido para viabilizar a saída da situação de rua. “O plano é a grande estratégia que temos nesse sentido. Com ele, será feito um diagnóstico personalizado, que vai nos embasar para realizar o melhor encaminhamento à rede socioassistencial do município e possibilitar o processo de autonomia destes cidadãos”, explicou o chefe do Departamento de Proteção Especial (DPE) da SDS, Lindomar José da Silva. Demandas dos usuários Durante a assembleia, foi apresentada a nova grade de atividades do Centro Pop, incluindo oficinas de pintura, bordado, artes e pintura de unhas. Também foram adiantados os serviços que serão disponibilizados nos próximos meses, como local adequado para realizar higiene pessoal e guardar pertences. O encontro recebeu, ainda, demandas dos usuários para aperfeiçoar o serviço. “É um trabalho conjunto, estamos aqui, gestão, execução e atendidos, para ouvir e sermos ouvidos, no objetivo de construir e desencadear a melhora do serviço. É um momento muito positivo”, declarou a chefe do Departamento de Proteção Especial da Associação Municipal de Apoio Comunitário (Amac), Alexandra Rossi. Os usuários do Centro Pop também aprovaram a realização do encontro. “Queria agradecer essa nova grade que foi desenvolvida, são muitas atividades interessantes. Temos que agarrar a oportunidade que está sendo dada para melhorar nossa vida”, disse Felipe de Souza Rodrigues, 33, usuário do Centro Pop. Após o depoimento de outro usuário, que relatou a melhora de vida e geração de renda depois de participar das oficinas de pintura e bordado, Jean Carlos de Aguinel, 38, também atendido pela unidade, emendou: “Não adianta sentar e ficar reclamando. O irmão me mostrou o outro lado da moeda. Se funcionou pra ele, vai funcionar pra mim. Como diz o Cazuza, o que adianta uma ideologia se minhas ideias não correspondem aos fatos?”, citou, arrancando aplausos dos outros usuários. A próxima assembleia está marcada para 11 de agosto, quando as equipes da SDS e da Amac se reunirão novamente com os atendidos do Centro Pop para dar um retorno às demandas e prosseguir as discussões acerca da melhoria do serviço. * Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Social, pelo telefone 3690-8314, ou com a Amac, pelo telefone 3690-7945. ]]> 2015-06-23 12:01:30Prefeitura de Juiz de Fora dá início ao Plano Municipal de Erradicação do Trabalho Infantilhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12038182540A Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) apresentou nesta segunda-feira, 15, o Plano Municipal de Erradicação do Trabalho Infantil (Peti) e suas principais diretrizes, que têm o objetivo de garantir a prioridade de inserção dessas crianças e adolescentes e suas famílias nos programas socioassistenciais do Município, reconhecendo suas particularidades e condições de vulnerabilidade social. O prefeito Bruno Siqueira destacou o poder transformador da educação para a construção de um futuro de qualidade, longe do retrocesso da exploração do trabalho infantil: “Antigamente, existia um estímulo enorme para que as crianças trabalhassem desde cedo. Com muito esforço, já avançamos e vamos aprimorar ainda mais as políticas públicas, como o Peti, para que as famílias e as empresas se conscientizem. Primeiro, as crianças precisam da educação aprendida nas escolas para, no futuro, levarem o sustento familiar, através da profissionalização. Trabalhando em conjunto, estamos nos empenhando para a erradicação do trabalho infantil em Juiz de Fora”. O secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, citou o trabalho da Administração Municipal, responsável por colocar a cidade na vanguarda da erradicação da exploração infantil. Segundo ele, “a luta pela erradicação do trabalho infantil é um desafio constante na cidade e em todo o país. É preciso que todos deixem de lado as ultrapassadas justificativas culturais de que o trabalho é a única saída nessa idade e lembrar que esse tipo de exploração infantil é crime, quando atinge menores de 14 anos. Só a partir daí é aceitável a situação de aprendiz, balanceando os estudos com o serviço”. O secretário destacou ainda as formas mais veladas de trabalho infantil, que é aquele que acontece dentro das casas, em caráter doméstico e, por isso, mais difíceis de identificar. As luzes foram jogadas também no papel da Constituição Federal e do Estatuto da Criança e Adolescente, que embasam as ações do Peti, apresentadas pela primeira vez no evento pelo subsecretário da SDS, Rogério Rodrigues. A reunião contou, ainda, com a presença do procurador do Ministério Público do Trabalho, Wagner Gomes do Amaral, que explicou por que o tema é essencial de ser trabalhado em conjunto com o poder público: “De nada adianta a fiscalização e o cumprimento das leis punitivas, se não existe um plano como o Peti, que inclui a criança e o adolescente em situação de exploração, assim como suas famílias, em políticas socioassistenciais que as afastam dessa prática. Todos temos o mesmo objetivo de proteger e amparar esse grupo e combater a prática do trabalho infantil”. A presidente do Conselho Municipal de Assistência Social (CMAS-JF), Valéria Wanda da Silva, falou sobre a importância de combater a fundo o problema: “Os usuários do Conselho nos relatam as angústias relativas à renda e é preciso orientar essas famílias que colocar as crianças e adolescentes no trabalho informal é criminoso, não é o caminho”. Participaram do evento, representando a Câmara Municipal, o vereador e engenheiro José Márcio Lopes; a gerente regional do Trabalho e Emprego do Ministério do Trabalho, Carla Beatriz de Castro; a presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA-JF), Valéria Martins; e o diretor-presidente da Associação Municipal de Apoio Comunitário (Amac), João Batista. Diretrizes do Plano Municipal de Erradicação do Trabalho Infantil O Peti constitui um conjunto de ações voltado para crianças e adolescentes com idade inferior a 16 anos, a fim de retirá-los da prática do trabalho precoce sem regularização, diferente da situação de aprendiz. O plano cadastrará os atendidos e, consequentemente, suas famílias no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico). Será constante o acompanhamento desse núcleo familiar pela SDS e, assim, a orientação para os serviços socioassistenciais adequados ficará mais alinhada com a realidade de cada um. Os centros de Referência Especializada em Assistência Social (Creas), através do Serviço Especializado em Abordagem Social, do Sistema de Garantia de Direitos, e em conjunto com os ministérios do Trabalho e Emprego e o Público do Trabalho, farão a identificação e o monitoramento das situações de trabalho infantil. A família inserida no Peti receberá bolsa mensal por filho longe do trabalho de risco, além da possibilidade de inserção no Programa Bolsa Família, caso se enquadrem nas condicionalidades. As crianças e os adolescentes deverão frequentar regularmente a escola, além de participar de atividades artísticas, esportivas, culturais e de reforço educacional no contraturno escolar, oferecidos pelo Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos da SDS. As ações, entre outras, pretendem atingir, pelo menos cem adolescentes até o final de 2015, garantir a proteção jurídica e social a esse público, implementar o sistema municipal de notificação de trabalho infantil e ampliar a visibilidade e sensibilização à problemática do trabalho infantil. O tema em debate Dando sequência à apresentação do Peti, representantes de sindicatos de trabalhadores e patronais, entidades representativas de segurança e saúde do trabalho ocuparam a mesa, promovendo um amplo debate sobre o tema. Assuntos como a necessidade de uma educação para o mundo do trabalho, de mudanças no cerne cultural da sociedade, e da intersetorialidade das ações de combate ao trabalho infantil foram levantadas e repartidas entre os presentes. ]]> 2015-06-15 11:55:45Prefeitura apresenta diretrizes do Plano Municipal de Erradicação do Trabalho Infantilhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=120501106ErradicaTrabInfantil_165642 ]]> 2015-06-11 16:38:13PJF efetiva reordenamento dos serviços de atendimento a cidadãos de ruahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12025Reordenamento Centro Pop 1A Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) oficializou, na manhã desta segunda-feira, 8, o reordenamento dos serviços de abordagem social e do Centro de Referência Especializado para População de Rua (Centro Pop). A efetivação ocorreu no auditório da Casa dos Conselhos (Rua Halfeld, 450, 7º andar – Centro), em parceria com a Associação Municipal de Apoio Comunitário (Amac), executora dos serviços. Participaram do evento, servidores da PJF, representantes de conselhos municipais, técnicos e abordadores da Amac. As principais mudanças são a territorialização dos serviços de abordagem e sua desvinculação do Centro Pop. De acordo com o secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, o reordenamento possibilitará o aperfeiçoamento do serviço prestado ao cidadão de rua, sempre visando à universalização da cobertura das políticas públicas de assistência social. “Trabalhar com este segmento é um desafio permanente, pois é um grupo que se encontra em profunda situação de vulnerabilidade social e violação de direitos. Adequar este serviço às diretrizes do Sistema Único de Assistência Social fortalece este trabalho e coloca Juiz de Fora, mais uma vez, na vanguarda do desenvolvimento social”, declarou o secretário na abertura do evento. A partir do reordenamento, a abordagem social continuará atendendo a toda acidade, mas com ações mais específicas e aprofundadas. Desvinculado do Centro Pop e com mais independência, o serviço terá três conjuntos de territórios socioassistenciais de abrangência, que são: Centro, Manoel Honório e São Mateus, com as suas respectivas regiões adjacentes. “Esta é uma mudança muito esperada e também necessária, já que dá um caráter mais técnico ao serviço de abordagem”, comemorou a superintendente da Amac, Eliane Keil Del Paula. O Serviço de Abordagem Social pode ser solicitado por qualquer pessoa, pelo telefone 3690-7770. O serviço de abordagem e a política nacional A abordagem tem como objetivo principal promover o acesso à rede de serviços socioassistenciais e desencadear o processo de saída das ruas, sendo, também, um trabalho social de busca ativa, ao identificar violações de direitos. “Territorialização é a palavra-chave deste processo. Esta é uma adequação ao Suas (Sistema Único de Assistência Social) e vai permitir aos trabalhadores atuarem orientados com o foco específico de cada área”, destacou o chefe do Departamento de Proteção Especial da SDS, Lindomar José da Silva. A reformulação do serviço de atendimento faz parte do processo de adesão, feito pelo município, à Política Nacional para a População em Situação de Rua. Na ocasião, Juiz de Fora foi a primeira cidade não capital a se comprometer com a garantia dos direitos destes cidadãos, através do desenvolvimento e da execução de políticas públicas direcionadas. “A população de rua é a ´menina dos olhos` das políticas de assistência social. Levamos dois anos para oficializar essa adesão e agora nosso foco é o fortalecimento e aprofundamento dos serviços focados neste segmento”, declarou o coordenador do Comitê Intersetorial de Acompanhamento da Política Nacional para População de Rua (Comitê Pop Rua) e subsecretário de Desenvolvimento Social, Rogério Rodrigues. Centro Pop O Centro Pop oferece refeições, acompanhamento psicossocial e oficinas artísticas, entre outras atividades, voltadas para a reinserção na sociedade do cidadão em situação de rua, buscando sempre referenciar os atendidos às suas respectivas famílias. A unidade conta, ainda, com uma biblioteca e uma sala de artes, para a promoção de oficinas de artesanato. O Centro Pop tem capacidade para atender, em média, 120 pessoas por dia. * Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Social, pelo telefone 3690-8314, ou com a Amac, pelo telefone 3690-7945. ]]> 2015-06-08 11:05:50Centro de Convivência encerra primeira turma de informática para os idososhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12030 2015-06-03 11:23:24Juiz de Fora faz adesão ao “Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência - Viver sem Limite” e institui grupo de trabalhohttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12021PlanoViverSemLimite  2Juiz de Fora é uma das primeiras cidades não capitais do Brasil a se comprometer oficialmente com a garantia da cidadania plena a pessoas com deficiência. Na manhã desta quarta-feira, 3, o prefeito Bruno Siqueira assinou a adesão do município ao “Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência - Viver sem Limite”. O evento ocorreu na sede da prefeitura e reuniu representantes das secretarias de Desenvolvimento Social (SDS), Saúde (SS), Educação (SE), Transporte e Trânsito (Settra), da Empresa Municipal de Pavimentação e Urbanização de Juiz de Fora (Empav), dos conselhos municipais de Saúde (CMS) e dos Direitos da Pessoa com Deficiência (CMDPB), além da Câmara Municipal. Durante a solenidade, Bruno defendeu que a adesão ao “Viver sem Limite” não é apenas um ato simbólico, mas sim um compromisso institucional da PJF com os cidadãos com deficiência. “A assinatura do Plano Nacional é fundamental para que Juiz de Fora, mais uma vez, entre na vanguarda do país e seja um diferencial e modelo para as outras cidades. Além de todas as adequações e compromissos que tivemos que assumir para oficializar a adesão, este ato sinaliza nossa função de debater e executar as políticas públicas para as pessoas com deficiência nos próximos anos”. Articuladora da adesão ao Plano Nacional, a SDS esteve representada pelo secretário Flávio Cheker, que enfatizou a abrangência das ações com as quais Juiz de Fora amplia seu comprometimento. “O ´Viver sem Limite` é um conjunto de políticas públicas estruturadas em quatro eixos: acesso à educação, inclusão social, atenção à saúde e acessibilidade. Cada ação presente nessas áreas é articulada com as demais, criando serviços e políticas capazes de assegurar a garantia plena de diretos para as pessoas com deficiência”, destacou. Grupo Municipal de Articulação e Monitoramento do Plano Viver sem Limite No ato da assinatura, ficou instituído o Grupo Municipal de Articulação e Monitoramento do Plano “Viver sem Limite”, responsável por estabelecer o plano de trabalho com ações, metas e mecanismos para a implementação. O grupo será coordenado pela SDS, através do Departamento de Políticas para a Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos (DPCDH). Durante a solenidade, foram empossados os seguintes membros: a chefe do DPCDH, Thais Altomar; a supervisora de Desenvolvimento e Acessibilidade do DPCDH, Ana Paulo Santos; o chefe do Departamento de Estudos e Projetos da Settra, Marcelo Valente; a supervisora de Atenção à Educação na Diversidade da SE, Margareth Campos Moreira; o fisioterapeuta da SS, Sérgio Carvalho; a arquiteta da Empav, Bárbara Botelho; a conselheira do CMDPB, Maria Valéria de Andrade, e a ouvidora regional de saúde e representante do CMS, Samantha Maria Borchear. Viver Sem Limite O Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência visa a implementar novas iniciativas e intensificar ações em benefício do público-alvo. Trata-se de um conjunto de políticas públicas estruturadas em quatro eixos: Acesso à educação; inclusão social; atenção à saúde e acessibilidade. Cada ação presente nesses eixos é interdependente e articulada com as demais, construindo redes de serviços e políticas públicas capazes de assegurar um contexto de garantia de diretos para as pessoas com deficiência, considerando suas múltiplas necessidades nos diferentes momentos de suas vidas. “O grande diferencial deste plano é a articulação entre as diferentes áreas para oferecer a cidadania plena aos juiz-foranos. Com certeza, é um grande avanço nas políticas públicas para pessoas com deficiência em nosso município”, destacou o vereador José Márcio Garotinho. ]]> 2015-06-03 10:55:09SDS participa de encontro de lideranças da população de ruahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12017Encontro de lideranças da população de rua 4A Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) participou na manhã desta terça-feira, 2, no Centro de Referência em Direitos Humanos de JF e da Zona da Mata, da abertura oficial do “Encontro de Formação de Lideranças - Defesa dos Direitos Humanos da População em Situação de Rua”. O fórum começou nessa segunda-feira, 1º, e vai até esta quarta-feira, 3. O objetivo é construir um canal de diálogo com os movimentos representativos, e as três instâncias do poder público. Além da SDS estão envolvidos a Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Participação Social e Cidadania (Sedpac), o Comitê Intersetorial de Acompanhamento da Política Nacional Para População de Rua (Comitê Pop Rua) e o Movimento Nacional da População de Rua(MNPR – MG). “Reunir tantos representantes da sociedade civil e do Governo, em seus diferentes níveis, mostra a disposição de avançar nestas políticas públicas, através da integração e articulação de todos os atores envolvidos neste processo”, disse o secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker. O secretário enfatizou o fato de Juiz de Fora ser a primeira cidade não capital a aderir ao Plano Nacional para a População em Situação de Rua: “Este foi um marco dos direitos humanos para nossa cidade. Entretanto, mais do que uma simples assinatura, a adesão ao Plano Nacional significa a garantia da cidadania plena a um grupo cuja realidade é a da violação de seus direitos. É um caminho cheio de desafios e dificuldades, mas momentos de debates como esse, onde este cidadão está presente, para ser ouvido, são fundamentais para o poder público entender suas demandas”. Cerca de 80 cidadãos usuários do Centro de Referência Especializado para População de Rua (Centro Pop) participaram da abertura do fórum. Eles assistiram a uma apresentação da história, lutas e conquistas do movimento. O coordenador do MNPR-MG, Samuel Rodrigues, elogiou o serviço da PJF: “Não dá para discutir políticas públicas para população de rua em Minas sem discutir Juiz de Fora. Este é o primeiro Centro Pop que visito, que presta atendimento até as 11 horas da noite e funciona nos fins de semana. Com certeza, vou levar essas proposta nos encontros de lideranças em outras cidades mineiras”. Na pauta do encontro está previsto também um momento aberto a debates, críticas e sugestões, quando a demanda dos usuários dos serviços será levada à PJF. De acordo com o subsecretário de Desenvolvimento Social e coordenador do Comitê Pop Rua, Rogério Rodrigues, esse diálogo pautará as ações voltadas a esse público: “Não existe linha de ação sem ouvi-los. A partir das discussões levantadas neste fórum, vamos concretizar um plano de ação e levar as demandas às pastas e órgãos competentes e trabalhar na gestão, para que isso saia do papel”. ]]> 2015-06-02 10:48:19Cheker participa do 3° Seminário de Inclusão Social e Cidadaniahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=120143° Seminário Inclusão MAMMO secretário de Desenvolvimento Social da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), Flávio Cheker, e a chefe do Departamento da Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), Thais Altomar, participaram nesta sexta-feira, 29, da mesa de abertura do 3° Seminário de Inclusão Social e Cidadania de Juiz de Fora, realizado no anfiteatro do Museu de Arte Moderna Murilo Mendes (Mamm). O tema deste ano foi “Ideias Para um Brasil Socialmente Justo”. O evento contou com a presença de cerca de 150 pessoas. Flávio Cheker abriu a mesa lembrando os dez anos de criação do Sistema Único de Assistência Social (Suas), destacando os sucessos e desafios dessa caminhada, e elogiou as motivações do encontro: “O seminário tem ocupado um papel importantíssimo de fazer com que a discussão chegue ao domínio de toda a sociedade, nas questões que envolvem o direito das minorias e pessoas com qualquer tipo de deficiência. Momentos como esse incentivam a circulação de informações de qualidade e alimentam o combate ao preconceito”. Thaís Altomar, presidente da Somar Brasil, também foi convidada a discursar na abertura do seminário: “Temos avanços bem visíveis, que devem ser considerados pelas pessoas com deficiência. Com a participação desse grupo nas políticas públicas, conseguimos uma infinidade de questões que foram aprimoradas mais rápidamente. Quando a gente envolve outros órgãos na luta, conseguimos levar a ideia da mudança, que já está acontecendo”. De acordo com o organizador do evento e diretor do site “ViverJF”, Marcel Aziz, o encontro teve o objetivo de trocar experiências e discutir ideias que oportunizem uma comunidade mais igualitária. Ele agradeceu o apoio dos parceiros, entre eles a Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), a Associação de Atenção à Pessoa com Deficiência - Somar Brasil e ao Instituto Médico Psico Pedagógico (Imepp): “Queremos ajudar Juiz de Fora a ser um lugar de debate sobre inclusão social e cidadania, seja para a pessoa com deficiência, em estado de vulnerabilidade ou situação de risco. Assim, os palestrantes trouxeram ideias sobre a temática, que valem a pena serem compartilhadas”. Palestrantes O 3° Seminário de Inclusão Social e Cidadania de Juiz de Fora teve as palestras da psicóloga Maria Elizabete de Oliveira, mestre em Gestão e Avaliação da Educação Pública e Técnico Administrativa da UFJF; da repórter com síndrome de Down da TV Brasil, Fernanda Honorato; do diretor de Jornalismo do “Mobiliza Brasil”, Marcos de Souza; da gestora do Centro de Prevenção à Criminalidade de Juiz de Fora e da gestora Arine Caçador. ]]> 2015-05-29 10:39:38Seminário Regional do Programa “Bolsa Família” - Mais de 30 municípios compartilham experiênciashttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12011Seminário Bolsa Família 1Profissionais de mais de 30 prefeituras da região estão participando do “Seminário Regional do Programa Bolsa Família”. Nesta sexta-feira, 22, o coordenador geral de análise e integração de informações da Secretaria Nacional de Renda de Cidadania (Senarc) do MDS, Flávio Cireno, falou sobre a pobreza e a intersetorialidade do programa. A abertura do evento, organizado pela Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), ocorreu na noite de quinta-feira, 21, no auditório do Instituto de Ciências Humanas (ICH) da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). O objetivo é promover a troca de experiências na execução do programa de transferência de renda. O encontro entre técnicos e profissionais das áreas de saúde, educação e assistência social foi oficialmente aberto pelo vice-prefeito de Juiz de Fora, Sérgio Rodrigues. “É uma grande honra receber tantos representantes de municípios da região em nossa cidade. Que este seja um momento de discussão e aprimoramento das atividades necessárias à execução do Bolsa Família, sempre com o intuito de oferecer o melhor serviço para o cidadão”, declarou. A palestra inaugural ficou a cargo do superintendente de Assistência Social e coordenador estadual do Programa Bolsa Família da Secretaria do Estado de Trabalho e Desenvolvimento Social (Sedese), Ronaldo José Sena Camargos. Em sua exposição, Camargos dimensionou o papel do estado no apoio técnico aos municípios mineiros. “É uma diretriz do nosso governo colocar a assistência social no patamar que ela merece, porque acreditamos que é um direito do cidadão e dever do estado. Por isso, é nossa função assessorar e dar apoio técnico, especialmente aos municípios de menor porte, na execução do Bolsa Família e no fortalecimento do Sistema Único de Assistência Social (Suas)”. Camargos esclareceu, ainda, sobre a fiscalização no cumprimento das condicionalidades do programa e a busca ativa, feita de porta em porta, para inclusão de famílias no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico). O Seminário Dando continuidade aos debates sobre a execução do Programa Bolsa Família, cerca de 300 profissionais se encontraram nesta sexta-feira, 22, no auditório ICH. A mobilização de 30 municípios marca o segundo dia do Seminário Regional do Programa Bolsa Família. O evento conta com a participação do Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), Secretaria do Estado de Trabalho e Desenvolvimento Social (Sedese), além dos setores da educação de diversas cidades da Zona da Mata. Abrindo o dia, o coordenador geral de análise e integração de informações da Secretaria Nacional de Renda de Cidadania (Senarc) do MDS, Flávio Cireno, fez sua palestra. Ele tratou da intersetorialidade do programa e explicou o trabalho que envolve as áreas da saúde, educação e assistência social na execução do Bolsa Família. “A pobreza é um problema multidimensional, por isso é necessário o empenho das diferentes áreas no acompanhamento e cumprimento das condicionalidades do Bolsa Família”, salientou. Cireno destacou que, na Zona da Mata, o índice de acompanhamento na saúde dos beneficiários do programa tem superado a média nacional. Articulação do Bolsa Família em Juiz de Fora é destaque Por se tratar de um programa que envolve condicionalidades nas áreas de saúde e educação, a articulação entre os diferentes setores de execução do Bolsa Família é considerada fundamental. “Capacitamos 387 profissionais em todo o município para que eles prestassem o melhor atendimento possível aos beneficiários do programa. Essa articulação contribui para que os profissionais de saúde tenham conhecimento do papel deles no Bolsa Família, através das condicionalidades e acompanhamento obrigatório na saúde”, declarou a chefe do Departamento de Transferência de Renda da SDS, Miriam Monteiro. O trabalho executado em Juiz de Fora foi destacado pelo coordenador estadual do Bolsa Família. “É uma iniciativa excelente, pois reforça a necessidade da articulação. É um programa complexo e que envolve ainda muitos desafios, por isso ações como essa são sempre bem vidas”, pontuou. Municípios vizinhos compartilham experiências À tarde, foi a vez de representantes das prefeituras de Rio Novo e Santos Dumont mostrarem sua bagagem.O primeiro a compartilhar as estratégias de sucesso foi o técnico do programa Bolsa Família de Santos Dumont, Sandro Wallas. “Realizamos um estudo detalhado do público e suas necessidades, hoje conseguimos atender a todos prontamente, com uma equipe específica. A busca ativa só foi efetiva graças à centralização das ações e uma pesquisa de opinião sobre o que estávamos fazendo”, destaca Sandro. O técnico do Cadastro Único de Rio Novo, João Bosco, apresentou a mídia local como uma das principais linhas de ação da cidade, através da divulgação do Cadastro Único. “É constante a preocupação em inserir as famílias ainda não inscritas no CadÚnico, que dá acesso ao Bolsa Família, e transferir as informações daquelas que se mudaram ou chegaram à cidade”, ressalta João. SDS apresenta sucesso do trabalho desenvolvido em toda a gestão Logo após os relatos dos municípios, a supervisora da SDS, Tânia Franklin, contextualizou a realidade do Departamento de Transferência de Renda. Ela destacou o programa desenvolvido nos bairros de Juiz de Fora, chamado “Alô Moradores, Cadastro Único Chama”, que funciona constantemente como uma complementação à busca ativa de potenciais beneficiários pelo Cras. “Os cadastros devem ser precisos e bem trabalhados para termos as atividades focadas e cada vez mais efetivas”, aponta Tânia. Para isso, a busca ativa é feita com lideranças comunitárias e regiões em que o público não tem fácil acesso às informações do CadÚnico. O secretário de Desenvolvimento Social da Prefeitura de Juiz de Fora, Flávio Cheker, encerrou o seminário com uma palestra sobre a importância estratégica do Suas para o Programa Bolsa Família e explicitou as informações através da realidade da política de assistência social em Juiz de Fora. Ele agradeceu a integração dos participantes no evento e lembrou que a motivação da SDS para realizar o seminário foi o interesse dos gestores da região pela socialização de experiências. “Os participantes do Seminário, que são os que de fato operam as políticas sociais na região, precisam focar no momento em que as famílias – que estavam em vulnerabilidade social anteriormente – sejam emancipadas dos serviços assistenciais e conquistem integralmente seus direitos. Conseguimos contornar as dificuldades e estamos com novas experiências e aprendizado constante para, cada dia mais, aperfeiçoar o atendimento aos mais vulneráveis. Para combater o quadro de segregação e dificuldades socioeconômicas aliadas ao preconceito e à desinformação, o conjunto de políticas sociais precisa focar no empoderamento e na liberdade do cidadão. Comprar a briga pelo Bolsa Família é comprar a briga contra o retrocesso”, destaca Flávio. ]]> 2015-05-22 10:23:22Oficina com catadores de materiais recicláveis finaliza 1ª Semana de Promoção ao Mundo do Trabalhohttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11988 2015-05-21 12:38:04Comitê Interinstitucional da Criança e do Adolescente realiza primeira reunião e define metashttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=119961505ComiteSDS_185343O Comitê Interinstitucional de Promoção, Defesa e Proteção Integral dos Direitos da Criança e do Adolescente, empossado em abril, teve sua primeira reunião realizada nesta sexta-feira, 15, na Casa dos Conselhos. O encontro discutiu os objetivos, estratégias e atribuições do comitê, além de definir o seu funcionamento, a partir de normas, junto com a periodicidade das reuniões. A reunião contou com a presença dos membros empossados, entre representantes das secretarias de Desenvolvimento Social (SDS), Educação (SE), Governo (SG) e Saúde (SS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), da Vara, do Ministério Público e da Defensoria Pública da Infância e da Juventude. Profissionais dos conselhos municipais dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA), de Assistência (CMAS) e Tutelar (CT) e do Ministério do Trabalho e Emprego e da Sociedade Mineira de Pediatria - Regional Zona da Mata também complementaram o debate, que teve como objetivo esclarecer o alcance do trabalho e suas especifidades. O secretário de Desenvolvimento Social (SDS) e membro titular, Flávio Cheker, afirmou que “o maior alcance das estratégias deve ser através da prevenção da violência, pela efetivação de políticas públicas. Serão quatro eixos de atuação que vão nortear os passos do Comitê Intersetorial: a defesa da convivência familiar, o enfrentamento da violência sexual, o aperfeiçoamento do sistema socioeducativo e a erradicação do trabalho infantil. Com reuniões periódicas, esse primeiro momento serviu para que os participantes tomem plena consciência das linhas de ação a serem seguidas a partir de agora”. O secretário adjunto de Direitos Humanos de Minas Gerais, Biel dos Santos Rocha, foi convidado a conhecer o Comitê e compareceu à reunião representando o Governo de Minas. Ele pontuou alguns programas estaduais que atendem as crianças e adolescentes e firmou o compromisso de colaborar com as ações, em conjunto com os poderes Executivo e Judiciário, o Ministério Público, os conselhos e todo o sistema de garantia de direitos: “A política de direitos humanos ultrapassa toda a estrutura administrativa, pois todos os segmentos têm importância na hora de pensar no impacto que as ações terão na vida dos cidadãos vulnerabilizados. Espaços de participação e promoção de defesa de direitos como esse são cada vez mais necessários, de modo que fortalecem e qualificam as políticas públicas, para atender demandas específicas relacionadas ao bem estar da criança e do adolescente”. A juíza da Vara da Infância e Juventude de Juiz de Fora, Maria Cecília Gollner Stephan, também titular do Comitê, ressaltou a valorização e o impacto que o trabalho a ser realizado pelo grupo terá para o futuro dos jovens da cidade: “As consequências do nosso trabalho com o Comitê serão benéficas, pois o nosso sonho de acabar com a violência à criança e adolescente é maior do que as dificuldades que enfrentamos. Os nossos quatro eixos de trabalho conversam entre si e serão pensados em conjunto, para que esse grupo tenha direito a um futuro promissor e, assim, reduzimos os índices de violência e criamos uma classe produtiva”. A juíza lembrou que o município que mais se aproximar das metas propostas receberá, do Fundo das Nações Unidas Para a Infância (Unicef), o selo de “Município Aprovado”, e terá acesso a maior volume de verbas para realizar ações dessa natureza de enfrentamento. O secretário de Governo da PJF, José Sóter de Figueirôa Neto, acrescentou que a equipe está alinhada com as metas e estratégias: “Identificamos as falhas e é através da atuação do Comitê, participativo e deliberativo, que vamos caminhar junto com os membros para solidificar as parcerias das secretarias e demais órgãos apoiadores. Assim, os esforços se somam e abrangem todas as áreas. É um prazer trabalhar com um comitê privilegiado como esse”. Os gestores destacaram, ainda, as políticas públicas já atuantes no município, que apoiam as metas do comitê, entre elas o serviço prestado pelo Centro de Referência Especializado em Assistência Social (Creas). Atribuições do Comitê O Comitê Interinstitucional tem como objetivo articular o sistema de garantia de direitos da criança e do adolescente em Juiz de Fora, na perspectiva da promoção, defesa e proteção integral dos direitos desta categoria. Para isso, os membros vão deliberar sobre quatro estratégias principais: defesa da convivência familiar, enfrentamento da violência sexual, aperfeiçoamento do sistema socioeducativo e erradicação do trabalho infantil. As atribuições do Comitê Interinstitucional serão monitorar as políticas públicas de proteção da criança e do adolescente no município; promover a intersetorialidade para fortalecer a promoção, defesa e proteção integral desses direitos; e elaborar estratégias de atuação conjunta. Além disso, os membros devem promover a integração entre os comitês, fóruns, conselhos de direitos e órgãos de defesa de direitos da criança e do adolescente em Juiz de Fora. A próxima reunião será em 26 de junho, também na Casa dos Conselhos, na Rua Halfeld, 450, 7° andar. * Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Social pelo telefone 3690-8314. ]]> 2015-05-15 12:57:31“Diversidades na Roda” - Curso promove capacitação para educadores sobre valorização de características étnico-raciaishttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12001Diversidades na RodaA Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) da Prefeitura Juiz de Fora (PJF), em parceria com o Conselho Municipal de Promoção da Igualdade Racial, lança, nesta sexta-feira, 15, o curso “Diversidades na Roda”. Na semana em que se celebra o Dia da Abolição da Escravatura, a capacitação envolverá educadores e profissionais de diversos equipamentos socioassistencias geridos pela pasta e será realizada em oito módulos até dezembro. A abertura será às 8 horas, na Escola de Governo (Rua Maria Perpétua, 72, 3º andar, Bairro Ladeira). Dentro do cronograma, devem ser trabalhadas a autoestima dos jovens e a valorização de características étnicas e corporais próprias de cada indivíduo. O curso “Diversidades na Roda” surgiu de uma demanda do trabalho executado nas unidades da SDS que atendem crianças e adolescentes, onde 76% dos atendidos se autodeclararam de etnia negra. Através de um diagnóstico, realizado entre 2013 e 2014, a gestão identificou que permaneciam obstáculos que prejudicavam o desenvolvimento pleno desta juventude, como autoestima negativa, insatisfação com as formas corporais e alta influência da mídia na forma de lidar com estes aspectos físicos. Até dezembro, os educadores sociais participarão de módulos que discutirão questões como estigma, preconceito e relações de gênero, além de formas pedagógicas de aplicar o conhecimento no cotidiano de trabalho nas unidades. * Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Social, pelo telefone 3690-8314. ]]> 2015-05-14 17:09:37Usuários do Centro Pop tiram dúvidas sobre auxílio-moradiahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=119920505USUARIOSDOCENTROPOP1_185432A Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) promoveu na manhã desta terça-feira, 5, uma palestra com cerca de 30 usuários do Centro de Referência Especializado para População de Rua (Centro Pop). O assunto discutido foi o auxílio-moradia, destinado a famílias com renda mensal média de até dois salários mínimos, em situação de vulnerabilidade ou risco habitacional. Durante a roda de conversa, o chefe do Departamento de Proteção Especial da SDS, Lindomar José da Silva, explicou detalhes do programa aos usuários. Segundo ele, o auxílio-moradia é regulamentado por lei municipal e funciona como um benefício assistencial temporário, destinado a atender as necessidades advindas da remoção de famílias domiciliadas em áreas de perigo ou desabrigadas em razão de vulnerabilidade e calamidade pública. O auxílio poderá ser concedido por um período de seis meses, prorrogado por um ano. É oferecido um valor limitado de R$ 240, por mês, para que as famílias consigam a estabilidade necessária para recomeçar e, assim, garantir um futuro sem a necessidade do apoio socioassistencial. Em 2013, a Comissão Municipal de Auxílio-Moradia (Comam) foi criada e seus membros empossados. Lindomar elogiou a participação ativa dos usuários do Centro Pop durante a roda de conversa e ressaltou a importância de ações da pasta, que aproximam a população: “Foi um momento de ampliação da cidadania. Uma grande parcela ficou bastante interessada e participativa nas discussões. Acredito que muitos buscarão o atendimento junto à equipe técnica do Centro Pop, para a inserção no auxílio moradia”. A unidade O Centro Pop oferece refeições, acompanhamento psicossocial e oficinas artísticas, entre outras atividades voltadas para a reinserção na sociedade do cidadão em situação de rua, buscando sempre referenciar os atendidos às suas respectivas famílias. A unidade conta, ainda, com uma biblioteca e uma sala de artes para a promoção de oficinas de artesanato. O Centro Pop tem capacidade para atender, em média, 120 pessoas por dia, e funciona na Rua Oswaldo Veloso, 190, no Centro. O cidadão pode ter acesso, procurando pessoalmente a unidade, ou através do Serviço de Abordagem Social, que pode ser solicitado por qualquer pessoa, pelo telefone 3690-7770. * Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Social, pelo telefone 3690-8314, ou com a Amac, pelo telefone 3690-7945. ]]> 2015-05-05 12:44:22Oficina com catadores de materiais recicláveis finaliza 1ª Semana de Promoção ao Mundo do Trabalhohttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=119890505OFICINACOMCATADORES_173638Fechando a “1ª Semana de Promoção ao Mundo do Trabalho”, catadores de materiais recicláveis participaram, na manhã desta terça-feira, 5, de uma palestra com esclarecimentos sobre o Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico) e as políticas públicas atreladas a ele. O evento ocorreu na Casa Jovem (Rua Halfeld, 450, 5º andar – Centro), na sede da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF). De acordo com a chefe do Departamento de Transferência de Renda (DTR), Miriam Monteiro, o objetivo do encontro foi identificar e incluir as famílias em situação de vulnerabilidade e risco social no CadÚnico. “O esforço de identificação e inclusão é voltado principalmente às famílias que vivem e trabalham nos lixões, grupo com maior grau de vulnerabilidade entre os diversos tipos de catadores. Um dos desafios relacionados a este público é justamente a quantificação. Uma vez inscritas e identificadas como catadoras de resíduos sólidos, as famílias são priorizadas na concessão do Bolsa Família”, explicou. Durante a palestra, os catadores foram apresentados a várias outras ações públicas, nas áreas de saúde, moradia, educação, capacitação profissional e inclusão produtiva. “Através do cadastro, é possível se inscrever em projetos e programas, como o “Minha Casa, Minha Vida”; carteira do idoso; Curso Preparatório Para Concursos (CPC); Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), além do Benefício de Prestação Continuada (BPC), entre outros”, acrescentou a assistente social Ana Paula Fagundes Netto, responsável pela oficina. O evento também contou com uma palestra sobre o acesso às modalidades de qualificação profissional, ministrada em pareceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai). Após as exposições, a equipe do DTR planeja ações de cadastramento nos locais de trabalho dos catadores. A previsão é de que elas comecem a partir de 21 de maio. A Semana A programação da “1ª Semana de Promoção ao Mundo do Trabalho” incluiu uma série de palestras, oficinas e visitas guiadas a centros de aprendizagem, abrangendo diversos segmentos sociais. As ações contemplaram usuários das políticas públicas e equipamentos socioassistenciais da SDS, alunos de escolas públicas do ensino médio, adolescentes em cumprimento de medidas socioeducativas, cidadãos de rua, egressos do sistema prisional, pessoas com deficiência e famílias em situação de vulnerabilidade social. As palestras foram realizadas em parceria com Senai, Senac e Senat. * Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Social, pelo telefone 3690-8314. ]]> 2015-05-05 12:39:33SDS abre a “1ª Semana de Promoção ao Mundo do Trabalho”http://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=12007Semana do TrabalhoA partir desta segunda-feira, 27, até 5 de maio, a Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) realiza a “1ª Semana de Promoção ao Mundo do Trabalho”. Organizada pela Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), a iniciativa busca guiar a parcela da população que se encontra em vulnerabilidade social em direção ao mercado de trabalho. O evento foi aberto pelo prefeito Bruno Siqueira, no auditório da sede da PJF. Durante a abertura, o prefeito destacou como o planejamento de ações pontuais é importante para o município: “A relevância deste empreendimento, nessa turbulenta etapa econômica, é ainda maior. Essa semana será um marco, para que possamos trazer ainda mais a oportunidade de desenvolvimento profissional para os cidadãos de Juiz de Fora”. O secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, estimulou a sociedade a participar: “No balanço da nossa gestão, poderemos dizer que uma das nossas marcas é a facilitação do acesso ao mundo do trabalho. Buscamos abrir o leque de atividades práticas para a população, o que não seria possível sem o apoio do Senai, Senac e Sest/Senat (serviços Nacional de Aprendizagem Industrial, de Aprendizagem Comercial, Social do Transporte e de Aprendizagem do Transporte). Todo esse trabalho nos enche de orgulho, e convidamos nossos cidadãos a aproveitar a programação e fazer parte”. A “1ª Semana de Promoção ao Mundo do Trabalho” terá uma série de palestras, oficinas e visitas guiadas. As ações pretendem atingir beneficiários das políticas e unidades da SDS, alunos de escolas públicas do ensino médio, adolescentes em cumprimento de medidas socioeducativas, cidadãos em situação de rua, egressos do sistema prisional e pessoas com deficiência. Ao término será realizada uma oficina para lideranças de catadores de materiais recicláveis e uma ação de cadastramento de currículos no portal JFEmpregos. Todas as palestras serão realizadas em parceria com o Senai, Senac e Senat. O diretor do Senac, Luiz Henrique de Andrade, afirmou ser essencial a capacitação profissional para o desenvolvimento econômico: “Representando todo o ´Sistema S` – Senai, Senac e Sest/Senat – continuaremos a oferecer soluções profissionais para a população, e parabenizamos a Prefeitura por celebrar e institucionalizar este ´Dia do Trabalhador`”. ]]> 2015-04-27 17:51:42Juiz de Fora tem a maior eficiência do país no pagamento do Bolsa Família entre municípios de mesmo portehttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11969182527Os maiores desafios do programa Bolsa Família no Brasil se dividem em duas etapas: a localização das pessoas e famílias em situação de vulnerabilidade social, elegíveis para o programa, e o cumprimento do benefício através do seu pagamento nas mãos do beneficiário. A Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), através da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), vem desde 2013 vencendo esses desafios com distinção: o município atingiu, 99,13% de efetividade no pagamento do Bolsa Família. Das 15.033 pessoas cadastradas no programa, 14.902 já tinham recebido o dinheiro do benefício. Tamanha exatidão na taxa de efetividade não é comum nos municípios. Entre as cidades de mesmo porte, que possuem de 14 a 16 mil atendidos pelo programa, Juiz de Fora possui a maior taxa de conversão do país. As informações são da Caixa Econômica Federal, referentes a dezembro de 2014, e divulgadas este mês. O mérito do progresso atingido se deve ao trabalho realizado pela SDS em qualificar melhor as informações do Cadastro Único, instrumento que identifica e caracteriza as famílias de baixa renda, elegendo-as para o Bolsa Família. O Departamento de Transferência de Renda (DTR) da SDS conta com o apoio dos centros de Referência de Assistência Social (Cras) na coleta das informações dos beneficiários, trabalhando para que o benefício chegue a todos os cidadãos que têm o direito de recebê-lo. A chefe do DTR, Miriam Monteiro, explicou como o número recorde foi atingido: “O ponto chave para a evolução do trabalho foi a melhoria na qualificação da informação recebida pelo DTR. Logo no início da gestão fizemos uma série de capacitações para os funcionários dos Cras, que agora buscam por todos aqueles que não recebem o benefício por erros no cadastro e falta de atualização dos dados”. O secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, destacou o cuidado da atual gestão com a garantia dos direitos no município: “Um dos focos do nosso trabalho é o atendimento a tempo e a hora para todos os cidadãos possuidores de direitos. Assim tem sido com os beneficiários do programa Bolsa Família, cidadãos que têm no benefício um direito legítimo e que devem, portanto, ter acesso a ele”. Resgate do benefício Para receber o pagamento, os beneficiários devem apresentar o cartão do programa Bolsa Família ou o Número de Identificação Social (NIS) nas agências da Caixa Econômica Federal ou nos correspondentes bancários, lotéricas e caixas eletrônicos, em qualquer dia, dentro do período de validade da parcela, portando os documentos pessoais. Cada parcela de pagamento fica disponível para saque por 90 dias corridos, contados a partir do primeiro dia de pagamento. Caso haja ausência de saque por seis meses consecutivos, a família perde o direito ao benefício. O calendário de pagamentos do Bolsa Família está disponível para consulta no site do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), www.mds.gov.br, nas casas lotéricas e na sede da SDS, na Rua Halfeld, 450, 6º Andar. TEXTO: Gabriel Franco * Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Social, pelo telefone 3690-8314. ]]> 2015-04-20 12:25:361ª Mostra de Direitos Humanos de Juiz de Fora apresenta experiências de sucesso das unidades da SDShttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=119651704MOSTRADEDIREITOS1_171615“O grande alcance dessa iniciativa é educar e mudar o nosso olhar, como servidores públicos, na questão dos direitos humanos, quebrando o preconceito e a visão estigmatizadora sobre determinados gêneros e grupos sociais”. Foi com essas palavras que o secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, abriu a 1ª Mostra de Direitos Humanos de Juiz de Fora nesta sexta-feira, 17, no auditório da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) subseção Juiz de Fora (Avenida dos Andradas, 696). O evento, uma parceria entre as secretarias de Desenvolvimento Social (SDS) e Saúde (SS), reuniu representantes de entidades jurídicas e da assistência social, além de pesquisadores e profissionais da área, para apresentar e discutir os projetos do programa “Ciranda Cidadã”, executado nas unidades socioassistenciais da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF). A “Ciranda Cidadã” é um programa de garantia de direitos para populações marginalizadas. No ano passado, foi iniciado um ciclo de formação denominado “Conceitos em Ciranda”, atendendo os servidores da SDS. Esta capacitação teve como consequência diversas discussões temáticas, que incentivaram a criação da 1ª Mostra de Direitos Humanos. “Este foi o grande passo do programa, porque mostra o compromisso institucional firmado pelo Executivo, ao capacitar seus profissionais, com o debate acerca da violação dos direitos dos cidadãos”, completou Cheker. O subsecretário de Atenção Primária à Saúde, Thiago Horta, parabenizou os resultados alcançados após seis meses do início do programa. “Essa é uma iniciativa pioneira, porque forma uma parceria intersetorial, entre saúde e desenvolvimento social, de educação permanente dos trabalhadores que lidam com questões historicamente negligenciadas. O fato de esta ser a primeira Mostra nos indica a realização de outras, o que é muito produtivo para o município”, pontuou. Além da apresentação das experiências e ações executadas nos equipamentos da SDS, como nas unidades dos Cras (Centro de Referência da Assistência Social) e no Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua (Centro Pop), a Mostra recebeu, ainda, as contribuições dos convidados Tiago Rattes, historiador, e da professora do programa de pós-graduação em Psicologia da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Juliana Perucchi. “As apresentações aproximam a gestão das dificuldades e da realidade que envolve os usuários dos serviços da SDS, com os temas de direitos das mulheres, negros e grupos LGBT, por exemplo”, avaliou a coordenadora do “Ciranda Cidadã”, Giane Elisa de Almeida. O projeto Com o objetivo de oferecer uma atenção especial para a população negra, a mulher e o público LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais) da cidade, a “Ciranda Cidadã” é uma iniciativa pioneira no município, com ações de garantia e promoção de direitos humanos para populações marginalizadas. O projeto, desenvolvido pelo Departamento de Políticas para Pessoas com Deficiência e Direitos Humanos (DPCDH), prevê programações educativas, direcionadas aos servidores das secretarias de Desenvolvimento Social e de Saúde, preparando-os para atender melhor o público em questão. A previsão é de que as ações se estendam até agosto. * Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Social, pelo telefone 3690-8314. ]]> 2015-04-17 12:21:12Cidadãos de rua atendidos pela SDS participam de sessão de cinemahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11977 2015-04-16 09:43:35Mostra de documentários sobre a ditadura militar chega a Juiz de Forahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11962170204Juiz de Fora recebe, pela primeira vez, o festival “Cinema pela Verdade”, que promove a reflexão e o debate sobre o período da ditadura militar brasileira, através de documentários e diálogos entre pessoas atuantes na área e população. Com sua quarta edição em 27 estados, o primeiro dia do evento aconteceu nesta terça-feira, 14, no Museu de Artes Murilo Mendes (Mamm), com a presença do secretário de Desenvolvimento Social e membro da Comissão Municipal da Verdade, Flávio Cheker, como debatedor, acompanhado da pesquisadora Daniela Lisieux. O debate instigou os participantes a se envolverem em questionamentos e novas perspectivas sobre o regime após a exibição do documentário “Democracia em Preto e Branco”, filme de 2014 dirigido por Pedro Asbeg. A sessão resgatou a história de músicos, esportistas e políticos que, em 1982, uniram forças para mudar o rumo do país, com ênfase na militância dos jogadores do Corinthians. Nesta quinta-feira, 16, a mostra continua com a exibição aberta ao público do filme “Em Busca de Iara”, e a programação segue nesta sexta-feira, 17, com o documentário “Osvaldão”, sempre às 14h30, no Mamm. Durante o bate-papo, o secretário destacou a importância da arte aliada a uma representação fiel da realidade vivida pela população durante a ditadura, para que os cidadãos se informem sobre esse período e contribuam para a constante valorização da democracia. “É extremamente necessário que os filmes provoquem a reflexão sobre o que foi esse perverso passado ditatorial. Ter clareza sobre esse momento na perspectiva de superação para que isso nunca mais ocorra faz com que mobilizemos as pessoas sobre o tema”, ressalta Flávio, lembrando de uma passagem do documentário: “o personagem fala que o mais devastador da ditadura, além dela mesma, é o que o regime impacta no futuro”. O festival é realizado pelo Instituto Cultura em Movimento (Icem) em parceria com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (Bndes) e chegou à cidade através da mobilização da estudante de Cinema da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Júllia Aranha. A responsável pela mostra teve por objetivo aproximar o tema da população, principalmente dos mais jovens. “Com a internet, por exemplo, as pessoas têm acesso a diversas opiniões e relatos e, mesmo assim, não se posicionam para a manifestação do que é certo. Pensar sobre o processo da ditadura é essencial, e os filmes são um caminho para conhecermos essa realidade”, aponta Júllia. Entre os pontos discutidos no encontro, a censura, as perseguições e os protestos da população em meio à opressão foram lembrados. “A memória do regime militar deve ser constantemente discutida para que o tempo passe e não desconstrua essa fase, virando um mito desconhecido pelas gerações”, frisa a debatedora Daniela. TEXTO: Thaiza Gribel * Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Social, pelo telefone 3690-8314. ]]> 2015-04-15 12:14:54Dança une idosos e adolescentes na celebração das geraçõeshttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11918 2015-04-14 17:47:34SDS e Senac Gratuidade oferecem cursos profissionalizanteshttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=1195813-04sdsesenac_143246A Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) realiza na terça-feira, 14, as inscrições para seis cursos gratuitos de qualificação profissional. As capacitações serão oferecidas em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac). Serão 118 vagas para os seguintes cursos: auxiliar em operações em logística, inglês básico, cuidador de idosos, auxiliar administrativo e recepcionista em serviços de saúde, com 20 vagas cada; e depiladora, com 18. A idade e a escolaridade mínima exigida variam de acordo com o curso. (Ver anexo) Para se inscrever, os interessados deverão comparecer à sede da SDS (Rua Halfeld, 450, 5° andar – Centro) das 8 às 10 horas ou das 14 às 17 horas, portando os documentos abaixo: - Carteira de Identidade (RG) - CPF - comprovante de residência - comprovante de escolaridade (histórico escolar ou declaração escolar atual) - NIS (Número de Identificação Social) * Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Social, pelo telefone 3690-8314. ]]> 2015-04-13 12:09:17SDS atinge aumento de 830% de pessoas em situação de rua incluídas no Cadastro Únicohttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11974SDS atinge aumento...A Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), através da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), trabalha com o objetivo de ouvir e encaminhar pessoas em situação de rua para as políticas públicas, que permitam ao cidadão mudar de vida e reconquistar seus direitos. Uma das alternativas que auxiliam esse processo é o ingresso desses cidadãos no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico), que identifica a situação socioeconômica de pessoas e famílias de baixa renda e realiza o encaminhamento a diversos programas socioassistenciais específicos, contribuindo para a redução das vulnerabilidades. Desde o início da gestão, o número de pessoas em situação de rua que se cadastrou no CadÚnico subiu de 24 para 200, o que representa um aumento de 830%, de acordo com os dados atualizados pelo Ministério de Desenvolvimento (MDS) e Combate à Fome. Focando no incentivo a essa parcela da população para aderir ao cadastro, uma equipe do Departamento de Transferência de Renda (DTR) da SDS, realiza, desde o ano passado, uma grande campanha de busca ativa em áreas de incidência desse grupo na cidade, além de inúmeros encontros e reuniões, inclusive em unidades da própria secretaria, entre elas o Centro Especializado para População em Situação de Rua (Centro Pop) e a Casa da Cidadania. “A importância das ações de busca ativa está no sentido de inclusão social e econômica da população em situação de rua, implicando na elaboração de uma política intersetorial entre os órgãos federais, estaduais e municipais, responsáveis pelas políticas de assistência social, saúde, habitação, trabalho e renda, educação, cultura e direitos humanos”, destacou a chefe do DTR, Miriam Monteiro. De acordo com Miriam, as informações do CadÚnico contribuem para o atendimento à população em situação de rua, de forma a priorizar serviços que possibilitem a reorganização de seus projetos de vida. Dos 200 inscritos, 156 já são beneficiários do Programa Bolsa Família. Entre os auxílios que recebem pelo programa estão os benefícios de Extrema Pobreza e o de Superação da Pobreza, que visam ser a base de apoio para tirar essas pessoas da linha da miséria. Todo o trabalho é liderado pelo DTR, e conta com o empenho da SDS em geral. A principal forma de comunicação com o público em situação de rua acontece através do Centro Pop, pois o serviço é uma referência para eles. O Programa Nacional do Ensino Técnico (Pronatec) também participa, oferecendo seus cursos a fim de abrir portas através do ensino técnico profissionalizante. O JF Empregos, projeto da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Geração de Emprego e Renda (Sdeer), é um dos integrantes desta rede de ação, cadastrando currículos dos cidadãos em situação de rua, feitos com ajuda dos técnicos do Centro Pop. O secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, evidencia o cuidado da administração com esse trabalho desenvolvido: “O Cadastro Único é uma conquista da política de assistência social, e deve ser assegurado aos segmentos sociais vulneráveis, como um direito essencial na formação da cidadania. Assim temos trabalhado, e o foco nas pessoas em situação de rua é permanente em nossa gestão” O CadÚnico é um instrumento de identificação e caracterização socioeconômica das famílias brasileiras de baixa renda, entendidas como aquelas com renda igual ou inferior a meio salário-mínimo por pessoa ou renda familiar mensal de até três salários-mínimos. * Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Social, pelo telefone 3690-8314. ]]> 2015-04-13 09:22:33Prefeito empossa Comitê Interinstitucional que visa a garantia de direitos da criança e do adolescente em Juiz de Forahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11981comitêFrente a um auditório representativo, o prefeito Bruno Siqueira instituiu e deu posse, nesta quinta-feira, 9, ao Comitê Interinstitucional de Promoção, Defesa e Proteção Integral dos Direitos da Criança e do Adolescente, em ato realizado na sede da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF). Entre os membros, titulares e suplentes que assinaram o termo e foram empossados, estão representantes das secretarias de Desenvolvimento Social (SDS), Educação (SE), Governo (SG) e Saúde (SS) da PJF, da Vara, do Ministério Público e da Defensoria Pública da Infância e da Juventude, dos conselhos municipais dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA), de Assistência (CMAS) e Tutelar (CT), da Polícia Militar de Minas Gerais, do Ministério do Trabalho e Emprego e da Sociedade Mineira de Pediatria - Regional Zona da Mata Como gestor do Comitê, Bruno disse ser “uma honra receber pessoas tão ilustres e palavras tão carinhosas e incentivadoras para este projeto. Essa união de esforços pela defesa da criança e do adolescente é muito importante para o nosso futuro”. As palavras do prefeito sintetizaram a essência do comitê: a congruência do trabalho de todos em prol da melhoria da realidade dos jovens. “Juiz de Fora sai na frente, não só por causa da Prefeitura, mas por causa das pessoas, das instituições. Frente aos problemas, aí é que vamos trabalhar mais por nossas crianças e nosso país. Vamos colher bons frutos graças a atos como este de hoje”, completou Bruno Siqueira. O prefeito afirmou também que muitos dos problemas que o país enfrenta hoje são devidos aos erros cometidos na falta de acesso à educação e ao esporte e lazer para os jovens. Para reverter esse processo, é necessário, segundo ele, “economizar, para investir em prioridades”. Bruno mostrou que, mesmo passando pela recessão que atinge todo o país, Juiz de Fora investe hoje 30% de seu orçamento na educação. Ele previu que, ainda em 2015, mais seis creches serão inauguradas, além de praças em diversos locais da cidade, a exemplo das que já estão em funcionamento nos bairros Araújo e Vila Olavo Costa. O secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, membro titular, ressaltou, sobretudo, a aplicação prática do comitê recém-instituído: “Temos objetivos definidos, tarefas concretas a cumprir, como a elaboração de estratégias frente aos eixos do programa. O trabalho integrado entre os poderes Executivo e Judiciário, o Ministério Público, conselhos, e todo o sistema de garantia de direitos vai somar esforços de maneira conjunta, visando o objetivo final, que é garantir uma infância e adolescência saudável aos nossos filhos”. Segundo o secretário, os eixos de que fala são basicamente quatro ponto focais de elaboração de estratégias: o fortalecimento da convivência e vínculos familiares; o aperfeiçoamento do sistema socioeducativo; o enfrentamento da violência e abuso sexual; e a erradicação do trabalho infantil. Ele apontou ainda o pioneirismo da cidade nessa questão. De acordo com Cheker, o comitê foi instituído em metrópoles e cidades-sede antes da Copa do Mundo,no ano passado, para combater sobretudo o turismo de exploração sexual de crianças e jovens. Com base no sucesso das ações, algumas grandes cidades se envolveram no processo. “Juiz de Fora é uma das primeiras cidades não-metrópoles que aderem a esse plano, antes mesmo da capital Belo Horizonte”, informou o secretário. A juíza da Vara da Infância e Juventude de Juiz de Fora, Maria Cecília Gollner Stephan, também titular do Comitê, resgatou a trajetória que culminou nesse ato e que começou em 2012, com a carta de intenção elaborada pelos ministérios do Governo federal, e instituiu esses quatro eixos de direcionamento de ações conjuntas. O município que mais se aproximar das metas propostas receberá, do Fundo das Nações Unidas Para a Infância (Unicef), o selo de “Município Aprovado”, e terá acesso a maior volume de verbas para realizar ações dessa natureza de enfrentamento. A juíza afirmou que “Juiz de Fora está muito à frente em termos de políticas públicas. Hoje concretiza um compromisso permanente, de forma conjunta, para que seja cumprida a legislação, agora reunida em um só documento, e coordenar e efetivar a garantia dos direitos da criança e do adolescente”. A presidente do CMDCA, Valéria Pereira, chamou a atenção para a importância das ações para os beneficiados: “Esse momento é um divisor de águas para Juiz de Fora, no sentido de assegurar a proteção e defesa dos direitos fundamentais e políticas de prevenção, para que as crianças não sejam privadas do convívio familiar e comunitário”. O vereador Jucélio Maria representou a Câmara Municipal no ato e completou, mostrando a responsabilidade de todos nesse processo: “Crianças precisam ser cuidadas pelo poder público, pela família e pela ação pessoal de cada um”. Na composição da mesa estiveram ainda, além dos que se pronunciaram, o juiz diretor do Foro da Comarca de Juiz de Fora, Paulo Tristão, o promotor da Vara de Infância e Juventude, Plínio Lacerda, e o comandante da 4ª Região de Polícia Militar, coronel José Geraldo de Lima. Texto: Michelly Meireles FOTO: Gil Veloso * Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Social, pelo telefone 3690-8314. ]]> 2015-04-10 11:47:01Juiz de Fora é a única cidade do Brasil a implementar o Pronatec Aprendizhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11897 2015-04-09 16:14:52Aula inaugural do Curso Preparatório para Concursos reúne cerca de 180 pessoas na SDShttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=119550704aulainaugural_182131Prontas para dar o primeiro passo na caminhada por um futuro promissor, cerca de 180 pessoas foram acolhidas na noite desta segunda-feira, 6, para a aula inaugural do Curso Preparatório para Concursos (CPC). Realizada na Casa dos Conselhos, a aula reuniu professores, estagiários e parceiros da iniciativa. O CPC é um programa da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), que oferece cursos com o objetivo de preparar seus alunos para competirem nos processos seletivos de instituições de ensino superior e concursos públicos. “A vida é trilhada por caminhos”, discursou o secretário de Governo, José Sóter de Figuerôa, que fez parte da mesa de abertura. “Caminhos baseados em escolhas. O CPC foi uma escolha de vocês, e essa escolha leva a um caminho onde vocês serão vitoriosos”. Junto ao secretário, compuseram a mesa a supervisora do CPC, Valéria Murucci; o chefe do Departamento de Inclusão Socioprodutiva e Qualificação Profissional da SDS, José Francisco de Oliveira; o vereador Jucélio Maria, representando a Câmara Municipal; e o secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker. Representando o prefeito Bruno Siqueira, e na condição de anfitrião, Cheker deu as boas-vindas e parabenizou os alunos: “É claro que vocês estão aqui atrás da educação formal, mas tenho certeza que também vieram em busca da educação coletiva, adquirida através da troca de experiências. Através desta troca, feita pela convivência com pessoas de diferentes opiniões e pensamentos, adquirimos verdadeiro conhecimento. Não importa o rumo que tomamos, a única coisa que é genuinamente nossa é o conhecimento”. O vereador Jucélio Maria destacou a cultura como geradora do crescimento pessoal: “O CPC oferece uma chance de diálogo. É essa oportunidade que nos permite construir uma sociedade mais justa.” O CPC em 2015 Este ano, o CPC registrou quase mil inscrições. Destas, foram matriculadas mais de 700 pessoas nos cursos preparatórios para o Exame Nacional do Ensino (Enem), Programa de Ingresso Seletivo Misto (Pism), Instituto Federal (IF) e concursos públicos. As vagas foram destinadas às pessoas inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico). As aulas começaram na manhã desta terça-feira, 7, e serão realizadas de segunda a sexta-feira, em três turnos, na própria sede do programa, na Rua Barão de São João Nepomuceno, 357 – Centro. * Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Social, pelo telefone 3690-8314. ]]> 2015-04-07 12:01:24Territorialização – SDS reordena Centros de Referência Especializados em Assistência Socialhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=119243103SDSREORDENA2_183825A Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) apresentou, na tarde desta terça-feira, 31, o novo plano de ordenação territorial dos Centros de Referência Especializados em Assistência Social (Creas). Agora as unidades abrangem, em uma mesma sede, atendimento a diferentes casos de violação de direitos familiares e individuais – como situações de violência física e psicológica, abuso e abandono –, levando em conta a localidade do público atendido. A territorialização tem se constituído como uma estratégia na implantação do Sistema Único de Assistência Social (Suas), a fim de que os serviços fiquem mais próximos da população e, consequentemente, possibilitem o conhecimento da equipe técnica acerca da vulnerabilidade e das necessidades do público atendido. Com esse propósito, a articulação dos Creas mudou. “A partir dessa territorialização, que começa na próxima segunda-feira, 6, eles atendem universalmente à população. Uma família com idosos, mulheres ou crianças com violação de direito será atendida em um único Creas. Antes, a divisão era feita em Creas Idoso Mulher (que passará a se chamar Creas Centro 1), Creas Infância e Juventude (chamado agora Creas Centro 2), e Creas Norte”, explica o chefe do Departamento de Proteção Especial da SDS, Lindomar José. As mudanças potencializam o atendimento e ampliam o alcance do público, facilitando, também, a acessibilidade das famílias ao serviço dos Creas. Para essa mudança, o Departamento de Avaliação e Gestão da Informação (Dagi) da SDS executou uma pesquisa de conhecimento preciso dos territórios de abrangência, critérios e demandas. Os Creas atendem, mensalmente, 1.355 famílias, com orientações e proteção social, acesso a serviços socioassistenciais e políticas públicas setoriais, além de identificação de situações de violação de direitos. O secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, parabenizou a iniciativa, firmando o compromisso de trabalhar com a gestão cada vez mais próxima da população. "É com muita alegria que coroamos esse processo de evolução da avaliação e monitoramento das incidências de risco social depois de muitas reuniões e planejamento. É um ganho imenso para a população e as equipes, pois toda a família será acolhida e amparada em um único local, já que a partir de agora os Creas ficam universalizados na sua composição de atendimento. Temos trabalhado para fazer com que cada vez mais os nossos serviços de assistência estejam no cerne da população. A prática dos Creas trouxe melhorias concretas para nossa sociedade, e precisamos mostrar como isso tem mudado a vida de milhares de juiz-foranos", completa. O subsecretário da Pasta, Rogério Rodrigues, apresentou as novas denominações dos Creas para cerca de cem pessoas, entre profissionais das secretarias parceiras e servidores dos equipamentos da SDS, além de representantes de bairros. “É uma demanda histórica que promove a garantia dos direitos e a humanização do serviço, pois conhecemos mais de perto as potencialidades de cada território e contribuímos para restaurar e preservar a integridade e autonomia dos usuários”, destaca Rogério. Ele apresentou o perfil do público atendido pelo Creas, discursou sobre a importância do trabalho social atrelado às políticas públicas e chamou a atenção para o papel do serviço de Proteção e Atendimento Especializado a Famílias e Indivíduos (Paefi) na atuação dos Centros Especializados. Os Creas Os Creas são responsáveis pela oferta e atenção especializada de apoio, orientação e acompanhamento a indivíduos e famílias em situação de ameaça ou violação de direitos. As denúncias são acolhidas por telefone, encaminhamento de outras instituições ou através de atendimento presencial. As unidades ofertam acompanhamento técnico especializado, desenvolvido por uma equipe multiprofissional, de modo a verificar a denúncia acolhida e favorecer a reparação da situação de violência vivida por criança, adolescente, mulher ou idoso. * Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Social, pelo telefone 3690-8314. ]]> 2015-03-31 18:10:12Núcleo do Cidadão de Rua aperfeiçoa serviço aos atendidos padronizando materiais de uso diáriohttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11922 2015-03-30 18:05:22Secretário de Desenvolvimento Social representa Juiz de Fora como avaliador do Prêmio Itaú/Unicefhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11891Itaú-Unicef 1A Secretaria de Desenvolvimento Social da Prefeitura de Juiz de Fora teve boa notícia, através do Secretário Flávio Cheker, que foi selecionado como um dos avaliadores da 11ª edição do Prêmio Itaú/Unicef. O programa tem como objetivo reconhecer e estimular o trabalho de organizações não governamentais (ONGs) que contribuem, em articulação com as políticas públicas de educação e de assistência social, para a educação integral de crianças e jovens que vivem em condições de vulnerabilidade social. O tema desta edição é “Educação Integral: Aprendizagem que Transforma”, e serão premiadas as organizações da sociedade civil e as escolas públicas parceiras responsáveis por boas práticas de educação integral. A banca examinadora da qual o secretário faz parte será composta por cerca de 300 profissionais de todo o Brasil. A equipe, dividida em oito regionais, fará o processamento e aavaliação dos projetos inscritos, sendo responsável pela escolha dos semifinalistas. O projeto deve ser destinado a crianças, adolescentes e jovens entre 6 e 18 anos, em condições de vulnerabilidade socioeconômica. O processo de análise, seleção e premiação ocorrerá durante o prazo de 9 meses, iniciado em 12 de março deste ano. Flávio Cheker ressaltou o reconhecimento que o convite traz para o trabalho desenvolvido pela SDS nesta gestão. “A indicação de Juiz de Fora, por nosso intermédio, nos encheu de alegria e compensação pelo trabalho que a SDS vem realizando. Isso aumenta nossa energia na execução dos nossos projetos.” Educação Integral em Juiz de Fora Em Juiz de Fora, a SDS é responsável pela gestão de vários serviços e unidades que operam em estreita conexão com a proposta do programa. Destes, o mais abrangente é o Curumim, serviço que busca estimular a formação cidadã de crianças e adolescentes no contraturno escolar, através de práticas esportivas, artísticas e culturais. Com oito unidades no município, os Curumins têm capacidade para atender mais de 1.100 crianças e adolescentes, que recebem duas refeições diárias e atividades educacionais e recreativas, fazendo do espaço uma referência para formação social dos jovens e crianças. Ainda com a proposta de fornecer um complemento à educação regular, através do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, a SDS conta com a AABB Comunidade, a Casa do Pequeno Jardineiro, Casa do Pequeno Artista, Casa da Menina Artesã e Agente do Amanhã, abrangendo cerca de 1.700 crianças e adolescentes com idades entre 4 e 17 anos. O Prêmio Itaú/Unicef Criado em 1995, em um contexto de mudanças sociais na perspectiva da garantia de direitos, com a promulgação da Constituição Federal Brasileira e do Estatuto da Criança e do Adolescente, o Prêmio Itaú/Unicef busca identificar, reconhecer e estimular parcerias entre organizações da sociedade civil e escolas públicas, no desenvolvimento de projetos socioeducativos que contribuam com as políticas públicas de educação integral para crianças, adolescentes e jovens em condições de vulnerabilidade socioeconômica. ]]> 2015-03-26 12:36:14Terceira edição do “Espaço Cidadão” movimenta Bairro Olavo Costahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=118832303ESPACOCIDADAO_184018 Neste sábado, 21, moradores do bairro Olavo Costa e arredores tiveram a oportunidade de buscar diversos serviços da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) sem sair de sua região. A terceira edição do projeto “Espaço Cidadão”, articulado pela Secretaria de Desenvolvimento Social, levou entretenimento e inclusão social durante toda a manhã para aqueles que compareceram na sede do Centro de Referência de Assistência Social (Cras) Sudeste Olavo Costa. O evento reuniu profissionais da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), em parceria com a Secretaria de Educação, Saúde, Agropecuária e Abastecimento, além da Cesama, Defesa Civil, Procon e JFEmpregos. Apesar da chuva, a ação promoveu 555 atendimentos, onde os cidadãos receberam orientações sobre o passe livre, transporte adaptado e acessibilidade; cadastramento e atualização do Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico) e até ganharam cortes de cabelo através do Instituto Embelleze. Na área da saúde, jovens foram vacinadas contra HPV e a população pode fazer aferição da pressão arterial e glicemia, além de avaliações nutricionais. Cerca de 120 pessoas participaram de uma dinâmica que chamou a atenção para a importância da alimentação saudável e, para mostrar que essa busca começa com a mudança de hábitos simples em casa, sucos sem adição de açúcar foram distribuídos à população. O Centro de Atenção ao Cidadão participou do evento dando orientações diversas, principalmente sanando dúvidas sobre a carteira de trabalho e certidão de nascimento e casamento. De acordo com uma das organizadoras do evento, a supervisora do Departamento de Transferência de Renda, Tânia Franklin, o objetivo de promover um evento que aproximasse os serviços da Prefeitura da comunidade foi cumprido: “Fomos acolhidos pelos participantes em um momento que uniu informação e divulgação de diversos serviços municipais com festa e cultura”. As atrações culturais ficaram por conta da Banda da Polícia Militar, que tocou clássicos brasileiros e internacionais, e de apresentações de capoeira realizadas por crianças e adolescentes atendidas pelo Curumim Olavo Costa. O trabalho de aproximação com todas as regiões da cidade tem se mostrado essencial para o desenvolvimento do município. Iara Costa, de 25 anos, é aluna do Instituto Embelleze e teve uma surpresa quando participou da ação: “Eu frequentei o Curumim quando criança e quando cheguei ao bairro encontrei antigos professores e coordenadores da unidade, foi muito bom rever todo mundo e matar a saudade”. Iara fez uma avaliação positiva do evento e elogiou a participação da comunidade. “Havia muitas famílias se divertindo e ficaram animadas com os cortes de cabelo feitos por mim e pelas outras alunas”, concluiu. A iniciativa O projeto “Espaço Cidadão”, iniciado em 2014, já atendeu os bairros Nova Germânia e Sagrado Coração, levando alguns dos serviços da prefeitura para mais de mil cidadãos de Juiz de Fora. A próxima edição será realizada no Parque Independência, em 25 de abril, na Escola Municipal Arlete Bastos de Magalhães. * Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Social, pelo telefone 3690-8314. ]]> 2015-03-25 17:16:00SDS apresenta plano de ações para promover integração entre serviços e unidadeshttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11943SDS apresenta plano de a+º+Áes para promover integra+º+úo entre servi+ºos e unidadesA Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) realizou na manhã desta sexta-feira, 20, uma reunião com assistentes sociais, pedagogos, psicólogos e técnicos de todos os equipamentos da Proteção Básica e Especial. O objetivo foi apresentar planos de ações para melhorar o fluxo e a interação entre as unidades e os serviços geridos pela SDS. O evento ocorreu no Auditório do Banco do Brasil (Rua Halfeld, 770 – Centro). Na presença dos técnicos de todas as unidades socioassistenciais, o secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, destacou a interação entre os níveis de Proteção Básica e Especial como fatores preponderantes para a superação das vulnerabilidades: “O diálogo entre os serviços deve acontecer sempre visando o usuário, por isso, contamos com o compromisso dos assistentes e técnicos neste desafio. Cada um sabe a diferença que o trabalho de vocês provoca na vida das pessoas em situação vulnerável”. A apresentação sobre o fluxo dos serviços é resultado de um processo de padronização, discutido desde o ano passado, entre gestão e entidades executoras. “Foram iniciadas capacitações cujo objetivo era esclarecer o papel de cada serviço. Dando continuidade ao processo, foi formado um grupo menor, para possibilitar as ações e gerar a interlocução entre os serviços”, explicou a chefe do Departamento de Proteção Básica (DPB), Carla Salomão. Profissionais da Associação Municipal de Apoio Comunitário (Amac) participaram da apresentação como executores dos serviços socioassistenciais na cidade. “Ressalto a importância do trabalho da Gestão e Execução em parceria, pois, quando realizado de maneira consciente e responsável – como se exemplificou neste processo – resulta no avanço da qualidade dos serviços ofertados”, avaliou a chefe do Departamento de Proteção Especial da Amac, Alexandra Rossi. Com a apresentação aos executores, o fluxo será implantado e avaliado em todas as unidades. A previsão é de um retorno prático em um período de 90 dias. * Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Social, pelo telefone 3690-8314 ]]> 2015-03-20 16:29:57Dança une idosos e adolescentes na celebração das geraçõeshttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=119191203SDS1_183701Na pauta, dois objetivos: aproximar as gerações, com interesses e histórias de vida distintas, e promover um momento de descontração e troca de experiências. Concretizando isso, atendidos pelo Centro de Convivência do Idoso (CCI) recepcionaram adolescentes da Casa do Pequeno Artista (CPA) nesta quinta-feira, 12. Ambos os serviços são da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), e seus participantes lotaram o salão, em um grande baile. O grupo teve seu primeiro encontro na terça-feira, 10, quando compartilhou experiências com dança e música em um bate-papo e, aproveitando o Dia Internacional da Mulher (domingo, 8), discutiu sobre valorização feminina e igualdade de gêneros. “No início tivemos adolescentes tímidos e idosos falantes. Mas a interação foi conseguida e alcançamos o objetivo de troca de saberes e de aproximação das gerações”, ressaltou a pedagoga do CCI, Luziana Moreira, que coordenou as atividades da semana, junto à pedagoga do CPA, Juliana Ribas. O baile começou com poesias enaltecendo a mulher. Em seguida, sete adolescentes do CPA abriram as apresentações, dançando uma coreografia de funk. “Agradecemos muito o convite para esse encontro, que aproveita a Semana da Mulher para homenageá-la. Para isso, as meninas do grupo de dança ensaiaram uma apresentação animada e moderna, que mostra a expressão através da música”, destacou Juliana. Depois foi a vez de seis casais do CCI dançarem um bolero mais livre, ao som do pop e sertanejo, apresentando, assim como as adolescentes, os passos estudados durante as aulas. Quando a banda começou suas primeiras baladas, os idosos chamaram os adolescentes para dançarem no meio do salão. “Achei todos muito animados e é divertido estar no baile, é algo que não tivemos a chance de conviver muito”, refletiu Melissa Rodrigues, 13 anos. Ainda tímidos, os convidados aprenderam a dançar, com os ensinamentos daqueles que prezam pela tradição e beleza do movimento a dois, tão presente na recordação dos antigos bailes. Geneci Gomes, 72 anos, acabara de dançar com um jovem do CPA, e ressaltou a desenvoltura das meninas quando a música tem um ritmo mais lento. “Os garotos ficam mais tímidos, por não conhecerem muito os passos, mas aos poucos se sentem à vontade. É ótimo recebê-los aqui no CCI, para que presenciem como é importante a busca pelo envelhecimento saudável”, pontuou a costureira, antes de voltar para a pista. E a troca de experiências não para por aí. De acordo com Luziana, o próximo encontro dos idosos do CCI com os atendidos pela Casa está marcado para 10 de abril, em uma oficina de artesanato: “Os idosos irão para a sede do CPA e o aprendizado será mútuo, pois cada um vai ensinar ao companheiro algum artesanato novo. Demos o primeiro passo para seguirmos o direcionamento do Ministério de Desenvolvimento Social (MDS), que incentiva a intergeracionalidade, que é este encontro de gerações, e o fortalecimento da convivência – não só entre os assistidos pelas unidades da SDS, mas com a família e a comunidade”. As unidades O CCI é executado pela Associação Municipal de Apoio Comunitário (Amac), que realiza ações visando garantir o envelhecimento saudável no município. Entre as atividades oferecidas estão aulas de ginástica, dança, trabalhos manuais, teatro, jogos, ioga e informática. O telefone de contato é o 3690-7365. A Casa do Pequeno Artista atende adolescentes com idades entre 12 e 17 anos, em situação de vulnerabilidade pessoal e ou social. O serviço, também executado pela Amac, oferece aos participantes oficinas de música, dança, comunicação artística, artes e informática. A unidade fica na Rua Espírito Santo, 456 – 2° andar – Centro. O telefone de contato é o 3690-8336. * Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Social, pelo telefone 3690-8314, ou com a Amac, pelo telefone 3690-7945. ]]> 2015-03-12 17:48:19Crianças trabalham questões de diversidade de gêneros no Curumimhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11953 2015-03-11 16:55:13Bate-papo com idosas do CCI incentiva a valorização da mulher em todas as idadeshttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11950 2015-03-11 16:51:46Representantes da SDS participam da inauguração da nova piscina da Apaehttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=119140603InauguracaoPiscinaAPAE_212427O secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, e a chefe do Departamento de Regularização e Acompanhamento de Convênios (Drac) da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), Ana Paula Medeiros, participaram na manhã desta sexta-feira, 6, da inauguração da nova piscina da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae), localizada no Bairro Santa Terezinha. A cerimônia contou com a presença de profissionais da organização não governamental (ONG), familiares e assistidos pela instituição. As novas instalações da piscina foram batizadas com o nome de “Norma Durão do Couto”, uma das fundadoras da associação, e seus familiares participaram da homenagem. Logo após, um pai deu seu depoimento sobre sua relação com a ONG, e o novo espaço recebeu a bênção. Ana Paula participou da solenidade também em nome do Conselho Municipal de Assistência Social (CMAS), e elogiou as melhorias realizadas pelas unidades conveniadas: “O atendimento desta instituição é totalmente humanizado e é muito forte a participação das famílias dos atendidos. Quando fazemos a regularização dos convênios, presenciamos o progresso não só em relação a estrutura, mas o processo de crescimento das crianças e jovens”. ]]> 2015-03-06 17:36:00Profissionais da SDS divulgam benefícios do CadÚnico em dois eventos na cidadehttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=119112702CadunicoSds_192650Com o objetivo de apresentar e garantir o acesso de famílias em situação de vulnerabilidade no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico), profissionais da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), através do Departamento de Transferência de Renda (DTR), participaram de dois encontros nesta sexta-feira, 27. A supervisora de Assistência e Auditoria de Beneficiários do DTR, Tânia Franklin, discursou sobre o CadÚnico no “Encontro de Famílias”, realizado no Centro Comunitário de Assistência Social da Legião da Boa Vontade, no Bairro Santo Antônio. Cerca de 20 famílias participaram e solicitaram orientações e encaminhamentos sobre os benefícios assistenciais vinculados ao programa, entre eles, Tarifa Social de Energia, “Minha Casa Minha Vida”, Bolsa Família e Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec). “O público participou de maneira significativa do debate. Alguns já tinham o CadÚnico e outros prontamente se interessaram em se cadastrar, principalmente para ter a oportunidade de inscrição no Pronatec”, ressaltou Tânia. Ainda nesta sexta-feira, 27, o departamento esteve presente com uma ação similar na Defesa Civil, esclarecendo dúvidas e incentivando o cadastro de agentes e voluntários. O CadÚnico O CadÚnico é um instrumento de identificação e caracterização socioeconômica das famílias brasileiras de baixa renda, entendidas como aquelas com renda igual ou inferior a meio salário-mínimo por pessoa ou renda familiar mensal de até três salários-mínimos. Através do CadÚnico é possível se inscrever em projetos e programas como o Bolsa Família; carteira do idoso; Curso Preparatório para Concursos (CPC); “Minha Casa Minha Vida”; e o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), além do Benefício de Prestação Continuada (BPC), entre outros. Para mais informações, o telefone do Departamento de Transferência de Renda é o 3690-7071. ]]> 2015-02-27 17:18:05SDS promove capacitação sobre educação inclusiva para supervisores e chefes de departamentohttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11907194745A educação inclusiva e os desafios de promovê-la no contexto da gestão pública foram temas do seminário de capacitação realizado na manhã desta terça-feira, 24, pela Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) para os chefes de departamento e supervisores da Pasta. A palestra foi ministrada pela Mylene Santiago, professora doutora da Universidade Federal Fluminense (UFF), na Casa dos Conselhos (Rua Halfeld, 450, 7º andar – Centro). Na abertura do evento, o secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, sublinhou “a importância da informação como forma de derrubar o preconceito sobre os nossos semelhantes que são diferentes. É nessa aparente contradição, os semelhantes que são diferentes, que podemos e devemos crescer, na perspectiva das políticas públicas integradas entre assistência social, educação, saúde e acessibilidade. Acolher o deficiente, o diferente, é acreditar em seu convívio social pleno”. De acordo com a supervisora de Políticas de Acolhimento Institucional da SDS, Nathália Meneghine, é fundamental que os serviços de assistência social funcionem de forma a atender a todos conforme a necessidade. “Pensar em educação inclusiva é pensar em garantia de direitos humanos. Os serviços de acolhimento institucional e familiar, por exemplo, trabalham nessa mesma perspectiva, pois dar lugar à diferença é passo essencial na efetivação de uma sociedade inclusiva”. Em sua exposição, Mylene Santiago percorreu marcos e conquistas da perspectiva inclusiva de pessoas com condições físicas, intelectuais ou emocionais diferenciadas. “Isso não é concessão, é um direito constitucional”. De acordo com ela, cabe à sociedade promover o ambiente propício ao desenvolvimento e aprendizagem desses cidadãos. “Muitas vezes as barreiras não são físicas, mas de atitude, que se manifestam na descrença de potencial deste público”, completou. A professora defendeu a intersetorialidade nas áreas da gestão pública para superar os obstáculos que impossibilitam o acesso igualitário à educação e a outros serviços. “É necessário que educação, saúde, desenvolvimento social e outras áreas se integrem, para que o atendimento especializado seja complementar na busca desta isonomia. Daí a importância de termos este diálogo com gestores e servidores de diferentes áreas”. * Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Social, pelo telefone 3690-8314. ]]> 2015-02-24 16:59:16Servidores da SDS fortalecem representatividade nos conselhos municipaishttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11935Servidores da SDS fortalecem representatividade nos conselhos municipaisA Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) realizou nesta quinta-feira, 19, uma reunião com 24 profissionais da Pasta, entre chefes de departamento e supervisores, a fim de avaliar a participação da SDS nos conselhos municipais e fortalecer a representação dos servidores nas atividades deste ano nos espaços de controle social. O titular da SDS, Flávio Cheker, enfatiza que "a participação nos Conselhos de Direitos, seu fortalecimento e pleno funcionamento são compromissos da atual administração. No encontro com os representantes governamentais da Secretaria nos diversos conselhos, enfatizamos a importância da participação de todos, ao mesmo tempo em que procuramos casar essa participação com as afinidades pessoais de trabalho de cada um. Assim, ganham os conselhos, os conselheiros, a gestão e a cidade”. Além de promover uma avaliação acerca da atuação dos conselheiros, o bate-papo apresentou um balanço sobre as atividades desenvolvidas por eles ao longo dos anos. Essa reflexão incentivou os servidores a se envolverem mais profundamente com as decisões dos conselhos. “Foi um processo democrático, sem imposição para nenhum profissional da SDS. Todos viram a importância dessa ação e manifestaram o interesse em participar dos conselhos de acordo com o seu perfil. Assim, fizemos uma avaliação positiva da nossa representação e continuaremos com essa efetiva cooperação nos espaços de controle social”, ressaltou o subsecretário de gestão do Sistema Único de Assistência Social (Suas) e Inclusão Socioprodutiva, e vice-presidente do Conselho Municipal de Assistência Social (CMAS), Rogério Rodrigues. Com o novo organograma, 13 conselhos terão representatividade da secretaria em 2015, entre eles, o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA), Conselho Municipal de Políticas Integradas sobre Drogas (Compid), Conselho Municipal dos Direitos do Idoso (CMDI) e CMAS. * Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Social, pelo telefone 3690-8314. ]]> 2015-02-20 16:18:05Mesa diretora do Conselho Municipal de Assistência Social é eleita e empossada nesta quintahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11901172612 O regimento interno do CMAS exige que a presidência do conselho seja exercida alternadamente por representantes da sociedade civil e do poder público. Para ocupar a vaga até fevereiro de 2016, foi eleita a psicóloga Valéria Wanda Fonseca, do Conselho Regional de Psicologia de Minas Gerais (CRP/MG). Completam a mesa diretora: o subsecretário de Gestão do Sistema Único de Assistência Social e Inclusão Socioprodutiva da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), Rogério Rodrigues, eleito vice-presidente; a assistente social da SDS, Maria do Carmo de Almeida, como 1ª secretária; e Ronaldo Gonçalves de Oliveira, do Sindicato dos Empregados em Instituições Beneficentes, Religiosas e Filantrópicas (Sintibref-MG), como 2º secretário. O termo de posse foi assinado pelo Secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker. Em seu discurso, Cheker assinalou a atuação do CMAS nas conquistas alcançadas em conjunto com a gestão municipal. “Este espaço de interlocução olho no olho entre governo e sociedade civil representa uma forma muito eficaz de se fazer e executar políticas de assistência social. Nosso crescimento ocorre tanto nos momentos de convergência quanto nos momentos em que divergimos, pois assim se faz o debate público. Ao final, todos estamos remando no mesmo caminho”, sublinhou. Recém-eleita, a presidente Valéria Wanda adotou o mesmo tom ao ser empossada. “Pude aprender muito com a atuação dos presidentes que me antecederam. Com base nesse aprendizado, o próximo ano continuará sendo de muito diálogo e debates, onde todas as partes serão ouvidas”, declarou. O CMAS/JF O Conselho Municipal de Assistência Social é o órgão responsável pela aprovação das políticas municipais de assistência social, além do estabelecimento das diretrizes a serem observadas no Plano Municipal e na administração e fiscalização do Fundo Municipal. * Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Social, pelo telefone 3690-8314. ]]> 2015-02-12 16:39:17Familiares de pessoas com síndrome de Down trocam experiências na primeira reunião do ano do projetohttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11939Familiares de pessoas com s+¡ndrome de Down trocam experi+¬ncias na primeira reuni+úo do ano do projetoTrocar experiências em prol de um benefício comum: a melhoria na qualidade de vida das pessoas com síndrome de Down. Esse é o objetivo do projeto "Papo de Mãe", que teve nesta terça-feira, 10, sua primeira reunião do ano. O encontro, promovido pela Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), através do Departamento de Políticas Para a Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos (DPCDH), reuniu 20 famílias que possuem membros com a síndrome. O objetivo foi promover momentos de convivência e troca de experiências que integrem os pais e os órgãos envolvidos nas discussões sobre a inclusão social. Essa foi a segunda reunião do projeto, que começou em dezembro do ano passado. Durante o encontro foram discutidos temas como assessibilidade, autonomia e as necessidades gerais dos filhos, netos e sobrinhos dos participantes. No início do bate-papo, o secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, parabenizou o grupo pela presença e motivou a reflexão para a importância desse momento de interação: "Devemos sempre pensar em melhores maneiras de falarmos a mesma linguagem e unirmos esforços para ouvirmos as dificuldades das famílias de pessoas com síndrome de Down. Nessa reunião, o projeto toma forma e dá a oportunidade para as pessoas compartilharem experiências que inspiram o poder público a intervir e contribuir para esse processo". De acordo com a chefe do DPCDH, Thais Altomar, o "Papo de Mãe" permite ao grupo se informar sobre direitos, tratamentos, recursos, programas e projetos voltados às pessoas com deficiência: "Quando a mãe e a família se deparam com o desafio de lidar com a diversidade, antes ou depois do nascimento do filho, muita coisa terá que se modificar. As relações não serão mais as mesmas e tudo passará a ser novo. Eles se veem envolvidos num turbilhão de sentimentos, que vai desde o enfrentamento, a aceitação e a busca de soluções. Estávamos ansiosos para desenvolver projetos voltados para essas famílias". Empecilhos na convivência em sociedade foi uma das temáticas levantadas na reunião por Silvânia Montesse, mãe de Matheus, de 14 anos: "Tenho muita esperança com o ´Papo de Mãe´. Vim na primeira reunião, em dezembro, porque quero ouvir e falar sobre o meu filho e suas necessidades. Ele adora conversar e interagir, mas no início eu tinha receio de sair com ele de casa. Hoje, nós vamos em festas, passeamos, vamos em qualquer lugar. A convivência em sociedade é importante para o crescimento dele". Ao longo do projeto serão realizados oficinas, workshops e palestras sobre questões trazidas pelo grupo a cada encontro. A próxima reunião está marcada para 10 de março, às 14 horas, na sede do DPCDH, na Rua São Sebastião, 750 – Centro. * Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Social, pelo telefone 3690-8314. ]]> 2015-02-10 16:24:46População atendida pelo Cras Norte Benfica participa de palestra sobre consumo consciente de energia elétricahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11931Popula+º+úo atendida pelo Cras Norte Benfica participa de palestra sobre consumo consciente de energia el+®tricaO consumo consciente de energia foi tema do bate-papo realizado com a população na manhã desta segunda-feira, 9, no Centro de Referência de Assistência Social (Cras) Norte Benfica. O encontro faz parte de um projeto realizado pela Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), e contou com a participação de 35 pessoas atendidas pela unidade. Durante o evento, o secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, acentuou a importância da iniciativa na instrução dos cidadãos. “Este debate é ainda mais oportuno agora que passamos por uma crise hídrica e energética, mas devemos nos lembrar que o uso racional de energia deve ocorrer a todo momento. Economizar é um ato de cidadania”, destacou. O bate-papo foi conduzido pela supervisora de Relacionamento Comercial da Cemig, Rosilene Rocha. Durante o evento, foram esclarecidos diversos pontos importantes ligados à energia elétrica, como economia e segurança das instalações. “Estamos desde 2013 com esse projeto, em que vamos até os bairros e conseguimos nos aproximar da população. É excelente podermos mostrar coisas simples de segurança doméstica que salvam vidas. Falamos sobre direitos e deveres para pessoas que nem sempre conhecem esses benefícios e o seu papel de conscientização”, destacou Rosilene. Fazendo alusões a itens como liquidificador, carregadores de celular e televisão, Rosilene teve a oportunidade de esclarecer aos presentes a respeito de simples modos de economizar, como evitar deixar aparelhos no modo “stand by”. Rosilene finalizou o encontro com informações sobre pagamento da conta, mudança do dia do vencimento, leitura do relógio pelo técnico da Cemig, entre outras dúvidas levantadas pela população. O Cras O Cras é a porta de entrada para os serviços da proteção básica. Presta atendimento às famílias e aos indivíduos em situação de vulnerabilidade social, com o objetivo de fortalecer os vínculos familiares e comunitários. Oferece, ainda, atendimento e acompanhamento às famílias que moram nos bairros do seu território de abrangência. Além disso, o Cras realiza atividades individuais ou em grupo e encaminha para serviços de atendimento crianças, adolescentes e idosos, entre outras atividades. O Cras Norte Benfica está localizado na Rua Tomé de Souza, 95 – Benfica. O telefone de contato é o 3690-8677. * Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Social, pelo telefone 3690-8314 ou com a Amac, pelo 3690-7945. ]]> 2015-02-09 16:05:18Juiz de Fora é a única cidade do Brasil a implementar o Pronatec Aprendizhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=118980602PronatecAprendiz_171110Selecionada junto a outras oito cidades brasileiras para receber o piloto do Pronatec Aprendiz, desdobramento do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), Juiz de Fora foi pioneira na execução do projeto. Com as aulas iniciadas em dezembro, o município é o único do país que conseguiu viabilizar o programa federal – ficando à frente de capitais como Belém (PA), Palmas (TO), Manaus (AM) e Teresina (PI) – com o objetivo de encaminhar jovens e adolescentes em situação de vulnerabilidade social ao aprendizado em micro e pequenas empresas. Juiz de Fora foi escolhida para receber a nova iniciativa do Pronatec pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), em reconhecimento por ser a cidade mineira com maior número de matrículas no programa em 2014. Entre os motivos que promoveram o sucesso do Pronatec Aprendiz pela Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), estão o trabalho de sensibilização dos adolescentes para o curso e a adesão de 13 micro e pequenas empresas da cidade que contrataram todos os jovens aprendizes com vínculo empregatício formal e colaboram para a completa formação profissional dos adolescentes, unindo a teoria à prática. “É emocionante ver a iniciativa dando certo e possibilitando novos caminhos para os adolescentes e jovens; o apoio dos micro e pequenos empresários foi fundamental para esse sucesso. Esperamos agora que nossa experiência possa servir ao MDS para o sucesso do programa no resto do país”, destaca o secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker. Atualmente, 20 adolescentes oriundos dos serviços de Proteção Especial da SDS participam do Pronatec Aprendiz, entre eles jovens em situação de acolhimento institucional ou familiar, em cumprimento de medidas socioeducativas ou dentro do serviço de Proteção e Atendimento Especializado a Famílias e Indivíduos (Paefi). Nessa fase inicial do programa, as atividades se dividem em três dias por semana nas empresas e dois dias de aulas teóricas no Sest-Senat – Serviço Social do Transporte e Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte. Transformando vidas através da educação Além de oportunizar aos jovens a qualificação profissional em diferentes segmentos da informática, o Pronatec abre caminhos para um futuro apoiado na educação e na independência. “A receptividade dos meninos com o curso é muito positiva porque eles estão conseguindo agregar o que aprendem na empresa com a aula teórica. Aproveitamos o engajamento deles para falarmos de temas comportamentais, não só sobre o técnico, como postura e atendimento dentro do ambiente de trabalho. Eles já estão desenvolvendo muita coisa bacana e isso é só o começo”, ressalta a responsável pelo projeto no Sest-Senat, Flávia Roque. Entre as aprendizes, está a adolescente de 15 anos I. S., que já trabalha na área e espera crescer no ramo para conseguir ainda mais espaço na futura profissão. “Já aprendemos muito e isso só tende a aumentar. No próximo módulo, vamos aprender a trabalhar com novas coisas relacionadas a informática, mas já discutimos, por exemplo, a postura correta no ambiente de trabalho. No futuro, é possível utilizar o que aprendi para novos empregos”, ressalta a jovem, assistida pelo acolhimento institucional. Atuando na parte administrativa de uma empresa local, a adolescente A.C., de 15 anos, está no programa de acolhimento familiar e aproveita a rotina no novo emprego para assimilar melhor o que aprende nas aulas do Pronatec. “É uma experiência que não dá para a gente esquecer, vamos levar para a vida toda o aprendizado técnico e as lições para melhorar o comportamento e a postura. Acho maravilhoso ter a oportunidade de já poder aliar as duas coisas. É um processo que a gente vai aprimorando aos poucos, é uma coisa nova nas nossas vidas”, ressaltou a jovem. * Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Social, pelo telefone 3690-8314. ]]> 2015-02-06 16:17:05SDS intensifica abordagem social a cidadãos de rua no Bairro São Mateushttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11928SDS intensifica abordagem social a cidad+úos de rua no Bairro S+úo MateusA Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) intensificou o Serviço de Abordagem Social ao cidadão de rua no Bairro São Mateus. Devido ao agravamento da situação na Rua Padre Café, esquina com Avenida Presidente Itamar Franco, o secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, se reuniu neste mês com moradores e representantes da Polícia Civil na Associação de Moradores do São Mateus. O objetivo do encontro foi identificar as causas e apresentar medidas para diminuir a concentração de pessoas nesta situação na região. “Foi diagnosticado que a concentração de moradores de rua se deve, em boa parte, a restaurantes que organizam filas de doação de alimentos. Esses estabelecimentos já foram abordados pelas equipes, mas se recusam a cessar com a prática”, explicou Cheker. Além do secretário, estiveram presentes na reunião o subsecretário de Gestão do Sistema Único de Assistência Social e Inclusão Socioprodutiva, Rogério Rodrigues, e o Chefe do Departamento de Proteção Especial da SDS, Lindomar José da Silva. O Serviço de Abordagem Social da PJF atua em diversos pontos da cidade, encaminhando pessoas em situação de rua para os serviços especializados em seu atendimento. Em janeiro foram abordadas 20 pessoas no Bairro São Mateus. Seis aceitaram receber os serviços, sendo cinco encaminhadas para o Centro de Referência Especializado para População de Rua (Centro Pop) e uma para atendimento médico na rede do Sistema Único de Saúde (SUS). As outras 14 recusaram qualquer tipo de apoio, e, entre elas, duas estavam na Casa da Cidadania, mas optaram por sair. “O cidadão tem o direito de negar o auxílio recebido, mas, mesmo assim, a abordagem continua trabalhando. Apesar da resistência, o Serviço de Abordagem Social continuará a fazer incursões no local, quantas vezes forem necessárias. A Polícia Civil está organizando ação logística comum contra a venda e consumo de drogas, e a SDS busca conscientizar os moradores e comerciantes da região com a campanha ´Mostre o Caminho`, declarou o secretário. Qualquer cidadão pode entrar em contato com o Abordagem Social através do número 3690-7770. A pessoa que estiver vivendo nesta situação de morador de rua pode procurar pelo Centro Pop, na Rua Professor Oswaldo Veloso, 190, onde deve fazer um cadastro para receber tíquetes do Restaurante Popular gratuitamente. Centro Pop O Centro Pop oferece refeições, acompanhamento psicossocial e oficinas artísticas, entre outras atividades voltadas para a reinserção na sociedade do cidadão em situação de rua, buscando sempre referenciar os atendidos às suas respectivas famílias. A unidade conta, ainda, com uma biblioteca e uma sala de artes para a promoção de oficinas de artesanato. O Centro Pop tem capacidade para atender, em média, 120 pessoas por dia, e funciona na Rua Oswaldo Veloso, 190, no Centro. O cidadão pode ter acesso ao serviço por demanda espontânea, quando procura a unidade, ou através do Serviço de Abordagem, que pode ser solicitado por qualquer pessoa, pelo telefone 3690-7770. * Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Social, pelo telefone 3690-8314, ou com a Amac, pelo 3690-7945. ]]> 2015-01-26 15:53:48SDS faz doação de mais de sete mil livros novos para crianças e adolescentes das unidades socioassistenciais http://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=118690901SDSFAZDOACAO_153629“A leitura é uma fonte inesgotável de prazer, mas, por incrível que pareça, a quase totalidade não sente esta sede.” (Carlos Drummond de Andrade) Na integração do estímulo do prazer da leitura como hábito saudável, a Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) recebeu nesta quinta-feira, 8, 1.450 kits de livros infantis e infantojuvenis, para serem distribuídos em suas unidades. Os kits foram doados pela Livraria Paulus de Juiz de Fora, através da Secretaria de Educação (SE), e contam com cinco livros cada. São, portanto, 7.250 livros. Entre as unidades contempladas pela ação estão os curumins – que atendem cerca de mil crianças em oito sedes – a Casa do Pequeno Artista e a Associação Atlética Banco do Brasil (AABB) Comunidade. Além disso, 88 crianças e adolescentes assistidos pelas casas de acolhimento institucional da secretaria receberão as doações, englobando as unidades do Lar de Laura, Vivendas do Futuro e Estância Juvenil, bem como a entidade conveniada Aldeias SOS. Cerca de cem adolescentes em cumprimento de medidas socioeducativas também serão beneficiados com os kits. Os livros recebidos serão de extrema valia para estimular os jovens a manterem a prática da leitura. “As doações foram uma solicitação da SDS à SE, após termos conhecimento da doação que seria feita para as escolas municipais. Como os livros serão distribuídos em kits individuais, é um grande estímulo para a formação de bibliotecas pessoais por cada uma das crianças e adolescentes”, ressaltou o secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker. As unidades já trabalham o texto e a interpretação em oficinas e aulas específicas, além de oferecerem livros para empréstimo em bibliotecas. De acordo com a chefe do Departamento de Proteção Básica, Carla Salomão, as atividades literárias são uma excelente ferramenta, não só para o desenvolvimento escolar, mas também pessoal: “O contato com a literatura é um dos objetivos dos curumins. Essa iniciativa só vem a somar em nossa proposta de trabalhar a questão da universalização da leitura e, com isso, promover a ampliação do conhecimento e da cultura e estimular a criatividade das crianças e adolescentes atendidos”. Os serviços Os curumins, a Casa do Pequeno Artista e a AABB Comunidade são iniciativas da SDS, executados pela Associação Municipal de Apoio Comunitário (Amac), e têm como objetivo a prevenção de situações de risco por meio do desenvolvimento de potencialidades e aquisições e o fortalecimento de vínculos familiares e comunitários. As casas de Acolhimento da SDS oferecem atendimento institucional, em caráter provisório, a crianças e adolescentes com idades entre zero e 18 anos incompletos, que tenham sofrido violência sexual, física, psicológica, doméstica ou negligência familiar. ]]> 2015-01-15 11:18:57SDS faz doação de mais de sete mil livros novos para crianças e adolescentes das unidades socioassistenciais http://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11868 2015-01-15 11:05:09SDS obtém quase R$ 1 milhão para manter e ampliar serviços de acolhimento para crianças e adolescenteshttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11878101133A Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) publicou nesta quinta-feira, 15, no Atos do Governo, o novo convênio firmado entre a Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) e a organização não-governamental (ONG) Aldeias Infantis SOS, que integra a rede de acolhimento institucional de crianças, jovens e adolescentes do município. O novo documento é fruto do “Plano de Reordenamento e Expansão do Acolhimento Institucional”, anunciado em novembro de 2014. A boa notícia foi divulgada pelo prefeito Bruno Siqueira através da rede social facebook. O texto define o aumento do repasse de recursos federais, através do Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), à organização, garantindo a continuidade e o aperfeiçoamento do serviço. Com o acordo viabilizado pela SDS, a participação do poder público no orçamento da Aldeias Infantis SOS passa de 50% para 83,79%. "Mais que ter conseguido os recursos, que foi uma ação fundamental, o que nos alegra é ver esse resultado sendo colhido a partir do trabalho, do planejamento e do envolvimento da equipe”, avaliou o secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker. O subsecretário de Gestão do Sistema Único de Assistência Social e Inclusão Socioprodutiva, Rogério Rodrigues, explicou que a busca pelos recursos teve resultado em maio de 2014, quando foi celebrado o Termo de Aceite entre o MDS e a PJF: “Em companhia do Conselho Municipal de Assistência Social (CMAS), pactuamos a possibilidade de aumentar os recursos federais disponíveis para ampliação do serviço de acolhimento. A partir daí, iniciamos um diagnóstico e um estudo técnico de toda a rede, com vistas a tornar o município elegível para o cofinanciamento federal. Este termo de aceite garantiu o repasse da verba ao plano de reordenamento, a ser executado de acordo com as diretrizes do MDS”. O financiamento garantirá ao serviço de acolhimento um novo padrão. A partir de agora as unidades executadas pela Aldeias SOS passarão por readequações, principalmente na equipe, que terá, no mínimo, mais dois psicólogos, uma assistente social, quatro auxiliares de cuidadores e três responsáveis por serviços gerais. “Importante registrarmos que a Constituição Federal e o Estatuto da Criança e do Adolescente são categóricos ao afirmar que é dever da família, da comunidade, da sociedade e do poder público assegurar, com absoluta prioridade, a efetivação dos direitos fundamentais da criança e do adolescente. A ampliação substancial no repasse de recursos financeiros para as Aldeias revela a postura da atual gestão no cumprimento destes princípios”, declarou o chefe do Departamento de Proteção Especial da SDS, Lindomar José da Silva. Aldeias SOS A Aldeias Infantis SOS oferece acolhimento, em caráter provisório, a crianças e adolescentes com idades entre zero e 18 anos incompletos, que tenham sofrido violência sexual, física, psicológica, doméstica ou negligência familiar. Atualmente, com um custo operacional anual de R$ 1.110.734,18, a Aldeias SOS terá um aporte anual de R$ 930.734,18 do poder público, entre recursos federais, estadual e municipal. De acordo com o gestor da Aldeias SOS em Juiz de Fora, Edson Neris Bahia, o novo convênio não poderia ser celebrado em momento mais oportuno: “Nossa ONG sobrevive com financiamento internacional, mas nos últimos anos houve uma migração de recursos para a África e Leste Europeu. Esse novo formato de execução nos dá mais tranquilidade e margem para um grande avanço na qualidade do serviço”. Bahia também exaltou a parceria com a SDS: “Esse esforço da secretaria é extremamente construtivo, pois mostra a compreensão do município de colocar o desenvolvimento social como uma diretriz de Governo. É um grande avanço, não só para o serviço de acolhimento, mas também em termos de gestão de políticas públicas municipais”. ]]> 2015-01-15 10:23:51Novos projetos da SDS para crianças e adolescentes com vínculos familiares rompidos estão em fase final de planejamentohttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=118751501SDS_192507A Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) realizou na tarde da terça-feira, 13, uma reunião com profissionais do Instituto de Terapia Familiar de Minas Gerais (ITF), para alinhar os detalhes da implantação de dois novos serviços de acolhimento na cidade: a “Escola de Família” e o “Apadrinhamento Afetivo”. Os dois projetos foram anunciados em novembro de 2014, como parte do novo “Plano de Reordenamento e Expansão do Acolhimento Institucional de Juiz de Fora”, e agora estão sendo acertados os últimos detalhes com o instituto, que executará as ações. A reunião aprofundou a discussão dos dois projetos, principalmente sobre como eles serão inseridos no fluxo de trabalho da rede de proteção à criança e ao adolescente. O projeto terá duração de um ano, quando os resultados serão apurados para possíveis ajustes e continuidade no ano seguinte. Toda a verba virá do Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (FMDCA) que, para complementar a arrecadação, também está aberto para doações. “São duas atividades fundamentais para a garantia dos direitos de crianças e adolescentes, que só são possíveis a partir de doações feitas por pessoas físicas e jurídicas, através do Imposto de Renda (IR) para o FMDCA. É importante aproveitar o momento, para conclamar a todos que, ao fazerem suas declarações do IR, deduzam os 3% legalmente permitidos para o Fundo Municipal. Isso não traz ônus para o contribuinte e vai auxiliar enormemente o futuro das crianças e dos adolescentes”, declarou o secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker. De início, serão agendadas reuniões periódicas com os profissionais do ITF, para que as ações sejam realizadas em conjunto e com o mesmo foco: o fortalecimento dos vínculos familiares. As famílias e os residentes das unidades de acolhimento passarão por uma triagem antes de ingressarem nas novas propostas. Novidades para o serviço de acolhimento institucional da cidade A “Escola de Família” tem o objetivo de resgatar e fortalecer os laços das crianças e adolescentes em acolhimento com o seu núcleo familiar de origem. Para isso será realizado um trabalho que inclui diversas estratégias terapêuticas que levem a essas famílias a informação e atenção necessárias perante as dificuldades de retomar seus vínculos, que, após desfeitos, levaram a retirada provisória do filho desse ambiente. Já o “Apadrinhamento Afetivo” se destina às crianças e aos adolescentes em situação de abrigamento, devido a destituição do poder familiar por ordem jurídica, não podendo retornar para suas famílias de origem no momento. Neste sentido, o apadrinhamento visa minimizar as perdas afetivas pelas quais essa criança e/ou adolescente foi submetido devido a situações de abandono, ameaça ou violação de direitos. Os projetos buscam, também, possibilitar a construção de novos laços afetivos, através dos padrinhos que queiram acompanhar a vida desse indivíduo sem vínculos jurídicos. Novos serviços que complementam o trabalho já executado pela SDS A inclusão do tratamento terapêutico no trabalho realizado pelo Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) e casas de acolhimento será de extrema importância para complementar o trabalho com as habilidades sociais dos núcleos familiares e, ainda, vai contribuir nas reinserções familiares sustentáveis. “Os dois projetos contribuirão para melhorar a qualidade do serviço de acolhimento no município em duas vertentes diferentes, tanto para trazer novas relações afetivas que amenizem os rompimentos anteriores, quanto aprofundar a qualidade no trabalho com as famílias que, no passado, não souberam sustentar essas relações com os filhos”, ressaltou o chefe do Departamento de Proteção Especial, Lindomar José da Silva. ]]> 2015-01-14 10:11:38SDS faz doação de mais de sete mil livros novos para crianças e adolescentes das unidades socioassistenciais http://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=118580901SDSFAZDOACAO_153629“A leitura é uma fonte inesgotável de prazer, mas, por incrível que pareça, a quase totalidade não sente esta sede.” (Carlos Drummond de Andrade) Na integração do estímulo do prazer da leitura como hábito saudável, a Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) recebeu nesta quinta-feira, 8, 1.450 kits de livros infantis e infantojuvenis, para serem distribuídos em suas unidades. Os kits foram doados pela Livraria Paulus de Juiz de Fora, através da Secretaria de Educação (SE), e contam com cinco livros cada. São, portanto, 7.250 livros. Entre as unidades contempladas pela ação estão os curumins – que atendem cerca de mil crianças em oito sedes – a Casa do Pequeno Artista e a Associação Atlética Banco do Brasil (AABB) Comunidade. Além disso, 88 crianças e adolescentes assistidos pelas casas de acolhimento institucional da secretaria receberão as doações, englobando as unidades do Lar de Laura, Vivendas do Futuro e Estância Juvenil, bem como a entidade conveniada Aldeias SOS. Cerca de cem adolescentes em cumprimento de medidas socioeducativas também serão beneficiados com os kits. Os livros recebidos serão de extrema valia para estimular os jovens a manterem a prática da leitura. “As doações foram uma solicitação da SDS à SE, após termos conhecimento da doação que seria feita para as escolas municipais. Como os livros serão distribuídos em kits individuais, é um grande estímulo para a formação de bibliotecas pessoais por cada uma das crianças e adolescentes”, ressaltou o secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker. As unidades já trabalham o texto e a interpretação em oficinas e aulas específicas, além de oferecerem livros para empréstimo em bibliotecas. De acordo com a chefe do Departamento de Proteção Básica, Carla Salomão, as atividades literárias são uma excelente ferramenta, não só para o desenvolvimento escolar, mas também pessoal: “O contato com a literatura é um dos objetivos dos curumins. Essa iniciativa só vem a somar em nossa proposta de trabalhar a questão da universalização da leitura e, com isso, promover a ampliação do conhecimento e da cultura e estimular a criatividade das crianças e adolescentes atendidos”. Os serviços Os curumins, a Casa do Pequeno Artista e a AABB Comunidade são iniciativas da SDS, executados pela Associação Municipal de Apoio Comunitário (Amac), e têm como objetivo a prevenção de situações de risco por meio do desenvolvimento de potencialidades e aquisições e o fortalecimento de vínculos familiares e comunitários. As casas de Acolhimento da SDS oferecem atendimento institucional, em caráter provisório, a crianças e adolescentes com idades entre zero e 18 anos incompletos, que tenham sofrido violência sexual, física, psicológica, doméstica ou negligência familiar. ]]> 2015-01-09 10:17:36Resultados do Pronatec em 2014 impulsionam novas ações do programa para o próximo anohttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=118473012ResultadosPronatec_115004Difundir a oferta da qualificação profissional para jovens e adultos através do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) foi um dos desafios enfrentados pela Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) em 2014. Acreditando que a qualificação profissional impulsiona a geração de empregos de qualidade - que transformam a vida dos cidadãos -, a PJF ofereceu quase mil vagas em mais de 33 cursos do Pronatec ao longo do ano. Para 2015, a expectativa é expandir ainda mais o programa, aderindo a novas modalidades e oferecendo mais oportunidades para a população. Juiz de Fora é, hoje, o município com o maior número de matrículas de cursos do Pronatec em toda Minas Gerais. No total, mais de seis mil pessoas se matricularam no programa desde sua implantação na cidade, em 2012. Em função desse trabalho, que é exemplo nacional para outros municípios, Juiz de Fora sediou, em setembro, a formatura regional do Pronatec, no Cine-Theatro Central, para cerca de 500 alunos de nove municípios da região. Para o ex-aluno Almir dos Santos, de 27 anos, a oportunidade já rendeu frutos. Hoje ele é funcionário da Codeme Engenharia, graças à experiência adquirida no curso de montador de estruturas metálicas. Já Jonathas Poggianella, 21, utilizou os conhecimentos adquiridos no curso de pintura industrial para conquistar a medalha de prata na Olimpíada do Conhecimento 2014, uma das maiores da América, e hoje incentiva os jovens a investir na qualificação profissional no Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai). A atenção pelo aprimoramento profissional é uma realidade também das pessoas em situação de rua, como é o caso de José Antônio de Arruda, de 50 anos, um dos primeiros cidadãos de rua da cidade a fazer um curso profissionalizante do Pronatec. Arruda formou-se no curso de confeccionador de bolsas em tecidos, em julho. Novas iniciativas Além da modalidade tradicional do programa, Juiz de Fora foi escolhida, em outubro, para implantar o plano-piloto do Pronatec “Aprendiz”, nova modalidade voltada para jovens em situação de acolhimento familiar ou em cumprimento de medidas socioeducativas. O primeiro curso de qualificação profissional direcionado para esse grupo começou no dia 10, na unidade do Serviço Social do Transporte e Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Sest/Senat), e vai contribuir para a superação de situações de vulnerabilidade e violações de direitos dos 20 jovens matriculados no curso de informática. Para 2015, estão previstas mais duas novas modalidades do programa para Juiz de Fora. O Pronatec “Viver Sem Limite”, que terá como foco as pessoas com deficiência, está em fase de implementação na cidade após passar por um estudo das demandas locais para a efetivação do programa. Para o público feminino, o Pronatec “Mulheres Mil” irá oferecer cursos variados para mulheres com baixa escolaridade que buscam uma oportunidade de ingressar no mercado de trabalho. O secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, ressalta que a atenção da gestão ao promover a inclusão social, através do acesso ao trabalho, tem trazido um reconhecimento nacional aos esforços da PJF. “É o que chamamos de dupla premiação na difícil área da assistência e do desenvolvimento social. De um lado, a satisfação de vermos tantos milhares de juiz-foranos mudarem suas vidas para melhor e, de outro, ao servirmos como exemplo para inspirar outros municípios a seguirem o nosso caminho”, destacou. ]]> 2014-12-30 12:07:48Torneio de xadrez reúne educandos de diferentes unidades socioassistenciais da SDShttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11842fotoCom os olhares voltados para os troféus e medalhas, 31 adolescentes deixaram o nervosismo de lado e usaram da concentração e da estratégia para a disputa do “1º Torneio de Xadrez do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV)”, na tarde desta terça-feira, 23. A competição, promovida pela Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), em parceria com a Associação Municipal de Apoio Comunitário (Amac), aconteceu na Casa dos Conselhos e reuniu educandos da Associação Atlética Banco do Brasil (AABB) Comunidade, da Casa do Pequeno Artista e de seis unidades do Curumim. O clima era de concentração durante as cinco rodadas do torneio, nas quais todos os jovens educandos acumularam pontos através de vitórias e empates. No final, quatro adolescentes saíram vencedores, divididos entre as categorias sub-12 e sub-17, tanto no feminino quanto no masculino. Entre os vencedores, estavam Pollyana Gonçalves, 14, educanda da Casa do Pequeno Artista, e Yago Inácio da Silva, 13, do Curumim Santa Luzia, ambos ganhadores da categoria sub-17. Para os jovens, a experiência é resultado do esforço e dedicação ao esporte. “O mais difícil é tempo que temos para nos concentrarmos, pois as partidas são muito rápidas. Fico muito feliz com essa vitória”, ressaltou Pollyana. “Mesmo com a movimentação ao meu redor, eu consigo me concentrar no jogo e dar o meu melhor. Foi muito bom ter ganhado hoje, e estou animado para continuar jogando”, completou Yago. Daniel Borges foi um dos árbitros do torneio e ficou satisfeito com o potencial dos jovens para a prática do esporte. “Eles tiveram uma interação muito bacana, se cumprimentaram e não colocaram a disputa acima de tudo. Ao respeitarem o competidor e jogarem de forma educada, mesmo quando acusaram um lance ilegal do adversário, eles mostraram o reflexo de valores muito interessantes. Apesar de começarem a jogar a pouco tempo, é visível o entusiasmo dos meninos com o xadrez”, destacou. Os adolescentes aprenderam o esporte em oficinas e jogos incentivados pelo “Projeto Xadrez”, que começou em setembro, e passaram por torneios classificatórios dentro nas unidades. “Esse torneio mostra que com dedicação e compromisso, eles podem fazer tudo o que quiserem na vida. O projeto aumentou a autoestima deles e mostrou que eles têm a capacidade de chegar longe”, refletiu o supervisor do SCFV, Leandro Barros Ribeiro. Em 2015, as aulas de xadrez continuarão a ser realizadas nas unidades. A expectativa é realizar um novo torneio, com o objetivo de promover a confraternização e elevar ainda mais o desenvolvimento das habilidades sociais dos atendidos. “Esse campeonato é um ideal que se realiza. Ver crianças e adolescentes dos programas socioassistenciais participarem deste campeonato de xadrez é emocionante. Trata-se de um verdadeiro ´xeque-mate` nos descaminhos da vida”, destacou o secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker. ]]> 2014-12-23 10:23:31Inclusão no CadÚnico - SDS finaliza segunda etapa do projeto “Alô Moradores, Cadastro Único Chama” http://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11839172221A Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), por meio do Departamento de Transferência de Renda (DTR), divulgou nesta segunda-feira, 15, o balanço da segunda etapa do projeto de busca ativa “Alô Moradores, Cadastro Único Chama”. Foram realizados 141 atendimentos, incluindo cadastros, atualizações cadastrais, orientações e encaminhamentos ao Centro de Referência de Assistência Social (Cras) Centro. As ações ocorreram de segunda-feira, 8, a quinta-feira, 11, na Escola Municipal Engenheiro André Rebouças, no Bairro Milho Branco. O “Alô Moradores” tem como meta identificar, cadastrar e recadastrar famílias de baixa renda no Cadastro Único Para Programas Sociais (CadÚnico). O objetivo é, com isso, garantir o acesso das famílias mais vulneráveis de determinadas localidades aos programas e serviços socioassistenciais oferecidos. “O comparecimento da população foi expressivo. O balanço é muito positivo, não somente pelo número de cadastros realizados, mas pelo volume de informações que conseguimos difundir, apresentando outros programas e serviços que eram desconhecidos pela população. Isto só aponta a importância de a SDS ir ao encontro dessas famílias em situação vulnerável e incluí-las na cobertura dos serviços socioassistencias”, ressaltou a supervisora de Assistência e Auditoria de Beneficiários do DTR, Tânia Franklin. A ação contou com o apoio das escolas municipais Engenheiro André Rebouças e Rocha Pombo, creche comunitária Paulo Freire, Unidade de Atenção Primária à Saúde (Uaps) Milho Branco, Associação para Mobilização Educacional e Beneficente (Ameb) e Associação de Moradores do Bairro Milho Branco. O CadÚnico O CadÚnico é um instrumento de identificação e caracterização socioeconômica das famílias brasileiras de baixa renda, entendidas como aquelas com renda igual ou inferior a meio salário-mínimo por pessoa ou renda familiar mensal de até três salários mínimos. Através do CadÚnico é possível se inscrever em projetos e programas como o Bolsa Família; carteira do idoso; Curso Preparatório Para Concursos (CPC); Minha Casa, Minha Vida; e o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), além do Benefício de Prestação Continuada (BPC), entre outros. Para mais informações, o telefone do Departamento de Transferência de Renda é o 3690-7071. ]]> 2014-12-15 10:19:12Comitê Pop Rua elege e empossa membros da mesa diretorahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=118351112COMITEPOPRUA2_171923Foi eleita na manhã desta quinta-feira, 11, na Casa dos Conselhos, a mesa diretora do Comitê Intersetorial de Acompanhamento da Política Nacional Para População de Rua (Comitê Pop Rua). Tomaram posse o coordenador geral, o articulador e os secretários da comissão, além dos coordenadores dos subcomitês. Juntos, eles serão responsáveis por orientar as ações de reordenamento e implantação de políticas para a população em situação de rua de Juiz de Fora. A mesa diretora será composta por representantes do Governo e da sociedade civil, e tem mandato válido até dezembro de 2015. “Nossa grande vantagem é que o grupo é extremamente heterogêneo. Inclusive, um morador de rua estará em um dos subcomitês como coordenador. Os trabalhos vão se embasar no diagnóstico da população de rua, para que possamos escrever o plano municipal e, com isso, propor a política para a população nesta situação”, ressaltou o coordenador geral do comitê e subsecretário da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), Rogério de Souza Rodrigues. Juiz de Fora aderiu, em junho, à Política Nacional para a População em Situação de Rua, sendo a primeira cidade não-capital do Brasil a implantar os planos que concretizam os direitos desse grupo em vulnerabilidade social. “A gente avançou muito nesse campo, e esse é o momento que a gente esperava. Publicamos o regimento interno em outubro e agora elegemos a mesa diretora. A operacionalização dos subcomitês e da mesa diretora começa a partir de já”, concluiu Rogério. Cargos eleitos Além do cargo de coordenador, foram nomeados a articuladora, Fabiana Rabelo, representante do Instituto Educação e Cidadania; a primeira secretária, Vanessa Farnezi, da Fundação Maria Mãe; e o segundo secretário, Francisco de Assis Beato, da Secretaria de Governo (SG). Paulo Roberto de Almeida, da Secretaria de Saúde (SS), ficará à frente do subcomitê de Elaboração do Plano Municipal da População de Rua; Sandra Aparecida Batista, da Secretaria de Educação (SE), coordenará o subcomitê de Inclusão Social; Márcio Espiridão, do Fórum Municipal da População de Rua, ficará a cargo do subcomitê de Fiscalização Financeira; e Fernanda Simião, da Associação Municipal de Apoio Comunitário (Amac), foi eleita para o subcomitê de Divulgação da Política e Formação. A primeira plenária presidida pela nova mesa diretora está marcada para dia 4 de fevereiro de 2015, às 8h30, na Casa dos Conselhos. O comitê O Comitê Pop Rua foi um requisito para a adesão do município à Política Nacional para População em Situação de Rua. Em Juiz de Fora, ele é composto por representantes da SDS, SG, SS, Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Geração de Emprego e Renda (Sdeer), Fundação Cultural Alfredo Ferreira Lage (Funalfa), Secretaria de Esporte e Lazer (SEL), Secretaria de Atividades Urbanas (SAU), Empresa Regional de Habitação de Juiz de Fora (Emcasa) e Guarda Municipal, além de representantes da sociedade civil. O Comitê Pop Rua tem a função de acompanhar e monitorar a execução das ações oriundas da Política Nacional, subsidiado pelo diagnóstico da população de rua da cidade, que deverá ser finalizado até dezembro. ]]> 2014-12-11 10:10:45Prefeito recepciona alunos da primeira turma do Pronatec Aprendiz em Juiz de Fora http://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11832173542O prefeito Bruno Siqueira recepcionou, na tarde desta quarta-feira, 10, os alunos da primeira turma do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) Aprendiz. Nesta nova modalidade do Pronatec, as vagas são ofertadas prioritariamente para jovens e adolescentes, acima de 15 anos, em cumprimento de medidas socioeducativas ou em acolhimento institucional. A aula inaugural do curso aconteceu na unidade do Serviço Social do Transporte e Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Sest/Senat) e reuniu representantes do Executivo, de empresas participantes do projeto e de entidades parceiras, além de vereadores e familiares dos jovens aprendizes. Em seu pronunciamento, Bruno Siqueira parabenizou os jovens alunos pela determinação em buscar uma qualificação profissional de qualidade e por aproveitarem a oportunidade oferecida através da Prefeitura de Juiz de Fora. “Hoje é um dia muito importante para a Prefeitura, pois estamos iniciando um novo projeto. Sem a determinação de vocês, a vontade deter uma profissão de qualidade, nós não estaríamos aqui hoje. Esse projeto é a garantia do futuro de vocês. Vamos trabalhar para que possam seguir os caminhos que garantam um futuro melhor para suas famílias”, destacou. O prefeito destacou também o fato de Juiz de Fora ser referência nacional no Pronatec e ressaltou os motivos que levaram a cidade a ser uma das nove escolhidas no país para implantar o projeto-piloto do Pronatec Aprendiz. “Nossa cidade tem se destacado no Pronatec, em âmbito federal, e o Pronatec Aprendiz está sendo iniciado aqui exatamente pelo trabalho que vem sendo realizado por todos nós, Prefeitura, Governo federal e entidades parceiras”, apontou. O primeiro curso oferecido na cidade através do Pronatec Aprendiz será o de operador de computador. Ao todo, 20 adolescentes e jovens selecionados pela Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) farão parte dessa iniciativa pioneira. “É uma grande responsabilidade para Juiz de Fora estar entre as nove cidades a ter essa experiência, que, se der certo, vai se estender para o resto do país, inspirando outros municípios. Os adolescentes precisam ter caminhos abertos para construir um futuro vencedor, e o Pronatec Aprendiz auxilia nessa caminhada. Todos estão aqui porque aceitaram espontaneamente esse desafio e, por isso, depositamos nossa confiança nestes jovens”, afirmou o secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker. Após a saudação das autoridades, os jovens aprendizes participaram da primeira aula do curso, ministrada pela coordenadora de Desenvolvimento Profissional do Sest/Senat, Gisele de Castro Franco, que apresentou temas como cumprimento da carga horária, bolsa-formação e direitos e deveres trabalhistas. O curso terá duração de 16 meses, sendo realizado de forma intercalada: duas vezes por semana de aulas teóricas no Sest/Senat e três vezes por semana de prática vivencial na empresa contratante. Novos caminhos Com um sorriso no rosto, o adolescente D.S, de 15 anos, não esconde a felicidade por poder participar desse novo projeto. “É um sentimento muito bom. Estou entusiasmado com o projeto e espero que dê tudo certo. Quero aprimorar ainda mais o meu conhecimento em informática e acho que esse curso tem tudo a ver comigo”, afirmou. O entusiasmo de M.R, 17, é o mesmo. A adolescente está animada com o início do curso. “Esse é um projeto muito bom, pois vai ajudar a capacitar os jovens. Estou animada para começar as aulas e me adaptar ao trabalho. Muitas amigas minhas também se interessaram pelas aulas e estão aguardando as próximas turmas serem abertas”, contou. Pronatec Aprendiz Lançado em setembro, o Pronatec Aprendiz é fruto de uma parceira entre o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), o Ministério da Educação (MEC) e a Secretaria da Micro e Pequena Empresa. A iniciativa vai permitir a contratação de jovens do Pronatec pelas micro e pequenas empresas. Ao aderir ao programa, as micro e pequenas empresas vão contar com redução de custos para contratar os jovens. O aprendiz será contratado com vínculo empregatício formal e receberá salário mínimo/hora, com expediente limitado entre 4 e 6 horas diárias. Juiz de Fora foi escolhida pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) para receber o projeto-piloto do Pronatec Aprendiz graças ao desempenho da cidade no encaminhamento para o Pronatec. Além de Juiz de Fora, Belém (PA), Contagem (MG), João Pessoa (PB), Macapá (AP), Manaus (AM), Palmas (TO), Teresina (PI) e Uberlândia (MG) também estão participando do piloto do programa. ]]> 2014-12-10 09:52:102º Encontro Socioprodutivo debate desafios para inserção de pessoas com deficiência no mercado de trabalhohttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11829A-09-12 2 ENCONTROSOCIOPRODUTIVO1_163451-minDiscutir e apresentar soluções para a inserção de pessoas com deficiência no mercado de trabalho. Essa foi a proposta do 2º Encontro Socioprodutivo, realizado na manhã desta terça-feira, 9, pela Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Geração de Emprego e Renda (Sdeer). O evento ocorreu no auditório da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/MG - Subseção Juiz de Fora) e reuniu representantes da sociedade civil e de entidades ligadas à promoção de políticas voltadas para pessoas com deficiência. Na abertura do evento, o secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, destacou a necessidade de a sociedade perceber-se como componente da promoção da igualdade social: “Os direitos das pessoas são indivisíveis. Não existe cidadania plena se um indivíduo tem direito a um emprego mas não tem acessibilidade para executar suas funções. Temos um grande desafio pela frente, mas o importante é que há uma disposição de proporcionar autonomia e igualdade de direito à pessoa com deficiência. O Encontro Socioprodutivo faz parte deste esforço”. Durante as exposições, foi destacado o papel do portal JFEmpregos (serviço prestado pela PJF) na disponibilização de vagas para este público. “O portal organiza de forma muito eficiente este postos de trabalho. Além disso, é necessário destacar a parceria com a SDS na inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho, através dos programas sociais e da qualificação profissional”, salientou a chefe do Departamento de Trabalho, Emprego e Renda da Sdeer, Leila Abrahão. De acordo com dados do Censo 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Juiz de Fora possui cerca de 74 mil pessoas com algum tipo deficiência, sendo 24 mil delas classificadas como severa. Para o auditor-fiscal e chefe do setor de relações do trabalho do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), José Tadeu de Medeiros Lima, essa pessoas, muitas vezes, são “invisíveis” aos empregadores. “Temos que quebrar alguns mitos em relação à pessoa com deficiência. Muitas vagas oferecidas através das cotas são para baixa qualificação profissional, sendo que o nível de escolaridade da pessoa com deficiência, em geral, é maior que o do restante da sociedade. O grande dificultador da contratação é o preconceito”, definiu. A programação do evento contou, ainda, com uma exposição das tecnologias assistivas, ministrada pela chefe do Departamento de Políticas para Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos (DPCDH), Thaís Altomar, e com uma apresentação dos programas sociais de qualificação profissional, conduzida pelo chefe do Departamento de Inclusão Socioprodutiva e Qualificação Profissional, José Francisco de Oliveira. O evento foi finalizado com a palestra de duas pessoas com deficiência, profissionais da empresa Becton Dickinson, sobre suas experiências no dia a dia de trabalho. ]]> 2014-12-09 09:46:30Inclusão de pessoas em situação de rua no CadÚnico cresce mais de 637% desde o início da gestão http://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=118260412InclusaodePessoas_170826Em janeiro de 2013, 24 pessoas em situação de rua estavam devidamente inscritas no Cadastro Único Para Programas Sociais do Governo federal (CadÚnico) em Juiz de Fora. Menos de dois anos depois, o panorama é completamente diferente. Atualmente, 177 cidadãos e cidadãs em situação de vulnerabilidade social, que não têm renda ou moradia fixa, estão cadastrados no CadÚnico. As ações de busca ativa da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), através do Departamento de Transferência de Renda (DTR), proporcionaram um aumento de mais de 637% no número de pessoas em situação de rua incluídas no cadastro. Os dados são do Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS). Com o objetivo de mobilizar a população em situação de rua acerca da importância do CadÚnico, a SDS promoveu encontros e reuniões em áreas de maior incidência desse público, inclusive em unidades da própria secretaria, entre elas o Centro Especializado Para População em Situação de Rua (Centro Pop) e a Casa da Cidadania. Ainda esse ano, uma nova abordagem acontecerá nas dependências da Fundação Maria Mãe, entidade que também presta atendimento à população nesta situação. O grupo que engloba a população de rua é heterogêneo, com características de pobreza absoluta, vínculos familiares e sociais rompidos e a inexistência de moradia convencional regular. De acordo com a chefe do DTR, Miriam Monteiro, o CadÚnico objetiva ser uma ponte para o acesso das pessoas em situação de rua às políticas públicas sociassistenciais. “O cadastro possibilita que a rede de proteção social realize um acompanhamento mais efetivo com esse público, colaborando para a superação das vulnerabilidades e para o resgate da cidadania”, frisou. De acordo com o MDS, procedimentos que englobam especificamente a população de rua no CadÚnico acontecem desde 2009 em todo o país, mas só a partir de 2013 que o número de pessoas em situação de rua incluídos no cadastro começou a subir. Entre os benefícios sociassistenciais que o CadÚnico oferece, estão o Bolsa Família; a carteira do idoso; o Curso Preparatório para Concursos (CPC); o programa Minha Casa, Minha Vida; o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec); e o Benefício de Prestação Continuada (BPC), entre outros. O número de beneficiários do Bolsa Família, através do programa, também cresceu. Em janeiro de 2013 eram 12 pessoas que recebiam o benefício básico. Hoje, o número subiu para 118. Gilberto Trezi, de 33 anos, conheceu o benefício através do atendimento do Centro Pop. Depois que ele fez o cadastro no CadÚnico, conseguiu garantir materiais para o seu negócio autônomo: “Além de itens materiais, o dinheiro que cai todo final do mês me deu segurança para investir periodicamente no meu comércio de doces. Muitos dos meus colegas do Centro Pop usam o dinheiro para colaborar com a família, apesar dos vínculos estarem prejudicados. É uma ajuda que faz a diferença”. O morador de rua Sérgio Fernandes, 53 anos, recebe o benefício do Bolsa Família através do CadÚnico. Ele afirmou que distribui a renda para suprir as demandas do dia a dia: “Dou um pouco (do dinheiro) para os meus filhos menores e o restante compro comida e roupas. O benefício é muito importante”. “O trabalho com a população em situação de rua é um desafio permanente. E por isso mesmo precista ter um eixo orientador definido e bem estruturado. O acesso aos programas sociais, possibilitado pelo CadÚnico, é componente essencial da política pública que hoje desenvolvemos na SDS”, apontou o secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker. O CadÚnico é um instrumento de identificação e caracterização socioeconômica das famílias brasileiras de baixa renda, entendidas como aquelas com renda igual ou inferior a meio salário mínimo por pessoa ou renda familiar mensal de até três salários mínimos. ]]> 2014-12-04 09:39:58SDS intensifica ações da campanha “Mostre o caminho” durante todo o mêshttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11822A 02-12 SDS Intensifica campanha 1_164408-min__1420726794_187.72.160.200A Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) iniciou, nesta terça-feira, 2, a intensificação das ações da campanha “Mostre o caminho”. Pela manhã, foram realizadas panfletagens, distribuição de cartazes e orientações à população quanto às políticas públicas direcionadas à população em situação de rua da cidade. As ações ocorreram na Praça da Estação, no Mercado Municipal e na Praça Antônio Carlos. O objetivo é divulgar os serviços da PJF disponíveis para o atendimento aos cidadãos de rua, bem como desestimular a prática da doação de esmolas. A campanha, lançada há seis meses, faz parte de uma série de ações conjuntas destinadas a normatizar o atendimento às pessoas em situação de rua. “Temos uma legislação que está em processo de construção, mas ações intersetoriais, com envolvimento de órgãos tanto do poder público quanto da sociedade civil, já vêm sendo realizadas. A intensificação ocorre por conta do fim de ano e do Natal, quando as pessoas estão mais sensibilizadas e acabam contribuindo para a perpetuação da situação de rua através da esmola”, detalhou o subsecretário de Gestão do Sistema Único de Assistência Social e Inclusão Socioprodutiva, Rogério Rodrigues. Os impressos distribuídos à população continham informações e orientações sobre o encaminhamento adequado aos serviços da PJF. O chefe do Departamento de Proteção Especial, Lindomar José da Silva, defendeu que a desigualdade se combate com políticas públicas e com o envolvimento de todos os setores da sociedade. “Queremos educar a população a respeito dos efeitos da esmola. Ela mantém o cidadão de rua naquela situação. O objetivo da campanha é mostrar os serviços disponíveis que possibilitam a fuga desta vulnerabilidade com dignidade, através da inserção no mercado de trabalho, profissionalização e atendimento na área de saúde”, explicou. “A implantação da Política Nacional para População em Situação de Rua tem avançado muito no município. É preciso que todos, sociedade e mídia, conheçam esses avanços e sejam parceiros. E, sobretudo, não buscar a ajuda individual, mas encaminhar para os serviços oferecidos pela Prefeitura”, completou o secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker. População adere à ideia A proposta da campanha “Mostre o caminho” foi bem recebida pela população. Com informações a respeito dos abrigos, serviços de alimentação, higiene e tratamentos de saúde, além de encaminhamentos para qualificação profissional, a aposentada Vânia Lenz diz que o panfleto será muito útil para lidar de forma mais apropriada com as pessoas em situação de rua. “Achei muito bom, porque eu fico penalizada ao ver pessoas sem oportunidade de se restabelecer, trabalhar ou ter uma casa. Com essas informações, vou ter condições de ajudar de uma forma melhor do que dando esmola”, afirmou. A professora aposentada Vanilda do Valle e Souza foi outra que aprovou a campanha. “Acho essa ação algo muito fraterno e humano. Como cidadãos, temos que nos preocupar, e este trabalho é maravilhoso e produtivo. As informações contidas aqui são bastante valiosas”, disse à equipe de abordagem. A campanha segue, nesta semana, nos turnos da manhã, tarde e noite, nas praças Antônio Carlos e Menelick de Carvalho e nos bairros São Mateus e Alto dos Passos. Nesta quarta-feira, 3, as ações chegam às ruas Halfeld, Marechal Deodoro e Mister Moore. Nos próximos dias, a campanha também será intensificada nos bairros São Mateus, Alto dos Passos e Manoel Honório, além das praças do Riachuelo, Agassis e das demais ruas da região central da cidade. A campanha Lançada em maio deste ano, a campanha “Mostre o caminho” está alicerçada em quatro objetivos principais: divulgar os direitos que assistem a população em situação de rua, combatendo o preconceito, o desconhecimento e a discriminação; apresentar à sociedade os serviços oferecidos a estes cidadãos; desestimular a prática da doação de esmolas e incentivar as pessoas a assumirem um papel mais ativo; e incentivar a doação para entidades e instituições que desenvolvem um trabalho voltado para este segmento. A iniciativa está incluída no “JF+Vida - Plano Municipal Integrado sobre Crack, Álcool e Outras Drogas” e tem como objetivo promover o desenvolvimento de uma política de amparo, orientação, encaminhamento e respeito à dignidade e autonomia da população em situação de rua de Juiz de Fora. * Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Social, pelo telefone 3690-8314. ]]> 2014-12-02 09:29:56“Cras no seu bairro” - Moradores de Filgueiras e região recebem serviços gratuitos na terça-feirahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11820 2014-12-01 09:20:58SDS define início da segunda etapa do projeto de busca ativa para incluir famílias no CadÚnico http://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11813 2014-11-27 11:55:52SDS conclui capacitação de 319 agentes de saúde sobre condicionalidades do Bolsa Famíliahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11735 2014-11-26 08:33:44Primeira palestra da “Semana do Jovem Aprendiz” reúne mais de cem adolescentes do serviçohttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11809092127JF MAIS CIDADANIA - Mais de cem jovens do Programa Municipal de Atendimento a Adolescentes (Promad), serviço da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), compareceram na tarde desta segunda-feira, 24, à primeira palestra da “Semana do Jovem Aprendiz”. O evento, que acontece até quinta-feira, 27, no anfiteatro do Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora (CES/JF), busca oferecer aos jovens uma visão crítica de diversos temas, colaborando para sua formação cidadã e, consequentemente, para o ingresso no mundo do trabalho. Durante a palestra de abertura, o chefe do Departamento de Estudos, Pesquisas e Projetos da Agência de Proteção e Defesa do Consumidor da Prefeitura de Juiz de Fora (Procon/JF), Marcus Gasparetti, abordou temas que envolvem o universo do consumo. O palestrante falou sobre a psicologia do comportamento do consumidor, motivações para a compra, superendividamento e educação financeira: “As marcas fazem a gente ter o desejo de consumir, a pensar no consumo, como uma coisa prazerosa. A necessidade de comprar é natural. O que não é natural é o consumismo, e é isso que esses jovens devem aprender”. Há pouco mais de um mês no Promad, o aprendiz Lucas Martins, 16 anos, acredita que o programa será importante para o seu futuro profissional: “Nunca tinha passado por essa experiência que o Promad proporciona. Já estou no meu primeiro emprego como aprendiz e estou achando muito bom. A palestra de hoje também foi interessante, porque recebemos muitas informações novas. Antes, eu gastava o meu salário e, quando o dinheiro acabava, eu mal sabia o que tinha comprado. Agora, espero poder controlar isso melhor”. O secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, que esteve presente na abertura da “Semana do Jovem Aprendiz”, lembrou que “o acesso ao mundo do trabalho possibilitado pelo Promad é essencial para a cidadania plena, sendo esse um dos focos fundamentais da SDS. Nesse sentido, o Promad é uma experiência exitosa, que há mais de 20 anos realiza essa importante tarefa com os jovens do município”. Na edição deste ano serão discutidos, ainda, assuntos como o meio ambiente e a segurança do trabalho. “Os temas que vão ser trabalhados durante essa semana já fazem parte do nosso conteúdo programático. Então, pensamos em realizar um evento como esse para poder passar essas informações através de palestras com profissionais que conhecem do assunto. Além disso, essa é uma oportunidade para que possamos reunir todos os aprendizes atendidos pelo programa, já que muitas vezes isso não é possível”, afirmou a coordenadora do Promad, Andréa Barbério. Confira, abaixo, a programação dos próximos dias do evento: Dia 26 - “Meio Ambiente em Juiz de Fora” - Palestrante: Juliana Coutinho (Secretaria de Meio Ambiente) Dia 27 - “A Segurança do Trabalho na Vida do Jovem Aprendiz” - José Soares (Cesama) O Promad O Promad é um serviço que oferece capacitação profissional a adolescentes no curso de aprendizagem em serviços administrativos, com possibilidade de encaminhamento ao mercado do trabalho. O curso é validado no Cadastro Nacional de Aprendizagem do Ministério do Trabalho e Emprego. O serviço, executado pela Associação Municipal de Apoio Comunitário (Amac), atende em duas etapas: na primeira, o adolescente participa de um curso, no qual a prioridade é a orientação e a preparação para o mundo do trabalho (habilidades sociais). Na segunda, os jovens com melhor avaliação têm a oportunidade de inserção no mercado de trabalho. * Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Social, pelo telefone 3690-8314, ou com a Amac, pelo telefone 3690-7945. ]]> 2014-11-24 11:48:05Juiz de Fora sedia plenária regional do Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescentehttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=118162711ConselhoRegional2_185939Juiz de Fora sediou na tarde desta quinta-feira, 27, a plenária temática regional do Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente de Minas Gerais (Cedca/MG), realizada no auditório da Escola de Governo. Cerca de 60 pessoas estiveram presentes na reunião, entre conselheiros e gestores do município e da região da Zona da Mata. O objetivo da sessão foi promover o diálogo e a troca de experiência entre os representantes dos conselhos municipais, a fim de consolidar alternativas para aprimorar o atendimento à criança e ao adolescente na região. Participaram da mesa de abertura o secretário municipal de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, representando o prefeito Bruno Siqueira; o presidente do Cedca/MG, Ananias Neves; a juíza da Vara da Infância e Juventude, Maria Cecília Gollner Stephan; e a presidente do Conselho Municipal da Criança e do Adolescente de Juiz de Fora, Valéria Martins Pereira. Entre os conselheiros estavam representantes de Viçosa, Bicas, Matias Barbosa, Divinópolis, Lima Duarte, Ubá e Manhuaçu, além de Juiz de Fora. O encontro contou com painéis expositivos, que abordaram temas como medidas socioeducativas e o papel dos conselheiros de direitos e dos conselhos tutelares, além do Fundo da Infância e Adolescência (FIA). Também foram realizadas reuniões com os grupos de trabalho, que ficaram responsáveis por consolidar as demandas de cada região na área da infância e juventude. Em sua fala, Flávio Cheker destacou “a necessidade de que encontros como esse sejam cada vez mais frequentes e que, através deles, seja possível sensibilizar a população para questões tão frágeis e de tamanha complexidade”. Cheker afirmou, ainda, que “esse é um assunto presente em todos os municípios, por isso, a importância dessa discussão, que se debruça nas políticas que atendem a criança e o adolescente”. “É preciso que trabalhemos em consonância com a rede, através dos conselhos e dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário. Temos a necessidade de criar um novo espaço de internação provisória, além do Centro Integrado de Atendimento ao Adolescente”, ressaltou a juíza Maria Cecília Gollner Stephan. Segundo Ananias Neves, o Cedca/MG tem a proposta de se deslocar para as regiões de Minas Gerais, a fim de ouvir as demandas dos conselheiros dos municípios: “Juiz de Fora foi eleita para a última plenária regional, realizada neste ano, pois entendemos que é uma cidade com um polo significativo para a comunidade do entorno. Damos uma vital importância ao diálogo com os atores dessa região, para que eles possam se manifestar livremente e para que tenhamos conhecimento de propostas que melhor atendam à população infantojuvenil”. O evento continua nesta sexta-feira, 28, a partir das 9 horas, com os encaminhamentos das propostas e demandas apresentadas na tarde de hoje. ]]> 2014-11-22 11:57:22Cidadãos em situação de rua atendidos pela SDS visitam Morro do Cristo e Parque da Lajinhahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=118061911 Passeio 1_190545JF MAIS CIDADANIA - Cerca de 35 pessoas em situação de rua atendidas por unidades socioassistencias da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) participaram na manhã desta quarta-feira, 19, de um passeio no Morro do Cristo e no Parque da Lajinha. A atividade fez parte de um projeto desenvolvido em conjunto pelo Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua (Centro Pop) e pela Casa de Cidadania, cuja proposta é realizar visitas a pontos turísticos da cidade. O objetivo é promover a reinserção social deste público através da cultura, arte e lazer. As visitas, finalizadas com um piquenique no Parque da Lajinha, foram guiadas por uma dupla de integrantes da Guarda Municipal Ambiental (GMA), que deu informações sobre os aspectos ecológicos, históricos e culturais dos pontos visitados. “Juiz de Fora tem um grande potencial turístico. Queremos aproveitar essas opções para oportunizar momentos de lazer e conhecimento”, explicou a pedagoga das unidades, Josélia Maria Avelino. De acordo com ela, a proposta é uma eficiente ferramenta para a reinserção destas pessoas na sociedade: “Estas atividades possibilitam um momento que é raro na vida deles, de descontração e, ao mesmo tempo, de cultura e conhecimento. Além disso, eles percebem que as opções que a cidade oferece também são para eles”. Esta é a terceira visita promovida pelas unidades nas duas últimas semanas. No dia 11, o destino foi o Museu Mariano Procópio, e no dia 18, o Museu de Arte Moderna Murilo Mendes. Na sexta-feira, 21, a Casa de Cidadania reunirá todos os atendidos que participaram do passeio para uma conversa de avaliação. “Queremos saber a impressão que eles tiveram, o que mais gostaram e, claro, ouvir sugestões para uma próxima visita”, finalizou Josélia. Na ocasião, aqueles que se interessarem serão convidados a fazer um desenho sobre os pontos turísticos visitados. Os serviços A Casa da Cidadania realiza o acolhimento institucional de cidadãos que se encontram em vivência de rua, em situação de alto risco e vulnerabilidade social. A capacidade de atendimento é de 70 usuários, sendo 55 leitos masculinos e 15 femininos. A unidade fica na Alameda Ilva Mello Reis, 6.001, no Bairro Jardim Esperança. O Centro Pop oferece refeições, acompanhamento psicossocial e oficinas artísticas, entre outras atividades, voltadas para a reinserção na sociedade do cidadão em situação de rua, buscando sempre referenciar os atendidos às suas respectivas famílias. A unidade conta, ainda, com uma biblioteca e uma sala de artes para a promoção de oficinas de artesanato. O Centro Pop tem capacidade para atender, em média, 120 pessoas por dia, e funciona na Rua Oswaldo Veloso, 190, no Centro. O cidadão pode ter acesso ao serviço por demanda espontânea, quando procura a unidade, ou através do serviço de abordagem, que pode ser solicitado por qualquer pessoa, pelo telefone 3690-7770. Ambas as unidades são geridas pela SDS e executadas pela Associação Municipal de Apoio Comunitário (Amac) ]]> 2014-11-19 11:39:01SDS firma parceria inédita para ampliar atendimento à famílias de pessoas com Síndrome de Downhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=116891211SDSFlavio1_171955A Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), através do Departamento de Políticas para a Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos (DPCDH), firmou nesta quarta-feira, 12, uma parceria inédita que prestará atendimento às famílias com crianças e adolescentes com Síndrome de Down. O projeto de voluntariado "Papo de Mãe" consistirá em um acompanhamento semanal, com o objetivo de partilhar experiências e orientar as famílias visando a elevar a autoestima e socialização dos cidadãos que possuem esta deficiência. Além disso, a iniciativa busca estimular ações específicas nas áreas de saúde e educação voltadas para este público. O termo de adesão ao projeto foi assinado na manhã desta terça-feira, 12, pelo secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, que celebrou o pioneirismo dessa iniciativa voluntária. “Recebemos com muita alegria a proposta deste projeto, porque a assistência social é um dever do Estado, mas também da sociedade. As parcerias são uma vertente das políticas públicas e, institucionalmente, são reconhecidas como um dos pilares do desenvolvimento social, tanto por potencializar as ações já realizadas pelo poder público, quanto por possibilitar uma troca de experiências e abrir novos campos de ações”, destacou. O documento foi oficializado, ainda, pela supervisora de Desenvolvimento e Acessibilidade do DPCDH, Ana Paula Santos Machado, e pelas fonoaudiólogas Cylene Medrado e Patrícia Pogianello, voluntárias na parceria. Juntas, elas foram responsáveis pela formatação do projeto, com definição de objetivos gerais e específicos, metas, e plano de atividades. “É muito importante que a sociedade veja o DPCDH como um espaço de discussão para viabilizar o desenvolvimento das pessoas que têm esta deficiência. Esta parceria reafirma nossa intenção de trabalhar neste sentido”, comemorou Ana Paula. Papo de Mãe As iniciativas que proporcionaram a viabilização do "Papo de Mãe" partiram, individualmente, das fonoaudiólogas Cylene e Patrícia, ambas com experiência em projetos na área. “Elas não se conheciam, mas procuraram a SDS em um mesmo intervalo de tempo com propostas parecidas de trabalho. Identificamos a possibilidade de formatar um projeto e as encaminhamos para o DPCDH. Com a equipe do departamento, elas desenvolveram as ideias e definiram o ´Papo de Mãe´, conta Cheker. Uma das responsáveis pela coordenação do projeto, Cylene explica que o grupo iniciará um mapeamento da situação social das famílias com membros que possuem Síndrome de Down no município. “Finalizado este diagnóstico, começaremos, de fato, as ações direcionadas a este público. Por isso o acolhimento que recebemos da SDS é muito importante, pois fortalece a busca dos nossos objetivos”, declarou. O projeto de voluntariado "Papo de Mãe" consistirá em um acompanhamento semanal, com o objetivo de partilhar experiências e orientar as famílias visando a elevar a autoestima e socialização dos cidadãos que possuem esta deficiência. Além disso, a iniciativa busca estimular ações específicas nas áreas de saúde e educação voltadas para este público. O termo de adesão ao projeto foi assinado na manhã desta terça-feira, 12, pelo secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, que celebrou o pioneirismo dessa iniciativa voluntária. “Recebemos com muita alegria a proposta deste projeto, porque a assistência social é um dever do Estado, mas também da sociedade. As parcerias são uma vertente das políticas públicas e, institucionalmente, são reconhecidas como um dos pilares do desenvolvimento social, tanto por potencializar as ações já realizadas pelo poder público, quanto por possibilitar uma troca de experiências e abrir novos campos de ações”, destacou. O documento foi oficializado, ainda, pela supervisora de Desenvolvimento e Acessibilidade do DPCDH, Ana Paula Santos Machado, e pelas fonoaudiólogas Cylene Medrado e Patrícia Pogianello, voluntárias na parceria. Juntas, elas foram responsáveis pela formatação do projeto, com definição de objetivos gerais e específicos, metas, e plano de atividades. “É muito importante que a sociedade veja o DPCDH como um espaço de discussão para viabilizar o desenvolvimento das pessoas que têm esta deficiência. Esta parceria reafirma nossa intenção de trabalhar neste sentido”, comemorou Ana Paula. Papo de Mãe As iniciativas que proporcionaram a viabilização do "Papo de Mãe" partiram, individualmente, das fonoaudiólogas Cylene e Patrícia, ambas com experiência em projetos na área. “Elas não se conheciam, mas procuraram a SDS em um mesmo intervalo de tempo com propostas parecidas de trabalho. Identificamos a possibilidade de formatar um projeto e as encaminhamos para o DPCDH. Com a equipe do departamento, elas desenvolveram as ideias e definiram o ´Papo de Mãe´, conta Cheker. Uma das responsáveis pela coordenação do projeto, Cylene explica que o grupo iniciará um mapeamento da situação social das famílias com membros que possuem Síndrome de Down no município. “Finalizado este diagnóstico, começaremos, de fato, as ações direcionadas a este público. Por isso o acolhimento que recebemos da SDS é muito importante, pois fortalece a busca dos nossos objetivos”, declarou. ]]> 2014-11-14 11:33:04SDS anuncia novo plano de reordenamento e expansão do acolhimento institucional para crianças e jovens até 21 anoshttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11802111140JF MAIS CIDADANIA - A Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) apresentou, na tarde dessa quarta-feira, 12, na Casa dos Conselhos, o novo “Plano de Reordenamento e Expansão do Acolhimento Institucional” para crianças, adolescentes e jovens até 21 anos atendidos pelas unidades da pasta. O plano visa a cumprir e refinar compromissos pactuados com o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), incluindo, também, novas metas sobre a atual política pública. O documento traz duas vertentes principais: o reordenamento dos acolhimentos já existentes e a implantação de novos serviços. As entidades que fazem parte dessa nova diretriz são a Associação Municipal de Apoio Comunitário (Amac), através das unidades Lar de Laura, Vivendas do Futuro e Estância Juvenil, e a Aldeias SOS. Para elaboração do plano, foram colhidas informações e solicitações nessas instituições, a fim de potencializar os trabalhos desenvolvidos. O plano foi baseado, principalmente, nas leis do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e nas “Orientações Técnicas dos Serviços de Acolhimento para Crianças e Adolescentes do Conselho Nacional de Assistência Social (CNAS) e do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda)”. O secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, abriu a reunião lembrando a constante responsabilidade da SDS para com as crianças e adolescentes do município. “Há um ano e meio, apresentamos a proposta de um novo modelo de reordenamento institucional para as casas de acolhimento, que teve um êxito muito grande. De lá para cá, já foram muitos avanços. Agora, propomos esse novo reordenamento, com nossas metas e demandas antigas e com o aval do MDS, nos mantendo afinados com a política nacional”, ressaltou. Novos projetos Entre os novos serviços a serem implantados, está o acolhimento para jovens até 21 anos na modalidade “República”, que oferecerá, de forma inédita no município, apoio e moradia subsidiada a grupos em situação de vulnerabilidade e risco pessoal e social. Esse grupo é composto por assistidos em processo de desligamento de instituições de acolhimento, com vínculos familiares rompidos ou extremamente fragilizados. A “República” irá oferecer atendimento aos jovens durante o processo de construção de autonomia pessoal, possibilitando o desenvolvimento de autogestão e independência. Outra novidade, também em processo de implantação, é o projeto “Família Extensa”, que concederá subsídio financeiro aos membros do grupo família que se responsabilizarem pela guarda de crianças e adolescentes retirados da família de origem. Ao todo, a Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) irá investir quase 700 mil reais por ano no projeto. Metodologias alteradas Além das expansões, os serviços que já são desenvolvidos pela SDS também passaram por alterações no que tange à metodologia. Reordenações no projeto político pedagógico das instituições, bem como implantação de Serviço de supervisão; adequação dos recursos humanos às orientações técnicas; e aumento do quadro de funcionários são as principais medidas a serem reformuladas em cada uma das unidades. As informações e, posteriormente, as ações incluídas no plano de reordenamento foram pensadas desde o início do ano com as equipes das unidades envolvidas. Após finalizado, o documento foi enviado ao MDS para aprovação. “Estamos refinando hoje as propostas desse plano, fechando o ciclo iniciado com o primeiro reordenamento, feito no ano passado. Desde aquela época, pensamos em como melhorar o serviço de acolhimento institucional. O plano anunciado hoje para a rede é mais um passo para essa melhoria”, destacou o chefe do Departamento de Proteção Especial, Lindomar José da Silva. O monitoramento e a avaliação do reordenamento e da expansão dos serviços ocorrerão bimestralmente, por meio de encontros entre a rede de gestão (SDS), de execução (Aldeias SOS e Amac) e do sistema de garantia de direitos no município de Juiz de Fora (Vara da Infância e da Juventude e Ministério Público). ]]> 2014-11-14 11:29:41SDS apresenta o Pronatec Aprendiz a pequenos empresários e garante adesões ao programa http://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=117981311Pronatec3_172253JF MAIS CIDADANIA - A Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) realizou, na manhã desta quinta-feira, 13, na Casa dos Conselhos, reunião com 30 pequenos empresários da cidade. O objetivo foi apresentar a nova modalidade do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), o Pronatec Aprendiz. Nessa vertente do programa, as vagas são ofertadas, prioritariamente, a jovens e adolescentes inseridos em serviços da Proteção Social Especial, como casas de acolhimento e famílias acolhedoras, bem como aqueles que estão em cumprimento de medidas socioeducativas. Após a reunião, quase metade das empresas presentes aderiu à iniciativa. Durante o evento, o secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, apresentou as características e os objetivos do Pronatec Aprendiz. “Estamos oferecendo a vocês a oportunidade do exercício das atividades empresariais através da mão de obra em qualificação, que contribui para minorar os descaminhos que a falta de oportunidades provoca nos jovens”, disse Cheker. O secretário destacou, ainda, os resultados que fizeram Juiz de Fora ser uma das nove cidades brasileiras a receber o piloto do programa. “Temos o orgulho de informar que fomos a cidade mineira que mais encaminhou pessoas em situação de vulnerabilidade social ao Pronatec, uma poderosa ferramenta de inclusão”, destacou. O auditor fiscal do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), José Tadeu de Medeiros Lima, explicou as leis trabalhistas relacionadas à contratação dos aprendizes. De acordo com ele, o Pronatec Aprendiz, apesar de ainda estar em fase de avaliação, tem um grande potencial de ampliação. “A aprendizagem é um conceito que alia o trabalho à formação profissional, com foco nesta última. A qualificação de aprendizes é uma demanda das micro e pequenas empresas. Isso porque as grandes empresas, que são obrigadas por lei a empregar aprendizes, absorvem toda essa mão de obra. Por outro lado, temos uma legião de jovens no Brasil, de cerca de 3 milhões, buscando qualificação com vistas à inserção no mercado de trabalho”, explicou. Em outubro, Juiz de Fora foi selecionada para receber um plano-piloto do programa, juntamente com outros oito municípios do país. O município oferecerá, até o fim do ano, o curso de formação básica para operador de computador, com 20 vagas. Os jovens indicados para o Pronatec Aprendiz serão selecionados pelas equipes do serviço de acolhimento institucional e dos Centros de Referência Especializados de Assistência Social (Creas). Posteriormente, eles serão direcionados às empresas para efetivação e contratação e, concluído o processo, realizarão a matrícula para o curso no Sest-Senat, com duração de 16 meses. Pronatec Aprendiz O Pronatec Aprendiz é fruto de uma parceria entre o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), o MTE, o Ministério da Educação (MEC) e a Secretaria da Micro e Pequena Empresa. Além de Juiz de Fora, Belém (PA), Contagem (MG), João Pessoa (PB), Macapá (AP), Manaus (AM), Palmas (TO), Teresina (PI) e Uberlândia (MG) vão receber o piloto do programa. A oferta de capacitação profissional deve contribuir para a superação de situações de vulnerabilidade e violações de direitos entre adolescentes e jovens, de 15 a 24 anos, pela dimensão da renda e pela inclusão social. Para participar, os adolescentes e jovens contemplados devem estar matriculados e frequentando regularmente a escola. ]]> 2014-11-13 11:15:42Unidades da SDS iniciam nesta quinta-feira atividades em comemoração ao Dia da Consciência Negrahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11795 2014-11-12 10:45:24Curumim Santa Maria acumula histórias e conquistas em seu primeiro ano de funcionamento http://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11792170712JF MAIS CIDADANIA - Incentivar a criatividade, a socialização e o aprendizado através de oficinas, diálogos e muita diversão. É com esses objetivos que o Curumim Santa Maria, serviço da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), executado pela Associação Municipal de Apoio Comunitário (Amac), atende hoje 120 crianças e adolescentes do Bairro Jóquei Clube e adjacências, no contraturno das atividades escolares. Os relatos das mães, educadores e atendidos que vivenciaram a atmosfera da unidade desde o início das atividades, em agosto de 2013, refletem as mudanças que ocorreram ao longo desse tempo. Hoje, as inúmeras histórias construídas no Curumim são a resposta ao trabalho incansável de mudar uma realidade para melhor. Entre os valores desenvolvidos com os jovens estão socialização, respeito e educação. A equipe técnica - composta por supervisores, educadores sociais, professor de educação física e psicóloga -, tem como foco trabalhar a promoção da amizade e o entendimento mútuo. “Buscamos, com nossas ações, implantar a cultura da paz e do diálogo, visto que a violência está tão comum nos dias de hoje. Ficamos felizes em já percebermos melhorias de relacionamento e habilidades dos meninos. A criança é aquilo que ela vive, e são as atividades feitas aqui (no Curumim) que as preparam para a vida toda”, destacou a coordenadora do Curumim Santa Maria, Sílvia Edward. O espaço do Curumim é composto por três salas, além de uma quadra, horta e área de recreação. Palestras, visitas ao teatro, piqueniques e oficinas de arte, esporte, cultura e xadrez foram algumas das atividades realizadas com os educandos ao longo desse primeiro ano de funcionamento. Entre todas, uma das que mais chamou a atenção dos atendidos foi a tradicional capoeira. “Meus filhos adoram os esportes, mas a capoeira faz com que eles se programem em casa e esperem ansiosos pelas aulas e dinâmicas”, contou Raquel da Silva Ferreira, mãe de três filhos que frequentam o Curumim: Raíssa, nove anos; Gabriel, 11; e o caçula, Mateus, seis. Assim que a unidade foi inaugurada, no ano passado, as crianças da vizinhança puderam começar um novo ciclo em suas vidas. “Como estudam à tarde, as crianças não tinham o que fazer de manhã e ficavam na rua brincando ou até mesmo se envolviam em confusões. Não existia um espaço como esse. O Curumim tirou essas crianças da rua”, apontou Raquel. Dayana Aparecida de Oliveira, mãe do Otávio, 6 anos, já percebeu melhorias no comportamento e nos vínculos afetivos criados pelo filho: “Ele frequenta (o Curumim) desde que começaram as atividades. Fez novos amigos e não é mais agressivo como antes. Minha filha mais nova, quando fizer cinco anos, com certeza virá para o Curumim também”, afirmou. “Eles perderam a timidez e alguns, ao contrário, a impulsividade. As famílias sentem as crianças mais tranquilas e educadas, o relacionamento e o equilíbrio emocional são outros”, completou a coordenadora Sílvia. O primeiro ano de uma longa trajetória Nos corredores recheados de fotos, entre uma atividade e outra, passam muitos dos atendidos que frequentam a unidade desde o início das atividades. Os amigos Ryan, Kelverson e Sérgio Murilo brincavam, destacando o futebol como a atividade preferida. A fala era unânime: todos gostam de frequentar o Curumim – inclusive nos finais de semana, quando utilizam a quadra para o lazer. “O Curumim é muito legal. Gosto de vir aqui na parte da tarde, principalmente para participar dos esportes. O futebol é o que eu mais gosto de jogar”, afirma Ryan, 11 anos, um dos primeiros educandos a frequentar a unidade. O vínculo com cada um dos atendidos é a maior motivação dos profissionais para a continuação desse trabalho, que alia a educação com um tratamento especial. “A afetividade que a gente constrói, vendo o resultado do nosso trabalho com eles, é incrível. Eles aprendem que aqui é um lugar de respeito e levam os ensinamentos para fora. São ações simples, como se portar na mesa corretamente e pedir licença para entrar. Isso tudo é muito gratificante”, comentou a coordenadora Sílvia, emocionada. “Para nós, é um orgulho perceber como o Curumim vem mudando a realidade das crianças e adolescentes do Bairro Jóquei Clube, após pouco mais de um ano de funcionamento. É a prova do valor inestimável do trabalho realizado nos curumins, na formação de cidadãos saudáveis e de livre pensamento, bem como na preservação a situações de risco e conflito”, resumiu o secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker. O serviço O Curumim é um serviço que busca estimular a formação cidadã de crianças e adolescentes, através de práticas esportivas, artísticas e culturais. Além disso, são ofertadas duas refeições diárias e espaço para os jovens estudarem. O município conta, atualmente, com oito unidades do projeto, localizadas nos bairros Bonfim, Vila Esperança, São Benedito, São Pedro, Santa Luzia, Jóquei Clube, Benfica e Vila Olavo Costa. O Curumim Santa Maria fica na Rua Venina Rocha de Almeida – Bairro Jóquei Clube. O telefone de contato é o 3690-8337. ]]> 2014-11-06 10:36:22Dia Nacional do Livro – Unidades da SDS promovem atividades para marcar a datahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=117682810dianacionaldolivro_114220Nesta quarta-feira, 29, é comemorado o Dia Nacional do Livro. Para marcar a data, incentivando e enraizando o hábito da leitura, as unidades socioassistencias da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) realizam uma programação especial com os educandos da Casa do Pequeno Jardineiro e os usuários do Centro de Convivência do Idoso (CCI). Os jovens e adolescentes da Casa do Pequeno Jardineiro receberão um kit com cinco livros, doados pela editora Paulus, cujos temas tratam de questões ambientais e de cidadania, através de discussões sobre participação política, legislação e inclusão social. De acordo com a pedagoga da unidade, Giuliana Almeida, será realizado um círculo de leitura e, na sequência, uma roda de conversa com os participantes. “O kit traz temas muito pertinentes e que se encaixam perfeitamente para os jovens e adolescentes atendidos, tanto pela faixa etária, ideal para inserir e consolidar esse valores, quanto pela própria condição social em que se encontram, na qual o acesso aos livros e à informação de qualidade não ocorre com tanta naturalidade”, destacou. No CCI, os usuários do serviço também ficarão rodeados por opções de leitura. A educadora social Emília Viveiros explica que todo o acervo da biblioteca da unidade ficará exposto no espaço do Centro de Convivência. “Queremos ampliar o contato dos idosos com o livro. Neste Dia Nacional do Livro, nossa intenção é fazer do local uma grande biblioteca”, ressaltou. Já na quinta-feira, 30, a programação no CCI será mais específica e incluirá a leitura de nomes como Mário de Andrade, Manuel Bandeira e Oswald de Andrade. O tradicional “Café Literário” promoverá uma descontraída imersão em um dos momentos mais marcantes do movimento artístico brasileiro, a Semana de Arte Moderna de 1922. “Foi um divisor de águas para a literatura e fundou as bases do modernismo brasileiro. O mais interessante é que a escolha do tema partiu da própria curiosidade dos idosos. Eles perguntam como era antes, o que mudou na escrita. Por isso reservamos esse momento para a Semana de Arte Moderna”, destaca Emília. As unidades Criada a partir da ideia do cartunista e escritor Ziraldo, o “pai do Menino Maluquinho”, a Casa do Pequeno Jardineiro já recebeu o “Selo de Qualidade da Unesco” e a aprovação da Fundação Associação Brasileira de Fabricantes de Brinquedos (Abrinq). O programa é voltado para jovens do sexo masculino, da faixa etária de 14 a 24 anos, e desenvolve atividades ligadas a jardinagem, botânica, paisagismo e horticultura. A sede do projeto fica na Avenida Juscelino Kubitschek, 10.000, Barreira do Triunfo. O telefone de contato é o 3690-7887. O CCI, por sua vez, realiza ações visando a garantir o envelhecimento saudável no município. Entre as atividades oferecidas, estão aulas de ginástica, dança, trabalhos manuais, teatro, jogos, ioga e aulas de informática. A unidade fica localizada na Rua Espírito Santo, 434 – Centro. O telefone de contato é o 3690-7365. Ambos os serviços são executados pela Associação Municipal de Apoio Comunitário (Amac). ]]> 2014-10-29 09:49:21Iniciativa inédita da SDS leva qualificação profissional a egressos do sistema prisional através do Pronatec http://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11765Após um período de privação da liberdade, os egressos do sistema prisional muitas vezes têm de lidar com mais um desafio quando terminam de cumprir a pena: voltar ao mercado de trabalho. Pensando no papel do emprego na ressocialização destas pessoas, o programa “Qualificação Profissional e Cidadania”, do Departamento de Transferência de Renda (DTR) da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), implantado no final de setembro, já começou a dar os primeiros resultados. Na segunda-feira, 20, na aula inaugural do curso de eletricista, oferecido através do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) e ministrado no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sudeste de Minas Gerais (IF Sudeste), dois novos estudantes eram oriundos do Programa de Inclusão Social de Egressos do Sistema Prisional (PrEsp) e iniciavam ali uma nova caminhada rumo à reinserção na sociedade. Willian Ferreira, 24, ficou sabendo da oportunidade de qualificação profissional através de uma das ações realizadas no Centro de Prevenção à Criminalidade. Na ocasião, a equipe do DTR apresentou aos participantes do PrEsp o Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico) e os benefícios atrelados a ele. William conta que o curso oferecido pelo Pronatec foi o que mais o interessou. “Eu já participava do grupo de reuniões, e um dia conheci a equipe do DTR, que nos falou da possibilidade do curso de capacitação. Quando disseram que ainda havia vagas, me interessei na mesma hora”, diz. No dia da ação realizada pelo DTR, Elias Teixeira, 27, estava ausente, mas isso não foi um empecilho para que ele pudesse buscar um recomeço em sua vida. Elias diz que a possibilidade de qualificação profissional era o assunto mais comentado, o que o motivou a “correr atrás”, como ele próprio diz. “Fiquei sabendo da reunião com as pessoas que participaram, então procurei a Secretaria de Desenvolvimento Social. Eles me explicaram tudo sobre o programa e recadastraram minha família no CadÚnico, que estava desatualizado. A partir daí, vi no Pronatec a possibilidade de mudar de vida”, conta. Willian acredita que o interesse acentuado pela capacitação vem de uma necessidade que os egressos do sistema prisional têm, mas que, eventualmente, lhes é negada. “Muitos têm a vontade de melhorar, de mudar o rumo da vida, mas o que falta é oportunidade. Por isso, acredito que esse projeto (da SDS) vai beneficiar muita gente”, afirma. Ressocialização O estigma de quem já passou pelo sistema prisional é considerado um dos maiores entraves ao processo de ressocialização. O preconceito pode se tornar uma pena perpétua, o que muitas vezes inviabiliza a reintegração dessas pessoas. É o que atesta a assistente social do DTR, Ana Paula Tostes. “O projeto nasce de uma compreensão que temos das dificuldades da inclusão destas pessoas no mercado de trabalho. Por esse motivo, encampamos ações de mobilização e inserção na qualificação profissional, com vistas ao acesso ao emprego e perspectiva de autonomia”, explica. O projeto, inédito na cidade, já apresenta resultados apenas poucas semanas após sua implementação, no dia 29 de setembro, e vem mostrando êxitos na articulação com os governos federal, através do Pronatec, e Estadual, pelo PrEsp. De acordo com o secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, os frutos da iniciativa são motivos de comemoração. “Este é um momento muito especial para nós. Estamos conseguindo, na prática, possibilitar o retorno à vida social, através da qualificação profissional, de pessoas que devem ter o direito de reconstruir suas vidas. Com esse projeto, demos um passo decisivo em direção a uma Juiz de Fora mais fraterna e acolhedora”, destaca. O acesso a este direito, citado por Cheker, é manifesto nas aspirações dos dois futuros eletricistas. Willian encara com animação a possibilidade de ter um emprego. “É muito gratificante ter a chance de alcançar um dos meus maiores objetivos, que é ter uma profissão. Ao conseguir meu certificado de conclusão de curso, creio que não me faltará mais nada para buscar essa meta”. O pensamento de Elias segue a mesma linha. “Quero caminhar de outra forma na minha vida, e por isso vou me esforçar ao máximo para sair sabendo fazer o que o curso se propõe a nos ensinar”, afirma, confiante. ]]> 2014-10-22 09:42:57SDS prossegue trabalhos de busca ativa e leva CadÚnico às famílias vulneráveis de Juiz de Forahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11761150055A Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), através do Departamento de Transferência de Renda (DTR), cumpriu, nesta quinta-feira, 17, mais uma etapa do projeto “Alô Moradores, Cadastro Único Chama”. Na ação, que ocorreu na sede do Agente do Amanhã (Rua Maria Vidal de Carvalho, 173, Igrejinha), 48 pessoas procuraram os profissionais da SDS. O projeto tem como meta identificar, cadastrar e recadastrar famílias de baixa renda no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico). O objetivo é, com isso, garantir o acesso das famílias mais vulneráveis de determinadas localidades aos programas e serviços socioassistenciais oferecidos a partir do cadastro. A supervisora de Assistência e Auditoria de Beneficiários do DTR, Tânia Franklin, afirma que a procura e o resultado foram melhores que o esperado. De acordo com ela, foram realizados 19 cadastros e 11 atualizações no CadÚnico. Seis pessoas foram encaminhadas para serviços prestados pelo Centro de Referência de Assistência Social (Cras) e 12 para outros serviços da SDS. “O saldo é muito positivo. Houve uma procura e receptividade significativas da comunidade como um todo. A busca ativa é uma grande estratégia, no sentido de levar os programas e serviços ao público vulnerável. Nós vamos ao encontro, e a comunidade responde”, destaca. Após a ação de busca ativa no Bairro Igrejinha, a programação do “Alô Moradores, Cadastro Único Chama” segue, no dia 22 de outubro, na Escola Municipal Professora Helena Antipoff (Rua Principal, s/n, distrito de Rosário de Minas). Na ocasião, a equipe também ficará à disposição dos moradores para a inclusão no CadÚnico. O CadÚnico O CadÚnico é um instrumento de identificação e caracterização socioeconômica das famílias brasileiras de baixa renda, entendidas como aquelas com renda igual ou inferior a meio salário-mínimo por pessoa ou renda familiar mensal de até três salários mínimos. Através do CadÚnico, é possível se inscrever em projetos e programas como o Bolsa Família; carteira do idoso; Curso Preparatório para Concursos (CPC); Minha Casa, Minha Vida; e o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), além do Benefício de Prestação Continuada (BPC), entre outros. Para mais informações, o telefone do Departamento de Transferência de Renda é o 3690-7071. ]]> 2014-10-17 09:19:24SDS dá o primeiro passo para implementação do Pronatec Aprendizhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11757181218A Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), através da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), deu início nesta quarta-feira, 15, aos avanços necessários para a implementação de uma nova divisão do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), o Pronatec Aprendiz. O novo programa, assim como o original, foi projetado pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) – que escolheu Juiz de Fora como uma das cidades ideais para receberem o piloto. O projeto segue a mesma premissa do anterior, porém, terá atendimento exclusivo para adolescentes e jovens em cumprimento de medidas socioeducativas. Estas medidas incluem aqueles que estão em serviços de acolhimento, como abrigos institucionais, casas-lares, famílias acolhedoras e repúblicas, e os que foram retirados do trabalho infantil. O projeto é um piloto fruto de uma parceria entre o MDS, o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), o Ministério da Educação (MEC) e a Secretaria da Micro e Pequena Empresa. O Pronatec Aprendiz será lançado inicialmente em nove cidades visando avaliar a implementação e os resultados com vistas à ampliação para outros municípios. Juiz de Fora foi escolhida devido aos resultados que a SDS apresentou para o Pronatec em 2014, sendo a cidade mineira com o maior número de encaminhados para programa em toda Minas Gerais. Durante a reunião estiveram presentes o Secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, a representante do Sest-Senat, Flávia Vieira Roque, além de técnicos e profissionais da SDS. “Foi um momento de grande importância, com uma energia muito boa. Pudemos fazer uma convergência de visões e um diálogo entre todas as equipes envolvidas da SDS, além do Sest-Senat, que mais uma vez nos apoia, oferecendo o curso de Operador de Computador para o início das nossas atividades,” conclui o secretário Flávio Cheker. O Chefe do Departamento de Proteção Especial, Lindomar José da Silva, foi um dos presentes na reunião, e resumiu como foi a primeira etapa do trabalho: “A reunião do Pronatec Aprendiz de hoje teve como objetivo avançar na implementação do piloto. Colocamos no mesmo espaço os serviços que vão cuidar da orientação e execução desse plano no município, para poder identificar os adolescentes que podem ser possíveis beneficiários. No momento, já encontramos cerca de 40 adolescentes se encaixam no perfil necessário para a implantação” Pronatec Aprendiz O Pronatec Aprendiz é fruto de uma parceria entre o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), o Ministério da Educação (MEC) e a Secretaria da Micro e Pequena Empresa. Belém (PA), Contagem (MG), João Pessoa (PB), Macapá (AP), Manaus (AM), Palmas (TO), Teresina (PI), e Uberlândia (MG) também vão receber o piloto do programa. Inicialmente, está prevista a abertura de 20 vagas em Juiz de Fora para o curso de operador de computador. As inscrições deverão começar ainda este ano, em data a ser divulgada. ]]> 2014-10-15 09:15:40Capacitação discute política social e assistência com profissionais das unidades da SDS e Amachttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11753145808A Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) promoveu nesta segunda-feira, 13, o quinto encontro de capacitação dos técnicos e coordenadores das unidades de Proteção Social Básica e Especial. O evento ocorreu na Escola de Governo. A série de palestras faz parte de um processo de capacitação permanente, desenvolvido em conjunto com a Associação Municipal de Apoio Comunitário (Amac), com o objetivo de articular os serviços e o atendimento nas unidades socioassistenciais da SDS. O evento desta segunda-feira, ministrado por professoras da Faculdade de Serviço Social da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), focou na abordagem metodológica, principalmente em questões políticas, visão de sociedade, objetivos dos trabalhos e análise da parte de gestão dos serviços sociais. “O movimento feito pelos serviços de Proteção Básica e Especial é essencial para o sucesso da política de assistência social. Isto porque a capacitação permanente, além de ser um dos pilares desta política, também é responsável por resultados práticos na qualificação do atendimento ao cidadão”, declarou o Secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, que esteve presente na atividade. A chefe do Departamento de Proteção Básica, Carla Salomão, destacou a importância da capacitação permanente na busca pela qualidade dos serviços oferecidos à população: “Desde junho temos investido mensalmente na educação dos profissionais do Sistema Único de Assistência Social (Suas). Neste momento, quando discutimos os fundamentos da política de assistência social, promovemos uma reflexão acerca da postura do profissional e da importância deste trabalho técnico para os usuários dos serviços”. A próxima capacitação está agendada para 17 de novembro, em local a ser confirmado. Proteção Social A Proteção Social é hierarquizada em Básica e Especial. A Proteção Social Básica tem como objetivos prevenir situações de risco, através do desenvolvimento de potencialidades e aquisições, e o fortalecimento de vínculos familiares e comunitários. A Proteção Social Especial é a modalidade de atendimento assistencial destinada a famílias e indivíduos que se encontram em situação de risco pessoal e social por ocorrência de abandono, maus-tratos físicos e/ou psíquicos, abuso sexual, uso de substâncias psicoativas, cumprimento de medidas socioeducativas e situações de rua e de trabalho infantil, entre outras. ]]> 2014-10-14 09:08:51“Dia Mundial da Alimentação” - SDS celebra data com palestras nas unidades socioassistenciaishttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11750 2014-10-10 09:06:26Juiz de Fora é selecionada para implementar o Pronatec Aprendizhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11747A Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), através da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), foi selecionada para receber um plano-piloto de uma nova modalidade do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec). Na nova versão, chamada Pronatec Aprendiz, as vagas disponibilizadas deverão ser ofertadas prioritariamente para adolescentes e jovens inseridos em serviços da Proteção Social Especial, como casas de acolhimento e famílias acolhedoras. O Pronatec Aprendiz será lançado inicialmente em nove cidades, visando a avaliar a implementação e os resultados, com vistas à ampliação para outros municípios. “A indicação de nossa cidade como um dos nove municípios selecionados em todo o Brasil como modelo para implantar o Pronatec Aprendiz, para jovens em situações de risco e vulnerabilidade social, é motivo de alegria e orgulho para toda a prefeitura e, especialmente, para os funcionários da SDS”, declarou o secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker. “A escolha de Juiz de Fora ao lado de capitais e cidades de grande porte só aumenta nossa responsabilidade no eficiente e exitoso trabalho que vem sendo realizado por toda a equipe da SDS, da Associação Municipal de Apoio Comunitário (Amac) e de entidades conveniadas”, finalizou. O programa atenderá adolescentes e jovens em cumprimento de medidas socioeducativas, em serviços de acolhimento, como abrigos institucionais, casas-lares, famílias acolhedoras e repúblicas, e retirados do trabalho infantil. “Considerando que muitos desses adolescentes e jovens se envolveram em atos infracionais ou foram apartados de seus familiares, essa é uma excelente estratégia de redução destas situações de vulnerabilidade social, violação de direitos e rompimento de vínculos fragilizados”, destacou o chefe do Departamento de Proteção Especial, Lindomar José da Silva. Belém (PA), Contagem (MG), João Pessoa (PB), Macapá (AP), Manaus (AM), Palmas (TO), Teresina (PI), e Uberlândia (MG) também vão receber o piloto do programa. Inicialmente, está prevista a abertura de 20 vagas em Juiz de Fora, para o curso de operador de computador. As inscrições deverão começar ainda este ano, em data a ser divulgada. Pronatec Aprendiz O Pronatec Aprendiz é fruto de uma parceria entre o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), o Ministério da Educação (MEC) e a Secretaria da Micro e Pequena Empresa. A oferta de capacitação profissional deve contribuir para a superação de situações de vulnerabilidade e violações de direitos entre adolescentes e jovens, de 15 a 24 anos, pela dimensão da renda e pela inclusão social. Para participar, os adolescentes e jovens contemplados devem estar matriculados e frequentando regularmente a escola. ]]> 2014-10-03 09:03:11SDS apresenta programas sociais a egressos do sistema prisionalhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11743155756A Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), através do Departamento de Transferência de Renda (DTR), realizou, na noite dessa quinta-feira, 2, uma apresentação dos programas sociais executados pela pasta aos participantes do Programa de Inclusão Social de Egressos do Sistema Prisional (PrEsp). A palestra foi ministrada no Centro de Prevenção à Criminalidade (Rua Marechal Deodoro, 230, Sala 503 – Centro). O objetivo foi abordar sobre o Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico) e os serviços socioassistenciais oferecidos a partir do cadastro. De acordo com a chefe do Departamento de Transferência de Renda, Miriam Monteiro, o CadÚnico é um importante canal de promoção da inclusão social. “Explicamos cada programa vinculado ao cadastro, com o objetivo de informar os tipos de oportunidades que eles têm ao deixar o sistema prisional. Queremos auxiliar, da melhor forma possível, na reintegração desses cidadãos à sociedade”, explica. Dezessete participantes do PrEsp estiveram presentes na reunião. Segundo Miriam, eles também serão encaminhados ao Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec). “Além dos benefícios sociais, todos se interessaram em fazer os cursos profissionalizantes oferecidos pelo Pronatec. É importante destacar que essa não é uma ação isolada, vamos realizar um acompanhamento com todos eles”, pontua. O secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker comemorou a ação. “Estamos felizes e orgulhosos com mais essa iniciativa da Prefeitura de Juiz de Fora através da Secretaria de Desenvolvimento Social. Trata-se de uma atividade inédita na cidade, no âmbito de direcionar pessoas egressas do sistema penitenciário para atendimento pelos programas sociais, e, fundamentalmente, encaminhá-las ao mundo do trabalho através do Pronatec”, finalizou. Após a apresentação do CadÚnico, a SDS prevê, ainda, uma ação para realizar o cadastro dos egressos do sistema prisional e inseri-los na cobertura dos programas sociais. O CadÚnico O CadÚnico é um instrumento de identificação e caracterização socioeconômica das famílias brasileiras de baixa renda, entendidas como aquelas com renda igual ou inferior a meio salário mínimo por pessoa ou renda familiar mensal de até três salários mínimos. Através do CadÚnico, é possível se inscrever em projetos e programas como o Bolsa Família; carteira do idoso; Curso Preparatório para Concursos (CPC); Minha Casa, Minha Vida; e o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), além do Benefício de Prestação Continuada (BPC), entre outros. ]]> 2014-10-03 08:58:22Aos 61 anos, dona de casa volta a estudar e mira ingresso na universidade através do CPChttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11740Entrar para uma universidade é, muitas vezes, o principal objetivo da maioria dos jovens, já que, geralmente, o diploma é o primeiro dos requisitos para a inserção no mercado de trabalho. Mas esse não é o caso de Maria Gilda de Barros, que, aos 61 anos, frequenta novamente as salas de aula, através do Curso Preparatório para Concursos (CPC), da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), simplesmente para alcançar uma realização pessoal: fazer um curso superior. “Ir para a aula me renova a cada dia”, declarou a dona de casa. De sorriso fácil, Maria Gilda voltou a estudar depois de quase 40 anos longe dos livros, cadernos e professores. “Casei cedo, aos 17 anos. Desde então comecei a trabalhar no parque de diversões do meu marido”, contou ela. O falecimento do companheiro, em 2007, mudou completamente a vida da agora estudante. “Me deparei com uma vida nova. Como estudar era um desejo antigo, completei os conteúdos até o ensino médio no programa de Educação para Jovens e Adultos (EJA). A partir daí, meu foco passou a ser fazer um curso superior. Fiquei muito feliz quando consegui a vaga aqui no CPC”, contou. Maria Gilda frequenta a turma de preparação para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), no turno da manhã. Seu sonho é cursar Geografia e voltar para o ambiente que a conquistou. “Gostaria de dar aulas. Acho que tenho desenvoltura para isso. Como trabalhei muito tempo em bilheterias e barracas, aprendi a lidar com muitas pessoas”, ri a dona de casa, que completou: “Quando realizei um trabalho sobre a África, me deparei com um continente lindo. Conheci um mundo fantástico na Geografia: as diferenças de países, de clima, entre outras coisas”. Esta será a segunda vez que Maria Gilda realizará o Enem. No ano passado, conseguiu uma vaga na Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb), em Vitória da Conquista, mas decidiu não se mudar. Perguntada sobre o que fará caso tenha que tentar mais uma vez o vestibular, Maria Gilda responde com serenidade: “Voltar a estudar me deu vida nova, me sinto melhor enquanto ser humano. Agora, quero aproveitar isto até o último instante. Se tiver que prestar o exame mais uma vez, farei com prazer, porque não tenho nenhum interesse na vida, além de estudar”, finalizou, antes de voltar a atenção para a aula de Física. Somente este ano, mais de 15 mil idosos fizeram a inscrição para o Enem. Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), o número de inscritos com 60 anos ou mais cresce anualmente. Em 2013 foram quase 11 mil idosos inscritos, enquanto que, em 2009, o número chegou a 4,7 mil. “Promover oportunidades iguais para todos é o caminho certo para a cidadania e para a realização pessoal. O CPC, pelo seu caráter gratuito e prioritário para a população de baixa renda, é um instrumento poderoso para a justiça social”, relatou o secretário de Desenvolvimento Social da PJF, Flávio Cheker. O programa O CPC é um programa da SDS que tem como objetivo criar oportunidades para estudantes de baixa renda ingressarem no ensino superior e técnico. Para isso, oferece cursos preparatórios que possibilitem aos alunos concorrer em nível de igualdade nos processos seletivos para instituições de ensino superior. Oferta, também, preparação para estudantes que desejam realizar provas para concursos públicos municipais e estaduais. O atendimento tem como público prioritário os participantes de programas sociais federais, estaduais e municipais, incluídos no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico). ]]> 2014-10-02 08:45:13SDS conclui capacitação de 319 agentes de saúde sobre condicionalidades do Bolsa Famíliahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11737172641A Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), através do Departamento de Transferência de Renda (DTR), concluiu nessa terça-feira, 30, a capacitação de 319 agentes comunitários de saúde sobre as condicionalidades do programa Bolsa Família. As palestras ocorreram na Casa do Conselhos (Rua Halfeld, 450 – 7º andar – Centro) e na Escola de Governo (Rua Maria Perpétua, 72, 3º andar, Bairro Ladeira) entre 24 e 30 de setembro. No total, 32 Unidades de Atenção Primária à Saúde (Uaps) foram cobertas pela capacitação, cujo objetivo foi aumentar a proteção e o acompanhamento das famílias beneficiárias. Durante o treinamento, foram apresentadas as características e os objetivos do programa de transferência de renda, assim como os cinco tipos de benefícios financeiros: básico, variável, variável jovem, gestante e nutriz. Além disso, foi apresentado o Plano Brasil Sem Miséria, lançado em junho de 2011, que atende, prioritariamente, o público que se encontra na faixa da extrema pobreza (renda mensal inferior a R$ 77). Também foram elucidadas as questões referentes às exigências feitas pelo Governo Federal para que as famílias participem do Bolsa Família e recebam os benefícios. Parte das condições exigidas pelo programa Bolsa Família são controladas pela Secretaria de Saúde (SS), como o exame pré-natal de gestantes e nutrizes e as atividades educativas sobre aleitamento materno e alimentação saudável. O setor deve garantir, ainda, que os responsáveis por crianças de 0 a 7 anos mantenham o calendário de imunização atualizado, assim como acompanhar o crescimento e o desenvolvimento das crianças, além do estado nutricional delas. A SS também faz o acompanhamento obrigatório de mulheres de 14 a 44 anos cadastradas no Bolsa Família. A agente comunitária Maristela Andrade, da Uaps Olavo Costa, fez um balanço positivo do treinamento: “Tivemos uma boa absorção do conteúdo. Antes, a população perguntava e não tínhamos as informações necessárias. Agora, temos os meios de orientar da melhor forma possível e fazer o encaminhamento correto” declara. De acordo com a chefe do Departamento de Transferência de Renda, Miriam Monteiro, o papel dos agentes é fundamental na execução do programa Bolsa Família. “As condicionalidades de saúde e nutrição, ao mesmo tempo que são responsabilidades do beneficiário, também visam a melhorar as condição de vida dos seus familiares. Daí a importância de o agente estar preparado para esclarecer às famílias as ações que compõem as condicionalidades, deixando-as cientes das responsabilidades na melhoria de suas condições de saúde”, destaca. Bolsa Família Aqueles que desejam participar do programa Bolsa Família, mas ainda não possuem o Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), podem procurar uma unidade do Centro de Referência de Assistência Social (Cras) com original e cópia dos seguintes documentos: - Carteira de trabalho de todos os adultos da casa; - Comprovante de renda (contracheque, declaração, extrato bancário); - Carnê do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), comprovante de aluguel ou moradia cedida; - Certidão de nascimento das crianças da casa; - Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) e título de eleitor de todos os adultos da casa; - Conta de luz ou telefone; - Declaração escolar. Segundo o decreto nº 6.135, de 26 de junho de 2007, devem ser incluídas no CadÚnico as famílias com renda mensal per capita (por cabeça) de até meio salário mínimo e as que possuam renda familiar total de até três salários mínimos. Além do Bolsa Família, com o CadÚnico, a família poderá ter acesso a descontos na conta de luz e água, inscrição nos cursos do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) e inscrição no Curso Preparatório para Concursos (CPC). O Bolsa Família é um programa de transferência de renda desenvolvido pelo Governo federal e executado no município pela Prefeitura. Para dúvidas ou informações referentes ao programa, basta entrar em contato com o Departamento de Transferência de Renda da SDS, pelo telefone 3690-8467. ]]> 2014-10-01 08:39:23Encontro discute oferta de cursos de educação profissional para pessoas com deficiênciahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=1172330 09 curso educ prof pessoas defic_115717A Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), através do Departamento de Políticas para a Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos (DPCDH), realizou, na tarde dessa segunda-feira, 29, uma reunião para discutir a ampliação da oferta de cursos de educação profissional e tecnológica para pessoas com deficiência no município. A reunião contou com a presença da consultora do Programa de Capacitação Técnica voltado à Pessoa com Deficiência, Alcionis Ennes Nascimento, que falou sobre o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), através da modalidade “Viver Sem Limite”, específica para o público com deficiência. Estiveram presentes cerca de 30 representantes de ONGs da cidade, da Secretaria de Educação, Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e educadores envolvidos com o tema. O Pronatec “Viver sem Limite” está em fase de levantamento de informações, estudo e avaliação de demandas locais para sua efetivação em Juiz de Fora. O funcionamento operacional do programa está divido em adesão, negociação dos cursos, mobilização das pessoas com deficiência para participação, matrícula, acompanhamento das turmas e articulação política para a geração de emprego. A expectativa é de que o programa seja implantado na cidade em breve. “O aumento de matrículas por pessoas com deficiência em cursos do Pronatec, especificamente no ´Viver Sem Limite´, é a nossa motivação para esses encontros. Temos os cursos ofertados pelo Sistema S (Senai, Senac, Senat), além de parceiros do município e do estado, e não vemos muitas pessoas com deficiência se matriculando”, reflete Alcionis. A demanda do mercado de trabalho, principalmente para concursos com vagas específicas para deficientes, é percebida pela consultora como um potencializador do programa. “As pessoas precisam estar qualificadas para preencher essas vagas disponíveis. Por isso, vamos até os municípios e reunimos o conselho da pessoa com deficiência, gestores das pastas, ofertantes e educadores em geral para estimular esse público para esses cursos profissionalizantes”. A reunião foi aberta com um dado do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que indica 45,6 milhões de pessoas com alguma deficiência no Brasil. “O Departamento de Inclusão Socioprodutiva e Qualificação Profissional (DISQ) é responsável na cidade pela mobilização, seleção e matrícula desses cursos. Já o DPCDH é responsável pelo encaminhamento e pela assistência ao grupo”, comenta Ana Paula Machado, supervisora de Desenvolvimento e Acessibilidade do DPCDH. Pronatec “Viver Sem Limite” O Pronatec “Viver Sem Limite” está inserido no Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência – Viver sem Limite, que envolve diversos ministérios para promover a inclusão, autonomia e direitos das pessoas com deficiência. A iniciativa garante que todas as vagas do Pronatec poderão ser acessadas por pessoas com deficiência, independentemente da unidade ofertante, do curso e do tipo de deficiência, com atendimento preferencial na ocupação das vagas. Os cursos do “Viver Sem Limite” abrangem diferentes níveis de escolaridade e áreas de atuação. Através do programa, são oferecidos cursos técnicos de nível médio e de formação inicial e continuada, através do Bolsa-Formação do Pronatec. As aulas são oferecidas pelas escolas da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica e pelas entidades do Sistema S. ]]> 2014-09-30 10:05:46SDS promove capacitação sobre Bolsa Família para assistentes sociais das Uapshttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=1171922 09 Capacitacao Bolsa Familia 1_185135Cerca de 50 assistentes sociais das Unidades de Atenção Primária à Saúde (Uaps) participaram, nesta segunda-feira, 22, de uma capacitação sobre o Programa Bolsa Família, promovida pela Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS). O objetivo é preparar os assistentes para o atendimento aos beneficiários do programa. A capacitação foi ministrada pela chefe do Departamento de Transferência de Renda, Miriam Monteiro, que orientou os participantes quanto aos requisitos e às condicionalidades para receber o Bolsa Família. Miriam destacou a importância do papel dos assistentes sociais nas unidades de saúde para a execução do programa. “Queremos capacitá-los, buscando organizar um processo de trabalho da gestão da condicionalidade em saúde. A intenção é implementar ações e experiências de sucesso pela área de saúde com o apoio desses profissionais”, completa. Durante o treinamento, foram apresentadas as características e os objetivos do programa de transferência de renda, assim como os cinco tipos de benefícios financeiros: básico, variável, variável jovem, gestante e nutriz. Além disso, foi apresentado o Plano Brasil Sem Miséria, lançado em junho de 2011, que atende prioritariamente o público que se encontra na faixa da extrema pobreza (renda mensal inferior a R$ 77). Também foram elucidadas as questões referentes às exigências feitas pelo Governo Federal para que as famílias participem do Bolsa Família e recebam os benefícios. Parte das condições exigidas pelo programa Bolsa Família são controladas pela Secretaria de Saúde, como o exame pré-natal de gestantes e nutrizes e as atividades educativas sobre aleitamento materno e alimentação saudável. O setor deve garantir, ainda, que os responsáveis por crianças de 0 a 7 anos mantenham o calendário de imunização atualizado, assim como acompanhar o crescimento e o desenvolvimento das crianças, além do estado nutricional delas. A SS também faz o acompanhamento obrigatório de mulheres de 14 a 44 anos cadastradas no Bolsa Família. A próxima capacitação será ministrada na quarta-feira, 24, aos agentes comunitários da Estratégia de Saúde da Família, que trabalharão de forma coordenada e sistematizada com os assistentes sociais. Bolsa Família Aqueles que desejam participar do Programa Bolsa Família, mas ainda não possuem o Cadastro Único Para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), podem procurar uma unidade do Centro de Referência de Assistência Social (Cras) com original e cópia dos seguintes documentos: - Carteira de trabalho de todos os adultos da casa; - Comprovante de renda (contracheque, declaração, extrato bancário); - Carnê do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), comprovante de aluguel ou moradia cedida; - Certidão de nascimento das crianças da casa; - Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) e título de eleitor de todos os adultos da casa; - Conta de luz ou telefone; - Declaração escolar. Segundo o Decreto nº 6.135, de 26 de junho de 2007, devem ser incluídas no CadÚnico as famílias com renda mensal per capita (por cabeça) de até meio salário mínimo e as que possuam renda familiar total de até três salários mínimos. Além do Bolsa Família, com o CadÚnico, a família poderá ter acesso a descontos na conta de luz e água, inscrição nos cursos do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) e inscrição no Curso Preparatório para Concursos (CPC). O Bolsa Família é um programa de transferência de renda desenvolvido pelo Governo federal e executado no município pela Prefeitura. Para dúvidas ou informações referentes ao programa, basta entrar em contato com o Departamento de Transferência de Renda da SDS, pelo telefone 3690-8467. ]]> 2014-09-22 09:59:55Dia Nacional do Educador Social é comemorado com capacitação para mais de cem profissionaishttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=1171519 09 Dia do Educador Social 2_180852“O amor é o principal instrumento da educação. Quem não ama seres inacabados não pode educar”. A frase de Paulo Freire, educador e patrono da educação brasileira, foi a escolhida como mote do evento promovido pela Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), juntamente com a Associação Municipal de Apoio Comunitário (Amac), para comemorar, nesta sexta-feira, 19, o Dia Nacional do Educador Social. Mais de cem educadores das unidades do Curumim; Associação Atlética Banco do Brasil (AABB) Comunidade; Casa do Pequeno Artista; Centro de Convivência do Idoso; Programa Municipal de Atendimento a Adolescentes (Promad); Agente do Amanhã; Casa da Menina Artesã e Casa do Pequeno Jardineiro participaram da ação. Durante o evento, o secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, destacou a participação do educador social no melhoramento das condições sociais vulneráveis. “O dia de hoje está sendo comemorado da maneira mais adequada possível: promovendo discussões para mostrar o papel fundamental do educador social para a sociedade. É preciso que haja um aprofundamento no debate deste papel. Sabemos que é um trabalho importantíssimo para atingir a população em risco social, através da formação do caráter e dos valores de cidadania”, afirmou. Com o objetivo de discutir recentes mudanças na atuação deste profissional no país, o diretor-presidente da Amac, João Batista da Silva, reafirmou a importância do trabalho do educador em programas sociais e defendeu a regulamentação da profissão. “Nós devemos muito ao trabalho magnífico de vocês (educadores) que, lamentavelmente, ainda não é regulamentado. Gostaria muito que, no próximo ano, quando estivermos celebrando novamente o Dia do Educador Social, possamos comemorar a regulamentação dessa profissão, porque vocês merecem”, disse. O evento contou com uma homenagem ao educador Paulo Freire, realizada pela educadora social do Centro de Convivência do Idoso, Sônia Maria Saporetti, e um stand-up sobre a importância da profissão, a cargo do também educador social Júlio Phenix, do Curumim São Benedito. Na sequência, os profissionais assistiram a duas palestras de capacitação, que trataram sobre o trabalho intergeracional e sobre a educação social e o Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, respectivamente. “Pela primeira vez, sentimos que fazemos parte de um grupo. Temos uma equipe muito boa, que desenvolve esse trabalho diariamente, e ter um dia específico é muito especial. É interessante observar que temos hoje educadores de todas as faixas etárias. Os novatos, que estão começando esse processo de educação social, têm muito a oferecer, e os que já estão nesse caminho também têm muita experiência para passar. Só temos a agradecer, porque é um dia especial para todos nós”, comemorou o coordenador do Curumim Olavo Costa, Álvaro Augusto de Freitas. Ao final do evento, os educadores foram presenteados com mudas de plantas, produzidas pelos jovens da Casa do Pequeno Jardineiro. A data Os educadores sociais fundamentam sua prática educativa, sobretudo, no legado da educação popular, especialmente a desenvolvida a partir da década de 70, tomando por base a influência do educador Paulo Freire. Justamente por isso, o dia 19 de setembro, data de nascimento de Paulo Freire, foi instituído como o Dia Nacional do Educador Social, em março de 2008, visando a reconhecer a importância desses profissionais no combate à exclusão social no Brasil. A profissão Em janeiro de 2009, os educadores e educadoras sociais obtiveram a mais importante conquista, até o momento, no processo de reconhecimento social e profissional e no fortalecimento da identidade trabalhista. Eles foram incluídos na Classificação Brasileira de Ocupações (CBO), do Ministério do Trabalho e Emprego. A profissão está para ser regulamentada, por meio do projeto de lei nº 5346/2009, que tramita na Câmara dos Deputados. Segundo a resolução do Conselho Nacional de Assistência Social (CNAS) nº 01/2013, o trabalho do educador social deve ser organizado em percursos de forma a estimular as trocas culturais e a partilha de vivências, desenvolver o sentimento de pertença e de identidade, e fortalecer os vínculos familiares, sempre sob a perspectiva de incentivar a socialização e a convivência familiar e comunitária. ]]> 2014-09-19 09:54:25Solenidade marca um ano do reordenamento do serviço de acolhimento institucional no municípiohttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11712161309A Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), juntamente com a Associação Municipal de Apoio Comunitário (Amac), e em parceria com a Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), realizou, na manhã desta quarta-feira, 17, o primeiro de uma série de eventos para marcar um ano do reordenamento do serviço de acolhimento institucional no município. A solenidade aconteceu no auditório do Banco do Brasil (Rua Halfeld, 770 – Centro) e contou com a participação de cerca de cem pessoas. Na abertura do evento, o secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, enfatizou o compromisso da atual gestão com o serviço de acolhimento institucional e os ganhos obtidos com o reordenamento. “Uma das nossas primeiras ações ao assumir a Secretaria foi dar luz à situação do acolhimento institucional. Após o reordenamento, tivemos progressos significativos. Hoje, por exemplo, 68% das famílias dos acolhidos estão em acompanhamento pelo serviço, número bastante superior ao que encontramos quando assumimos (a gestão). Sabemos que a medida de acolhimento deve ser provisória e excepcional mas, mesmo assim, vemos que a demanda é crescente. Justamente por isso, é necessário que tenhamos um serviço de qualidade, que possa acolher essas crianças e adolescentes e dar a elas todo o apoio necessário”, afirmou. “Acredito muito que podemos dar ao outro, para que ele possa florescer e se desenvolver. E o trabalho desenvolvido através do serviço de acolhimento prova isso. Parabenizo a todos que se envolvem e se comprometem com o trabalho do desenvolvimento e da promoção social”, destacou o vereador Jucélio Maria, presidente da Comissão dos Direitos da Criança e do Adolescente da Câmara Municipal. Durante o evento, foi promovida a palestra “Violência Doméstica – Mitos e Realidades”. A atividade foi ministrada pela professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Rosana Morgado, pós-doutora em Ciências Sociais, que falou sobre os reflexos da violência doméstica no desenvolvimento da criança e do adolescente no país. Durante a explanação, Rosana identificou mitos, como a culpabilização da criança e do adolescente pelas agressões dentro do âmbito familiar e a atribuição da violência doméstica ao uso de drogas. A especialista também destacou pontos como o aumento no número de denúncias de casos de violência no país e a importância de se qualificar os profissionais da rede de proteção. A solenidade também marcou o início do trabalho de qualificação dos profissionais que atuam nas casas de acolhimento (Estância Juvenil, Vivendas do Futuro e Lar de Laura). As três casas são geridas pela SDS, com trabalhos executados pela Amac. O processo de qualificação dos profissionais será feito em parceria com a Faculdade de Serviço Social da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) e terá duração de dois anos. “Esse projeto está relacionado com o compromisso que temos assumido ao longo da nossa trajetória. Para nós, a possibilidade de trabalhar com esse serviço significa conseguir uma interlocução e um diálogo próximo com a realidade vivenciada pelos profissionais e usuários do acolhimento institucional”, apontou a vice-diretora da Faculdade de Serviço Social da UFJF, Alexandra Eiras. Outras comemorações Além da palestra, outras ações serão realizadas para marcar a data. Nesta quinta-feira, 18, será feito um culto ecumênico para os acolhidos e suas respectivas famílias, além dos profissionais que trabalham nas casas. A atividade acontece no auditório da Casa da Cultura, às 17 horas. No sábado, 20, será promovido um “dia de lazer”, com piquenique, jogos e oficinas lúdicas para os acolhidos, na UFJF, das 13 às 17 horas. Por fim, no dia 26, será realizado um coquetel comemorativo, na sede do Sport Clube Juiz de Fora, às 20 horas, para todos os funcionários das casas de acolhimento. Histórico Anunciado em 11 de março de 2013, o plano de providências para a situação do acolhimento institucional na cidade foi colocado em prática a partir de agosto do mesmo ano. Entre as medidas adotadas pelo novo modelo, estava o remanejamento das crianças para três novos imóveis, concluindo o fechamento das casas Aberta e Lumiar. As novas unidades ganharam os nomes de Lar de Laura, Estância Juvenil e Vivendas do Futuro. Em cada casa, foram acolhidos pequenos grupos de crianças e adolescentes, que receberam medidas de proteção por motivos de falecimento de genitores, abandono, mendicância e maus-tratos, entre outros. “O sucesso desse reordenamento, com certeza, é fruto desta parceria entre a SDS e a Amac. E o sucesso desse trabalho também está presente, especialmente, nesta equipe que executa muito bem o serviço, cuidando das casas, do convívio e dos conflitos. Recebemos essas crianças e adolescentes com comportamentos diferentes, reações diferentes e, ainda sim, esses profissionais conseguem gerar resultados extraordinários”, ressaltou o diretor-presidente da Amac, João Batista da Silva. O primeiro passo para a readequação do serviço de acolhimento institucional foi a adequação do espaço físico e do número máximo de crianças e adolescentes por abrigo, no intuito de oferecer um atendimento personalizado aos assistidos. A qualificação da equipe técnica é o segundo passo de fortalecimento deste serviço. Ao término desta capacitação, será realizado um simpósio sobre o tema. A parceria ainda prevê a confecção de um livro sobre todo o trabalho prático e teórico desenvolvido neste período. ]]> 2014-09-17 09:47:01Projeto de xadrez - SDS finaliza capacitação com educadores das unidades socioassistenciaishttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=1170608 09 Projeto xadrez 2_183528A Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) realizou, nesta segunda-feira, 8, na sede da Universidade Aberta e Integrada de Minas Gerais (Uaitec), a última capacitação do projeto voltado ao ensino de xadrez nas unidades sociassistenciais da Pasta. Depois de três módulos do curso "Ensino do Xadrez Básico", os educadores sociais que foram capacitados irão, agora, levar as técnicas do jogo, por meio de atividades lúdicas, aos atendidos dos Curumins, Associação Atlética Banco do Brasil (AABB) Comunidade, Casa do Pequeno Artista e Centro de Convivência do Idoso (CCI), serviços executados pela Associação Municipal de Apoio Comunitário (Amac). O secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, esteve presente nesta última capacitação e estimulou os responsáveis, lembrando a importância do xadrez na atualidade: “A prática do xadrez está tão aliada à educação, que muitas escolas em todo o mundo o adotam na grade curricular. Parabenizo os educadores que hoje se capacitam para ensinar essa arte, confiante no resultado positivo da ação”, refletiu. O supervisor dos Serviços de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, Leandro Barros, ministrou o curso para os educadores sociais, completando a carga horária de 12 horas. “O que nós queremos é que as aulas de xadrez não sejam obrigatórias, mas sim uma alternativa de atividade educacional, uma opção para que eles conheçam e se divirtam”, pontua. Sobre os profissionais agora capacitados, Leandro ressalta que muitos vão ensinar e aprender ao mesmo tempo, visto que nove dos 11 educadores não conheciam o jogo antes de o projeto começar. “Essa é uma atividade nova para muitos dos envolvidos, seja para as crianças ou para os mais velhos, já que não é muito comum na rotina deles. Todos estão entusiasmados para aprender cada vez mais, estão empolgados para conseguir uma grande adesão às várias aulas oferecidas nas suas respectivas unidades”, completa o supervisor. O xadrez aliado ao desenvolvimento A ideia do projeto é oferecer, através do jogo de tabuleiro, um percurso de desenvolvimento pessoal e social para os usuários das unidades, que serão estimulados pelos técnicos e profissionais já capacitados. Dentre as habilidades, estão: assertividade, capacidade de fazer amizades, empatia e civilidade, busca de solução para problemas interpessoais e acadêmicos, além de autocontrole e expressividade emocional. A implementação das aulas começa nesta quarta-feira, 10, na unidade do Curumim Benfica. Já no dia 12, é a vez dos meninos e meninas do Curumim Vila Olavo Costa aprenderem a arte do xadrez. No dia 15, a atividade chega à AABB Comunidade. As demais unidades irão, progressivamente, incorporar o projeto aos seus cronogramas. Até novembro, adolescentes, jovens e idosos terão aulas sobre o jogo e atividades preparatórias. Na primeira quinzena de dezembro, fechando a programação, será feito um torneio com os envolvidos na iniciativa. ]]> 2014-09-08 09:42:29Profissionais da SDS concluem capacitação voltada para a gestão estratégica da secretariahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11701Foi finalizada nesta sexta-feira, 5, na Casa dos Conselhos, a 1ª Oficina de Gestão Estratégica promovida pela Secretaria de Administração e Recursos Humanos (SARH) para os profissionais da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS). Cerca de 20 profissionais, entre eles o secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, completaram a identidade organizacional da Pasta, com a definição de valores e diretrizes. Na semana passada, durante a primeira reunião, foram firmadas a “missão” e “visão” da secretaria, que vão guiar os trabalhos para novas perspectivas e melhores estratégias. “Quando começamos um plano de reestruturação, precisamos da definição dessas diretrizes. Elas são importantes para que o grupo saiba para onde quer ir e o que alcançar em conjunto. Nenhuma mudança se faz sem que as pessoas tenham a sensação de pertencimento e de agentes de transformação. Ao definirmos missão, visão e valores criamos uma consciência de grupo, todos começam a trabalhar pelo mesmo fim”, destaca a chefe do departamento de Otimização e Processos de Trabalho (DOPT), Andréa Monfardini. O DOPT ficou responsável pelo mapeamento dos processos e o levantamento de como a situação era antes da reestruturação. Já o departamento de Acompanhamento do Desenvolvimento Individual (Dadi) amparou as reuniões da SARH e realizou o desenvolvimento individual de equipes. Depois das diretrizes formadas, a SARH irá acompanhar os desdobramentos dessa formalização, além de amparar novas transições e questionamentos. Auzenda Villela, supervisora de Atenção à População em Situação de Rua, participou dos dois encontros e reconhece a importância dessa ação para a rotina das ações: “O serviço social tem um grande volume de trabalho e às vezes esquecemos alguns pontos primordiais, aquilo que nos move. Com isso, as metas definidas hoje servem como lembrança daquilo que é importante”. Reavaliando os rumos da SDS, ao deixar claro quais os focos e as linhas de ações da secretaria, a conversa com os gestores refletiu as dificuldades e oportunidades que os profissionais enfrentam para alcançar seus objetivos. “As reuniões foram bem participativas. Os profissionais estiveram presentes e colaboraram com as informações e montagem das frases, visto que são eles mesmos que farão parte dessa trajetória. Queremos, no fim, excluir a possibilidade de acomodação desses gestores. A mudança deve vir de dentro da unidade”, concluiu Andréa. ]]> 2014-09-05 09:14:05Formatura do Pronatec reúne mais de 1.500 pessoas no Cine-Theatro Centralhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=1169704 09 formatura Pronatec 2_161118Daqui a muitos anos, os mais de 500 formandos do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) que estiveram no Cine Theatro Central, na noite dessa quarta-feira, 3, haverão de se recordar dos momentos vivenciados ali. Um misto de emoção e felicidade tomou conta do maior teatro de Juiz de Fora durante a solenidade de formatura dos alunos do programa, promovida pela Prefeitura de Juiz de Fora (PJF). Aplaudidos de pé por cerca de mil pessoas, os alunos do Pronatec foram certificados, comemoraram a nova conquista e, agora, iniciam sua caminhada rumo ao mundo do trabalho. O evento reuniu formandos dos anos de 2013 e 2014, de 40 cursos diferentes e de nove municípios da Zona da Mata. Além dos alunos de Juiz de Fora, também foram certificados os estudantes de Argirita, Barbacena, Cataguases, Chácara, Guarará, Matias Barbosa, São João Nepomuceno e Ubá. Entre as autoridades presentes, estavam o diretor de Inclusão Produtiva Urbana do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), Luiz Müller; o secretário de Desenvolvimento Social da PJF, Flávio Cheker, representando o prefeito de Juiz de Fora, Bruno Siqueira; além de representantes dos municípios convidados e das unidades que ofertam os cursos. Extasiado com a atmosfera do Cine-Theatro Central, o representante do MDS, Lüiz Muller, destacou o fato de Juiz de Fora ser a maior cidade de Minas Gerais em número de matrículas no Pronatec – em relação ao público em situação de vulnerabilidade social – e reiterou a importância do programa para o desenvolvimento econômico do país. “Esse programa é o caminho para que as pessoas possam construir sua autonomia. O desenvolvimento econômico só vai acontecer se cada um de vocês (formandos) aproveitarem essa oportunidade. A qualificação dada pelo Pronatec, através das unidades ofertantes, é uma oportunidade para o Brasil continuar avançando, e o país vai, sim, continuar avançando, porque vocês serão os responsáveis por isso. Vocês estão de parabéns”, disse. Em seu discurso, Flávio Cheker reiterou o compromisso da PJF em investir na qualificação profissional, através do Pronatec, e parabenizou todos os formandos pela conquista. “Desde o início da nossa gestão, buscamos fazer do Pronatec de Juiz de Fora um exemplo para toda Minas Gerais. O nosso primeiro grande orgulho foi atingir o primeiro lugar do estado em matrículas do programa. Mas, hoje, simbolizado nesse canudo, vocês (formandos) estão recebendo o maior bem que um ser humano pode ter, que é o conhecimento. É o bem que fará com que vocês possam se constituir como grandes cidadãos. A gente sabe que os sacrifícios não foram poucos, mas, com certeza, eles valeram a pena”, declarou. Realização profissional Durante a solenidade, o formando Almir dos Santos, 27, que concluiu os cursos de montador de estruturas metálicas e de pintura industrial, vivenciou um dos momentos mais importantes de sua vida. O jovem de Juiz de Fora foi contratado pela Codeme Engenharia S.A, empresa do ramo de fabricação e montagem de construções em aço. “Estou muito feliz, pois é a concretização de um sonho. Me esforcei muito por esse momento e passei por muitas dificuldades. Agora, quero adquirir experiência profissional e trabalhar bastante para poder dar mais condições à minha família”, afirmou Almir, com um sorriso estampado no rosto. Assim como ele, centenas de outras pessoas compareceram à formatura com o sonho de começar uma nova carreira e ingressar no mercado de trabalho. Mesmo de muletas, Lucas Bastos não deixou de ir à festa. Depois de se qualificar profissionalmente, ele, agora, já coloca em prática o que aprendeu: "Eu conheci o Pronatec depois que fui demitido do meu antigo emprego. Hoje, depois de fazer o curso de auxiliar administrativo, já atuo na área, no Exército Brasileiro. Espero continuar essa trajetória, começar uma faculdade e aprender cada vez mais". Infindáveis homenagens Nas palavras da oradora dos formandos, Geni Dias da Fonseca, do município de Barbacena, o Pronatec é “uma oportunidade de mudança de vida, que possibilita um conhecimento melhor do mundo e oferece mais condições para enfrentar a vida”. O discurso de Geni foi seguido pelo juramento dos concluintes e pelos agradecimentos aos familiares e amigos. Na sequência, foi realizada a entrega simbólica dos certificados para os alunos, que representaram cada uma das unidades ofertantes. As autoridades também foram homenageadas pelos estudantes e receberam um kit da Funalfa, como forma de agradecimento pelo apoio, pela cooperação e parceria durante a realização dos cursos. Ao final do evento, o coral da Cesama fez uma apresentação musical, enquanto o telão exibia fotos da passagem dos formandos pelo Pronatec. O programa O Pronatec é um programa do Governo federal, em parceria com a PJF, que tem como objetivo expandir, interiorizar e democratizar a oferta de cursos técnicos e profissionais de nível médio e cursos de formação inicial e continuada para trabalhadores. A iniciativa visa a ampliar as possibilidades de inserção no mercado de trabalho por meio do incremento da formação e qualificação profissional. Em Juiz de Fora, o programa é realizado através da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), o Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Senat) e o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sudeste de Minas Gerais (IF Sudeste), responsáveis por ofertar os cursos. ]]> 2014-09-04 08:51:08Quarenta mulheres atendidas pelo Cras Nordeste Grama participam de palestra sobre consumo de energia elétricahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=1169401 09 Cras Nordeste 1_174135Na manhã desta segunda-feira, 1, foi realizada a quarta palestra oferecida pela Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) às unidades socioassistenciais da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS). O bate-papo aconteceu no Centro de Referência da Assistência Social (Cras) Nordeste, em conjunto com as Aldeias Infantis SOS, e contou com cerca de 40 donas de casa do grupo “Renascer”, que, há mais de três anos, reúne semanalmente mulheres entre 50 e 86 anos. O encontro também contou com a presença do secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker. Durante o evento, foram esclarecidos diversos pontos importantes ligados à energia elétrica, como economia e segurança das instalações. A atividade é um projeto da Cemig, com mobilização feita pelos Cras, que já passou por outras cidades mineiras, como Lima Duarte e Uberlândia, e já tem mais dez palestras marcadas em outras unidades da SDS. Flávio Cheker aproveitou para conversar com as participantes sobre o tema e destacou como essas ações, mesmo que pequenas, ajudam no aumento da qualidade de vida e conscientização da sociedade. “São parcerias como essa que contribuem para melhorar a vida das pessoas, pois permitem que elas economizem recursos e gerenciem melhor seu orçamento. Como são pessoas de baixa renda, o resultado vem sendo muito positivo”, afirmou. Os encontros são ministrados pela supervisora de Relacionamento Comercial da Cemig, Rosilene Rocha. Ela terminou dizendo que a população deve ter a oportunidade de conhecer meios para economizar e usar a energia da melhor maneira possível: “A receptividade que temos encontrado é maravilhosa. Temos a chance de levar à população dicas cotidianas com uma linguagem informal, estreitando o relacionamento da Cemig com o consumidor”. Dúvidas freqüentes Fazendo alusões a itens como liquidificador, carregadores de celular e televisão, Rosilene teve a oportunidade de alertar as mulheres sobre simples modos de economizar, como, por exemplo, tirando os aparelhos do modo “stand by”. As donas de casa puderam esclarecer temas como direitos e deveres, mudança do dia do pagamento, descontos para beneficiários do programa Bolsa Família e Cadastro Único Para Programas Sociais do Governo federal (CadÚnico), detalhamento da conta, facilitação da visita do técnico ao medidor de energia e os perigos de riscos elétricos, como incêndios. Dona Teresa ficou viúva e passou a ser a responsável pelas despesas da casa, e no encontro, foi orientada a passar a titularidade da conta de luz para o seu nome. Já a Dona Maria relatou um problema com o código de barras da conta na hora do pagamento, e descobriu a importância de manter os documentos em perfeito estado. “O grupo Renascer é atuante em vários outros segmentos, como pastorais, grupos de bairros, amigos e família. Com isso, elas são multiplicadoras da informação, levando o conhecimento para outros espaços”, comentou a coordenadora do Cras Nordeste Grama, Cassiana Prado. Confira, abaixo, as datas e os locais dos próximos eventos: 9 de setembro: Centro Espírita D. Geni (Rua Joana Darc 172 - Santa Cruz), às 8h30. 11 de setembro: IDE (Rua Torreões 210 - Santa Luzia), às 8h30 16 de setembro: Igreja de Santa Rita (Rua Barão do Retiro 388 – Bonfim), às 14 horas. 24 de setembro: Curumim Vila Esperança (Rua 5 de Agosto s /n - Vila Esperança), às 14 horas. O Cras O Cras é a porta de entrada para os serviços da proteção básica. Presta atendimento às famílias e aos indivíduos em situação de vulnerabilidade social, com o objetivo de fortalecer os vínculos familiares e comunitários. Oferece, ainda, atendimento e acompanhamento às famílias que moram nos bairros do seu território de abrangência. Além disso, o Cras realiza atividades individuais ou em grupo e encaminha para serviços de atendimento crianças, adolescentes e idosos, entre outras atividades. ]]> 2014-09-01 08:44:09Projeto "Com Licença, Vou à Luta" inicia nova turma em curso de confeitariahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=1165025 08 Com Licenca eu vou a luta 1_195358Nesta segunda-feira, 25, a Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), em parceria com o Governo do estado, deu início à segunda turma do projeto "Com Licença, Vou à Luta". A aula inaugural contou com a presença do secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, que, ao lado dos demais parceiros do projeto, motivou as 24 mulheres que terão a oportunidade de fazer o curso de confeitaria. O público-alvo é formado por egressas do sistema prisional, participantes do Programa de Inclusão Social de Egressos do Sistema Prisional (PrEsp) e por moradoras do Bairro Vila Olavo Costa, na faixa etária acima de 18 anos. A primeira aula aconteceu na distribuidora Dispropan, onde toda a parte prática do curso será ministrada, em paralelo com capacitações na sede do Centro de Referência de Assistência Social (Cras) Sudeste Olavo Costa. As mulheres começaram as atividades assistindo a vídeos da primeira turma - cuja formatura aconteceu no início do mês - que serviu de inspiração para o início desse novo ciclo. Em seguida, elas conheceram as instalações das cozinhas e já puderam aprender sobre normas de funcionamento e técnicas iniciais. “Para nós é uma satisfação muito grande a realização desta segunda turma. Vemos as experiências que deram tão certo na primeira turma e, mesmo sendo um projeto de parceria da SDS com o Governo do estado - que tem prazo para acabar - estamos avaliando a possibilidade de estender essa iniciativa, viabilizando mais turmas para o futuro. É uma chance muito grande para o empreendedorismo pessoal, para que elas sejam donas do próprio negócio, como aconteceu com muitas mulheres da outra turma. Mesmo com alguma dificuldade, elas não podem desanimar”, afirmou Flávio Cheker. A frase do escritor Roberto Shinyashiki, que está estampada no banner do projeto, é um dos lemas da turma: “Tudo que um sonho precisa para ser realizado é alguém que acredite que ele possa ser realizado”. E isso elas têm de sobra. “As mulheres costumam chegar assustadas, porque têm uma ideia de que o chef de cozinha é rígido, mas aqui nós mostramos que elas podem contar com a gente. Muitas mulheres da outra turma já estão empregadas, e esperamos, mais uma vez, um grande sucesso”, destacou o chef Alexandre Soares, técnico da Dispropan, que vai ministrar as aulas práticas. Uma vida na cozinha Luzia de Fátima, uma das novas alunas do curso, aguardava ansiosa para começar as aulas: “Conheci o projeto por causa da minha cunhada, que se formou agora em agosto, e hoje já vende bolos para fora. Já me entusiasmei quando ouvi sobre o curso. Esperei muito por essa vaga”. Por outro lado, existem mulheres que já têm certa experiência na cozinha e, agora, querem se profissionalizar. “Já sou cozinheira, mas sempre tive vontade de aprender mais. Meu foco agora é na produção de bolos e doces”, apontou a aluna Maria Cecília Diógenes. Uma alteração para essa segunda turma é o tempo das aulas, que terão duração de quatro horas. “Na última turma, as alunas tiveram muito interesse em receitas diferentes, como a do brownie. Agora, teremos mais tempo para trabalhar dentro da cozinha”, comentou Alexandre. O projeto O "Com Licença, Vou à Luta" é voltado para mulheres de baixa escolaridade, em situação de vulnerabilidade, com o objetivo de oportunizar o ingresso no mercado de trabalho com qualidade e espírito empreendedor. O projeto está incluído no “Plano de Ações Integradas” na Vila Olavo Costa e no “JF+Vida - Plano Municipal Integrado sobre Crack, Álcool e Outras Drogas”. A iniciativa compreende três módulos: formação para a cidadania, qualificação profissional e inserção no mercado de trabalho e elevação de escolaridade. O projeto ainda conta com a parceria do bistrô Savoir-Faire. ]]> 2014-08-25 09:16:11SDS e UFJF firmam parceria para desenvolver projeto de segurança alimentar nos Curuminshttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=1164813 05 curumim s benedito_155745A Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), firmou na sexta-feira, 22, uma parceria com a Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), para desenvolver um projeto de segurança e educação alimentar nas unidades do programa Curumim. A iniciativa visa trabalhar, junto às crianças e adolescentes, os conceitos de segurança alimentar e nutricional, soberania alimentar e o direito humano à alimentação adequada. Mais de mil crianças e adolescentes serão atendidos pelo projeto, que tem vigência de cinco anos. Para o secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, trata-se de um grande avanço na área de segurança alimentar e nutricional: “Dentre as várias ações de segurança alimentar que desenvolvemos na PJF, através da SDS, essa é uma que vem trazer um grande ganho para a gestão e para a população em geral. O convênio com a UFJF, através do corpo docente e dos alunos, nos auxilia na disseminação das práticas e da cultura da segurança alimentar. Tendo execução imediata através dos Curumins, o projeto chega de imediato à população, seja na melhor qualidade da alimentação, seja nas boas práticas alimentares, que são essenciais nos dias de hoje”. O projeto tem o objetivo de conscientizar as crianças e adolescentes sobre o direito humano à alimentação adequada e os princípios da segurança alimentar e nutricional. Para isso, será aplicado, primeiramente, um questionário oral, a fim de conhecer os hábitos alimentares dos educandos. As crianças e adolescentes passarão também por uma avaliação antropométrica e serão acompanhadas periodicamente. A iniciativa prevê, ainda, a realização de oficinas culinárias com os educandos, aproveitando integralmente os alimentos, além do incentivo à alimentação saudável por meio de materiais educativos, brincadeiras lúdicas e campanhas de conscientização. O material de apoio conta com cartilhas, cartazes e livros para colorir, entre outros. Além disso, o projeto auxilia também os alunos do curso de Nutrição, pelo fato de aliar a prática do exercício profissional à vida acadêmica, complementando as questões teóricas ensinadas na sala de aula. Ao mesmo tempo, promove, ainda, a integração dos estudantes com a realidade das comunidades. “Os alunos do Diretório Acadêmico da Faculdade de Nutrição demonstraram muito interesse no trabalho de segurança alimentar que já vinha sendo desenvolvido entre a SDS e a UFJF, e resolveram que poderiam criar uma parceria ainda maior. A partir daí, foi desenvolvido um novo projeto, mais abrangente, com foco em atividades práticas para os pais e lúdicas para as crianças”, comentou a professora do curso de Nutrição e orientadora do projeto, Larissa Mendes. Acesso à alimentação saudável Desde fevereiro de 2010, a alimentação foi incluída entre os direitos sociais previstos na Constituição Federal. Esta inclusão foi resultado da concepção de que é direito, de cada pessoa, ter o acesso físico e econômico à alimentação adequada ou aos meios para obter estes alimentos, sem comprometer os recursos de outros direitos fundamentais, como saúde e educação. Em Juiz de Fora, a sociedade civil organizada, através de seus movimentos sociais, sindicatos e pastorais, vem discutindo segurança alimentar desde 1999. O Conselho Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional (Comsea/JF) foi criado em 2007. Hoje, Juiz de Fora tem o direito à alimentação adequada fundamentado na nova Lei Orgânica do Município. ]]> 2014-08-25 09:13:00SDS desenvolve projeto focado na arte do xadrez para crianças, adolescentes e idososhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=1164521 08 Projeto de Xadrez Curumim_184111A Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) está desenvolvendo um projeto voltado para o ensino do jogo de xadrez, aliado ao trabalho de habilidades sociais, para os atendidos pelos Curumins, Associação Atlética Banco do Brasil (AABB) Comunidade, Casa do Pequeno Artista e Centro de Convivência do Idoso (CCI). Para dar início aos trabalhos, será realizado nesta sexta-feira, 22, o primeiro módulo da capacitação dos educadores sociais, que serão responsáveis por implantar o projeto em suas respectivas unidades. A ideia é oferecer, através do jogo de tabuleiro, um percurso de desenvolvimento pessoal e social que possa ser implementado em vários ciclos nas unidades. O projeto será executado de setembro a novembro, focado em aulas com atividades lúdicas, jogos preparatórios e desenvolvimento das técnicas do jogo. Em dezembro, as crianças, adolescentes e idosos participarão de um torneio. Desenvolvimento de habilidades sociais O xadrez serve de instrumento ao desenvolvimento de várias habilidades sociais para os usuários das unidades, que serão estimulados pelos técnicos e profissionais já capacitados. Dentre as habilidades, estão: assertividade, capacidade de fazer amizades, empatia e civilidade, busca de solução para problemas interpessoais e acadêmicos, além de autocontrole e expressividade emocional. Flávio Cheker, secretário de Desenvolvimento Social e um dos idealizadores do projeto, reforça que o xadrez é uma atividade reconhecida em todo o mundo. “O jogo tem grande potencial de formação intelectual, de concentração e sociabilidade, favorecendo o raciocínio abstrato. Diversos países o adotam como componente de formação escolar, bem como de formação da cidadania num sentido mais amplo. Possibilitar às crianças e jovens o domínio e a prática do xadrez é investir na formação de pessoas saudáveis e equilibradas”, afirma. O supervisor dos Serviços de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, Leandro Barros Ribeiro, reafirma a melhora do rendimento escolar com a prática do jogo: “Promovemos o xadrez, inicialmente, pelo desenvolvimento da técnica: eles vão brincando, aprendendo, mas conseguem aprimorar e se revelar exímios jogadores. Por consequência, o jogo serve de ferramenta para desenvolvimento cognitivo e social. Algumas crianças são mais agitadas e, com o xadrez, elas conseguem focar mais nos estudos e podem aplicar as normas aprendidas no jogo na própria rotina”, destaca. Capacitações dos educadores As capacitações para os educadores dos serviços serão realizadas na sede da Universidade Aberta e Integrada de Minas Gerais (Uaitec), localizada na Rua Halfeld, 1.252. O primeiro módulo será feito nesta sexta-feira, das 8 às 11 horas. O segundo e o terceiro módulo serão ministrados, respectivamente, nos dias 1° e 8 de setembro, das 13 às 17 horas. Após o término das capacitações, o projeto será, efetivamente, implantado nas unidades. Os serviços Os Curumins atendem crianças e adolescentes com idades entre 5 e 14 anos. Os educandos frequentam os núcleos no contraturno escolar, recebendo apoio psicopedagógico e participando de atividades esportivas, recreativas, culturais e artísticas. A Casa do Pequeno Artista atende, diariamente, cerca de 150 adolescentes de 12 a 17 anos, em situação de vulnerabilidade pessoal e ou social. A unidade oferece aos participantes oficinas de música, dança, comunicação artística, artes e informática. Já a AABB Comunidade, realizada em parceria com a Federação Nacional de Associações Atléticas do Banco do Brasil (Fenabb) e com a Fundação Banco do Brasil (FBB), tem como objetivo apoiar as famílias no processo de formação de adolescentes, entre 12 e 17 anos, por meio de atividades ligadas à cultura e ao esporte. O CCI, por sua vez, realiza ações visando a garantir o envelhecimento saudável no município. Entre as atividades oferecidas, estão aulas de ginástica, dança, trabalhos manuais, teatro, jogos, ioga e aulas de informática. Todos os serviços são geridos pela SDS e executados pela Associação Municipal de Apoio Comunitário (Amac). * Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Social, pelo telefone 3690-8314, ou com a Amac, pelo telefone 3690-7945. SDS ]]> 2014-08-21 09:06:51Cidadãos em situação de rua visitam parque do Museu Mariano Procópiohttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=1164112 08 Visita do Centro POP 4_174541A Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) promoveu na tarde desta terça-feira, 12, um passeio com 15 assistidos do Centro de Referência Especializado Para População em Situação de Rua (Centro Pop) e da Casa da Cidadania. Eles tiveram a oportunidade de conhecer o parque do Museu Mariano Procópio – muitos pela primeira vez – e desfrutarem do contato com a natureza durante toda a tarde. A programação começou com uma recepção aos atendidos, que puderam aproveitar a sombra das árvores para pintar e interagir com o ambiente. Em seguida, o grupo teve as orientações para o passeio, que durou até o fim da tarde. Com a presença de um guia, os visitantes caminharam por toda a área verde do parque, onde perguntaram sobre as plantas e viram de perto os animais, como cisnes e tartarugas. Enquanto caminhava pela trilha, um casal, de mãos dadas, observava os pássaros e conversava com os amigos sobre o descarte correto do lixo, os monumentos históricos e as mudanças que o local sofreu ao longo do tempo. Amaro Emílio, um dos assistidos pelo Centro Pop, já faz planos para uma nova visita, que será em setembro: “Eu venho aqui desde criança, mas hoje foi diferente. Na próxima vez vou trazer o violão, para aproveitarmos ainda mais esse espaço. Gostei muito da caminhada de hoje”. Para concluir o passeio, eles tiveram uma dinâmica que abordou a preservação e a conscientização do patrimônio histórico, frisando que todos são responsáveis e convidados a conhecer o espaço. Depois do lanche, produziram cartões postais, que puderam enviar para familiares e amigos. “Pela oportunidade de saírem da zona de conforto, aprenderem sobre a história do local e seus monumentos, e ainda conhecerem suas belezas naturais, já valeu a caminhada”, destacou Auzenda Maria Villela, supervisora de Atenção à População em Situação de Rua, que acompanhou a visita. Serviços para população em situação de rua O Centro Pop oferece refeições, acompanhamento psicossocial e oficinas artísticas, entre outras atividades voltadas para a reinserção na sociedade do cidadão em situação de rua, buscando sempre referenciar os atendidos às suas respectivas famílias. O centro tem capacidade para atender, em média, 120 pessoas por dia, e funciona na Rua Oswaldo Veloso, 190, no Centro. Já a Casa da Cidadania realiza o acolhimento institucional destes cidadãos, que se encontram também em situação de alto risco e vulnerabilidade social. A Casa da Cidadania fica na Alameda Silva Mello Reis, 6.001, Bairro Jardim Esperança. O cidadão pode ter acesso aos serviços por demanda espontânea, quando procura a unidade, ou através do serviço de abordagem, que pode ser solicitado por qualquer pessoa, pelo telefone 3690-7770. ]]> 2014-08-12 08:56:35"Agosto Negro" - Evento que debate realidade da população negra em Juiz de Fora começa nesta segunda-feirahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11639 Fonte: NUCOM/Estácio de Sá Juiz de Fora[/caption]Juiz de Fora recebe, a partir desta segunda-feira, 11, uma série de atividades voltadas para a realidade da população negra no município, incluídas no evento “Agosto Negro”. A Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), através do Departamento de Políticas para a Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos (DPCDH), é parceira na iniciativa, que está inserida nas atividades do projeto “Ciranda Cidadã”. O objetivo do evento é discutir a situação do jovem negro por meio de palestras, mesas de debates e discussões durante todo o mês. A cultura hip hop será o pano de fundo para as atividades, que também contarão com apresentações musicais e bate-papos sobre o tema. Nesta segunda-feira, 11, às 19 horas, será realizada a abertura do “Agosto Negro”, na Faculdade Estácio de Sá, com uma mesa-redonda. A partir daí, o projeto será dividido em duas etapas: até 26 de agosto, os bairros Benfica, Retiro, Olavo Costa e Bom Jardim vão receber, em escolas e centros, diversas atividades que chamem atenção para essa realidade e promovam um momento de reflexão. Nos dias 27, 28 e 29 de agosto, os debates serão no Museu do Crédito Real, localizado na Avenida Getúlio Vargas, 455, que sediará palestras com representantes da cultura hip hop, como o ativista do movimento “Favela não se cala”, André Constantini, e o rapper P.MC. Toda a programação é gratuita e aberta à população. Agosto foi escolhido para tratar da cultura negra por ser o mês em que o pacifista Martin Luther King fez o discurso em prol da liberdade e justiça social, no ano de 1963, em Washington, nos Estados Unidos. O Brasil já possui movimentos como esse há vários anos, e, em Juiz de Fora, o assunto é debatido há uma década, principalmente por grupos de hip hop. Neste ano, o DPCDH apoia a causa junto com outras entidades, como o Núcleo de Assessoria Jurídica Popular da Universidade Federal de Juiz de Fora (Najup), o Coletivo de Mulheres Negras (Candaces) e o Coletivo Vozes da Rua, todos núcleos que já lutavam contra a discriminação racial. Para Giane de Almeida, supervisora de Direitos Humanos e Cidadania do DPCDH, ampliar o debate para vários pontos da cidade é importante para reverter o atual cenário de violência e discriminação contra a pessoa negra. “Essa ação é um movimento nacional de basta à violência contra esse grupo. É uma forma de fortalecer esse combate”, ressalta. Ciranda Cidadã A Ciranda Cidadã, projeto que também será desenvolvido durante o “Agosto Negro”, pretende trazer uma atenção especial para a população negra, a mulher e a população LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais) de Juiz de Fora. A iniciativa é uma ação pioneira no município, que objetiva realizar ações de garantia e promoção de direitos humanos para populações marginalizadas, além de promover ações educativas direcionadas aos servidores das secretarias de Desenvolvimento Social e Saúde, preparando-os para atender melhor o público em questão. * Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Social, pelo telefone 3690-8314. SDS ]]> 2014-08-11 08:49:10Comam anuncia procedimentos necessários para o encaminhamento de pedidos de auxílio-moradiahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11636120026A Comissão Municipal de Auxílio-Moradia (Comam) anunciou na tarde dessa quinta-feira, 7, o novo instrumento de encaminhamento de solicitações de auxílio-moradia. A comunicação foi feita durante reunião com representantes de toda a rede responsável por encaminhar os pedidos dos beneficiários à comissão. A rede é composta pelo Centro de Referência de Assistência Social (Cras), Vara da Infância e da Juventude, Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), Centro Pop e casas de acolhimento de crianças e adolescentes e de adultos, além da Defesa Civil. Durante o encontro foram abordados os procedimentos necessários para o correto encaminhamento dos pedidos de auxílio-moradia. Um dos pontos diz respeito ao nome do beneficiário que consta no relatório enviado à Comam. Esse nome deve ser o mesmo registrado na carteira de identidade do cidadão, sendo que qualquer diferença inviabiliza o pagamento. Além disso, os documentos solicitados após deferimento do beneficio (contrato do imóvel alugado, carteira de identidade ou registro geral/RG, cadastro de pessoa física/CPF e telefones de contato do beneficiário e do proprietário) são condições para a liberação do pagamento. O beneficiário, por sua vez, deverá dar entrada no processo, com a documentação necessária, em até três meses. Caso isso não ocorra, ele terá o benefício cancelado. Foi anunciado, também, que o controle da permanência do usuário no auxílio-moradia e o encaminhamento de relatórios solicitando prorrogação ou suspensão do benefício deverão ser realizados, exclusivamente, pelos Cras, Creas e pela Defesa Civil. “O objetivo do encontro foi fazer um alinhamento sobre o processo de solicitação do benefício. A reunião foi muito significativa e relevante, pois contou com representantes da rede encaminhadora pela primeira vez na história da Comam. A partir das reflexões, percebemos a necessidade de dar continuidade a esses encontros. Deixamos pactuado que, em uma próxima reunião, aprofundaremos a discussão sobre a porta de saída das famílias beneficiadas pelo auxílio-moradia”, afirmou o presidente da Comam, Lindomar José da Silva. Auxílio-moradia O auxílio-moradia, benefício instituído pela Lei Municipal nº12.060/2010, destina-se ao apoio financeiro ao beneficiário para a locação de imóvel em lugar seguro, e será concedido por deliberação da Comam, pelo prazo de seis meses, podendo ser prorrogado por igual período. O programa destina-se a socorrer e assistir famílias que se encontram em situação de vulnerabilidade socioeconômica e apresentam o problema da habitação como fator desestruturante da relação. Os beneficiados devem possuir renda familiar mensal de até dois salários mínimos e residir em áreas onde há indicação da Defesa Civil de risco habitacional e/ou ambiental. A comissão A Comam tem como objetivos deliberar sobre o reconhecimento da situação de vulnerabilidade ou risco habitacional, detalhando procedimentos para a concessão do auxílio-moradia; indicar solução habitacional definitiva para a família beneficiária, encaminhando os responsáveis aos órgãos competentes; e orientar os beneficiários sobre os meios para conquista de autonomia financeira, encaminhando seus membros aos órgãos competentes. Instalada em setembro do ano passado, a comissão conta com representantes das secretarias de Desenvolvimento Social (SDS), de Administração e Recursos Humanos (SARH), de Atividades Urbanas (SAU), de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Geração de Emprego e Renda (Sdeer), de Saúde (SS) e de Meio Ambiente (SMA), além da Empresa Regional de Habitação de Juiz de Fora (Emcasa) e da Defesa Civil. *Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Social, pelo telefone 3690-8314. SDS ]]> 2014-08-08 08:45:15“Pratas da Casa” – Unidades do Curumim desenvolvem projeto de literatura baseado em obras de escritores da cidadehttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11633120048As unidades do Curumim, programa da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), executado pela Associação Municipal de Apoio Comunitário (Amac), iniciam, a partir desta quinta-feira, 7, o projeto “Pratas da Casa”. A iniciativa faz parte das oficinas de leitura e escrita, e visa a despertar o interesse literário e desenvolver as capacidades artísticas, de leitura e escrita das crianças e adolescentes atendidos pelo serviço. Planejado no final de 2013, o projeto consiste em apresentar aos jovens beneficiários o mundo da literatura, através das obras de escritores da cidade. Para a primeira edição, foi escolhido o autor Marcelo Manhães. Marcelo é autor e ilustrador de diversas obras, muitas delas premiadas, nas quais aborda temas como meio ambiente, valores, folclore e questões como preconceito, segregação e conflitos. Em junho, o escritor ministrou uma palestra para os educadores dos Curumins, que puderam conhecer a fundo seus livros e entender sua metodologia. Com o conhecimento adquirido, os educadores desenvolverão seus trabalhos com as crianças e adolescentes. O projeto “Pratas da Casa” será iniciado no Curumim Benfica, nesta quinta, onde será apresentado para os educandos. Ao longo dos meses de agosto e setembro, serão realizadas rodas de conversa sobre a importância da leitura e trabalhos desenvolvidos com base em duas obras de Marcelo Manhães: “O Dragão e a Formiga Formidável” e “O Peixe”. Cada unidade trabalhará uma obra diferente do autor e, em outubro, o Centro Cultural Bernardo Mascarenhas (CCBM) receberá uma exposição com os trabalhos de todos os Curumins. 3ª Mostra Literária e Cultural O “Pratas da Casa” fará parte da 3ª Mostra Literária e Cultural, em novembro. O evento, uma iniciativa da Casa do Pequeno Artista, da Associação Atlética Banco do Brasil (AABB) Comunidade e das unidades do programa Curumim, vai apresentar o resultado do trabalho executado com as crianças e adolescentes atendidos nos programas, nas oficinas de Leitura e Escrita, Artes, Teatro e Circo. O escritor Marcelos Manhães é presença confirmada na mostra. Os Curumins O programa Curumim atende mais de mil crianças e adolescentes em Juiz de Fora, através de oito unidades, localizadas nos bairros São Pedro, Bonfim, Santa Luzia, São Benedito, Vila Olavo Costa, Jóquei Clube, Benfica e Vila Esperança. Os beneficiários do programa frequentam os núcleos no contraturno escolar, recebendo apoio psicopedagógico e participando de atividades esportivas, recreativas, culturais e artísticas. * Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Social, pelo telefone 3690-8314, ou com a Amac, pelo 3690-7945. SDS ]]> 2014-08-06 08:39:59“Ciranda Cidadã” – Secretarias de Desenvolvimento Social e Saúde desenvolvem trabalho inédito voltado a raça e gênerohttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=1162606 08 ciranda cidada_125125A Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), através do Departamento de Políticas para a Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos (DPCDH), oficializou, na última sexta-feira, 1º, uma parceria com a Secretaria de Saúde (SS), que pretende trazer uma atenção especial para a população negra, a mulher e a população LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais) de Juiz de Fora. O projeto “Ciranda Cidadã”, ação pioneira no município, objetiva promover ações de garantia e promoção de direitos humanos para populações marginalizadas, além de promover ações educativas direcionadas aos servidores da SDS e SS, preparando-os para atender melhor o público em questão. O plano foi elaborado pela supervisora de Direitos Humanos e Cidadania do DPCDH, Giane Almeida, e pelo médico da equipe do programa Saúde da Família, da SS, Marcelo Campos. A iniciativa está dividida em duas frentes principais: o subprojeto "Coisas do Gênero", um conjunto de ações que buscam garantir e promover direitos humanos a partir da compreensão do conceito de gênero; e o subprojeto "Raça Forte", que busca garantir e promover direitos humanos a partir da compreensão das relações raciais no Brasil e das demandas relativas à população negra. Todas as ações serão levadas até os técnicos dos equipamentos da SDS e da SS. A partir destas duas ações principais, o “Ciranda Cidadã” pretende, também, levantar dados para a elaboração de estatísticas relativas a este público. "Nosso maior objetivo é introduzir uma cultura de direitos humanos na administração pública de Juiz de Fora. Somente a partir desta cultura poderemos, finalmente, implementar as políticas e diretrizes nacionais instituídas para as populações marginalizadas", afirma Giane. Ações já em andamento As atividades do Ciranda Cidadã já começaram. O "Preservativo na Pista", iniciado na última semana, faz a distribuição de preservativos e de cartilha educativa para profissionais do sexo, com foco nos travestis e transexuais. Os "Conceitos em Ciranda" contribuem para o entendimento das questões de gênero no cotidiano do trabalho. Estão programados, também, os "Encontros na Roda", que busca aproximação com o público atendido pelas unidades, discutindo as temáticas do projeto. Além disso, haverá o "Polícia para Quem Precisa", que fará uma frente de diálogo com a Polícia Militar para a proposição de estratégias abordando as temáticas raciais e, principalmente, de gênero. A previsão é de que as ações se estendam até agosto de 2015. Após a finalização das atividades, haverá uma avaliação, o monitoramento dos resultados e, por fim, a elaboração de um relatório das atividades. A concepção do projeto A “Ciranda Cidadã” se constitui num plano de trabalho que tem como filosofia de atuação as construções coletivas que são realizadas no ritmo de uma ciranda: a roda, as mãos dadas, o passo adiante e atrás, que dão ritmo e fazem a ciranda girar. Com base nessa filosofia, todo o processo de trabalho é influenciado por uma pedagogia afrocentrada, em que a valorização das relações, dos encontros, dos fracassos e sucessos são compreendidos como parte importante e indispensável para que a vida aconteça. O entendimento de que a doença não se resume apenas às determinações biológicas é o principal motivador para o estabelecimento de uma parceria entre a SDS e a SS, centrada num conjunto de ações que terão como finalidade a garantia e promoção de direitos humanos. Sendo assim, a proposta de atuação se organiza a partir de duas linhas de atuação: promoção e garantia de direitos de populações marginalizadas e práticas educativas de promoção de direitos humanos. “Estamos realizando, através de parcerias formalizadas, como essa, a prática da intersetorialidade, tão necessária às políticas públicas, sobretudo no âmbito da saúde e da assistência social. Trata-se de um projeto inédito no município, cujos benefícios são imensos, com um baixo custo para sua realização”, destacou o secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker. * Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Social, pelo telefone 3690-8314. SDS ]]> 2014-08-06 08:14:20Poupança Jovem registra quase 3.900 novas adesões em Juiz de Forahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11631 2014-08-04 08:34:23SDS finaliza cadastro social dos condutores de veículos de tração animal e prepara relatório do perfil da categoriahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11629wagon-275336_1280Foi encerrado na sexta-feira, 1º de agosto, o prazo para a realização do cadastro social dos condutores de veículos de tração animal (VTA).A Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) registrou, entre os dias 28 de julho e 1° de agosto, 39 cadastros de carroceiros, número abaixo dos 50 que haviam sido mobilizados pela Associação dos Condutores de Veículos de Tração Animal de Juiz de Fora. A iniciativa buscou conhecer o perfil socioassistencial do condutor, a fim de inseri-lo em cursos de qualificação profissional e de oferecer novas oportunidades no mercado de trabalho. A partir de agora, a SDS irá elaborar um relatório do perfil dos carroceiros em Juiz de Fora. “Este cadastro social não é a autorização para o exercício da profissão. É uma maneira que encontramos para construir um plano de serviços para eles. Agora, estamos cruzando os dados e estabelecendo um diagnóstico prévio do perfil do carroceiro. A partir dos resultados obtidos poderemos encaminhá-los a qualquer um dos nossos programas”, afirmou o subsecretário de Gestão do Sistema Único de Assistência Social e Inclusão Socioprodutiva, Rogério Rodrigues. O cadastro faz parte das ações planejadas que visam o cumprimento da Lei nº 12. 928, de 12 de fevereiro de 2014, que instituiu a Política Municipal de Utilização Sustentável dos Veículos de Tração Animal. O processo de regulamentação da lei está sendo construído em conjunto com outras secretarias, como a de Governo (SG), de Transporte e Trânsito (Settra), de Saúde (SS) e de Atividades Urbanas (SAU). Após a conclusão do cadastro, os carroceiros foram orientados a entrar com pedido de licenciamento no Espaço Cidadão. Para isso, o profissional deve apresentar uma declaração expedida pela Associação dos Condutores de Veículos de Tração Animal de Juiz de Fora, atestando que ele está há pelo menos um ano realizando essa atividade. Posteriormente, os animais de tração serão avaliados e, na sequência, as carroças receberão um número de cadastro. * Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Social, pelo telefone 3690-8314. SDS ]]> 2014-08-04 08:29:41Com licença, nós fomos à luta!http://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=1162231 07 Certificacao culinaria 2_193625“Tudo o que um sonho precisa para ser realizado é alguém que acredite que ele possa ser realizado”. Há três meses, essa frase serviu de incentivo para que um grupo de mulheres desse um novo sentido às suas vidas e, assim, transformassem um sonho em realidade. Na tarde desta quinta-feira, 31, o prefeito Bruno Siqueira entregou os certificados às 23 alunas da primeira turma do projeto “Com Licença, Vou à Luta”. A cerimônia aconteceu no centro técnico da Dispropan e reuniu cerca de 80 pessoas, entre familiares das formandas, secretários municipais e representantes dos poderes Executivo e Legislativo. Em seu discurso, o prefeito parabenizou as formandas pela conquista e destacou os investimentos na área social, através da capacitação profissional: “Vocês (formandas) são um orgulho para cada um de nós, aqui, hoje. Foi através da persistência, do trabalho árduo, que hoje vocês estão concluindo esse curso. Um curso que vai abrir várias portas para vocês e para outras mulheres de Juiz de Fora, que irão ver, no exemplo de vocês, que nós temos condições de produzir ainda mais para a nossa cidade. Sem dúvida nenhuma, esse é um projeto exemplar, não apenas para o nosso município, mas para todo nosso país”. As alunas, integrantes do programa “Travessia”, do Bairro Vila Olavo Costa, e egressas do sistema prisional, concluíram o curso de panificação e confeitaria. Ao longo do curso, as mulheres tiveram a oportunidade de aprender técnicas para o preparo de doces e produtos inovadores para o mercado. Elas receberam vale-transporte, lanche e acessórios para as aulas práticas, como touca, avental e luvas. “Queria agradecer toda a parceria que nos ajudou a concluir esse curso e, principalmente, a cada uma dessas mulheres, porque se elas não tivessem acreditado nelas mesmas, este projeto não seria concluído. Foi o projeto que teve o maior número de pessoas, que participaram desde o início. Eu tenho muito orgulho de vocês (formandas)”, afirmou a representante da Coordenadoria de Prevenção à Criminalidade, do Governo de Minas, Nádia Barbosa. De alunas a novas profissionais A oradora da turma, Juasina Leão de Sá, emocionou a todos com suas palavras de força e coragem: “Um belo dia, aceitamos um desafio, e todas nós gritamos: ´Com licença, vou à luta`! Neste momento, voltamos a olhar, orgulhosas, para os obstáculos que antes pareciam impossíveis de vencer e que hoje estão apagados pelo brilho da nossa vitória. Agora, cada uma de nós seguirá seu caminho, com a certeza de que tudo o que precisa para um sonho ser realizado é alguém que acredite que ele possa ser realizado”. Após a entrega dos certificados, realizada pelo prefeito Bruno Siqueira e pelos parceiros da iniciativa, as futuras confeiteiras foram homenageadas com um número musical, com a execução da música “Maria, Maria”, de Milton Nascimento, cantada em uníssono pelas formandas. Por fim, foi servido um coquetel, com produtos preparados pelas próprias mulheres. “Enfrentamos vários desafios para chegar a um momento como esse. Para nós, é muito gratificante, porque uma das missões que o prefeito nos deu no início dessa gestão foi que a cidade tivesse um investimento muito grande na área social. Esse ideal está sendo cumprido e essas mulheres, que aprenderam a fazer do sonho uma prática, são, hoje, a prova viva disso”, destacou o secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker. A solenidade, que marcou a concretização do sonho das participantes da primeira turma do projeto “Com Licença, Vou à Luta”, no município, teve a presença dos familiares de cada uma das alunas. Ao lado de filhos, maridos, netos e outros parentes, elas dividiram o sonho que parecia inalcançável e a vitória merecida. “Esse curso era uma das coisas que eu mais queria na vida. Pela primeira vez consegui me qualificar e estou muito satisfeita por isso. É um sentimento incrível”, comemorou a recém-formada, Leda Zimermann da Silva. O futuro O presidente do Sindicato das Indústrias de Panificação (Sindipan) de Juiz de Fora, Everaldo Lima de Castro, que esteve presente na cerimônia, aproveitou a oportunidade para firmar seu compromisso com as recém-formadas. Assim, o prefeito Bruno Siqueira entregou a ele a lista com os nomes e os contatos de cada uma delas. Os documentos serão repassados às padarias associadas ao sindicato, como forma de indicação das profissionais ao mercado de trabalho. Com o diploma nas mãos e um sorriso estampado no rosto, Noemi dos Reis não escondeu a felicidade por ter concluído o curso: “É uma vitória, que mostra que o importante é a motivação e a determinação. Agora, espero um futuro muito melhor. Já estou fazendo bolos e vendendo, para conseguir uma renda própria”. O projeto O projeto “Com Licença, Vou à Luta” é uma iniciativa do Governo do estado, em parceria com a Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), através da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), realizado por meio da distribuidora Dispropan e do bistrô Savoir-Faire. A iniciativa compõe o Plano de Ações Integradas na Vila Olavo Costa e tem como objetivo estimular a capacitação e a inserção de mulheres de baixa escolaridade, acima de 18 anos e em situação de vulnerabilidade no mercado de trabalho. O curso de panificação e confeitaria compreendeu três módulos: formação para a cidadania, qualificação profissional e inserção no mercado de trabalho e elevação de escolaridade. Paralelo às aulas, aconteceu, também, o módulo “Formação Para a Cidadania”, conduzido pelas assistentes sociais do Programa de Inclusão Social de Egressos do Sistema Prisional (PrEsp) e da SDS, que busca capacitar essas mulheres para o mercado de trabalho, valorizar a autoestima e informar sobre os direitos e deveres socioassistenciais do cidadão e da cidadã. A segunda turma do projeto em Juiz de Fora está prevista para começar em agosto, com término em outubro. ]]> 2014-07-31 11:02:48Secretaria de Desenvolvimento Social recebe doação de três novos veículos para os conselhos tutelareshttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=1161928 07 Carros Conselho Tutelar 1_175431Nesta segunda-feira, 28, a Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), recebeu três novos veículos da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República. Os carros, doados pelo Governo federal, serão utilizados para o trabalho diário realizado pelos conselhos tutelares do município. Os carros, assim como bebedouros, computadores e impressoras recebidos para a equipagem dos conselhos, foram adquiridos sem contrapartida da Prefeitura. Além dos kits destinados a cada um dos conselhos tutelares, a SDS viabilizou a aquisição de cadeirinhas de automóvel para crianças, visando a adequação ao Código de Trânsito Brasileiro. Dos três carros que atualmente são destinados às atividades dos conselheiros, dois são alugados. Dessa forma, além de garantir a economia de recursos públicos, a obtenção dos novos veículos trará mais conforto e segurança a cada um dos conselhos. “De um lado, estamos muito satisfeitos em vermos atendida a nossa solicitação junto ao Governo federal, que nos enviou esses três novos automóveis, bem como equipamentos e computadores que são essenciais para a atuação dos conselhos. Além disso, fizemos questão de equipá-los aqui na secretaria com cadeiras próprias para o transporte de crianças. No entanto, nós, infelizmente, temos ainda uma situação a ser resolvida, relacionada à composição dos conselhos tutelares, que está pendendo de decisão judicial”, destacou o secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker. Conselhos tutelares Os conselhos tutelares são responsáveis por zelar pelo cumprimento dos direitos da criança e do adolescente, definidos na Lei Federal nº 8.069, de 13 de julho de 1990. Denúncias de abuso, violência, maus tratos ou abandono devem ser notificadas, anonimamente ou não, ao conselho tutelar mais próximo. Confira, abaixo, a relação dos conselhos tutelares de Juiz de Fora: Conselho Tutelar Sul / Oeste Avenida Presidente Itamar Franco, 992 - Centro Tel.: 3690-7397 Conselho Tutelar Leste Rua Vitorino Braga, 126 – Vitorino Braga. Tel.: 3690-7390 Conselho Tutelar Sul Centro / Norte Avenida Brasil, 9.501 – São Dimas Tel.: 3690-7398 *Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Social, pelo telefone 3690-8314. SDS ]]> 2014-07-28 10:54:01Família reencontra irmão 36 anos depois como cidadão em situação de rua em Juiz de Forahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11615 2014-07-24 09:49:58Técnicas da SDS visitam o Centro-Dia da Pessoa com Deficiência, em Campinashttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=1161224 07 visita campinas pjf_114315A chefe do Departamento de Regulação e Acompanhamento de Convênios, Ana Paula Medeiros, e a supervisora de Regulação de Convênios, Silvana Galliano, da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) da Prefeitura de Juiz de Fora (SDS), visitaram nessa quarta-feira, 23, o Centro-Dia da Pessoa com Deficiência, na cidade de Campinas (SP). As profissionais da SDS conheceram as instalações da unidade e puderam entender o funcionamento dos serviços oferecidos pelas equipes. O Centro-Dia da Pessoa com Deficiência foi implantado, em Campinas, em novembro de 2013. O equipamento é citado como referência pelo Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) e tem como objetivo resgatar a autoestima da pessoa com deficiência, assim como, fornecer a autonomia necessária para exercício da cidadania. O serviço recebe pessoas com qualquer tipo de deficiência, seja auditiva, intelectual, visual ou física, que estejam em situação de dependência, e suas famílias/cuidadores, que se encontram em situação de pobreza e/ou risco por violação de direitos. Segundo Ana Paula, a visita foi fundamental para entender o funcionamento do Centro-Dia e trazer as informações para a possível implementação de uma unidade em Juiz de Fora. “Pudemos verificar a eficiência do projeto e acompanhar de perto a parceria que existe entre o município e a entidade”, explicou. Após a visita ao local, as técnicas participaram de uma reunião para o esclarecimento de dúvidas relacionadas à implantação do equipamento, desde as etapas do processo até a assinatura do cofinanciamento com a entidade que faz a execução do trabalho. Em Campinas, a entidade Sorri Campinas é quem executa o serviço de proteção social especial para pessoas com deficiência. * Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Social, pelo telefone 3690-8314. SDS ]]> 2014-07-24 09:35:26Representantes da Prefeitura de Congonhas visitam unidades da Secretaria de Desenvolvimento Social da PJFhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=1160823 07 Representantes de Congonhas_164509Uma equipe de profissionais da Prefeitura de Congonhas (MG) esteve em Juiz de Fora nesta quarta-feira, 23, para conhecer os serviços da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), voltados para a população em situação de rua e para os idosos. O grupo visitou o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) Idoso/Mulher, o Centro de Convivência do Idoso (CCI), o Centro de Referência Especializado para População de Rua (Centro Pop), o Núcleo Cidadão de Rua e a Casa da Cidadania. Coordenadores e responsáveis pelos equipamentos da PJF passaram um pouco de suas experiências e conhecimentos práticos para os dez visitantes, entre eles, o secretário de Desenvolvimento e Assistência Social de Congonhas, Ronaldo Rodrigues de Assunção. Durante a manhã, eles foram recepcionados na sede da SDS e, posteriormente, visitaram o Creas Idoso/ Mulher, o CCI, o Centro Pop e o Núcleo do Cidadão de Rua. À tarde, a equipe conheceu a Casa da Cidadania. Ronaldo Rodrigues destacou a importância da visita: “Decidimos vir até o município de Juiz de Fora depois de um estudo que realizamos e que nos mostrou que aqui é desempenhado um ótimo trabalho com a população de rua e com os idosos. Essa é a nossa oportunidade de conferir o desenvolvimento dessas políticas de perto e levar o conhecimento adquirido a Congonhas. Até porque, no caso da população de rua, não temos ainda equipamentos para atender a demanda, apenas o serviço de migração”, afirmou. “É uma grande honra para a Prefeitura de Juiz de Fora, e ao mesmo tempo um grande incentivo para o nosso trabalho, receber uma delegação de Congonhas, cidade próxima à capital, e que vem até nós, conforme disseram, por terem pesquisado e nos descoberto como uma referência no trabalho da assistência e do desenvolvimento social, e sobretudo nas ações voltadas para a população de rua”, destacou o Secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker. Desde o início da gestão, a SDS recebeu diversos representantes de cidades mineiras que buscaram conhecer os serviços desenvolvidos no município. Entre os visitantes, já estiveram profissionais de Pedro Leopoldo, Lavras, Dores do Turvo e Ubá. As unidades O Centro Pop oferece refeições, acompanhamento psicossocial e oficinas artísticas, entre outras atividades voltadas para a reinserção do morador em situação de rua na sociedade, buscando sempre referenciar os atendidos às suas respectivas famílias. A unidade conta, ainda, com uma biblioteca e uma sala de artes, para a promoção de oficinas de artesanato. O centro tem capacidade para atender, em média, 120 pessoas por dia. A unidade funciona na Rua Oswaldo Veloso, 190, Centro. O Núcleo do Cidadão de Rua atende a população adulta em situação de vulnerabilidade social e pessoal e que vive nas ruas de Juiz de Fora. Os moradores de rua que chegam ao núcleo, além da possibilidade de pernoitar, recebem alimentação e cuidados com higiene. Todo esse trabalho é supervisionado por uma equipe técnica multidisciplinar. O núcleo possui 134 leitos masculinos e 16 femininos, e fica na Rua José Calil Ahouagi, 592, Centro. Além desses dois equipamentos, Juiz de Fora conta com outra unidade socioassistencial voltada para a população em vivência de rua: a Casa da Cidadania. Esse equipamento realiza o acolhimento institucional destes cidadãos, que se encontram também em situação de alto risco e vulnerabilidade social. A Casa da Cidadania fica na Alameda Silva Mello Reis, 6.001, Bairro Jardim Esperança. O Creas Idoso/Mulher é responsável pela oferta de atenções especializadas de apoio, orientação e acompanhamento a indivíduos e famílias com idosos e/ou mulheres em situação de ameaça ou violação de direitos. A unidade fica na Praça Presidente Antônio Carlos, 371, Centro. O telefone de contato é o 3690-8483. Já o CCI é um serviço que realiza ações visando a garantir o envelhecimento saudável no município. Entre as atividades oferecidas, estão aulas de ginástica, dança, trabalhos manuais, teatro, jogos, ioga e aulas de informática. A unidade, que realiza, mensalmente, cerca de 5.500 atendimentos, fica na Rua Espírito Santo, 434, no Centro. Todos os serviços são geridos pela Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), com execução da Associação Municipal de Apoio Comunitário (Amac). *Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Social, pelo telefone 3690-8314. SDS ]]> 2014-07-23 09:29:15“Festival de Pipas” leva diversão e integração aos Curumins Santa Rita e Santa Luziahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=1160518 07 Festival de Pipas 3_181512Quem passou pelas imediações dos Curumins Santa Rita e Santa Luzia, nesta sexta-feira, 18, presenciou um espetáculo diferente. As unidades promoveram um “Festival de Pipas”, voltado para crianças e adolescentes atendidos pelos equipamentos. A ação aconteceu durante o período da manhã, na unidade Santa Rita, e durante a tarde, na unidade Santa Luzia, fazendo a festa de aproximadamente cem educandos. O passatempo proporcionou lazer e interação entre os educandos, mas sem esquecer da segurança. Os educadores aproveitaram a oportunidade para falar dos perigos do cerol e lembrar às crianças que devem sempre se divertir sem abrir mão da responsabilidade. A confecção das pipas também atraiu a atenção das meninas, que puderam contribuir com suas habilidades manuais e também desfrutaram da atividade. Com a ação proposta, os Curumins procuraram reverter a baixa presença dos atendidos, que é comum na época de férias escolares. As próprias unidades entram em férias a partir de hoje, acompanhando o calendário escolar. “Organizamos uma última semana bastante atrativa para as crianças. Com as férias escolares e a Copa do Mundo que passou, a presença dos atendidos caiu bastante. Fizemos então a nossa já tradicional festa julina, na quarta-feira, e encerramos com o festival de pipas hoje” comenta a coordenadora do Curumim Santa Rita, Luciana de Almeida. O programa O Curumim é um programa que busca estimular a formação cidadã de crianças e adolescentes através de práticas esportivas, artísticas e culturais. Além disso, são ofertadas duas refeições diárias e espaço para os jovens estudarem. O município conta com oito unidades do projeto, localizadas nos bairros Bonfim, Vila Esperança, São Benedito, São Pedro, Santa Luzia, Jóquei Clube, Benfica e Vila Olavo Costa. A unidade do Curumim Santa Rita fica na Rua Américo Lobo, 2.005 – Bairro Bonfim. Já a unidade de Santa Luzia fica na Rua Ibitiguaia, 1.240. * Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Social, pelo telefone 3690-8314, ou com a Amac, pelo telefone 3690-7945. SDS ]]> 2014-07-18 09:18:22Famílias se reúnem para realizar sonho de adolescentes em situação de acolhimento temporáriohttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=1160218 07 Acolhimento temporario_173532O sonho dos 15 anos nem sempre pede valsa e vestidos de princesa, mas ainda povoa o imaginário de muitas jovens brasileiras. Neste mês, duas meninas assistidas pelo serviço “Família Acolhedora” conseguiram viver toda esta magia, graças a iniciativa de suas famílias temporárias, que se uniram para realizar o desejo das adolescentes. O dinheiro para a festa foi arrecadado com o sorteio de uma cesta com produtos de beleza doados por amigos e familiares. Foram conseguidos mais de 20 itens, entre perfumes, hidratantes e creme de barbear. A iniciativa funcionou e, com uma ajudinha de um buffet, que também ofereceu um desconto especial, foi possível reunir os amigos das duas jovens que vivem em situação de acolhimento temporário. O Serviço de Acolhimento em Família Acolhedora destina-se a receber crianças e adolescentes vítimas de abandono, negligência, violência física, psicológica ou sexual, que necessitam ser afastados, temporariamente, de suas famílias. Qualquer família que esteja na faixa etária entre 25 e 65 anos e tenha disponibilidade de tempo para cuidar do acolhido, gozando de boa saúde física e mental, pode se tornar “acolhedora”. Aline Elisa de Castro Souza integra o serviço desde 2009, estando em seu terceiro acolhimento. Além da adolescente que está sobre sua guarda no momento, ela tem quatro filhos, sendo um adotado. Já Suzana Luttembach está em seu primeiro acolhimento. As duas se dizem muito contentes com o resultado. “O que mais chamou nossa atenção foi o envolvimento delas com todos os preparativos. Elas construíram juntas todos os detalhes que gostariam de ter neste momento. São meninas simples, então não fizeram muitas exigências. Não haviam pedido valsa, mas no dia, já ao final do evento, elas pediram para colocarem a música e dançaram com os amigos, meus filhos e meu marido. A emoção saltava aos olhos”, contou Aline. Para a psicóloga do serviço “Família Acolhedora”, Fernanda Fonseca, a iniciativa é rica em muitos aspectos: "O principal objetivo deles foi justamente a mobilização das pessoas para marcarem a data na vida dessas jovens. Mais do que a festa em si, ficou o forte sentimento de serem amadas e protegidas". O serviço O “Família Acolhedora” é um serviço de âmbito nacional, sendo uma das medidas protetivas prevista no Estatuto da Criança e do Adolescente. Em Juiz de Fora, o programa é gerido pela Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), com trabalho executado pela Associação Municipal de Apoio Comunitário (Amac). Os encaminhamentos das crianças e adolescentes, bem como o desligamento, são feitos pela Vara da Infância e da Juventude. As inscrições estão permanentemente abertas. Para se cadastrar, basta entrar em contato com a coordenação do serviço, pelo telefone 3690-7963. Caso seja selecionada, a família acolhedora será devidamente capacitada para receber a criança ou adolescente, sendo sistematicamente acompanhada pela equipe do serviço e recebendo orientações e suporte psicossocial. * Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Social, pelo telefone 3690-8314, ou com a Amac, pelo telefone 3690-7945. SDS ]]> 2014-07-18 09:04:17Bolsa Família – Controle social do programa passará a ser realizado pelo Conselho Municipal de Assistência Socialhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11600 2014-07-18 09:02:33SDS e Amac promovem capacitação do Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Famíliahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=1159711 07 sds e amac capacitacao_153713Aconteceu na manhã desta sexta-feira, 11, o primeiro encontro do Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família (Paif), articulado entre os serviços de proteção básica e especial do município. A capacitação foi proposta pela Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) e pela Associação Municipal de Apoio Comunitário (Amac). O evento ocorreu na Casa dos Conselhos (Rua Halfeld, 450 – 7° andar) e contou com cerca de cem pessoas. A capacitação foi realizada pela assistente social da Amac, Meirijane Theodoro, e teve como público-alvo os coordenadores e técnicos dos centros de Referência de Assistência Social (Cras), profissionais e coordenadores dos serviços de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV) e da Proteção Especial. O serviço possui um caráter continuado, que visa fortalecer a função de proteção das famílias, prevenindo a ruptura de laços, promovendo o acesso e usufruto de direitos e contribuindo para a melhoria da qualidade de vida. Durante o evento foi feita uma reflexão sobre o Paif e, na sequência, realizou-se uma comparação dele com o Serviço de Proteção e Atendimento Especializado a Famílias e Indivíduos (Paefi) no município e os desafios da intersetorialidade entre as duas proteções sociais. De acordo com a chefe do Departamento de Proteção Básica, Carla Salomão, "o objetivo foi efetivar o atendimento às famílias dos serviços da proteção básica e especial e favorecer o conhecimento dos serviços do Paif e Paefi pelos trabalhadores dos dois níveis de proteção, além de contribuir para o fluxo entre os serviços". "São muito importantes esses momentos de parada e de reflexão, buscando organizar e, ao mesmo tempo, potencializar o trabalho. O Paif e o Paefi são as ´meninas dos olhos` da política de assistência social, ou seja, são programas que estão voltados para os usuários, para a relação direta com eles. O grande desafio é atender um número maior de usuários, com mais qualidade, dando a cada um a atenção e a necessária construção de vínculo que a política supõe", destacou o secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, que também participou da abertura do encontro. Proteção Social A Proteção Social é hierarquizada em Básica e Especial. A Proteção Social Básica tem como objetivos prevenir situações de risco, através do desenvolvimento de potencialidades e aquisições, e o fortalecimento de vínculos familiares e comunitários. A Proteção Social Especial é a modalidade de atendimento assistencial destinada a famílias e indivíduos que se encontram em situação de risco pessoal e social por ocorrência de abandono, maus-tratos físicos e/ou psíquicos, abuso sexual, uso de substâncias psicoativas, cumprimento de medidas socioeducativas, situação de rua e situação de trabalho infantil, entre outras. * Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Social, pelo telefone 3690-8314. SDS ]]> 2014-07-11 08:58:16Praça do Riachuelo recebe 24ª edição da Feira Municipal da Economia Solidária a partir desta quinta-feirahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11594 2014-07-09 08:56:10SDS e Amac promovem primeira capacitação do Paefihttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11579Aconteceu nessa terça-feira, 24, o primeiro encontro do Serviço de Proteção e Atendimento Especializado a Famílias e Indivíduos (Paefi), articulado entre os serviços de proteção especial e básica do município. A capacitação foi proposta pela Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) e pela Associação Municipal de Apoio Comunitário (Amac). O evento ocorreu na sede da própria SDS e contou com cerca de 60 pessoas. A capacitação foi realizada pela assistente social da Amac, Meirijane Theodoro, e teve como público-alvo os coordenadores e técnicos dos Centros de Referência Especializados de Assistência Social (Creas), do Acolhimento Institucional e da População de Rua, além de coordenações da proteção social básica. O objetivo é fortalecer a comunicação entre os profissionais que atuam em ambas as proteções, a partir do Paefi. O serviço compreende atenções e orientações direcionadas à promoção de direitos, à preservação e ao fortalecimento de vínculos familiares, comunitários e sociais e o fortalecimento da função de proteção das famílias diante do conjunto de condições que causam fragilidades ou as submetem a situações de risco pessoal e social. Durante o encontro, foi feito um breve histórico dos serviços que hoje fazem parte do Creas. Na sequência, realizou-se a apresentação do Paefi, ressaltando suas especificidades, sua ligação com o Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família (PAIF) e os desafios da intersetorialidade entre as duas proteções sociais. De acordo com o chefe do Departamento de Proteção Especial (DPE), Lindomar José da Silva, “este é o início de um processo que objetiva aprofundar a intersetorialidade na operacionalização desses dois níveis de proteção”. O atendimento do Paefi fundamenta-se no respeito à heterogeneidade, potencialidades, valores, crenças e identidades das famílias. O serviço articula-se com as atividades e atenções prestadas às famílias nos demais serviços socioassistenciais, nas diversas políticas públicas e com os demais órgãos do Sistema de Garantia de Direitos. Devendo garantir atendimento sistemático, continuado e providências necessárias para a inclusão da família e seus membros em serviços socioassistenciais e/ou em programas de transferência de renda, de forma a qualificar a intervenção e restaurar direitos. * Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Social, pelo telefone 3690-8314. SDS ]]> 2014-06-25 11:31:45Matrículas para o Curso Preparatório para Concursos começam na quarta-feirahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11589 2014-06-23 11:34:31Cidadão em situação de rua busca recomeço através de curso de qualificação profissionalhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11576165347“Acredito plenamente que é possível reciclar um cidadão, tenha vindo ele de qualquer lugar, seja ele quem for”. Esse foi mais um dos aprendizados que a vida conferiu ao estofador, pintor, usuário do Núcleo do Cidadão de Rua e membro do Conselho Municipal de Assistência Social (CMAS/JF), José Antônio de Arruda, nesses 50 anos de vida, 36 deles vividos em situação de rua. Arruda – como é conhecido – quer dar uma nova chance à vida, uma chance de corrigir erros, de (re)aprender, de recomeçar. Com seus estudos interrompidos aos 14 anos, devido à necessidade de trabalhar, ele pretende fazer um curso de idiomas e aperfeiçoar a informática. Atualmente, ele participa das aulas do curso de confeccionador de bolsas em tecidos, oferecido pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial(Senai),através do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec). “Participar de um curso do Pronatec e me capacitar é resgatar um pouco do meu conhecimento, além de adquirir um novo saber e me fazer sentir incluído na sociedade”, comemorou Arruda. A opção pelo curso de bolsas em tecidos deve-se à possibilidade de reciclar o material que sobra das fábricas de estofados. De forma sustentável, seriam utilizadas matérias-primas isentas de custo, o que poderia gerar renda e emprego no futuro. “Já tenho experiência com corte e costura e agora vou me capacitar na área de corte e modelagem. A minha expectativa para o curso é que eu tire bastante proveito dele, porque acho que é um curso que, futuramente, vai me dar condição de dar seguimento a uma vida profissional autônoma e ter uma fonte de renda”, explicou Arruda. As dificuldades que a vida impõe não são suficientes para frear o ímpeto de querer recomeçar. O resgate da cidadania de pessoas nesta situação é uma realidade que, hoje, é possível, através dos serviços oferecidos pela Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), por meio da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS). “Você vai me perguntar ´como reciclar esse cidadão?´. Eu lhe respondo: hoje, nós temos vários projetos de inclusão social. O que falta é comunicação, é levar até o público-alvo as informações, como, por exemplo, quais são seus direitos, quais são seus deveres e suas oportunidades. Tem muito talento, muitos profissionais, muita gente digna se perdendo. Mas acho que falta, também, despertá-los e fazê-los tomar consciência do mal que as drogas fazem, para que eles conquistem sua liberdade”, pregou ele. Hoje são oferecidos pela Prefeitura diversos programas de inclusão social, que podem resgatar a memória e a autoestima de quem está nesta situação. Arruda utiliza, por exemplo, todos os serviços que acha indispensáveis à sua rotina: “Acordo, faço minha higiene pessoal e tomo café no Núcleo do Cidadão de Rua. Saio por volta de 5h30 de lá e já estou na rua fazendo minha caminhada. Depois, faço estudo bíblico, almoço no Restaurante Popular, frequento os equipamentos como a Casa da Cidadania,o Centro Pop e instituições da sociedade civil organizada. Também participo de cursos, palestras, vou às aulas de informática, oferecidas pelo Legislativo e, à noite, volto ao núcleo. É um dia intenso, mas muito produtivo”. O secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, elogiou a iniciativa de Arruda, e destacou a importância deste exemplo para a população da cidade: “Trata-se de um momento histórico para toda a população de Juiz de Fora, em especial para as pessoas em situação de rua. O fato de termos um semelhante nosso, morador de rua, fazendo um curso de capacitação profissional, é simbólico. Isso coroa o intenso trabalho que toda a equipe da SDS e das secretarias parceiras têm feito para propiciar a cidadania através do trabalho”. A vida na rua e a procura pela identidade José Arruda é o caçula de cinco filhos. Natural de Tocantins, Minas Gerais, e foi trazido para Juiz de Fora com um ano de idade. Ele relatou que perdeu a mãe aos sete anos. Aos 14, quando retornou de uma viagem à casa dos avós, seu pai, que utilizava álcool e tabaco, abandonou a casa por causa do vício, pois não queria mais ter responsabilidades com a família. “Meu pai bebia muito, já não tinha equilíbrio, não queria ter mais responsabilidade de olhar casa, família e pagar as contas. Ele estava entregue à bebida. Então, a manutenção da família ficava por conta das minhas irmãs, em uma época de muito preconceito em relação à mulher que trabalhava. Então, tudo se refletia em casa. Nós estávamos desestruturados economicamente e afetivamente”, contou. Com sete para oito anos, Arruda fazia uso do tabaco - segundo ele, algo muito comum na época e na região de onde tinha vindo. Com 14 anos já estava passando por um processo de situação de rua, pois já não tinha residência fixa, dormia em abrigos e casas de conhecidos, e conseguia um trabalho ou outro para fazer de forma provisória. Aos 16 anos começou a fazer trabalhos temporários como estofador. Fazia cadeiras e sofás, mas não tinha os direitos reconhecidos por lei. “Faz um ano que consegui meu primeiro emprego de carteira assinada, mas foi temporário também. Sempre foi muito difícil para mim conseguir uma profissão, pois sofro com o preconceito. Hoje em dia sei que faço algo defasado no município, que é ser estofador, mas conservo a experiência, apesar de não trabalhar na área”. A situação de rua se agravou quando tinha 21 anos, porque estava muito difícil se manter economicamente. “Eu nunca cheguei a ficar por muito tempo vivendo na rua, debaixo de marquises ou viadutos. Eu sempre procurava por um lugar onde pudesse fazer minha higiene pessoal, comer e dormir. Mas passei por muita dificuldade, por dois internamentos psiquiátricos, fiquei muito deprimido, me senti muito abandonado, sozinho no mundo e sem condições de ser algo diferente daquilo que me sentia, um nada. Sentia um preconceito, uma discriminação muito grande. Eu sofri mais com a quebra do vínculo familiar do que com qualquer outra coisa”, ressaltou Arruda. Apesar de tudo, ele considera ter extraído uma riqueza muito grande estando nesta situação, mas deseja, assim como os demais, sair dela assim que possível: “Hoje lido com muitas pessoas, tenho amigos que estão em situação de rua, que querem reverter esse quadro e que já saíram de lá. Essa vivência me fez ter mais autoconhecimento e autoestima. Sei que, em breve, serei capacitado o suficiente para prover meu sustento, ter uma casa e deixar de ser invisível para a maioria da sociedade”. Assim como Arruda, diversos cidadãos em situação de rua terão, em breve, a oportunidade de fazer um curso de qualificação profissional. Isso porque a SDS está firmando parcerias com diversas instituições para disponibilizar vagas para esse segmento da população, até o final do ano. Atenção ao cidadão em situação de rua A PJF, através da SDS, possui três unidades socioassistenciais que atendem aos cidadãos com vivência de rua e migrantes em Juiz de Fora: o Centro Pop, o Núcleo do Cidadão de Rua e a Casa da Cidadania. O Centro Pop oferece refeições, acompanhamento psicossocial e oficinas artísticas, entre outras atividades voltadas para a reinserção do cidadão na sociedade, e buscando sempre referenciar os atendidos às suas respectivas famílias. A unidade conta ainda com uma biblioteca e uma sala de artes, para a promoção de oficinas de artesanato. O Centro tem capacidade para atender, em média, 120 pessoas por dia. A unidade funciona na Rua Oswaldo Veloso, 190, Centro. O Núcleo do Cidadão de Rua atende à população adulta em situação de vulnerabilidade social e pessoal e que vive nas ruas de Juiz de Fora. Os moradores de rua, abordados ou por demanda espontânea, que chegam ao núcleo, além da possibilidade de pernoitarem, recebem alimentação e cuidados com higiene. Todo trabalho é supervisionado por uma equipe técnica multidisciplinar. O núcleo fica na Rua José Calil Ahouagi, 592, no Centro. A Casa da Cidadania realiza o acolhimento institucional de cidadãos que se encontram em vivência de rua, em situação de alto risco e vulnerabilidade social. São oferecidos 55 leitos masculinos e 15 femininos. O serviço fica na Alameda Silva Mello Reis, 6.001, no Bairro Jardim Esperança. O cidadão pode ter acesso a estes serviços por demanda espontânea, quando às unidades, ou através do serviço de abordagem, que pode ser solicitado por qualquer pessoa, pelo telefone 3690-7770. * Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Social, pelo telefone 3690-8314. SDS ]]> 2014-06-18 10:39:26Jovens e idosos se integram na promoção de uma oficina de desenvolvimento da cidadaniahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=1157317-06 Casa Pequeno Artista_114519Os adolescentes da Casa do Pequeno Artista (CPA) visitaram na segunda-feira, 16, o Centro de Convivência do Idoso (CCI) para participarem de uma oficina de desenvolvimento para a cidadania. Durante o encontro intergeracional, os jovens aprenderam a confeccionar uma flor com tecido, ensinada pelos idosos, enquanto estes aprenderam com os jovens a técnica de produzir carteiras com embalagens de leite. A experiência fez parte de um trabalho iniciado no início deste mês, para discutir o Dia da Não Violência Contra o Idoso, lembrado em 15 de junho. “Nossa intenção é trabalhar o respeito entre estas gerações, para que os adolescentes possam refletir melhor este tema e serem conscientes de que também vão se tornar idosos um dia”, contou a pedagoga da Casa do Pequeno Artista, Juliana Teixeiras Ribas. Os serviços A Casa do Pequeno Artista atende, diariamente, cerca de 150 adolescentes, de 12 a 17 anos, em situação de vulnerabilidade pessoal e ou social. A unidade oferece aos participantes oficinas de música, dança, comunicação artística, artes e informática. A sede fica na Rua Espírito Santo, 456 – 2° piso – Centro. O telefone de contato é o 3690-8336. Já o CCI realiza ações visando garantir o envelhecimento saudável no município. Entre as atividades oferecidas estão aulas de ginástica, dança, trabalhos manuais, teatro, jogos, ioga e aulas de informática. A unidade fica na Rua Espírito Santo, 434, no Centro. O telefone de contato é o 3690-7365. Ambos os programas são da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), executados pela Associação Municipal de Apoio Comunitário (Amac). * Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Social, pelo telefone 3690-8314. SDS ]]> 2014-06-17 10:29:52AABB Comunidade realiza ação sobre sexualidade para adolescentes do programahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=1157010 06 aabb sexualidade_171427A Associação Atlética Banco do Brasil (AABB) Comunidade realizou, na manhã desta terça-feira, 10, uma ação sobre sexualidade para seus beneficiários. A atividade, que foi coordenada por profissionais do Centro de Acolhimento à Infância e Adolescência (Caia), contou com a presença de 38 adolescentes e aconteceu na sede da própria unidade. Durante a palestra, foram realizadas atividades lúdicas sobre a prevenção de doenças sexualmente transmissíveis e o planejamento familiar. Os adolescentes também puderam tirar dúvidas sobre os temas abordados, sempre de forma descontraída. O encontro fez parte de um dos módulos da Oficina de Desenvolvimento para Cidadania, desenvolvida pela unidade neste mês. A pedagoga da unidade, Renata Beatriz de Paula Oliveira, conta que esse tipo de ação permite que os beneficiários fiquem mais à vontade para conversar sobre o assunto. “A atividade foi bem lúdica, com jogos de perguntas e respostas, e as psicólogas conseguiram conversar de uma forma bem tranquila com os adolescentes. Esse tipo de ação é muito interessante, porque deixa os meninos mais à vontade para tratar de assuntos delicados. A gente sabe que, na escola, esses temas são abordados e, em casa, os pais também tentam conversar, mas tem muita coisa que ainda é visto como um tabu”, explica. O programa A AABB Comunidade é uma iniciativa da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), com trabalho executado pela Associação Municipal de Apoio Comunitário (Amac) e promovido em parceria com a Federação Nacional de Associações Atléticas do Banco do Brasil (Fenabb) e com a Fundação Banco do Brasil (FBB). O programa tem como objetivo apoiar as famílias no processo de formação dos adolescentes, entre 12 e 17 anos, por meio de atividades ligadas à cultura e ao esporte. A unidade fica localizada na Avenida Deusdedit Salgado, 1690 – Teixeiras. O telefone de contato é o 3237-1810. * Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Social, pelo telefone 3690-8314. SDS ]]> 2014-06-10 10:21:24Secretaria inicia ações em comemoração ao Dia Mundial de Conscientização da Violência Contra a Pessoa Idosahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11568 2014-06-09 10:18:25Alunos do “Agente do Amanhã” visitam Museu Ferroviário e ganham livros de presentehttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=1156506 06 Agente do Amanha 2_152433O programa “Agente do Amanhã”, serviço da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), executado pela Associação Municipal de Apoio Comunitário (Amac), participou na tarde de quinta-feira, 5, de uma visita guiada ao Museu Ferroviário de Juiz de Fora. Doze alunos do curso de auxiliar administrativo participaram da atividade. Os jovens tiveram a oportunidade de conhecer um pouco da história do município, marcada fortemente pela ferrovia, visitando o acervo do museu. Constituído por instrumentos de trabalho e de comunicação, livros técnicos, fotografias, equipamentos científicos, louças e miniaturas, o Museu Ferroviário possui, na área externa, duas locomotivas a vapor originais. Este patrimônio cultural aborda as origens e a evolução da ferrovia, bem como seu impacto nos aspectos sociais e econômicos a partir do século 19, no Brasil e em Juiz de Fora. De acordo com a coordenadora do “Agente do Amanhã”, Silvânia Santos, esse tipo de atividade serve para incentivar os jovens a permanecerem no programa, proporcionando atividades culturais que possam auxiliar no desenvolvimento de cada um deles: “Buscamos proporcionar o máximo de eventos possíveis, que possam motivá-los a permanecer no programa e concluir o curso que estão fazendo”. Além da visita ao Museu Ferroviário, os alunos também conheceram a Biblioteca Municipal Murilo Mendes, onde cada um deles pode escolher três livros, gratuitamente. Com capacidade para abrigar 80 mil volumes, a biblioteca conta com um acervo de aproximadamente 60 mil livros. Feira de artesanato Além das visitas realizadas na tarde de ontem, o “Agente do Amanhã” está participando de uma feira de artesanato na sede da Votorantim Metais. Os materiais expostos são feitos em MD, e incluem acessórios e bolsas de banner. A previsão inicial era de realizar a exposição apenas na quinta-feira, 5, mas, a convite da Votorantim, duas alunas da oficina de artesanato do programa estão, nesta sexta-feira, 6, realizando a comercialização dos produtos. O programa Desenvolvido em parceria com a Votorantim Metais e o Instituto Votorantim, o Agente do Amanhã tem como objetivo oportunizar a profissionalização e o desenvolvimento de mão de obra qualificada para o mercado de trabalho, propiciando a inclusão social e a melhoria na qualidade de vida dos cidadãos. Os cursos de capacitação profissional são gratuitos e direcionados aos moradores do Bairro Igrejinha e entorno, que tenham idade entre 15 e 29 anos. Os moradores da zona norte também podem participar, caso existam vagas ociosas. * Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Social, pelo telefone 3690-8314, ou com a Amac, pelo telefone 3690-7945. SDS ]]> 2014-06-06 09:52:05Promad – Programa promove a inclusão social de jovens através da capacitação para o mercado de trabalhohttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11562130627“Se meu pai estivesse vivo, gostaria de ver que estou seguindo em frente. Então, aqui estou”. As palavras são da estudante do terceiro ano do ensino médio, Joquiciane de Assis, 17 anos, participante do Programa Municipal de Atendimento a Adolescentes (Promad). A jovem, que termina o curso em julho deste ano, trabalha na Ouvidoria Municipal de Saúde e explica sua relação profissional e afetuosa com o Promad. “O programa me ajudou a superar a perda do meu pai e a compreender o que significava realmente a palavra trabalho. Para mim, no início, foi muito difícil, mas agora acordo cedinho, vou ao colégio, almoço, vou ao trabalho, faço os serviços internos e externos que pedem e acabo conhecendo novas pessoas e lugares”, explica Joquiciane. No lugar onde trabalha, a adolescente acabou envolvendo-se com demandas de medicamentos, exames, insumos, fitas de insulina e fraldas, por exemplo. Porém, de todas elas, o que chamou mais atenção da aprendiz foi a quantidade de demandas de dieta, ou seja, a área relacionada à nutrição, principalmente de crianças. “Acabei decidindo fazer nutrição, porque tem muita gente que necessita desse tipo de serviço público e é muito gratificante auxiliar essas pessoas”, conta. Com os olhos marejados, Joquiciane conta que sente muito por ter que deixar, em breve, o programa que a fez superar uma grande perda, crescer e aprender muito sobre seu caráter e sobre o mercado de trabalho. Mas, em questão de segundos, a menina articulada e sorridente comemora o fato de estar com apenas 17 anos e já ter experiência com administração e informática, além do Promad, que veio enriquecer seu currículo para conseguir uma inserção no mercado de trabalho de forma mais ágil. “Terei muito orgulho de um dia poder dizer às pessoas que cheguei onde cheguei através de um programa social”, comemora a adolescente. E não é só a adolescente que pretende conquistar seu sonho iniciado no Promad. Outros sonhos surgem através do programa e dos trabalhos realizados pelos usuários. O estudante do segundo ano do ensino médio, Antoniel Carlos Sinfronio, de 16 anos, sonha em se formar em Sistemas de Informação, porque apaixonou-se pelas aulas de Excel oferecidas pelo técnico de informática do Promad. “Entrei em um curso de manutenção de computadores e já possuía curso de informática e web designer, o que me faz ter mais vontade de aprender ainda mais. Aproveito muito a biblioteca onde trabalho e pego livros para estudar esses assuntos. Pretendo criar sites, instalar programas e fazer muitas outras coisas. A intenção é fazer esse curso superior devido ao contato que estou tendo com as pessoas e os processos de conhecimento”, esclarece o adolescente. Lições da experiência O ex-aprendiz Thiago Rezende mostra que é possível transformar esses sonhos em realidade, bastando apenas ter disciplina, garra e determinação. O jovem entrou no programa em abril de 2008, com contrato até o final de março de 2009, quando foi contratado pela empresa em que era aprendiz. Atualmente, o profissional cursa administração de empresas e é Assistente de Desenvolvimento Humano na empresa em que trabalha. Thiago garante que através do programa pôde aprender sobre a importância de ter responsabilidades e, com isso, entrar no mercado de trabalho se tornou um objetivo. “O Promad me ofereceu uma vaga como aprendiz na empresa em que estou até hoje, onde já passei por algumas promoções, pude aumentar minha renda e me tornar independente financeiramente. Logo, com certeza, eu só tenho a agradecer pela oportunidade, uma vez que o programa contribuiu, mudando minha vida para melhor”, celebra. Assim como Thiago, a ex-aprendiz Letícia Feliciano Furtuozo foi efetivada na instituição de ensino em que trabalhou como aprendiz e, hoje, trabalha na biblioteca e faz faculdade de Ciências Sociais. A jovem procurava uma primeira experiência no mercado de trabalho e, então, ingressou no programa através das informações de um conhecido próximo da família. De acordo com a bibliotecária, o Promad contribuiu com a indicação da empresa e com o curso oferecido, que foi de grande utilidade para exercer as atividades em seu trabalho. “No meu presente, tudo o que aprendi e exerci contribuiu com minha efetivação como funcionária. Além disso, levarei sempre o programa como referência de aprendizado em todos os sentidos, pois cresci como pessoa e como profissional”, esclarece Letícia. Capacitação e inclusão social De acordo com a coordenadora do Promad, Andréia Barbério Guedes, o caso de Thiago e Letícia são comuns. O serviço, da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), executado pela Associação Municipal de Apoio Comunitário (Amac), busca a inclusão social por meio de capacitação profissional de adolescentes com idades entre 14 e 16 anos. Após a conclusão da formação, os alunos são encaminhados ao mercado de trabalho, de acordo com o desempenho apresentado. “Nós temos parcerias com diversas empresas, nas quais os jovens possuem um contrato de aprendizagem estipulado de um ano ou um ano e quatro meses. Assim, o aprendiz faz o curso e aguarda a empresa ter uma vaga disponível para a possível inserção no mercado de trabalho. Depois, algumas empresas absorvem os próprios aprendizes como estagiários e, posteriormente, como funcionários”, esclarece Andréia. Como uma mãe orgulhosa, Andréia explica que quem irá colher os frutos são outros, mas as sementes foram plantadas durante o Promad. “Eu fico muito feliz ao receber visitas de ex-aprendizes que vêm contar sobre suas novas conquistas, seus empregos. Enfim, que vêm compartilhar a alegria com a gente. Essa é a nossa maior alegria, ver que uma semente está florindo, está crescendo, que ele ou ela conseguiu passar no Enem, no Pism, ou conquistou um trabalho que satisfaça. É bom sentir a sensação de que fizemos a diferença na vida de alguém, de que aquilo que foi falado durante o ano fez com que eles buscassem um novo caminho, um bom caminho, de vê-los sempre na busca por algo melhor sempre”, conta a coordenadora, com entusiasmo e admiração. Nesse mundo de sonhos que tomam forma desde cedo, em que a coragem torna-se companheira de adolescentes, o secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, acredita que programas como o Promad servem a um duplo propósito, de grande importância social: “de um lado, permitem o ingresso no mundo do trabalho a partir da qualificação profissional. De outro, concretamente, servem como estímulo aos adolescentes para que possam se orientar em uma atividade que lhes servirá para toda a vida. Dessa maneira, evitando também o contato com outras práticas nocivas que poderiam prejudicá-los”, destaca. Além da preparação para o mercado trabalho Além de preparar o aprendiz para o mercado de trabalho, o programa visa a promover o aprendizado dos adolescentes e incentivar a continuidade dos estudos, pois todos estudam ou trabalham no contraturno escolar. Portanto, há um acompanhamento, tanto daqueles que comparecem ao programa uma vez por semana, quanto dos que fazem parte do curso de aprendiz. O Promad oferece um curso de aprendizagem e serviços administrativos, que é voltado aos que estão, especificamente, inseridos no mercado de trabalho. Ou seja, o trabalhador vai até o Promad uma vez por semana e, então, são abordadas, em sala, questões relacionadas ao cotidiano deles, como comunicação, ética, comprometimento e pontualidade, que são assuntos que vão auxiliá-los na vida pessoal e profissional. "Por isso, ressalto que o nosso objetivo, enquanto educadores, vai além da preparação e inserção dos educandos no mercado de trabalho. Estamos falando de ampliar conhecimentos e horizontes, permitir que conheçam novas pessoas e novos ambientes, agregando conhecimentos", explica a coordenadora do programa, Andréia Barbério. Outro foco do Promad é o fortalecimento de vínculo com o adolescente, para que ele compreenda a si mesmo no contexto em que está inserido. O objetivo é fazer com que esse adolescente entenda quem é, qual a sua função na sociedade e quais caminhos quer trilhar. O Promad O programa conta com educadores diversos: técnico de informática, pedagogas que trabalham as habilidades sociais (básicas e específicas), raciocínio lógico, educação para o mundo do trabalho, empreendedorismo, abordam questões voltadas para a área da saúde na adolescência, sexualidade. Além disso, promove semanas e palestras educativas. As inscrições são feitas pelo Cras, que é a porta de entrada do serviço, e, posteriormente, são encaminhados ao programa. O telefone de contato do programa é o 3690-7949. * Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Social, pelo telefone 3690-8314, ou com a Amac, pelo telefone 3690-7945. SDS ]]> 2014-06-06 09:34:59Juiz de Fora é a primeira cidade do Brasil, não capital, a aderir à Política Nacional para População em Situação de Ruahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11461Flávio Cheker, durante assinatura do termo de adesãoJuiz de Fora tornou-se a primeira cidade não-capital do Brasil a aderir à Política Nacional para a População em Situação de Rua. O evento de adesão aconteceu na noite de quarta-feira, 4, no Auditório da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), e reuniu toda a rede socioassistencial que atende pessoas em situação de rua, além de autoridades dos poderes Executivo e Legislativo. Com isso, a PJF, através da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), revela o seu empenho em ampliar e concretizar os direitos da população em situação de rua da cidade.

A solenidade contou com a presença do vice-prefeito Sérgio Rodrigues, que enfatizou a importância de o município ser a primeira cidade brasileira, não capital, a aderir a essa iniciativa. “Juiz de Fora sai na frente ao instituir a Política Nacional para a População em Situação de Rua. Dessa forma, será possível viabilizar ações que proporcionem oportunidades a quem precisa de uma ajuda, de uma orientação. Assim, nós vamos garantir a cidadania e a defesa da vida mais digna a quem está carente de um olhar mais carinhoso. Este ato nos provoca a sensação de que temos de ir além dos objetivos previstos no texto da lei. O desafio é grande, mas o primeiro passo foi dado hoje, com o município se empenhando em ampliar os direitos da população em situação de rua. Que todos nós sejamos motivados, dia após dia, a levar esta causa adiante”, destacou, logo após assinar o termo de adesão. De acordo com o termo de adesão, o município se compromete a promover a constituição e o fortalecimento da rede de atendimento à população em situação de rua, assim como elaborar a política municipal para a população em situação de rua, em conjunto com o comitê intersetorial. O coordenador-geral dos Direitos da População em Situação de Rua, da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, Carlos Alberto Ricardo Júnior, parabenizou o município pela iniciativa e reforçou a necessidade de um trabalho conjunto para a construção de uma política pública eficiente. “É com muito prazer que a Secretaria de Direitos Humanos vem aqui, hoje, assinar este termo de adesão. Esse ato é extremamente simbólico para todo o Brasil, para que possamos ampliar as adesões para os vários municípios do país. Destaco que essa política tem, na sua essência, a intersetorialidade. É preciso um conjunto de políticas atuando, de habitação, de educação, trabalho e emprego, saúde e assistência social. O trabalho com a população de rua só se concretiza com a atuação da sociedade civil trabalhando, conjuntamente, com a população de rua, de forma democrática e participativa”, afirmou. Comitê Intersetorial Pop Rua Durante o evento, foi instituído, também, o Comitê Intersetorial de Acompanhamento da Política Nacional para População de Rua (Comitê Pop Rua). A criação do comitê é uma das obrigatoriedades para a adesão do município à política nacional. O grupo, composto por 38 representantes do poder público e da sociedade civil, será responsável por apontar as diretrizes do reordenamento da política na cidade, considerando as particularidades e a necessidade de articulações, utilizando-se dos indicadores construídos pós-diagnóstico – que deverá ser iniciado ainda em junho – para a implantação, execução e monitoramento da política. “Esse momento de hoje consolida todas as iniciativas que nos permitem, através deste comitê, fazer com que esses esforços sejam todos potencializados e reunidos, para que, juntos, possamos expandir ainda mais todo nosso trabalho. Temos o grande desafio de, agora, construir uma política municipal para a população de rua e mostrar para os nossos cidadãos que o morador de rua é um de nós e que deve merecer o nosso apoio, sobretudo através das ações do poder público e das entidades que trabalham nessa perspectiva”, destacou o secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker. Política Nacional para a População em Situação de Rua A Política Nacional para a População em Situação de Rua tem como princípios a promoção e a garantia da cidadania e dos direitos humanos; o respeito à dignidade do ser humano, sujeito de direitos civis, políticos, sociais, econômicos e culturais; o direito ao usufruto, permanência, acolhida e inserção na cidade; a não-discriminação por motivo de gênero, orientação sexual, origem étnica ou social, nacionalidade, atuação profissional, religião, faixa etária e situação migratória; e a supressão de todo e qualquer ato violento e ação vexatória, inclusive os estigmas negativos e preconceitos sociais em relação à população em situação de rua. Os objetivos dessa política incluem assegurar o acesso aos serviços e programas que integram as políticas públicas de saúde, educação, assistência social, e disponibilizar programas de qualificação profissional para as pessoas em situação de rua, com o objetivo de propiciar o seu acesso ao mercado de trabalho. ]]>
2014-06-05 18:32:25
“A Casa é Sua” - Moradores de rua expõem trabalhos de artesanato no CCBMhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11560fotoA Casa da Cidadania e o Centro Pop iniciam nesta sexta-feira, 6, às 10 horas, a exposição “A Casa é Sua”, no Centro Cultural Bernardo Mascarenhas (CCBM). Em destaque, as casas de papelão, cola e tinta, confeccionadas por 18 pessoas em situação de rua nas oficinas de artesanato das unidades, fazendo referência ao lar. Ao lado de cada casa haverá uma reflexão, por escrito, do próprio assistido, sobre o significado do lar produzido por ele. De acordo com a coordenadora da Casa da Cidadania, Flávia Fonseca, a proposta da atividade realizada na oficina de artesanato visou oferecer uma ocupação saudável aos assistidos, de forma que, além de aprenderem trabalhos artesanais, fosse promovida a reflexão sobre seus antigos e futuros lares. “O principal objetivo da atividade foi fazer com que os usuários confeccionassem a casa na qual gostariam de morar e raciocinassem sobre o porquê de terem saído de seus lares, ou o motivo pelo qual gostariam de ter um lar como o exposto. Em síntese, a intenção do trabalho foi a reflexão sobre o sentido de lar para eles”, explicou a coordenadora da unidade. A ideia da produção das casas começou durante as oficinas de produtos artesanais, criação e renda, desenvolvida pela pedagoga Josélia Avelino e pela educadora Flávia Vieira. “Os usuários foram fazendo as casas e, à medida que aperfeiçoavam, aproveitamos para propor uma conversa sobre a questão da casa e da família na vida deles. Destacando sua importância”, ressaltou Flávia. Ainda de acordo com a educadora, a exposição será uma ocasião de muito orgulho para os participantes da oficina, pois, além de observarem seus trabalhos sendo expostos e valorizados, a autoestima deles será elevada. A exposição estará aberta até o fim do mês, de terça a sexta-feira, das 9 às 21 horas, e nos fins de semana, das 10 às 21 horas. Os serviços A Casa da Cidadania e o Centro Pop são serviços da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), executados pela Associação Municipal de Apoio Comunitário (Amac). A Casa da Cidadania realiza o acolhimento institucional de cidadãos que se encontram em vivência de rua, em situação de alto risco e vulnerabilidade social. Os interessados em realizar doações de materiais que servem de base para o trabalho, como recicláveis, tecidos de algodão, feltro, linhas de lã e crochê e aviamentos (botões, renda, entre outros), podem entrar em contato pelo telefone 3690-7600 ou pelo e-mail casadacidadaniajf@gmail.com. O Centro Pop oferece atendimento aos cidadãos e cidadãs que vivem nas ruas, por meio de serviços de alimentação, higiene pessoal, oficinas socioeducativas e serviço de migração, entre outros. A unidade conta, ainda, com uma biblioteca e uma sala de artes para a promoção de oficinas de artesanato. O centro tem capacidade para atender, em média, 120 pessoas por dia. Funciona na Rua Oswaldo Veloso, 190, no Centro. * Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Social, pelo telefone 3690-8314, ou com a Amac, pelo 3690-7945. SDS ]]> 2014-06-05 09:31:11SDS promove Oficina de Segurança Alimentar para mulheres atendidas pelo Cras Centrohttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11557165415A Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) promoveu na manhã desta quarta-feira, 4, uma Oficina de Segurança Alimentar para os beneficiários do Centro de Referência de Assistência Social (Cras) Centro. A ação foi realizada na cozinha da Igreja Nossa Senhora de Lourdes, no Bairro Francisco Bernardino, e contou com a participação de cerca de dez mulheres, acompanhadas de seus filhos. A facilitadora da atividade, Bettina Koyro, explicou que o objetivo da oficina é ensinar às famílias que recebem cestas básicas da PJF a se alimentarem de forma saudável e a aproveitar todos os ingredientes que recebem: “Nesta oficina, estamos colocando em prática uma ideia que foi constituída durante três ou quatro reuniões que tivemos com as mulheres atendidas pelo Cras Centro, que recebem cesta básica. As famílias estão aprendendo e reaprendendo a aproveitar melhor a cesta. Estamos mostrando para elas como utilizar os ingredientes da melhor maneira possível”. O secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, que esteve presente na oficina, afirmou que essa “é uma experiência maravilhosa, e que se constitui num momento de prática de segurança alimentar, que se soma ao conjunto de atividades que a Prefeitura vem desenvolvendo, através da SDS, para que o município possa fazer sua adesão à Politica Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional”. Assistida pela unidade e moradora do Bairro Milho Branco, Rafaela da Silva Siqueira contou que adorou a oficina e que já testou uma receita, aprovada pelos três filhos: “Sei que, saindo daqui, vou poder fazer alimentos mais saudáveis para os meus filhos com a cesta básica que recebo, inclusive usando mais as verduras e os legumes. E já adianto que testei a receita de legumes com as minhas crianças, e elas adoraram”. O Cras promove oficinas mensais de nutrição e preparo de alimentos, conduzidas por técnicos do serviço. Acesso à alimentação saudável Desde fevereiro de 2010 a alimentação foi incluída entre os direitos sociais previstos na Constituição Federal. Esta inclusão foi resultado da concepção de que é direito, de cada pessoa, ter o acesso físico e econômico à alimentação adequada ou aos meios para obter estes alimentos, sem comprometer os recursos de outros direitos fundamentais, como saúde e educação. Em Juiz de Fora, a sociedade civil organizada, através de seus movimentos sociais, sindicatos e pastorais, vem discutindo segurança alimentar desde 1999. O Conselho Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional (Comsea/JF) foi criado em 2007. Hoje, Juiz de Fora tem o direito à alimentação adequada, fundamentado na nova Lei Orgânica do Município. O serviço O Cras é um serviço da SDS, com o trabalho executado pela Associação Municipal de Apoio Comunitário (Amac). É a porta de entrada para os serviços de proteção básica, e ainda recebe e promove encaminhamentos para a proteção especial, além de prestar atendimento às famílias e pessoas em situação de vulnerabilidade social, com o objetivo de fortalecer os vínculos familiares e comunitários. * Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Social, pelo telefone 3690-8314. SDS ]]> 2014-06-04 09:00:55Secretário Flávio Cheker abre Seminário "A Psicologia e o SUAS"http://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=1155302 06 Seminario Psicologia 1_181041Juiz de Fora sediou nesta segunda-feira, 2, o 1º Seminário Regional “A Psicologia e o Suas”. O evento, promovido pela Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), juntamente com o Conselho Regional de Psicologia de Minas Gerais (CRPMG) e a Associação Brasileira de Psicologia Social (Abrapso), em parceria com a Faculdade Machado Sobrinho,discutiu o papel do psicólogo no Sistema Único de Assistência Social (Suas). Mais de 230 pessoas, de 45 municípios da Zona da Mata, participaram do encontro, que aconteceu no auditório da Faculdade Machado Sobrinho, durante todo o dia. O encontro foi aberto a psicólogos, técnicos de nível superior do Suas e estudantes de psicologia que trabalham ou se interessam pelo trabalho realizado nos equipamentos socioassistenciais. O seminário contou com representantes dos conselhos federais de Psicologia (CFP) e de Serviço Social (CFESS), do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) e de autoridades locais. “É fundamental que a gente perceba que a integração do trabalho, sobretudo dos profissionais da psicologia e da assistência social, é essencial para construir o Suas. Essa integração é, talvez, a chave do sucesso do sistema, do trabalho junto à assistência social e do objeto da nossa política pública. Essa experiência (do seminário) é quem vai auxiliar o MDS e os conselhos de psicologia na busca de parâmetros mais amplos e afinados com a demanda de vocês, trabalhadores”, destacou o secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker. O representante da Secretaria Nacional de Assistência Social, Wagner Saltorato, destacou o pioneirismo do seminário e parabenizou os idealizadores pela proposta, que “vem ao encontro da política nacional de educação permanente, que é a qualificação dos seus trabalhadores. Por isso, é um importante avanço estarmos aqui reunidos para discutir a atuação da psicologia no Suas, que hoje está presente em toda unidade de assistência social, seja nos Cras (centros de Referência de Assistência Social), nos Creas (centros de Referência Especializado de Assistência Social) ou nas casas de acolhimento”, declarou. Os painéis O primeiro painel, intitulado “O Suas e as Equipes de Referência: A Interdisciplinaridade nas Redes de Proteção”, destacou a metodologia de trabalho interdisciplinar e intersetorial no Suas, em razão dos conhecimentos e técnicas diversas necessárias à sua efetivação, tais como, Serviço Social, Psicologia e Pedagogia, entre outras áreas, que precisam ser articulados pelas necessidades especificas do campo de aplicação. Foram elucidadas questões como a exigência do trabalho interdisciplinar e intersetorial na consolidação do Suas, pela necessidade do diálogo entre campos de saberes diferentes, para fortalecer a construção de um sistema baseado na garantia de direitos. “Compreender o papel do profissional da psicologia na política é essencial para o desenvolvimento desse trabalho integrado às demais profissões. Compreender a particularidade de cada saber profissional envolvido nos espaços de construção do Suas nos possibilita otimizar e qualificar nossa atuação, oferecendo um serviço público de qualidade e responsabilidade aos indivíduos, à família e à sociedade em geral”, afirmou a representante do Conselho Federal de Serviço Social, Vanessa Sales. Já o segundo painel, com o tema “A Psicologia no Sistema Único de Assistência Social”, tratou sobre as atribuições da área da psicologia no desenvolvimento da política socioassistencial. Temas como os níveis de proteção no Suas, as diretrizes da prática do profissional da psicologia e as demandas dos profissionais por orientações de sua atuação no atendimento aos cidadãos também foram abordados. “O usuário é o foco do nosso trabalho. Mas, acima de tudo, temos que entender que quem está na ponta, executando esse projeto - no caso o Suas - são os trabalhadores. É de suma importância que tenhamos condições de dialogar com esses profissionais, para entendermos essa demanda, esse dia a dia, e procurar refletir junto às diversas entidades da psicologia, pois só assim vamos garantir que a política do Suas avance cada vez mais”, ressaltou o vice-presidente do Conselho Federal de Psicologia, Rogério Oliveira. * Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Social, pelo telefone 3690-8314. SDS ]]> 2014-06-02 11:37:47Primeira ação da campanha “Mostre o caminho” mobiliza cidadãos e comerciantes na Praça da Estaçãohttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11551 2014-06-02 11:28:37Curso Preparatório para Concursos registra quase mil inscriçõeshttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11546Sala de Aula CPC 01 (Copy) (Copy) O Curso Preparatório para Concursos (CPC) recebeu, em seus cinco dias abertos para inscrições, 997 pré-matrículas, superando em mais de duas vezes o número do ano passado, quando foram registradas 440 pessoas. Os candidatos inscritos passarão por um processo de seleção para o curso, e a relação dos aprovados para as vagas estará disponível na terça-feira, 10 de junho, a partir das 8 horas, nas sedes da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) e do CPC, além do site da PJF. Os contemplados deverão realizar suas matrículas nos dias 25, 26 e 27 de junho. O CPC têm como público prioritário os participantes de programas sociais federais, estaduais e municipais, incluídos no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico). As 890 vagas disponíveis deverão ser preenchidas primeiramente pelos participantes do cadastro, e, posteriormente pelos outros candidatos, por ordem de número de inscrição. A inclusão do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) como método de certificação também trouxe mudanças no perfil dos candidatos. “Diante de todas as inscrições feitas, tivemos uma procura muito grande pelo cursinho para o Enem. Percebemos que a demanda, que antes era voltada para concursos, agora traz alunos que buscam a formação tanto em nível médio quanto superior”, avaliou a supervisora do programa CPC, Valéria Murucci. As vagas serão ofertadas para os turnos da manhã, tarde e noite, com turmas específicas de preparação para o Enem, Instituto Federal (IF Sudeste), Programa de Ingresso Seletivo Misto (Pism), e concursos públicos municipais e estaduais. Mais informações podem ser obtidas através do telefone 3690-8503. O programa O CPC é um programa da SDS, que tem como objetivo criar oportunidades para estudantes de baixa renda ingressarem no ensino superior e técnico. Para isso oferece cursos preparatórios que possibilitem aos alunos de baixa renda concorrer em nível de igualdade nos processos seletivos para instituições de ensino superior. Oferta, também, preparação para estudantes que desejam realizar provas para concursos públicos municipais e estaduais. * Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Social, pelo telefone 3690-8314. SDS ]]> 2014-05-28 10:43:41Secretaria de Desenvolvimento Social lança campanha e anuncia avanços na política para a população em situação de ruahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=1154228 05 Mostre o Caminho 1_192713A Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) lançou na manhã desta quarta-feira, 28, a campanha “Mostre o Caminho”, que tem como foco conscientizar a população dos direitos da população em situação de rua, além de apresentar à sociedade os serviços oferecidos pela SDS para esse segmento. O lançamento do projeto, incluído no plano integrado “JF+Vida”, aconteceu na Casa dos Conselhos, e contou com a participação de representantes da sociedade civil e dos poderes Executivo e Legislativo, além de toda a rede socioassistencial que atende a estes cidadãos. O vice-prefeito Sérgio Rodrigues sintetizou seu discurso, durante o anúncio de lançamento da campanha, em três palavras-chave, que foram ditas durante o evento: multiplicar, compartilhar e construir: “Todos nós temos a nossa parcela de responsabilidade nessa campanha. Temos que ser ´multiplicadores` dessa ideia. A segunda palavra que destaco é ´compartilhar`. Vamos compartilhar o bem, a causa nobre, a ideia de fazer com que Juiz de Fora possa ser uma cidade modelo no sentido de dar, a quem precisa, o caminho. Por fim, cito a palavra ´construir`. Para construirmos, precisamos trabalhar em conjunto. Só conseguimos ver um projeto pronto e acabado a partir do momento em que cada um de nós cumpre o seu papel, trabalhando em conjunto. Que possamos sair daqui com essa ideia de construir, de multiplicar e de compartilhar”. “É fundamental o apoio da sociedade nessa campanha. É preciso que a população perceba o cidadão de rua como alguém que também tem os seus direitos e que é merecedor do mesmo respeito e dignidade que nós. O nosso grande desafio é divulgar esses direitos e, ao mesmo tempo, fazer com que a não haja preconceitos e atitudes de discriminação, mas que se perceba, ali, uma pessoa que potencialmente pode sair dessa situação”, ressaltou o secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, ao discursar, durante a solenidade. Também estiveram presentes no evento a representante do Fórum Municipal de População de Rua, Arine Caçador; o vigário geral da Arquidiocese de Juiz de Fora, monsenhor Luiz Carlos de Paula; os presidentes do Conselho de Pastores, José Carlos Dias Vieira; da Associação Municipal de Apoio Comunitário (Amac), João Batista da Silva, e da Associação Comercial de Juiz de Fora (ACEJF), Aloísio José Vasconcelos; e o diretor da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), Marcos Henrique Miranda. A campanha A campanha “Mostre o Caminho” está alicerçada em quatro objetivos principais: divulgar os direitos que assistem a população em situação de rua, combatendo o preconceito, o desconhecimento e a discriminação; apresentar à sociedade os serviços oferecidos a estes cidadãos; desestimular a prática da doação de esmolas e incentivar as pessoas a assumirem um papel mais ativo; e incentivar a doação para entidades e instituições que desenvolvem um trabalho voltado para este segmento. O objetivo é promover o desenvolvimento de uma política de amparo, orientação, encaminhamento e respeito à dignidade e autonomia desta população em Juiz de Fora. A mobilização, que terá início na sexta-feira, 30, na Praça da Estação, será feita através da distribuição de panfletos informativos para a população e da fixação de cartazes de conscientização em locais com grande concentração de moradores de rua e estabelecimentos comerciais. Além disso, o material da campanha será utilizado permanentemente em todas as ações realizadas pelo Serviço de Abordagem. Também serão feitas divulgações através de mídias sociais, rádios e TV digital indoor. Nas próximas semanas também serão feitas ações de divulgação no Parque Halfeld, nas praças do Riachuelo, Antônio Carlos, Menelick de Carvalho e Agassis, além de pontos de concentração de moradores de rua, na Avenida dos Andradas e nos bairros São Mateus, Alto dos Passos e Manoel Honório. “Acredito que essa campanha seja um pilar na reconstrução da cidadania dessas pessoas em situação de rua e, a partir de agora, somos parceiros e estamos marchando juntos nessa luta. Tenho certeza de que o setor público carrega uma responsabilidade muito grande diante das questões sociais, mas elas devem ser compartilhadas, com todos assumindo uma parcela dessa responsabilidade. Portanto, essa é uma oportunidade ímpar para a sociedade mostrar que pode cumprir o seu papel”, apontou o diretor da Abrasel, Marcos Henrique Miranda. Parcerias Segundo Flávio Cheker, “são fundamentais para o sucesso da campanha as parcerias com diversas entidades e instituições, como o Conpas, a Abrasel, a Câmara Municipal, a ACEJF, a Cúria Metropolitana, a Aliança Municipal Espírita (AME) e o Fórum Municipal de População de Rua”. As secretarias de Saúde, através do “Consultório na Rua”, e toda a rede de atendimento, e de Agropecuária e Abastecimento, com o Restaurante Popular, também serão essenciais, segundo o gestor da secretaria de Desenvolvimento Social. Avanços na política para a população de rua Além do anúncio da campanha “Mostre o Caminho”, foram destacados os avanços nas políticas para esta população em Juiz de Fora. A cidade será, em breve, a primeira não capital do Brasil a aderir à Política Nacional para a População em Situação de Rua, instituída pelo Decreto Federal nº 7.053/2009. A assinatura do termo de adesão deve ocorrer no dia 4 de junho. No mesmo evento será instituído também o Comitê Intersetorial de Acompanhamento e Monitoramento da Política Nacional para a População em Situação de Rua. O grupo será responsável por apontar as diretrizes do reordenamento da política na cidade, considerando as particularidades e a necessidade de articulações, utilizando-se dos indicadores construídos pós-diagnóstico para a implantação, execução e monitoramento da política. Paralelo a isso, a SDS está finalizando a elaboração do termo que garantirá a contratação da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), através do Centro de Pesquisas Sociais, para a realização do diagnóstico que irá caracterizar e quantificar a população em situação de rua do município. O estudo também irá subsidiar a implantação e a adaptação das políticas públicas dirigidas ao público-alvo do projeto e contará com a participação de ex-moradores de rua durante a fase de coleta dos dados. O diagnóstico deve ser iniciado em junho, com previsão de conclusão até o final do ano. Serão oferecidas oportunidades de qualificação profissional para os cidadãos em situação de rua. Através de uma parceria com os serviços nacionais da Indústria (Senai) e do Comércio (Senac), 440 vagas serão disponibilizadas, prioritariamente, para esse segmento da população, até o fim do ano. “Estamos deixando de oferecer esmola para oferecer trabalho, em parceria com outras entidades. Não existe proposta melhor que essa. Estamos deixando de dar um prato de comida, para dar o trabalho, para que, com isso, o cidadão de rua tenha comida todos os dias. Podem contar com o Poder Legislativo de Juiz de Fora, pois temos certeza de que vamos emplacar, junto com vocês, esse projeto”, afirmou o presidente da Câmara Municipal, vereador Júlio Gasparette. Atenção ao cidadão em situação de rua A PJF, através da SDS, possui três unidades socioassistenciais que atendem a cidadãos com vivência de rua e migrantes em Juiz de Fora: o Centro Pop, o Núcleo do Cidadão de Rua e a Casa da Cidadania. O Centro Pop oferece refeições, acompanhamento psicossocial e oficinas artísticas, entre outras atividades voltadas para a reinserção do morador em situação de rua na sociedade, e buscando sempre referenciar os atendidos às suas respectivas famílias. A unidade conta ainda com uma biblioteca e uma sala de artes, para a promoção de oficinas de artesanato. O Centro tem capacidade para atender, em média, 120 pessoas por dia. A unidade funciona na Rua Oswaldo Veloso, 190, no Centro. O Núcleo do Cidadão de Rua atende a população adulta em situação de vulnerabilidade social e pessoal. Estas pessoas, abordadas ou por demanda espontânea, que chegam ao núcleo, além da possibilidade de pernoitarem, recebem alimentação e cuidados com higiene. Todo trabalho é supervisionado por uma equipe técnica multidisciplinar. Ele fica na Rua José Calil Ahouagi, 592, no Centro. A Casa da Cidadania realiza o acolhimento institucional de cidadãos que se encontram em vivência de rua, em situação de alto risco e vulnerabilidade social. São oferecidos 55 leitos masculinos e 15 femininos. A Casa da Cidadania fica na Alameda Silva Mello Reis, 6.001, no Bairro Jardim Esperança. O cidadão pode ter acesso a estes serviços por demanda espontânea, quando vai até as unidades, ou através do serviço de abordagem, que pode ser solicitado por qualquer pessoa, pelo telefone 3690-7770. ]]> 2014-05-28 10:42:20Secretário de Desenvolvimento Social participa de Seminário de Inclusão Social e Cidadania na sexta-feirahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11539viverjf2O secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, participa, na próxima sexta-feira, 23, do 2º Seminário de Inclusão Social e Cidadania de Juiz de Fora. O evento, que tem como tema “Inclusão Social e Cidadania: Ideias para um Brasil Inclusivo e Transformador”, abordará questões como a inserção social de pessoas com deficiência física e síndrome de Down. Cheker destaca a importância de se discutir o tema na cidade e região: “Uma das portas de entrada para a cidadania plena é o acesso ao mundo do trabalho. Hoje, em Juiz de Fora, a partir da criação de um departamento específico para isso, o Departamento de Inclusão Socioprodutiva e Qualificação Profissional (Disq), pela Secretaria, nós temos conseguido permitir aos juiz-foranos, cada vez mais, o acesso à qualificação e ao emprego”, afirma. O secretário explica ainda que o Estado deve garantir e facilitar o acesso das pessoas à qualificação profissional. “É fundamental que o Estado possibilite à população o acesso à qualificação e ao mercado de trabalho, para que mais beneficiários dos programas sociais atinjam a cidadania e possam abrir mão dos seus benefícios para outras pessoas que necessitam. Assim, nós teremos, de fato, um processo dinâmico de inclusão social através do trabalho”, explica. O 2º Seminário de Inclusão Social e Cidadania de Juiz de Fora é promovido pela Incubadora Tecnológica de Cooperativas Populares da Universidade Federal de Juiz de Fora (Intecoop/UFJF) e produzido pelo site de classificados gratuitos Viverjf. O evento acontece às 13h30, no Teatro Academia, que fica na Rua Halfeld, nº 1.179 – Centro. ]]> 2014-05-21 09:57:49Blitz educativa alerta a população para o enfrentamento à violência contra crianças e adolescenteshttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11407indexDurante a manhã de sexta-feira, 16, aconteceu a blitz de enfrentamento à violência contra crianças e adolescentes, em frente ao 27° Batalhão de Polícia Militar, no Bairro Santa Lúcia, e próximo ao posto da Polícia Rodoviária, no Bairro Grama. A ação foi promovida pela Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), através dos centros de Referência Especializados de Assistência Social (Creas), em parceria com a Polícia Militar, Câmara Municipal e a Secretaria de Estado de Trabalho e Desenvolvimento Social (Sedese). A blitz serviu para marcar o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, celebrado em 18 de maio.

O objetivo da blitz foi alertar a população sobre a violência contra a criança e o adolescente, além de ressaltar a importância da denúncia. Foi distribuído material com informações sobre a rede de atendimento usada para acompanhamento das vítimas e os tipos de violência praticados. “Trata-se de uma ação fundamental de proteção à infância e à adolescência, executada da maneira como deve ser: integrando poder público, em suas várias instituições, e a sociedade, numa responsabilidade que é comum a todos”, destacou o secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker. A diretora regional da Sedese, Erla Teixeira, esclareceu que a blitz pode ser realizada em todos os ambientes em que a sociedade está presente, pois seu objetivo é sensibilizar os cidadãos e cidadãs e estimulá-los a buscar e divulgar o disque- denúncia, algo que, segundo ela, acontece com maior frequência durante o período da campanha. “Na época em que a blitz é feita, o número de denúncias sobe consideravelmente, por isso a importância da divulgação”, ressalta. “Os locais escolhidos para essa atividade informativa foram selecionados devido à visibilidade que proporcionam à campanha, uma vez que em rodovias o acesso não se restringe apenas aos moradores de Juiz de Fora, abrangendo também pessoas que não residem no município”, explica a supervisora de Acompanhamento dos Creas, Rita de Cássia do Nascimento. Entre os motoristas que participaram da ação, estava o aposentado Paulo Sérgio Martins, da cidade de Barbacena, que considerou a campanha de extrema importância social: “Eu não tinha conhecimento de que poderia fazer algum tipo de denúncia por telefone, desconhecia qualquer número. Então, esta é a primeira vez que estou tendo esse tipo de esclarecimento”. Medidas tomadas pelos Creas A assistente social do Creas Norte, Daniela Vargas, explica que o trabalho do centro é receber as denúncias, que também podem surgir através de outros equipamentos, como as Unidades de Atenção Primária à Saúde (Uaps), a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), o Centro de Referência de Assistência Social (Cras), além do Disque-Denúncia Municipal, através do telefone 0800-283-7991. “Em um primeiro momento, averiguamos a denúncia e acompanhamos a família. Quando há uma violação, a gente aconselha, orienta e, dependendo da violação, encaminhamos as crianças para o Curumim ou para outro equipamento social. Há muitos casos também em que o abusador está dentro de casa. Quando isso acontece, buscamos fazer o encaminhamento para o aluguel social ou para uma família extensa, para que a criança não tenha que sair do vínculo familiar”, destaca. Violência e abuso sexual A violência sexual contra crianças e adolescentes desrespeita direitos e garantias individuais como liberdade, respeito e dignidade, previstos pela Lei nº 8.069/90 - Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). No entanto, Rita de Cássia recorda que a conscientização não se prende somente ao estatuto, mas passa, também, pelo alerta para situações rotineiras às quais crianças e adolescentes podem estar submetidas, como a violência sexual, pedofilia, negligência e abandono, violência psicológica e física. O abuso sexual contra crianças e adolescentes é crime. A pena pode chegar a 12 anos de prisão. Para comunicar, basta ligar para o Disque Denúncia Municipal, através do telefone 0800-283-7991. A ligação é gratuita e o nome do denunciante será mantido em sigilo, se desejado. Os casos também podem ser informados aos conselhos tutelares ou nas unidades do Creas do município. Onde denunciar • Creas Idoso/Mulher: Praça Presidente Antônio Carlos, 371 – Centro Telefone: 3690-8483 • Creas Infância e Juventude: Rua Espírito Santo, 444 – Centro Telefone: 3690-7971 • Creas Norte: Rua Dona Ambrosina Nunes Lima, 44 - Jóquei Clube Telefone: 3223-3491 • Conselho Tutelar Sul/ Oeste: Av. Presidente Itamar Franco, 992 – Centro Telefone: 3690-7397 • Conselho Tutelar Centro/Norte: Av. Brasil, 9.501 – São Dimas Telefone: 3690-7398 • Conselho Tutelar Leste: Rua Vitorino Braga, 126 – Vitorino Braga Telefone: 3690-7390 • Disque-Denúncia: 0800 283 7991 ]]>
2014-05-16 16:55:56
Cheker participa de encerramento da oficina sobre os “Desafios da Vida em Família”http://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=1153214 05 Cras sudeste_201607O secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, participou na manhã desta quarta-feira, 14, do encerramento do ciclo de palestras da oficina “Desafios da Vida em Família”, realizado no Centro de Referência de Assistência Social(Cras) Sudeste Costa Carvalho. As atividades tiveram início em 25 de março, com o objetivo de estimular a socialização e a discussão de projetos de vida, a partir de potencialidades coletivamente identificadas pelas famílias do Programa de Segurança Alimentar e do grupo de idosos FelizIdade. A palestra de encerramento foi ministrada pela líder comunitária Adenilde Petrina, que deu um panorama da ação e fez um resumo do que foi trabalhado nos oito encontros sobre o tema “Desafios da Vida em Família”. Ao final foram entregues os certificados e servido um almoço aos participantes. Flávio Cheker destacou a importância de desenvolver ações desse tipo nos Cras: “As pessoas que coordenaram esses encontros são extremamente capacitadas, são referências no assunto, então é muito importante dar atenção para esse tipo de ação. Que seja exemplo para as outras unidades”. A coordenadora do Cras Sudeste Costa Carvalho, Maria Aparecida da Silva Affonso, contou que a ação foi satisfatória e explicou como ela ajuda no cumprimento do objetivo proposto: “As oficinas proporcionam integração, interação e troca de experiências entre essas pessoas. E isso propicia que eles se fortaleçam para exercer a cidadania deles, no lar e na comunidade”. Maria Aparecida falou, também, que existe a intenção de promover novos encontros sobre variados temas. Entretanto, ainda não há datas definidas: “Pretendemos dar continuidade às oficinas e diversificar os temas, mas ainda não temos data. Talvez no próximo semestre”. A oficina Durante as palestras da oficina foram abordados os seguintes temas: 1. “Os direitos das famílias, sua função protetiva e deveres do Estado e das famílias” – Luiz Cláudio da Silva Corrêa (advogado do Creas Infância e Juventude); 2. “As especificidades do ciclo vital dos membros das famílias, as formas de convívio intergeracional” – Maria José Sinhoroto (assistente social e gerontóloga do Centro de Convivência do Idoso); 3. “Cuidar de quem cuida: proporcionar a troca de experiências; expectativas e receios vivenciados pelos familiares cuidadores de pessoas com deficiência, pessoas idosas ou pessoas com doenças crônicas, dependentes” - Maria Piedade de Oliveira (assistente social do Creas Idoso/Mulher); 4. “O uso de álcool e/ou outras drogas na família” - Sérgio Murilo de Oliveira (diretor do Núcleo de Apoio aos Toxicômanos Anônimos de Juiz de Fora); 5. “Adolescência e juventude – direitos e deveres, gravidez na adolescência, mortalidade de jovens por causas externas (trânsito, violência urbana, uso de drogas)” – Arine Caçador (gestora social do Centro de Prevenção a Criminalidade); 6. “Sexualidade e doenças sexualmente transmissíveis” - Eriane Pimenta (psicóloga do Serviço de Atenção à Saúde do Adolescente). O serviço O Cras é um serviço da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), com o trabalho executado pela Associação Municipal de Apoio Comunitário (Amac). É a porta de entrada para os serviços da proteção básica, e ainda recebe e promove encaminhamentos para a proteção especial, além de prestar atendimento às famílias e pessoas em situação de vulnerabilidade social, com o objetivo de fortalecer os vínculos familiares e comunitários. O Cras Sudeste Costa Carvalho fica localizado na Rua Costa Carvalho, 7. O telefone de contato é o 3690-7726. ]]> 2014-05-14 09:12:27Creas encerra “Rodas de Conversa” com idosos e profissionais de saúdehttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11530 2014-05-07 09:10:30Evento marca início do projeto "Com Licença, Vou à Luta" em Juiz de Forahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11527192030“Tudo o que um sonho precisa para ser realizado é alguém que acredite que ele possa ser realizado”. Foi com essa frase de incentivo que 27 mulheres foram recepcionadas na aula inaugural do projeto "Com Licença, vou à Luta", na tarde desta segunda-feira, 5. As cidadãs, integrantes do programa “Travessia”, na Vila Olavo Costa, e egressas do sistema prisional, formam a primeira turma do curso de panificação e confeitaria do projeto, conduzida pelos profissionais do bistrô Savoir-Faire, em parceria com a distribuidora Dispropan. A iniciativa, realizada pela Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), em parceria com o Governo do estado, tem o objetivo de estimular a capacitação e a inserção de mulheres de baixa escolaridade, acima de 18 anos e em situação de vulnerabilidade, no mercado de trabalho. Durante a aula inaugural, o secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, destacou o objetivo e a importância de parcerias entre o Governo do estado, o município (através da PJF) e iniciativas privadas: “Essa é uma ideia que a gente vem perseguindo há um ano, e ver o projeto acontecendo é uma satisfação e um orgulho muito grande. O nosso objetivo maior é permitir que essas mulheres possam ter acesso a cursos de qualificação, na área de gastronomia, para abrir portas tanto do ponto de vista do mercado quando do empreendedorismo”. Para Arine Caçador, que esteve no evento representando o Programa de Inclusão Social de Egressos do Sistema Prisional (PrEsp), “é através de ações como essa que é possível construir e reconstruir trajetórias de pessoas e famílias que precisam e querem uma vida melhor”. A aluna Rosana da Silva Oliveira, que logo na primeira aula já colocou a “mão na massa”, destacou que o esforço é grande, mas compensador: “Não é fácil estar aqui, temos um longo caminho pela frente. Mas vale muito a pena, porque a gente quer um futuro melhor para nós e para os nossos filhos, e esse curso com certeza vai ajudar nesse objetivo”. “Com Licença, vou à Luta” O projeto "Com Licença, vou à Luta", que integra o Plano de Ações Integradas na Vila Olavo Costa, compreende três módulos: formação para a cidadania, qualificação profissional e inserção no mercado de trabalho e elevação de escolaridade. O curso terá carga horária de 52 horas e formará 60 alunas. As aulas da primeira turma vão até 1º de agosto. Já as da segunda turma acontecem de 4 de agosto a 29 de outubro. Ao longo do curso, as participantes receberão vale-transporte, lanche e acessórios para as aulas práticas, como touca, avental e luvas. Além disso, a produção será consumida pelas próprias alunas. Paralelo às aulas, acontece, também, o módulo “Formação Para a Cidadania”, conduzido pelas assistentes sociais do PrEsp e da SDS, que busca capacitar essas mulheres para o mercado de trabalho, valorizar a autoestima e informar sobre os direitos e deveres socioassistenciais do cidadão e da cidadã. ]]> 2014-05-05 18:46:18Secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, participa da 16ª edição do Congemas, em Cuiabáhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11520182120A Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), através da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), participa, desde esta segunda-feira, 28, do 16º Encontro Nacional do Colegiado Nacional dos Gestores Municipais de Assistência Social (Congemas). O secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, e a chefe do Departamento de Transferência de Renda da SDS, Míriam Monteiro, estão representando a PJF no evento, que está acontecendo em Cuiabá e reúne técnicos e gestores de Assistência Social de todo o país. O evento conta com a participação da ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), Tereza Campello, além de todos os secretários nacionais do MDS. Neste ano, o encontro tem como tema central “Avaliando o Sistema Único de Assistência Social (Suas): um Olhar Sobre a Gestão Compartilhada dos Entes Federados”. O evento conta com uma programação bastante diversificada, que inclui oficinas temáticas simultâneas, mesas redondas e painéis. O objetivo é reunir todos os atores que compõe a Política Nacional de Assistência Social no âmbito nacional, estadual e municipal. “O encontro anual do Congemas é um evento obrigatório, tanto pela participação do MDS e todas as suas secretarias, quanto pelo aperfeiçoamento dos instrumentos de gestão e atualização, com repercussão direta na vida de nossa população beneficiária. Hoje pela manhã tivemos a oportunidade de expor alguns dos trabalhos desenvolvidos pela PJF, através da SDS, e é muito bom receber o reconhecimento (e os elogios) de outros municípios, o que nos anima, em meio às dificuldades, e nos deixa mais orgulhosos de toda nossa equipe”, afirmou Flávio Cheker, diretamente do encontro. O Congemas é uma associação civil, sem fins lucrativos, com autonomia administrativa, financeira e patrimonial. É formado pelos colegiados estaduais de gestores municipais de Assistência Social e tem por objetivo representar os municípios brasileiros perante os governos estaduais e o federal. O 16º Encontro Nacional do Congemas vai até quarta-feira, 30. ]]> 2014-04-28 18:37:41Incentivo à leitura - Curumim Vila Esperança recebe doação de 378 livroshttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=1151723 04 curumim Vila Esperanca_163531Nesta quarta-feira, 23, “Dia Mundial do Livro”, a felicidade estava espalhada por todos os lados no Curumim Vila Esperança, assim como os novos livros que a unidade recebeu. O que se via eram sorrisos largos, atenção redobrada e mãos ansiosas para tocar e folhear todos os 378 novos títulos recebidos da Votorantim Metais. A doação tem o objetivo de contribuir na formação literária e no despertar do prazer da leitura nas crianças e nos adolescentes atendidos pela instituição. O programa, que possui oito unidades em Juiz de Fora, conta com oficinas de leitura e escrita, de habilidades sociais e de temas transversais, que trabalham, entre outras coisas, com livros e materiais impressos. Sara da Silva Fonseca, 13 anos, foi uma das adolescentes que ficou encantada com os novos livros. Agora, ela terá ainda mais opções para “mergulhar” no universo da literatura: “Gosto muito de ler romances e aventuras. Desde que aprendi a ler, a professora viu que eu me interessava pela leitura e foi me incentivando. Com esse monte de livros que acabou de chegar aqui, acho que vou ler bastante, e vou aproveitar para incentivar os outros também”. O evento, promovido pelo Programa de Voluntariado da Votorantim Metais em Juiz de Fora, superou as expectativas em relação ao ano anterior. De acordo com a gerente de Desenvolvimento Humano e Organizacional da empresa, Marisa Ulhoa, o expressivo número de livros arrecadados é resultado do compromisso para com o desenvolvimento da cidade, realizando atividades de democratização do acesso à cultura e à educação, e das ações para mobilizar os empregados a se envolverem cada vez mais com a comunidade. “A Votorantim Metais tem como premissa a educação e o desenvolvimento das crianças e dos jovens. É extremamente gratificante estar aqui, hoje, participando deste projeto, que só vem consolidar o que a empresa faz em relação à responsabilidade social, procurando realmente democratizar o acesso à cultura, porque acreditamos que só através dele o país será transformado. A parceria com a Prefeitura contribui para a consolidação desse processo”, ressaltou Marisa. O secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, participou do evento de entrega dos exemplares, e ressaltou a importância daquele momento: “Sabemos que o livro e o ato de ler se constituem numa forma de aquisição da cidadania e formação de pessoas com uma visão mais positiva, mais altruísta e mais tolerante do mundo. Por isso mesmo, essa é uma iniciativa tão importante da empresa Votorantim Metais, já que incentiva o acesso à leitura aos meninos e meninas do Curumim”. “Para nós, esse momento, além de cultural e de sociabilidade, é de afetividade. Assim, acredito ser muito importante, tanto para a comunidade, quanto para os responsáveis, como para as crianças. É importante, também, porque é uma novidade: é a primeira vez que esse tipo de ação é desenvolvido aqui, a fim de promover o incentivo à leitura e auxiliar no aumento do acervo de livros de nossa biblioteca”, afirmou a coordenadora do Curumim Vila Esperança, Edilamar Campos. “Dia Mundial do Livro” O “Dia Mundial do Livro” é comemorado em 23 de abril, data de falecimento de Miguel Cervantes e William Shakespeare, dois destaques da literatura universal. A celebração do dia tem origem na Espanha e foi instituída em 1995 pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), que integra as Organização das Nações Unidas (ONU). O programa Curumim O Curumim é um serviço da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), executado pela Associação Municipal de Apoio Comunitário (Amac), que busca estimular a formação cidadã de crianças e adolescentes, através de práticas esportivas, artísticas e culturais. Além disso, são ofertadas duas refeições diárias e espaço para os jovens estudarem. O município conta com oito unidades do projeto, localizadas nos bairros Santa Rita, Olavo Costa, São Benedito, São Pedro, Santa Luzia, Jóquei Clube, Benfica e Vila Esperança. O Curumim Vila Esperança fica localizado na Rua Cinco de Agosto, 790, Bairro Vila Esperança. O telefone de contato é o 3690-8617. ]]> 2014-04-23 17:36:08Segunda edição do “Espaço Cidadão Desenvolvimento Social” oferece serviços gratuitos aos moradores do Sagrado Coraçãohttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=1151314 04 espaco cidadao 1_110636Contando com a presença massiva da população, a Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), através da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), realizou, no último sábado, 12, a segunda edição do “Espaço Cidadão Desenvolvimento Social”. O evento foi realizado na Escola Municipal Quilombo dos Palmares, no Bairro Sagrado Coração, das 8 às 13 horas. O objetivo do evento foi levar serviços públicos essenciais, de forma gratuita, com foco nas áreas de assistência e desenvolvimento social, além de saúde e lazer. A aposentada Ondina de Mattos, 85, não se importou em sair do Bairro Cruzeiro do Sul para aproveitar os serviços oferecidos na ação. “Há oito anos faço parte do Centro de Convivência do Idoso (CCI) e não sabia que podia ganhar o benefício do Bolsa Família. Vou fazer o cadastro e aproveitar para ver como anda a minha saúde”, disse, referindo-se aos serviços de aferição de pressão, vacinação e glicemia que foram ofertados no local. Durante o evento, também foram oferecidos serviços de cadastro e atualização para o programa Bolsa Família, orientações sobre cursos profissionalizantes do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) e cadastros para descontos nas contas de luz e água. O Centro de Referência de Assistência Social (Cras) e o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) também estiveram presentes, orientando a população e fazendo agendamentos para atendimentos nas unidades. Na área de saúde, ainda foram realizadas pesagens, orientações sobre alimentação saudável, dengue e doenças sexualmente transmissíveis (DST/Aids), e cálculo do Índice de Massa Corporal (IMC). A população também teve acesso a cortes de cabelo gratuitos e a emissão de documentação civil. As crianças puderam participar de uma oficina de artesanato com as adolescentes da Casa da Menina Artesã, assim como de uma oficina de arte com os profissionais da Casa do Pequeno Artista. A criançada também teve acesso a jogos e atividades de lazer, além de pipoca e algodão doce. Bolsa Família e CadÚnico Uma das principais ações do evento foi a atualização do Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), indispensável para a obtenção de benefícios de programas sociais, como o Bolsa Família e o Pronatec, entre outros. A SDS disponibilizou uma equipe de profissionais para atender à demanda da população, que buscou o acesso aos benefícios e realizou um grande número de cadastramentos e atualizações do CadÚnico. Moradora do Bairro Sagrado Coração, Iris Maria da Silva afirmou que ações como a do “Espaço Cidadão Desenvolvimento Social” são importantes para que a população tenha o acesso facilitado a benefícios como o Bolsa Família. “Ganhei o Bolsa Família durante vários anos, mas hoje, graças a Deus, tenho duas rendas e abri mão do benefício. Assim como eu já precisei, muitas pessoas que moram aqui no bairro também podem precisar dessa ajuda, por isso essa ação de trazer o atendimento até nós é tão importante”, declarou. Sorteio de brindes Todos aqueles que participaram de alguma atividade durante a ação receberam um número para participar do sorteio de brindes. Ao final do evento, o secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, subiu ao palco para distribuir os presentes para os moradores. Foi realizado um sorteio, feito com a participação das próprias crianças do Sagrado Coração, no qual foram distribuídos bonés, camisetas, bolas de futebol e de basquete, além de jogos e kits de beleza. “O evento foi fantástico, pois nós fomos capazes de superar o evento anterior, que já foi excelente. Conseguimos construir aqui uma pequena cidade. Uma cidade de programas, de ações e de serviços para a população. E é incrível como isso é importante, porque há uma grande interação entre as famílias e o poder público, o que indica que estamos no caminho certo”, afirmou Cheker, após a entrega dos brindes. A iniciativa O projeto “Espaço Cidadão Desenvolvimento Social” deve atender, até junho, outros dois bairros da cidade, nas zonas leste e norte. A iniciativa reúne, além da SDS, profissionais das secretarias de Saúde, Educação e Esporte e Lazer, e conta com o apoio das secretarias de Atividades Urbanas, Obras, e Transporte e Trânsito, assim como do Demlurb, da Cesama e da Funalfa. Nesta edição, também estiveram presentes alunos da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) e da Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde de Juiz de Fora – Suprema, além de profissionais da Câmara Municipal de Juiz de Fora e do Instituto Embeleze. Confira o vídeo da matéria em: https://www.youtube.com/watch?v=3hftQJ3Hi7Y ]]> 2014-04-14 12:33:04Comissão Municipal da Verdade estuda parcerias e método de trabalho em sua segunda reuniãohttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=1151011 04 comissao verdade_173452A Comissão Municipal da Verdade realizou, nessa quinta-feira, 10, sua segunda reunião, em que o grupo elencou a estrutura necessária para a efetividade de seu funcionamento e deu início às conversações sobre possíveis parcerias. A partir das diretrizes estabelecidas, a comissão definiu como prioridade a disponibilização de espaço físico, telefone e página na internet para que a população possa ter acesso direto ao grupo, bem como fazer denúncias, sugestões e encaminhar documentos. O grupo estudará, juntamente com a Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) e a Câmara Municipal, os meios de disponibilizar esse serviço à população. Ficou definido que, além de o grupo buscar ativamente os depoimentos de vítimas, parentes e testemunhas de graves violações dos direitos humanos, a própria população poderá contribuir com os trabalhos, sugerindo nomes de pessoas que vivenciaram o período da ditadura militar (1964-1985) e podem contribuir com as investigações. A proposta é incentivar o esclarecimento de como se desenvolveu o sistema de repressão na cidade. O secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, ressaltou que a equipe está avançando progressivamente nos trabalhos, que auxiliarão a Comissão Nacional da Verdade. “Avançamos, nessa segunda reunião, na formatação da infraestrutura que dará suporte aos trabalhos da comissão. Estamos, progressivamente, criando a metodologia e, ao mesmo tempo, verificando os caminhos a serem seguidos na busca do estabelecimento de nossa memória histórica”, afirmou . O grupo também decidiu que os relatos a serem coletados pela comissão poderão ser feitos por escrito ou oralmente, em audiências públicas ou sessões fechadas. A comissão municipal pretende seguir os moldes de trabalho da Comissão Nacional da Verdade no que diz respeito à coleta de depoimentos, privilegiando os relatos orais que possam ser documentados em formato audiovisual. Há ainda possibilidade de que em casos extremos avaliados pelos comissários, os nomes dos depoentes sejam mantidos em sigilo para resguardar sua honra, intimidade ou imagem. Também caberá ao colegiado apresentar, ao final dos trabalhos, um relatório com os resultados alcançados. A próxima reunião da comissão ocorrerá no dia 24 de abril. ]]> 2014-04-11 18:31:31“Espaço Cidadão Desenvolvimento Social” registrou 475 atendimentos a moradores do Bairro Nova Germâniahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11506170910O projeto “Espaço Cidadão Desenvolvimento Social”, cuja primeira edição foi realizada na tarde do sábado, 29, no Bairro Nova Germânia, contabilizou, ao todo, 475 atendimentos. Durante as quatro horas da ação, 157 pessoas receberam atendimentos referentes ao Cadastro Único Para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), incluindo atualizações cadastrais, encaminhamentos para o Centro de Referência de Assistência Social (Cras), para o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) e para a Emcasa, e orientações sobre condicionalidades do programa Bolsa Família. Na área da saúde foram contabilizadas 33 vacinações, 98 aferições de pressão e 111 testes de glicemia. Já o Instituto Embeleze registrou 73 cortes de cabelo. “Essa primeira edição do projeto mostrou que estamos no caminho certo em realizar a busca ativa através do contato direto com o cidadão, sobretudo aquele que está em situação de vulnerabilidade social. Além disso, essa ação revelou, mais uma vez, a importância da aproximação da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) do cidadão”, afirmou o secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker. A ação foi criada com o intuito de atender a um dos pilares da Política Nacional de Assistência Social: a busca ativa. Justamente por isso, a PJF, através da SDS, levou, de forma gratuita, serviços públicos essenciais à população, com foco nas áreas de assistência e desenvolvimento social, além de saúde e lazer. A iniciativa O projeto “Espaço Cidadão Desenvolvimento Social” está previsto para atender, até junho, outros três bairros da cidade, nas zonas sul, leste e norte. A iniciativa reúne, além da SDS, profissionais das secretarias de Saúde, Educação e Esporte e Lazer, e conta com o apoio das secretarias de Atividades Urbanas, Obras e Transporte e Trânsito, assim como do Demlurb, da Cesama e da Funalfa. ]]> 2014-04-01 19:02:48Qualificação profissional e mercado de trabalho são temas do 1° Encontro Socioprodutivo realizado pela SDShttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=1150131 03 qualificacao profissional 1_182028A Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), através do Departamento de Inclusão Socioprodutiva e Qualificação Profissional (Disq), realizou na tarde dessa segunda-feira, 31, o “1° Encontro Socioprodutivo: Qualificação e Mercado de Trabalho”, no Auditório do Banco do Brasil (Rua Halfeld, 770 - Centro). O encontro teve como público-alvo os multiplicadores sociais – profissionais que trabalham em unidades e programas socioassistenciais e lideranças comunitárias –, promovendo sua capacitação em relação às ofertas de qualificação profissional existentes no município. Na abertura do evento, o secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, afirmou que é preciso expandir cada vez mais as possibilidades de acesso ao mercado de trabalho: “Fortalecer as possibilidades de acesso ao mundo do trabalho é uma porta de saída para as pessoas em situação de vulnerabilidade social, porque asseguramos essa pessoa como protagonista da geração de renda. Dessa forma, ela fica mais perto de abrir mão dos programas e projetos de assistência social que ela precisa para sobreviver”. O secretário de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Geração de Emprego e Renda, da PJF, André Zuchi, fez uma breve apresentação das políticas para o desenvolvimento econômico e mercado local, e explicou os principais desafios a serem superados em Juiz de Fora. “Nós buscamos não só o desenvolvimento econômico, que é atrair emprego, mas também temos que fazer um trabalho de desenvolvimento social e sustentável. E em Juiz de Fora temos hoje dois desafios: atrair empreendimentos, ou seja, abrir vagas de trabalho, e garantir que as pessoas estejam habilitadas e tenham competências para assumir essas vagas”, afirmou. O diretor do Senai Fatec (Faculdade de Tecnologia do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial), Vander Amaral, abordou os programas de qualificação profissional, com foco no Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), e revelou que Juiz de Fora é, hoje, a principal cidade mineira em encaminhamentos para cursos profissionalizantes. “Juiz de Fora tem o maior número de pessoas encaminhadas a cursos de educação profissional e tecnológica, entre todas as cidades de Minas Gerais, incluindo Belo Horizonte, graças à parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Social da Prefeitura de Juiz de Fora”, declarou. Durante o evento foram detalhados os critérios socioeconômicos necessários para o processo de inscrição do Pronatec, pela SDS, assim como um panorama acerca do mercado de trabalho em Juiz de Fora. ]]> 2014-03-31 19:35:38“Espaço Cidadão Desenvolvimento Social” – Primeira edição do evento reúne moradores do Nova Germânia e oferece serviços gratuitos à populaçãohttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11498122851Levar, gratuitamente, os serviços da assistência e do desenvolvimento social à população. Esse era o objetivo do “Espaço Cidadão Desenvolvimento Social”, cuja primeira edição foi realizada na tarde do último sábado, 29, no Bairro Nova Germânia. A missão, segundo a população, foi cumprida. “Moro aqui há dois anos e, pela primeira vez, participei de um evento assim. É maravilhoso. Recebo o benefício do Bolsa Família e aproveitei para ver se meu cadastro estava em dia”, contou a dona de casa Tânia Aparecida Rodrigues, que também utilizou os serviços de saúde disponibilizados no evento. A ação foi criada com o intuito de atender a um dos pilares da Política Nacional de Assistência Social: a busca ativa. Justamente por isso, a Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), através da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), levou, de forma gratuita, serviços públicos essenciais à população, com foco nas áreas de assistência e desenvolvimento social, além de saúde e lazer. Foram oferecidos serviços de cadastro e atualização do Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico) e do programa Bolsa Família; orientações sobre cursos profissionalizantes do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) e políticas para a pessoa com deficiência; vacinação, exames de glicemia e aferição de pressão; orientações sobre doenças sexualmente transmissíveis (DST’s) e prevenção à dengue; cadastros para descontos nas contas de luz e água, além de pipoca e algodão doce. O Centro de Referência de Assistência Social (Cras) e o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) também estiveram presentes, orientando a população e fazendo agendamentos para atendimentos nas unidades. Além disso, profissionais do Instituto Embeleze participaram da mobilização oferecendo cortes de cabelo para a população. “Ficamos muito felizes com a grande participação da comunidade e, sobretudo, com o grande número de encaminhamentos, de orientações e de exames que foram feitos. Além disso, pudemos escutar os moradores, conhecer de perto os problemas que eles vivenciam e encaminhá-los para a busca das soluções. Esse foi o nosso primeiro evento e agradeço muito a toda a equipe da SDS e de todas as secretarias parceiras que contribuíram para a realização dessa ação tão importante”, afirmou o secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker. Inscrições e atualização do CadÚnico Um dos focos da busca ativa e, portanto, do projeto “Espaço Cidadão Desenvolvimento Social”, é a manutenção dos cadastros do CadÚnico atualizados. O cadastro é indispensável para a obtenção de benefícios de programas sociais como o Bolsa Família, o Minha Casa Minha Vida e o Pronatec, entre outros. Para a moradora do Nova Germânia, Luciana Maria de Jesus, a ação foi essencial para que ela pudesse fazer a atualização. “Achei muito bom o evento, porque geralmente a gente tem que ir até o Cras para atualizar o cadastro, e esse deslocamento é complicado. Então, quando o serviço vem até a gente, é muito melhor”, explicou. A chefe do departamento de Transferência de Renda, Miriam Monteiro, achou positivo o resultado dessa primeira edição do projeto. “Tivemos várias pessoas vindo aqui pedir orientações, mas também tivemos um grande número de pessoas fazendo o CadÚnico. Após compilarmos os dados, nossa equipe vai verificar quem ainda não atualizou o cadastro e vai bater de porta em porta, na próxima semana, para informá-los sobre a necessidade da atualização”, ressaltou. Distribuição de brindes Todos aqueles que participaram de alguma atividade durante a ação receberam um número para participar do sorteio de brindes. Ao final do evento, o secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, subiu ao palco para distribuir os presentes para os moradores. Foi realizado um sorteio, feito com a participação das próprias crianças do Nova Germânia, no qual foram distribuídos bonés, camisetas, bolas de futebol e de basquete, além de jogos e kits de beleza. Todos os presentes faziam referência à Copa do Mundo, que será realizada no Brasil nos meses de junho e julho. A iniciativa O projeto “Espaço Cidadão Desenvolvimento Social” está previsto para atender, até junho, outros três bairros da cidade, nas zonas sul, leste e norte. A iniciativa reúne, além da SDS, profissionais das secretarias de Saúde, Educação e Esporte e Lazer, e conta com o apoio das secretarias de Atividades Urbanas, Obras, e Transporte e Trânsito, assim como do Demlurb, da Cesama e da Funalfa. ]]> 2014-03-31 17:33:29AABB Comunidade - Secretário de Desenvolvimento Social participa de aula do Projeto Cidadaniahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11495181344O secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, participou na tarde dessa quinta-feira, 27, de uma aula do Projeto Cidadania, na sede do programa Associação Atlética do Banco do Brasil (AABB) Comunidade. Cheker assistiu, juntamente com os adolescentes, a uma exposição sobre drogas e as consequências do uso dessas substâncias para o indivíduo, a família e a comunidade. Ao todo, cerca de 30 adolescentes participaram da atividade. “Peço para que cada um de vocês seja multiplicador do conhecimento adquirido aqui (na AABB Comunidade), a fim de que possamos fazer uma sociedade cada vez melhor e livre das drogas”, afirmou Cheker, após assistir a exposição sobre o tema. O Projeto Cidadania é uma iniciativa que visa tratar de temas de relevância social para os adolescentes, desenvolvida também na Casa do Pequeno Artista. Para a educadora da AABB Comunidade, Elisângela Brigolini, o projeto traz resultados a longo prazo, visto que é um trabalho de conscientização e reflexão com os adolescentes. “A gente aborda vários temas para trabalhar com a conscientização e a valorização dos meninos. Temos um tempo curto para realizar o trabalho, mas nesse período trabalhamos valores e a questão do comportamento, entre outras coisas. E são eles quem buscam, nesses momentos, o que querem para a vida. Eles estão aqui, agora, para colher os frutos no futuro”, disse. A coordenadora do AABB Comunidade, Marília Camilo Antunes, acredita que o programa tem a capacidade de complementar a formação integral do indivíduo. “Hoje não existem escolas, na nossa cidade, em tempo integral para atender a todos os alunos. Por isso, vejo esse programa, assim como os Curumins e a Casa do Pequeno Artista, como uma oportunidade no contraturno escolar. Os adolescentes vêm aqui na AABB motivados a melhorar suas vidas”, ressaltou. O programa A AABB Comunidade é uma iniciativa da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), com o trabalho executado pela Associação Municipal de Apoio Comunitário (Amac)e promovido em parceria com a Federação Nacional de Associações Atléticas do Banco do Brasil (Fenabb) e com a Fundação Banco do Brasil (FBB).O programa tem como objetivo apoiar as famílias no processo de formação dos adolescentes, entre 12 e 17 anos,por meio de atividades ligadas à cultura e ao esporte. A unidade fica localizada na Av. Deusdedith Salgado, 1690 – Teixeiras. O telefone de contato é o 3237-1810. ]]> 2014-03-29 10:30:54Nova Germânia recebe primeira edição do “Espaço Cidadão Desenvolvimento Social” neste sábadohttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11492115516Com o objetivo de levar à população da cidade, de forma gratuita, serviços públicos essenciais, com foco nas áreas de assistência e desenvolvimento social, além de saúde e lazer, a Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), através da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), promove, no sábado, 29, a primeira edição do “Espaço Cidadão Desenvolvimento Social”. O Bairro Nova Germânia, na Cidade Alta, será o primeiro local a receber o evento. A mobilização acontece na praça do bairro, das 13 às 17 horas. Durante o evento, serão oferecidos serviços de cadastro e atualização para o programa Bolsa Família, orientações sobre cursos profissionalizantes do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), corte de cabelo, acompanhamento de gestantes, pesagem e medida de crianças, vacinação e cadastros para descontos nas contas de luz e água, além de pipoca e algodão doce. O Centro de Referência de Assistência Social (Cras) e o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) também estarão presentes, orientando a população e fazendo agendamentos para atendimentos nas unidades. Para o secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, o projeto é de extrema importância, visto que garante à população em situação de vulnerabilidade social o acesso a serviços públicos essenciais. “Um dos pilares da Política Nacional de Assistência Social é a busca ativa. Ou seja, hoje nós não esperamos que o cidadão que seja potencial usuário dos programas de assistência social venha a nós. Nós buscamos essas pessoas, até porque muitas desconhecem seus direitos”, afirmou. Atualização do CadÚnico Uma das principais ações do evento é a atualização do Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), indispensável para a obtenção de benefícios de programas sociais como o Bolsa Família, o Minha Casa Minha Vida e o Pronatec, entre outros. O Nova Germânia, por exemplo, possui 329 famílias inscritas no CadÚnico, sendo que 249 estão com cadastro desatualizado. Por conta disso, a chefe do Departamento de Transferência de Renda, Miriam Monteiro, ressalta a importância da participação da população para realizar a atualização. “A expectativa é atingir o número máximo de cadastros e atualizações. Na semana seguinte, nossa equipe voltará ao Nova Germânia, batendo de porta em porta, para atualizar o cadastro de quem não tiver comparecido ao evento”, reafirma. Para que seja realizada a atualização do CadÚnico no local, a população deve levar as cópias dos seguintes documentos: - Comprovante de renda (contracheque, declaração de renda, extrato bancário); - Certidão de nascimento de todas as crianças e adolescentes da casa; - Certidão de casamento; - CPF, carteira de identidade e carteira de trabalho e previdência social de todos os adultos da casa; - Título de eleitor de todos os adultos da casa; - Conta de luz ou telefone; - Declaração de matrícula escolar dos filhos. Além do CadÚnico, a população também terá acesso à vacinação. Por isso, os moradores também devem levar o cartão de vacinas dos filhos. A iniciativa O projeto “Espaço Cidadão Desenvolvimento Social” deve atender, até junho, outros três bairros da cidade, nas zonas sul, leste e norte. A iniciativa reúne, além da SDS, profissionais das secretarias de Saúde, Educação e Esporte e Lazer, e conta com o apoio das secretarias de Atividades Urbanas, Obras, e Transporte e Trânsito, assim como do Demlurb, da Cesama e da Funalfa. Confira, abaixo, o cronograma dos próximos eventos: 29 de março – Bairro Nova Germânia - das 13 às 17 horas 12 de abril– Bairro Sagrado Coração – das 8 às 13 horas 24 de maio– Bairro Linhares – das 13 às 17 horas 07 de junho– Bairro Santa Cruz – das 13 às 17 horas ]]> 2014-03-27 14:27:53“Café Literário” promove a “convivência” dos idosos com a obra de Cora Coralinahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=1148826 03 sds cafe literario_173648“Se temos de esperar, / que seja para colher a semente boa / que lançamos hoje no solo da vida”. (Cora Coralina) Tendo como tema o “Dia da Mulher”, comemorado em março, os idosos participantes do projeto “Café Literário” passaram a manhã desta quarta-feira, 26, deliciando-se com a leitura de poemas da escritora Cora Coralina, o que deixou todos entrosados e sensibilizados. Além de proporcionar a troca de informações e de conhecimentos, o momento possibilitou o resgate da ternura entre os participantes através da literatura, neste caso especial, através da obra de Cora, doceira e poetisa, que nasceu na Cidade de Goiás, em 20 de agosto de 1889, e morreu em Goiânia, em 10 de abril de 1985, como lembraram os participantes. “Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina”. (Cora Coralina) O projeto Café Literário é realizado mensalmente pelo Centro de Convivência do Idoso (CCI), serviço da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), e executado pela Associação Municipal de Apoio Comunitário (Amac). A iniciativa serve de incentivo à cultura da leitura entre os usuários da unidade e reúne, mensalmente, cerca de 30 idosos. “O que vale na vida não é o ponto de partida, e sim a caminhada. Caminhando e semeando, no fim terás o que colher”. (Cora Coralina) Junto com o grupo, na manhã desta quarta-feira, estava o secretário da SDS, Flávio Cheker: “É um prazer poder interromper a apertada agenda de compromissos para partilhar dessa importante atividade desenvolvida pelo Centro de Convivência do Idoso, que é o ´Café Literário`. Foi uma experiência maravilhosa poder participar com todos e todas desse momento e trazer, também, alguns versos para esse convívio tão sadio e bem humorado”, falou o secretário, antes de recitar o poema “As Duas Sombras”, do pernambucano Olegário Mariano (1889-1958), contemporâneo de Cora: “Na encruzilhada silenciosa do Destino, / Quando as estrelas se multiplicavam / Duas sombras errantes se encontraram” (abertura de “As Duas Sombras”). O depoimento de uma das participantes do projeto, Maria da Conceição Ferreira, deu o tom da emoção, do companheirismo e da sensibilidade da reunião. Disse ela: “Eu me sinto muito bem participando desse momento de convivência, porque acredito que, aqui, aqueles que não leem passam a se informar e a se interessar pela literatura. É esse o espaço que temos para mostrar aos outros o quanto ler é interessante. Acredito que com a idade e as vivências que adquirimos, fica mais fácil refletir sobre o que lemos. É neste momento que aprendemos a olhar o outro com bons olhos”. “O saber a gente aprende com os mestres e os livros. A sabedoria se aprende é com a vida e com os humildes”. (Cora Coralina) Saudáveis atividades O “Café Literário”, implantado em março de 2013, é coordenado pela educadora Emília Dalva Viveiros, e acontece sempre na última quarta-feira de cada mês, na biblioteca do Centro. O CCI realiza ações visando garantir o envelhecimento saudável no município. Entre as atividades oferecidas estão aulas de ginástica, dança, trabalhos manuais, teatro, jogos, ioga e aulas de informática. A unidade fica localizada na Rua Espírito Santo, 434, Centro. O telefone de contato é o 3690-7365. Para participar dos projetos e atividades oferecidos pelo CCI, os interessados devem comparecer ao Centro de Referência da Assistência Social (Cras) para fazer o cadastro. ]]> 2014-03-26 18:23:58Secretaria de Desenvolvimento Social realiza Seminário de Segurança Alimentar e Nutricionalhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=1148521 02 Semunario Seguranca Alimentar 1_180645A Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) encerrou na tarde desta sexta-feira, 21, na Casa dos Conselhos, o Seminário de Segurança Alimentar e Nutricional. O evento teve como objetivo apresentar os resultados obtidos através das oficinas de segurança alimentar realizadas pela SDS ao longo de 2013 nos centros de Referência de Assistência Social (Cras). O encontro buscou também traçar estratégias em relação à implantação das políticas de segurança alimentar no município. Visando a discussão intersetorial sobre o assunto, o seminário contou com a presença dos secretários de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker; e de Planejamento e Gestão, Elisabeth Jucá e Mello Jacometti. Também estiveram presentes membros das secretarias de Educação (SE), de Agropecuária e Abastecimento (SAA), de Governo (SG) e de Saúde (SS). "Em primeiro lugar, esse seminário traz o grande desafio da intersetorialidade. Ele é o resultado de 13 oficinas realizadas no município, nas regiões dos Cras, através do projeto ´Proseando Sobre Segurança Alimentar e Nutricional`. Além disso, esse encontro é mais uma tentativa de garantirmos a alimentação humana adequada no município, o que é uma prioridade da atual gestão", explicou a coordenadora do projeto de segurança alimentar da SDS, Bettina Koyro. "Hoje, temos desenvolvido várias ações intersetoriais que envolvem as diversas secretarias representadas aqui. Dentre elas, na área da educação, destaco o incentivo à criação de hortas nas escolas e o desenvolvimento de cardápios com o acompanhamento de nutricionistas, onde esses profissionais orientam alunos e direções escolares através de palestras e reuniões, além de acompanhar o trabalho das cozinheiras", salientou o representante da Saúde, Rodolfo Visentin. Também da área de saúde, José Márcio dos Santos destacou que a alimentação inadequada e a obesidade geram um fator de risco e o desenvolvimento de doenças crônicas. "No Brasil, em torno de 51% de pessoas estão acima do peso. A obesidade desenvolve várias doenças crônicas não transmissíveis, como hipertensão, diabetes, e toda uma cadeia de problemas, gerando um impacto de mais ou menos 66% de carga das doenças no sistema de saúde. Com uma alimentação adequada, a tendência é que o impacto na saúde seja minimizado". De acordo com o secretário Flávio Cheker, da SDS, o direito à alimentação é, hoje, consagrado na Constituição Brasileira, ou seja, é um dos direitos sociais, ao lado da educação, da saúde, da moradia, da segurança e do lazer. Segundo Cheker, é preciso que o poder público atue de maneira integrada e intersetorial, para que esse direito seja efetivado. "É preciso que haja ações no âmbito da saúde, da educação, da assistência social e em outras esferas de Governo, para que, de fato, a sociedade possa ter a garantia do acesso a uma alimentação adequada e uma orientação permanente, no sentido de fazer com que os hábitos alimentares sejam desenvolvidos a partir de práticas saudáveis, adequadas à nossa realidade de produção", ratificou. "Cartão alimentação" Durante o evento, Cheker destacou a criação de um “cartão alimentação”, ainda experimental em alguns municípios brasileiros, que busca a substituição das cestas básicas. “As cestas básicas hoje distribuídas pelo poder público não visam a liberdade de escolha dos alimentos por parte dos beneficiados e nem contempla alimentos como frutas e legumes, pelo fato de serem perecíveis. Com o cartão, que só poderá ser utilizado para a aquisição de alimentos, o cidadão poderá escolher o que irá consumir, de acordo com suas preferências alimentares, optar pelos alimentos ´verdes`, além de ajudar na economia local, uma vez que poderá realizar as compras também em pequenos estabelecimentos da cidade”, ressaltou. Acesso à alimentação saudável Desde fevereiro de 2010 a alimentação foi incluída entre os direitos sociais previstos na Constituição Federal. Esta inclusão foi resultado da concepção de que é direito, a cada pessoa, ter o acesso físico e econômico à alimentação adequada ou aos meios para obter estes alimentos, sem comprometer os recursos de outros direitos fundamentais, como saúde e educação. Em Juiz de Fora, a sociedade civil organizada, através de seus movimentos sociais, sindicatos e pastorais, vem discutindo segurança alimentar desde 1999. O Conselho Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional (Comsea/JF) foi criado em 2007. Hoje, Juiz de Fora tem o direito à alimentação adequada fundamentado na nova Lei Orgânica do município. ]]> 2014-02-21 18:47:33Conselheiros participam do primeiro módulo do Projeto de Apoio e Fortalecimento dos Conselhos Tutelareshttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11482195151Os conselheiros tutelares de Juiz de Fora participaram na tarde desta quinta-feira, 20, do primeiro módulo de capacitação do Projeto de Apoio e Fortalecimento dos Conselhos Tutelares. O evento, promovido pelo Instituto Dom Orione, em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), e com o Conselho Municipal de Defesa da Criança e do Adolescente (CMDCA/JF), aconteceu na Casa dos Conselhos (Rua Halfeld, 450 – 7º andar) e reuniu cerca de 40 pessoas. A cerimônia de abertura contou com a presença do secretário municipal de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker; da juíza da Vara da Infância e da Juventude de Juiz de Fora, Maria Cecília Gollner Stephan; do presidente do CMDCA/JF, Lindomar José da Silva; do promotor da Vara da Infância e da Juventude de Juiz de Fora, Alex Fernandes Santiago; e do pedagogo do Instituto Dom Orione, Fábio Henrique Andrade Costa; além de conselheiros tutelares, em exercício e eleitos, e técnicos administrativos. Em seu discurso de abertura, Cheker defendeu o aprimoramento do atual modelo de atuação dos conselhos tutelares e refletiu sobre a importância dessa capacitação para encontrar novas formas de execução do serviço: “Acho impensável a realidade brasileira sem a atuação do Conselho Tutelar, mas temos que ter um olhar mais amplo sobre o seu papel, e, de fato, um evento como esse é fundamental para isso. Todos nós, reunidos aqui, hoje, caminhamos na mesma direção, mas por que ainda não conseguimos fazer um aprimoramento desse atual modelo? Esse é um evento para pensarmos amplamente na execução do serviço dos conselhos tutelares, pois temos crianças, jovens e adolescentes que dependem, essencialmente, de nós. E, certamente, precisamos fazer com que a união dos nossos esforços chegue a essas crianças, a esses jovens e a esses adolescentes”. Fábio Andrade afirmou que a capacitação é muito importante para vislumbrar o aprimoramento da atuação dos conselhos tutelares: “O Brasil é um dos poucos países que contam com uma estrutura de conselhos tutelares bem organizada, bem alinhada e com uma atuação vasta, a qual conseguimos ver aqui em Juiz de Fora. O Instituto Dom Orione sabe da importância dos conselhos tutelares para a sociedade juiz-forana e se sente muito honrado em fazer parte dessa iniciativa”. Primeiro Módulo Durante o primeiro módulo da capacitação, os participantes assistiram a palestra “Conselho Tutelar: Habilidades Básicas, Dinâmica Interna e Papel Social”, ministrada pelo sociólogo Marcos Antônio da Silva e pelo bacharel em direito Érico José Villela. A palestra buscou apresentar o contexto contemporâneo em que os conselhos tutelares estão inseridos, além de apontar a importância do papel dos mesmos na sociedade e de suas estruturas internas. “Precisávamos desse projeto, em que os conselheiros tutelares serão avaliados e, ao mesmo tempo, aprimorados nessa árdua tarefa de ser a linha de frente na proteção de nossas crianças e adolescentes. Quanto mais trocarmos ideias, experiências e novidades, mais poderemos auxiliar os conselheiros no momento da atuação e na solução de problemas”, ressaltou a juíza Maria Stephan. O projeto Com o objetivo de promover o aprimoramento da formação dos conselheiros tutelares efetivos e suplentes de Juiz de Fora, o Projeto de Apoio e Fortalecimento dos Conselhos Tutelares busca desenvolver capacidades, atualizar conhecimentos e propor reflexões acerca da defesa e promoção dos direitos infantojuvenis, especialmente a convivência familiar e comunitária e os direitos do adolescente em conflito com a lei. Composta por quatro módulos, cada um com quatro horas de duração, a iniciativa será realizada mensalmente, até maio, reunindo especialistas e representantes da área. A metodologia inclui a realização de aulas expositivas, debates e estudos de casos, além da apresentação de propostas de trabalho. Entre os temas abordados estão as habilidades básicas, a dinâmica interna e o papel social dos conselhos tutelares; a potencialidade da família; e a atuação do Conselho junto ao adolescente em conflito com a lei. Conselhos tutelares Os conselhos tutelares são responsáveis por zelar pelo cumprimento dos direitos da criança e do adolescente, definidos na Lei Federal nº 8.069, de 13 de julho de 1990 (Estatuto da Criança e do Adolescente). Denúncias de abuso, violência, maus tratos ou abandono devem ser notificadas, anonimamente ou não, ao conselho tutelar mais próximo. Confira, abaixo, a relação dos conselhos tutelares de Juiz de Fora: Conselho Tutelar Sul / Oeste Avenida Presidente Itamar Franco, 992 - Centro Tel.: 3690-7397 Conselho Tutelar Leste Rua Vitorino Braga, 126 – Vitorino Braga. Tel.: 3690-7390 Conselho Tutelar Sul Centro / Norte Avenida Brasil, 9.501 – São Dimas Tel.: 3690-7398 ]]> 2014-02-20 19:36:59Cheker dá posse ao Conselho Municipal de Assistência Socialhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11392 O Conselho Municipal de Assistência Social de Juiz de Fora (CMAS/JF) realizou, na manhã desta quinta-feira, 13, a cerimônia de posse dos novos conselheiros governamentais de Juiz de Fora. Durante o evento, o secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, e o então presidente do CMAS/JF, Ronaldo Gonçalves de Oliveira, empossaram 18 dos 26 conselheiros, nove representantes governamentais e nove não governamentais. Durante o evento, Flávio Cheker ressaltou que acredita que gestão e conselho devem construir uma parceria. “Nós precisamos ter em vista que estamos remando em uma só direção. Temos um objetivo em comum, que é buscar a universalização das políticas públicas de assistência social e uma qualidade de atendimento, de forma que o usuário possa ter, de fato, o tratamento que lhe é de direito”, disse. Novo conselho diretor Após a plenária, aconteceu a eleição do novo conselho diretor do CMAS/JF. Rogério de Souza Rodrigues, subsecretário de Gestão do Sistema Único de Assistência Social (Suas) e Inclusão Socioprodutiva, da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), foi eleito para a presidência do Conselho. A nova diretoria ficou composta também pelo agora vice-presidente, Ronaldo Gonçalves de Oliveira, representante do Sindicato dos Empregados das Instituições Beneficentes Religiosas Filantrópicas de Minas Gerais (Sintibref); pelo primeiro-secretário, Oswaldo Luiz Felippe de Andrade, da Associação Municipal de Apoio Comunitário (Amac); e pela segunda-secretária, Maria do Carmo Pinto de Almeida, também da SDS. CMAS/JF O CMAS/JF é o órgão responsável pela aprovação das políticas municipais de assistência social, além do estabelecimento das diretrizes a serem observadas no Plano Municipal de Assistência Social e a administração e fiscalização do Fundo Municipal de Assistência Social. *Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Social, pelo telefone 3690-8314. ]]> 2014-02-13 17:43:51População de rua: o que o Poder Público faz. O que você pode, e deve, fazer.http://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11395 Já o atendimento ao migrante recebeu 136 pessoas, sendo que 94 aceitaram voltar para suas cidades de origem. Mais de 2.500 tickets foram distribuídos, durante todo o mês, para garantir a gratuidade das refeições no Restaurante Popular aos cidadãos em situação de rua. Com relação às ações socioeducativas, 692 cidadãos tiveram acesso a oficinas de artesanato, TV e outras atividades lúdicas. Rede de atendimento A Prefeitura de Juiz de Fora, através da Secretaria de Desenvolvimento Social, possui três unidades socioassistenciais que atendem cidadãos com vivência de rua e migrantes em Juiz de Fora: o Centro Pop, o Núcleo do Cidadão de Rua e a Casa da Cidadania. O Centro Pop oferece refeições, acompanhamento psicossocial e oficinas artísticas, entre outras atividades voltadas para a reinserção do cidadão em situação de rua na sociedade, buscando sempre referenciar os atendidos a suas respectivas famílias. A unidade conta, ainda, com uma biblioteca e uma sala de artes para a promoção de oficinas de artesanato. O Centro tem capacidade para atender, em média, 120 pessoas por dia. A unidade funciona na Rua Oswaldo Veloso, 190, no Centro, sempre de segunda a sexta-feira, das 8 às 23 horas, e aos finais de semana, das 8 às 18 horas. O Núcleo do Cidadão de Rua atende a população adulta em situação de vulnerabilidade social e/ou pessoal e que vive nas ruas de Juiz de Fora. Os moradores de rua, abordados ou por demanda espontânea, que chegam ao núcleo, recebem alimentação, cuidados com higiene e têm a possibilidade de pernoitar. Todo o trabalho é supervisionado por uma equipe técnica multidisciplinar. O núcleo possui 134 leitos masculinos e 16 femininos. A unidade fica na Rua José Calil Ahouagi, 592, no Centro. A Casa da Cidadania realiza o acolhimento institucional de cidadãos que se encontram em vivência de rua, em situação de alto risco e vulnerabilidade social. São oferecidos 55 leitos masculinos e 15 femininos. A Casa da Cidadania fica na Alameda Ilva Mello Reis 6.001, no Bairro Jardim Esperança. O cidadão pode ter acesso a estes serviços por demanda espontânea, quando procura as unidades, ou através do serviço de abordagem, que pode ser solicitado por qualquer pessoa, pelo telefone 3690-7770. * Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Desenvolvimento Social, pelo telefone 3690-8314, ou com a Amac, pelo telefone 3690-7945. ]]> 2014-02-07 12:23:57Secretaria de Desenvolvimento Social divulga balanço de abordagem especial realizada na área central da cidadehttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11398 Durante os três dias de trabalho, uma assistente social do Núcleo Cidadão de Rua, um abordador do Centro POP e uma técnica do Consultório na Rua percorreram as ruas José Calil Ahouag, Oswaldo Veloso, Francisco Maia e Avenida dos Andradas, além do Mergulhão, Praça do Riachuelo e Praça dos Três Poderes. “Nos últimos meses, notamos um aumento na concentração de pessoas nessas áreas. Nosso objetivo foi percorrer esses locais e diagnosticar o porquê disso. O próximo passo será traçar metas e estratégias para tentar minimizar a situação”, explicou a coordenadora executiva dos serviços de População de Rua da Amac, Maria Cláudia Dutra. Dos 72 cidadãos em situação de rua abordados, mais da metade disse ter escolhido o local para permanência pela proximidade da rede de atendimento (31) e pela facilidade do uso de álcool e drogas (28). Mas, apesar disso, apenas quatro disseram que, para sair das ruas, necessitam de um tratamento para parar de usar drogas. Sobre o sexo e a idade dos abordados, 61 são homens e 11 são mulheres, sendo a maioria com idades entre 18 e 40 anos. Ainda de acordo com o levantamento, 44 não trabalham e 33 disseram que conseguir um emprego seria o fator principal para tirá-los das ruas. Um dos dados mais interessantes é que 55 pessoas possuem referência de moradia. “Apesar de muitos terem uma referência, muitas vezes o convívio familiar está comprometido, por isso, sequer retornam para casa. Iremos estudar caso a caso para conhecer a real situação de cada um”, ratificou Maria Cláudia. Do total de abordados, apenas sete aceitaram ser encaminhados para a rede de atendimento da Secretaria de Assistência Social. “A construção de indicadores que balizem o trabalho social, bem como o conhecimento aprofundado da realidade de cada um dos cidadãos em situação de rua, é uma condição fundamental para um trabalho eficiente e correto por parte do poder público. O município hoje possui uma política que tem sido implementada progressivamente, e nessa política é fundamental a criação de um vínculo com a pessoa que está em situação de rua. Nós sabemos que a constituição brasileira assegura a permanência nas ruas. É fundamental, no entanto, que não haja nenhum tipo de conflito com a legislação em vigor muito menos que o cidadão permaneça nessas condições por desconhecimento dos serviços que a municipalidade tem a lhe oferecer”, observou o Secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker. ]]> 2014-02-05 13:27:27Cheker dá posse a nova Diretoria do Conselho Municipal de Valorização da População Negrahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11375 “É uma luta que tem apresentado frutos. Temos tido grandes parcerias com o conselho, com todo respeito e espaço. O conselho tem conseguido se impor diante das dificuldades vividas na sociedade”, afirmou Flávio Cheker. Ele citou as expectativas - “muito positivas” - destes dois anos de gestão (biênio 2014-2015) e desejou que “o conselho, em parceria com a Prefeitura e com a participação de cada um de nós, possa manter a autonomia, desenvolvendo uma cultura cada vez mais sem preconceito e sem racismo em nosso município”. A nova presidente, Margareth Ramalhete, agradeceu a confiança dos demais conselheiros que a elegeram e aos geradores desta proposta, em especial a Zélia Lúcia, ex-presidente do conselho, e ressaltou o apoio que tem recebido da atual administração municipal, “aberta a ação participativa”. Ela lembrou a atuação positiva do negro na sociedade, e mostrou os números: o nível ocupacional dos homens negros aumentou 7,2% e das mulheres negras 5.8% em Juiz de Fora. Segundo Margareth, “Juiz de Fora vive um momento de negociação e desafios, e ainda temos muito que avançar”. Durante a solenidade foi exibido um vídeo - “Não ao Racismo” - com referências ao líder político Nélson Mandela. Margareth lembrou ainda que é fundamental conhecer as condições da inserção da população negra no mercado de trabalho, citando, inclusive, o lançamento, em 2013, pela Prefeitura de Juiz de Fora, do “Selo” que visa reconhecer o trabalho das empresas, associações civis e entidades públicas ou privadas na valorização da diversidade em Juiz de Fora. A nova presidente do CMVPN ressaltou também os dados, mostrando que a população negra continua crescendo em maioria absoluta, tanto em relação à População em Idade Ativa (PIA), quanto à População Economicamente Ativa (PEA). Para Paulo Gutierrez, “hoje é um marco histórico para esta cidade, pois este Governo trabalha de uma forma diferenciada sobre esta questão”. Segundo ele, “este é um processo de diálogo com a sociedade. É um desafio coletivo na luta da defesa e direitos em prol da população negra e contra as diferenças”. Já o vereador Militão destacou “que a Câmara Municipal vai estar lado a lado com este conselho”, e finalizou: “A raça negra tem tomado seu lugar na sociedade, tem dignificado seu país”. E lembrou: “Mandela não foi um líder racial, e sim um líder mundial, uma história que ultrapassou raças e preconceitos, e que, acima de tudo, uniu povos”. Ainda na solenidade foram apresentadas as seis linhas de ações de trabalho para o biênio 2014-2015, com a nova chapa, intitulada ”Mandela”. São elas: educação para as relações étnico-raciais; saúde; juventude; mercado de trabalho; cultura; e políticas afirmativas. ]]> 2014-01-10 12:13:57Cerca de cem alunos participam de cerimônia de formatura dos cursos profissionalizantes oferecidos através do Pronatechttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11361 “É uma satisfação ímpar poder vivenciar a realização de um passo decisivo para as pessoas: a possibilidade de entrar no mercado de trabalho com competitividade. Estamos trabalhando nesta direção, disso que chamamos porta de saída da Assistência e do Desenvolvimento Social, ou seja, a busca da autonomia das pessoas através do trabalho. Só em 2013, ofertamos, através do Pronatec, quase quatro mil vagas e, de acordo com os dados repassados pela unidades ofertantes, de janeiro até novembro, mais de 1.600 alunos conseguiram seu diploma”, declarou o secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker. Durante todo o ano de 2013, foram ofertados cursos como montador de veículos, manicure, cabeleireiro, auxiliar de recursos humanos, auxiliar administrativo, soldador de mig mag, inglês, cuidador de idosos, pintor industrial, espanhol, desenho de moda, fresador, montador de veículos, padeiro, auxiliar de cozinha, modelista, balconista de farmácia, maquiador, entre vários outros. A expectativa é que, em 2014, seja ofertada uma variedade ainda maior de cursos e sejam oferecidas ainda mais vagas. O Programa O Pronatec é uma ação de formação profissional, voltado para beneficiários de programas federais de transferência de renda. O objetivo é ampliar as possibilidades de inserção no mercado de trabalho por meio do incremento da formação e qualificação profissional e expandir a abrangência da oferta de cursos de qualificação social e profissional considerando as variadas demandas por mão de obra qualificada e o perfil dos beneficiários das transferências de renda. ]]> 2013-12-18 12:38:11Buscando novas formas mais humanizadas de produção e comercializaçãohttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11351 A feira tem o objetivo de promover e estimular o consumo de bens e serviços produzidos pelos empreendimentos econômicos solidários. Entre os produtos artesanais que serão comercializados estão panos de prato, toalhas de mesa, bolsas, bijuterias e enfeites de natal. No local serão vendidos também doces e biscoitos caseiros, entre outros produtos. Além da comercialização dos produtos, o evento também irá contar com apresentações culturais. Na sexta, às 14 horas, o grupo Afrolata realiza seu show, com demonstrações de técnicas circenses e intervenções de dança. No sábado será a vez da apresentação do Maculelê, de Bias Fortes, às 11 horas, e do teatro do Boi Tantan, organizado pelo Centro de Referência em Direitos Humanos de Juiz de Fora, às 14 horas. “Essa é uma oportunidade para a articulação da economia solidária e para a comercialização dos produtos produzidos pelos próprios expositores. É, também, uma forma de integração entre os empreendimentos”, afirmou a coordenadora do Fórum Regional de Economia Popular Solidária da Zona da Mata e diretora-presidente da Coopdef, Maria Geralda de Souza Lopes. Segundo o secretário de Desenvolvimento Social da PJF, Flávio Cheker, o apoio às iniciativas do movimento de economia popular tem um duplo significado para a Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS). “De um lado, esse auxílio revela o entendimento da PJF da importância do apoio a todas as formas de empreendedorismo, social e pessoal, de modo a propiciar a autonomia das pessoas pelo trabalho. De outro, mostra nosso compromisso em implementar novas formas mais fraternas e solidárias de produção e comercialização”, apontou. ]]> 2013-12-18 12:33:02Serviço de abordagem é ampliado em dezembro e orienta a população sobre a prática de doação de esmolas nas ruashttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11347 Segundo o chefe do Departamento de Proteção Especial da SDS, Lindomar da Silva, a doação de esmolas tem um impacto negativo sobre o cidadão com vivência de rua. "Estas práticas apenas adiam soluções reais para o problema, e acabam incentivando estas pessoas a continuar usando espaços públicos como moradia. Nossa intenção é educar a população a não dar mais este tipo de estímulo. Os moradores em situação de rua devem fazer o uso dos equipamentos existentes para atendimento exclusivo destes casos, que são o Centro Pop, o Núcleo de Cidadão de Rua e a Casa da Cidadania" concluiu. O secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, sintetizou a campanha como um alerta para que as pessoas se deixem levar pelo “espírito natalino”, mas com a consciência de como poder ajudar: “Natal é tempo em que tendemos a abrandar nossas severidades e nos tornamos mais generosos. Mas é preciso ter cuidado. É preciso orientar o gesto fraterno para fazer com que ele atinja o seu objetivo de ajudar a quem precisa, e não o contrário”. Atenção ao cidadão em situação de rua A Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), através da SDS, possui três unidades socioassistenciais que atendem a cidadãos com vivência de rua e migrantes em Juiz de Fora: o Centro Pop, o Núcleo do Cidadão de Rua e a Casa da Cidadania. O Centro Pop oferece refeições, acompanhamento psicossocial e oficinas artísticas, entre outras atividades voltadas para a reinserção do morador em situação de rua na sociedade e buscando sempre referenciar os atendidos às suas respectivas famílias. A unidade conta ainda com uma biblioteca e uma sala de artes, para a promoção de oficinas de artesanato. O Centro funciona na Rua Oswaldo Veloso, 190, no Centro. O Núcleo do Cidadão de Rua atende a população adulta em situação de vulnerabilidade social e pessoal e que vive nas ruas de Juiz de Fora. Os moradores de rua, abordados ou por demanda espontânea, que chegam ao núcleo, além da possibilidade de pernoitarem, recebem alimentação e cuidados com higiene. Todo trabalho é supervisionado por uma equipe técnica multidisciplinar. O Centro fica na Rua José Calil Ahouagi, 592, na região central da cidade. A Casa da Cidadania realiza o acolhimento institucional de cidadãos que se encontram em vivência de rua, em situação de alto risco e vulnerabilidade social. São oferecidos 55 leitos masculinos e 15 femininos. A Casa fica na Alameda Silva Mello Reis, 6.001, no Bairro Jardim Esperança. O cidadão pode ter acesso a estes serviços por demanda espontânea, quando o cidadão vai até as unidades, ou através do serviço de abordagem, que pode ser solicitado por qualquer pessoa, pelo telefone 3690-7770. ]]> 2013-12-17 12:27:01Efetividade de pagamento do Bolsa Família chega a 98,4% em Juiz de Forahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11356Para que o programa Bolsa Família tenha seus objetivos plenamente alcançados, é necessário que o saque do benefício seja bem sucedido. E é isso que vem acontecendo em Juiz de Fora ao longo de 2013. Em agosto, o percentual de benefícios pagos chegou a 98,4%, o maior dos últimos três anos. Em um total de 16.153 benefícios concedidos, apenas 211 não foram resgatados até o prazo limite para o saque da parcela. Os números foram consolidados em novembro, já que cada parcela fica disponível para saque por três meses.

Bolsa Familia
Os dados são resultado do trabalho da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) em comunicar aos beneficiários, através de ligações telefônicas, cartas e ações itinerantes, sobre os prazos para recadastramento e resgate de pagamentos. “Ficamos muito felizes com esse resultado, que demonstra o belíssimo trabalho feito pela equipe da SDS, em particular da equipe do Departamento de Transferência de Renda. Também contamos com a colaboração imprescindível da imprensa, que foi e tem sido parceira nos chamamentos aos beneficiários do Bolsa Família, tanto para que façam a atualização de dados, como também para que não percam os prazos estabelecidos. É uma vitória de todos nós, sobretudo dos beneficiários. Vamos trabalhar para melhorar ainda mais esses números no próximo ano” , afirmou o secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker.

De acordo com dados da Caixa Econômica Federal, em novembro de 2010, o número de pagamentos não sacados do Bolsa Família chegou a 1.299, num total de 15.570 benefícios concedidos. No mesmo mês, em 2011, foram 13.779 benefícios, com 399 famílias sem realizar o saque do pagamento. Já em novembro do ano passado, 330 beneficiários deixaram de fazer o resgate. Na ocasião, 14.837 famílias foram beneficiadas com o Bolsa Família.

Segundo o coordenador do setor de representação de programas sociais da Caixa em Juiz de Fora, Carlos Alberto Magalhães, os números referentes ao pagamento do benefício de agosto podem ser considerados muito satisfatórios. “Esse número (de benefícios não sacados) chegou a ser superior a 1.200, quando a quantidade de beneficiários era menor. Isso acontece porque, muitas vezes, as famílias têm dificuldade de acesso à informação e, por isso, acabam não tendo o conhecimento de que o benefício está disponível para ser sacado. Como a PJF começou a fazer um trabalho intenso para tentar alcançar essas famílias, o número de benefícios não sacados foi diminuindo e chegou a 211 nesse pagamento, referente a agosto”, apontou.

Resgate do benefício

Para realizar o resgate do pagamento, os beneficiários devem apresentar o cartão do programa Bolsa Família ou o Número de Identificação Social (NIS) nas agências da Caixa ou nos correspondentes bancários, lotéricas e caixas eletrônicos, em qualquer dia dentro do período de validade da parcela, portando os documentos pessoais.

Cada parcela de pagamento fica disponível para saque por 90 dias corridos, contados a partir do primeiro dia de pagamento. Caso haja ausência de saque por seis meses consecutivos, a família perde o direito ao benefício.

Em 2013, o programa Bolsa Família registrou 3.617 novos beneficiários na cidade. Atualmente, 16.654 famílias fazem parte do programa em Juiz de Fora.

]]>
2013-12-16 12:36:50
Cheker participa do 1° Seminário de Responsabilidade Social e Sustentabilidade de Juiz de Forahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11328 Cheker compôs a mesa de abertura do evento ao lado do coordenador geral da Intecoop, Petrônio Barros Ribeiro; do diretor do site viverjf.com, Marcel Aziz Iunes; da pró-reitora adjunta de extensão da UFJF, Maria Lúcia Polisseni; e da diretora do MAMM, Nícea Helena Nogueira. Em seu discurso, Cheker destacou o trabalho que vem sendo protagonizado na cidade, no âmbito da assistência e do desenvolvimento social. “Hoje, a questão da sustentabilidade está em evidência. É preciso que cada vez mais tenhamos essa noção de que o consumo deve ser feito de maneira crítica e consciente. É necessário, também, que tenhamos a visão do reaproveitamento desses recursos consumidos, e, neste ponto, temos trabalhado intensamente, através do segmento dos catadores de materiais recicláveis. Procuramos incentivar esse trabalho, porque, hoje, eles são verdadeiros agentes ambientais, ajudando na preservação da cidade em que vivemos e auxiliando nesse processo sustentável”, ressaltou Cheker. A programação incluiu três painéis - Responsabilidade Social, Sustentabilidade e Modernidade Urbana Sustentável -, totalizando cinco palestras. Foram debatidos assuntos como sustentabilidade e suas perspectivas, responsabilidade social corporativa, mobilidade urbana focada em pessoas e tecnologia para inclusão social integrada na saúde. Durante a primeira palestra do evento, o gerente de Recursos Humanos, Qualidade e Meio Ambiente da ArcelorMittal Juiz de Fora, Ricardo Schmidt Araújo, apontou as iniciativas de sustentabilidade e responsabilidade social desenvolvidas pela empresa. O gerente citou projetos como o “Cidades da Solda”, que já beneficiou 112 jovens de programas da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), o “Poupança Jovem” e o “ProJovem Urbano”, além do “Pequeno Jardineiro”, que beneficia jovens do município através da formação profissional e do incentivo à responsabilidade social. foto 1 “Queremos que a sociedade tenha conhecimento sobre os projetos sustentáveis desenvolvidos pela prefeitura e pelas instituições da cidade. Esperamos que esse debate possa ajudar a sociedade nessa questão e incentivar novos programas e projetos sociais para a garantia de uma cidade mais sustentável”, afirmou o coordenador geral da Intecoop, Petrônio Barros Ribeiro. ]]> 2013-12-02 12:39:45Secretário de Desenvolvimento Social participa de seminário sobre segurança alimentar em Brasíliahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11335 Representando o prefeito Bruno Siqueira, o secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, participou na quarta-feira, 20, do seminário “O Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional nos Grandes Municípios”, realizado em Brasília. O objetivo do evento, promovido pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), através da Câmara Interministerial de Segurança Alimentar e Nutricional (Caisan), foi discutir a adesão dos municípios de grande porte ao Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Sisan), sob a ótica da alimentação adequada e saudável. Cheker participou como expositor da mesa redonda “Componentes da Gestão do Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional”, apontando as diretrizes da implementação da política de Segurança Alimentar e Nutricional (SAN) em Juiz de Fora. “Tivemos a honra de sermos convidados a participar como palestrantes, para expor a experiência de Juiz de Fora, e de sermos encarregados pelo prefeito Bruno Siqueira de representá-lo nesse seminário. Foi um evento importantíssimo, no qual pudemos nos preparar para fazer a adesão do município ao Sisan, ação que já estamos desenvolvendo na PJF, e que vai nos possibilitar captar recursos e ações de segurança alimentar”, declarou. O seminário trouxe informações importantes no que concerne à política de SAN no Brasil. Foram destacados temas como a implementação do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e das compras institucionais da agricultura familiar, além dos equipamentos públicos de segurança alimentar e nutricional, como os restaurantes populares. A partir de agora, o PAA também será considerado um instrumento de inclusão social. Segundo um levantamento realizado pelo Governo federal, quase metade dos agricultores fornecedores está inscrita no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico). Política de segurança alimentar Desde fevereiro de 2010, a alimentação foi incluída entre os direitos sociais previstos no artigo da 6ª da Constituição Federal. Esta inclusão foi resultado da concepção de que é direito, de cada pessoa, ter o acesso físico e econômico à alimentação adequada ou aos meios para obter estes alimentos, sem comprometer os recursos de outros direitos fundamentais, como saúde e educação. 21 11 SDS_184207 Em Minas, a discussão da SAN foi incorporada à política em 1999, com a criação do Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável de Minas Gerais (Consea-MG). A partir desta data, diversos programas vêm sendo implementados, com o objetivo de garantir a segurança alimentar e nutricional da população. As discussões acerca da institucionalização de uma política nacional de segurança alimentar e nutricional resultaram na promulgação da Lei nacional n° 11.346, que criou o Sisan, em setembro de 2006. Em Juiz de Fora, a sociedade civil organizada, através de seus movimentos sociais, sindicatos e pastorais, vem discutindo segurança alimentar desde 1999. O Conselho Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional (Comsea/JF) foi criado em 2007 e ajudou o município na conquista da implantação do Restaurante Popular, cuja construção fez parte de uma importante política de segurança alimentar para a garantia de uma alimentação saudável à população em situação de vulnerabilidade social. Hoje, a população de Juiz de Fora tem o direito à alimentação adequada, fundamentado na Lei Orgânica do município. ]]> 2013-11-21 12:42:04Visão do Paraísohttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11303 Visão do Paraíso. Não encontrei melhor título para essa foto, que tirei ontem, no Curumim de Benfica, por volta das 13h. Para algumas crianças e adolescentes, após as atividades do turno, é mais prático aguardar no Curumim a hora de irem diretamente para a escola, ao invés de passarem em casa. Então almoçam e, sob a proteção do equipamento, ficam à vontade: uns tirando boa soneca; outros vendo desenho animado na tv; outros conversando, brincando, descontraídos, satisfeitos; todos irmanados por um ambiente de ternura e paz. É certo que o mundo é assolado por violência crescente. Mas é certo também que nem tudo está perdido. ]]> 2013-10-25 12:39:25Idosos: instalação do COMAPI pela PJF, através da SDS, preenche lacuna histórica no município.http://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11310 A instalação do comitê foi uma iniciativa da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), que surgiu após uma conversa entre o secretário Flávio Cheker e a coordenação do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) Idoso/Mulher, onde foi apontada a necessidade de diagnosticar as lacunas que existem na cidade no que diz respeito aos direitos dos idosos. “A questão dos idosos não deve ser tratada apenas em eventos comemorativos, mas, fundamentalmente, na criação de mecanismos que permitam a execução do que preconiza o Estatuto do Idoso. Assim, o comitê que se constitui é essencial para o estabelecimento de um plano municipal para os idosos, permitindo o norteamento de ações que possam envolver as diversas secretarias do município”, ressaltou Cheker. O Comapi tem por principal objetivo compor um grupo de trabalho destinado ao estudo informativo para as diretrizes municipais de atendimento aos direitos do idoso. A comissão, a ser designada no mesmo ato, será responsável por realizar um diagnóstico preliminar dos serviços oferecidos ao idoso pelo município, além de organizar um seminário para construir o plano municipal de atenção à pessoa idosa, elaborando um projeto de lei para sua criação. ]]> 2013-10-24 13:53:08Alimentação saudável – Secretaria de Desenvolvimento Social promove ação sobre Segurança Alimentarhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11315 O evento contou com a participação dos alunos da Faculdade de Nutrição da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), da Universidade Presidente Antônio Carlos (Unipac) e do curso técnico de nutrição da Escola Elizabeth Roambach, que ministraram oficinas sobre alimentação saudável e qualidade de vida, deram orientações nutricionais e realizaram a pesagem da população; e do Grupo AfroLata, que apresentou músicas com temas ligados a alimentação. Ainda foram distribuídos sucos naturais para o público, além de produtos caseiros do Economia Popular Solidária. “A alimentação saudável, mais do que um desejo individual, mais que uma prática que as pessoas devem ter no seu dia a dia, é uma política de Estado. Hoje, a segurança alimentar e nutricional tem que ser tratada como um investimento do Estado nas diversas políticas que ele oferece à população. Temos que integrar as ações do Desenvolvimento Social, com a educação, saúde e as ações direcionadas a diversos públicos, no sentindo de não apenas orientar as práticas de alimentação saudáveis, mas no sentido também de fomentar a produção e o consumo consciente”, ratificou o secretario de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker. Cheker ainda ressaltou que a Segurança Alimentar é um dos direitos fundamentais do ser humano presente na Constituição Brasileira. “O Estado passa a ter obrigação de promover ações no sentido de divulgar da cultura de uma alimentação saudável e ao mesmo tempo induzir tanto a produção quanto o consumo de alimentos”, completou. De acordo com a organizadora do evento, Bettina Koyro, o objetivo principal foi atingido. “A população estava bastante interessada em aprender mais sobre a alimentação adequada e saudável, e muitos deles estão pensando em fazer algumas mudanças em seus hábitos”, declarou. Para o mestre de obras Magno Silva, o evento o fez repensar sobre seus hábitos alimentares. “Com a vida corrida, não vigiamos o método certo de se alimentar, e agora, com essa visão, pretendo fazer a mudança por mais saudável o mais rápido possível”, afirmou. “Adorei os sucos naturais, me surpreendi por não estarem adoçados. Gostei, e levarei a idéia para toda a minha família”, comentou o estudante Alexandre Marcelo Reis, 10 anos. Para o estudante de nutrição da UFJF, Welington Sávio, a Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) deu um grande passo investindo na alimentação saudável da população. “É importante ressaltar que não devemos fazer uma mudança radical. Ela tem que ser aos poucos, sem dietas muito restritas. Assim, todos poderão ter bons resultados”, completou. ]]> 2013-10-23 13:59:52Atividades culturais, de lazer e de cidadania marcam o dia Municipal e Nacional da Luta da Pessoa com Deficiênciahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11319 Durante todo o dia foram desenvolvidas atividades que demonstraram os desafios e os avanços na garantia da acessibilidade a essas pessoas. Foram oferecidas oficinas sobre o método Braile, Contação de Estórias em Libras, Musicalização e sobre o uso do Soroban – um instrumento japonês para realizar cálculos – na introdução do aprendizado da Matemática para pessoas com deficiência visual. A programação ainda contou com a apresentação das bandas da Polícia Militar, Dinossauros, Quarteto de Cinco, Nova Visão e do Coral do Centro Pop, formado por moradores de rua. O evento, que foi aberto ao público e gratuito, contou ainda com ações nas áreas de saúde, como vacinação, teste do pezinho, aferição de pressão arterial e prevenção a problemas de saúde bocal; e de cidadania, como o balcão de empregos, que realizou o cadastro de pessoas com deficiência que desejam ser inseridas no mercado de trabalho. Quem passou pelo local, pode ainda vivenciar a realidade das pessoas com deficiência, participando de atividades como passeio guiado, um labirinto às cegas e mobilidade em cadeira de rodas. Para as crianças, foram oferecidas atividades esportivas como “vôlei sentado”, bocha, futebol para cegos e passeio de bicicleta adaptado. Autoridades como o Prefeito de Juiz de Fora, Bruno Siqueira; o vice-prefeito Sérgio Rodrigues; os Secretários do Desenvolvimento Social, Flávio Cheker e o de Governo, José Sóter de Figueirôa, estiveram no local para prestigiar o evento. Saiba mais O dia 21 de setembro é celebrado o Dia Nacional de Luta das Pessoas com Deficiência. Esta data foi instituída pelo movimento social, em Encontro Nacional, em 1982, e o dia 21 de setembro foi escolhido pela proximidade com a primavera e o dia da árvore, numa representação do nascimento das reivindicações de cidadania e participação plena em igualdade de condições. A data foi oficializada através da Lei Federal nº 11.133, de 14 de julho de 2005 e é comemorada todos os anos, desde então, em todos os Estados, e se constitui em momento para reflexão e busca de novos caminhos para as lutas do segmento. Para as pessoas com deficiência, é também momento para divulgar as lutas e cobrar mais inclusão social. Em Juiz de Fora, a lei nº 8.750, de 07 de Novembro de 1995, institui a mesma data para a comemoração municipal, com o objetivo de promover atividades que possam subsidiar a elaboração de políticas de governo relacionadas às pessoas portadoras de deficiência. ]]> 2013-09-21 14:04:31Prefeito empossa membros da Comissão Municipal de Auxílio-Moradiahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11292 A Prefeitura de Juiz de Fora, através da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), promoveu, na manhã desta sexta-feira, 13, na Casa dos Conselhos (Rua Halfeld, 450/7ª andar), o evento de posse dos titulares e suplentes que irão compor a Comissão Municipal de Auxílio-Moradia – Comam. Após empossar os membros da Comissão, em seu discurso, o prefeito Bruno Siqueira destacou a importância de um trabalho em conjunto com a população, com os conselhos e com as comissões, para que todos possam trabalhar por uma cidade ainda melhor. “A Comam vem não apenas para ajudar àquelas famílias prejudicadas nas calamidades públicas, como chuvas, desabamentos de encostas e enchentes, mas também às famílias que estão em situação de vulnerabilidade social. É nesse sentido que nós temos que trabalhar, fazendo parcerias com a população, com os conselhos e com comissões como esta, que irão nos auxiliar, orientar, nortear para que as decisões tomadas sejam as mais corretas e acertadas, para que, juntos, possamos trabalhar por uma Juiz de Fora ainda melhor”. O Secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, ressaltou o papel fundamental da Comam para aqueles que necessitam do auxílio-moradia. “A Comissão que hoje se instala é essencial para aquelas famílias que, por alguma fatalidade da natureza ou por acidentes climáticos, perdem suas residências e também para as famílias em situação de vulnerabilidade, que demandam do poder público pela ausência de uma moradia. Em situações emergenciais como estas, a Comam vai deliberar ações no sentido de proporcionar a essas famílias uma moradia digna, mas sabendo que é uma medida transitória, buscando encaminhá-las para que possam assegurar sua autonomia financeira e, assim, não precisarem mais desse benefício”. São objetivos da Comam, deliberar sobre o reconhecimento da situação de vulnerabilidade ou risco habitacional, detalhando procedimentos para a concessão do Auxílio-Moradia; indicar solução habitacional definitiva para a família beneficiária, encaminhando os responsáveis aos órgãos competentes; e orientar a família beneficiária sobre os meios para conquista de autonomia financeira, encaminhando seus membros aos órgãos competentes. Membros nomeados A comissão é integrada pelos titulares e suplentes, representantes dos seguintes órgãos e entidades, que foram nomeados, pela primeira vez, por portaria (8.476, de 22 de julho de 2013): 1 - Secretaria de Desenvolvimento Social - que presidirá a Comissão e coordenará os trabalhos: a) Titular: Lindomar José da Silva; b) Suplente: Mara Esterlina de Oliveira Valle; 2 - Subsecretaria de Defesa Civil: a) Titular: Márcio Deotti Ibrahim; b)Suplente:Walter Melo; 3 - Secretaria de Administração e Recursos Humanos: a) Titular: Cláudia Maciel Stumpf; b)Suplente: Maria Aparecida Mendonça; 4 - Secretaria de Atividades Urbanas: a) Titular: Maria Aparecida Lopes; b)Suplente: Paulo César Mariano; 5 - Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Econômico: a) Titular: Maria Auxiliadora Ramos Vargas; b) Suplente: Cristiane Nasser; 6 - Secretaria de Saúde: a) Titular: Mirian Cristina Nicodemus Polato da Silva; b) Suplente: Thiago Augusto Campos Horta; 7 - Empresa Regional de Habitação de Juiz de Fora – Emcasa: a) Titular: Angela Brum; b) Suplente: Sara Moreira; 8 – Secretaria de Meio Ambiente: a) Titular: Wesley Cardoso Pires; b) Suplente: João Marcus Junqueira. Investimentos Durante o evento de posse dos membros da Comam, o prefeito Bruno Siqueira ainda destacou os investimentos que o Executivo tem feito na prevenção aos danos ocasionados, principalmente, nos períodos de chuva. “Estamos completando oito meses de nossa administração, e o início é sempre o mais difícil. Mas, mesmo assim, já estamos conseguindo fazer muito para a cidade de Juiz de Fora, inclusive no que diz respeito aos problemas das calamidades públicas. Estamos investindo em contenção de encostas. Em alguns bairros da cidade, as obras já estão sendo executadas. Estamos em processo de captação de recursos de mais de R$40 milhões para realizarmos obras em outros pontos onde a Defesa Civil fez o diagnóstico da necessidade de novas contenções. Isso para, no futuro, não termos situações em que famílias são extremantes prejudicadas pelas chuvas e pela nossa topografia. Não podemos resolver de vez esses problemas, mas poderemos sim, amenizar o impacto das chuvas na nossa cidade”. Auxílio-Moradia O auxílio-moradia é um benefício eventual previsto na Lei Orgânica da Assistência Social - Loas e no Sistema único de Assistência Social – Suas, no Serviço de Proteção em Situações de Calamidades Públicas e de Emergências. No Município de Juiz de Fora, foi regulamentado pela Lei 12.060, de 25 de junho de 2010, que instituiu o Programa Especial de Auxílio-Moradia para famílias de baixa renda em situação de vulnerabilidade ou risco habitacional. O programa destina-se a socorrer e assistir famílias com renda mensal média de até dois salários mínimos, em situação de vulnerabilidade ou risco habitacional, constatadas e formalizadas por meio de relatório social produzido pelos Centros de Referência da Assistência Social (Cras), Centro de Referencia Especializado da Assistência Social (Creas), Defesa Civil e Casas de Acolhimento 24 horas. ]]> 2013-09-13 13:36:05Secretário de Desenvolvimento Social participa de Simpósio Internacional sobre Drogas em Brasíliahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11296 Além do secretário Flávio Cheker, a PJF também está sendo representada, a convite do Governo Federal, pela presidente do Conselho Municipal de Políticas Integradas sobre Drogas (Compid), Ana Cecília Vilela Guilhon. “Recebemos o convite de três Ministérios: da Saúde, do Desenvolvimento Social e da Justiça, e logo percebemos que se tratava de algo muito sério. Impressão confirmada quando aqui chegamos, pela qualidade das intervenções e pelo grau de excelência dos participantes. Estamos entrando em contato com diversas experiências de políticas públicas que foram efetivadas em outros países, como Argentina, Canadá, Chile, Holanda, Portugal, República Tcheca e Uruguai”, relatou Cheker, diretamente do simpósio. O secretário de Desenvolvimento Social ressaltou, ainda, a importância do evento para o avanço nas políticas públicas de combate ao uso de drogas no município de Juiz de Fora. “O que se busca é a mudança de uma abordagem coercitiva para uma abordagem que valorize a construção de espaços de coesão social. Juiz de Fora é uma das cidades que estão na vanguarda de adesão ao programa federal ‘Crack, é possível vencer’, e, de nossa inserção correta, depende o sucesso do programa em nossa cidade. O simpósio vai nos servir como orientador para que isso aconteça. A sociedade como um todo, e as famílias em particular, não suportam mais o convívio com essa realidade. E estamos dando passos seguros nessa direção. O tratamento da dependência de drogas sem o consentimento do paciente deve ser considerado como uma opção de curto prazo e como último recurso em algumas situações graves de emergência e precisa seguir as mesmas normas éticas e científicas que o tratamento de natureza voluntária”, afirmou Cheker. ]]> 2013-09-10 13:39:31SDS realiza Seminário de Adesão à Política Nacional de Atendimento à População em Situação de Ruahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11287 A Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), através da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), promoveu nesta sexta-feira, 30, no Centro de Convivência do Idoso (Rua Espírito Santo, 434 – Centro), o Seminário de Adesão à Política Nacional de Atendimento à População em Situação de Rua. O principal objetivo do evento foi iniciar o processo de adesão, por parte do município de Juiz de Fora, à política voltada para as pessoas em situação de rua, instituída pelo Decreto Federal nº 7.053/2009, com a criação do Comitê Intersetorial. Esse comitê deverá apontar as diretrizes do reordenamento da política na cidade, considerando as particularidades e a necessidade de articulações e utilizando-se dos indicadores construídos pós-diagnóstico para a implantação, execução e monitoramento da política. A abertura do evento aconteceu às 8h30 e contou com a presença do secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, representando o prefeito de Juiz de Fora, Bruno Siqueira. Com o tema “Política Nacional Para a População em Situação de Rua: Estratégias Intersetoriais e Participativas”, a palestra de abertura foi ministrada pelo coordenador do Comitê Intersetorial de Acompanhamento da Política Nacional Para a População em Situação de Rua da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, Carlos Alberto Ricardo Júnior. Durante todo o dia, rodas de conversa e debates buscaram aprofundar, ainda mais, o tema. Logo após a cerimônia de abertura, o coral do Centro Pop, formado por 12 moradores de rua e fruto de uma parceria com o Projeto Restituir, da Primeira Igreja Batista, realizou sua apresentação. O repertório, com músicas como "Tente Outra Vez" (Raul Seixas) e "Até Quando Esperar" (Plebe Rude), escolhidas pelos próprios coristas, emocionou todo o público presente, que aplaudiu de pé a apresentação. De acordo com Flávio Cheker, a Política Nacional tem um papel importantíssimo para que a população em situação de rua seja vista pelo poder público como um segmento da sociedade que é, também, sujeito de direitos. “Essa parcela da população precisa ser alvo de políticas públicas, de ações, projetos e programas governamentais e também da própria sociedade. A adesão à Política Nacional de Atendimento à População em Situação de Rua é fundamental para o município porque, ao mesmo tempo em que nos força a assumir alguns compromissos para o desenvolvimento de nossa política, também nos apresenta uma série de prerrogativas e facilitadores”, explicou. Cheker ressaltou ainda os projetos e ações que a Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) deverá executar, em breve, para que o serviço prestado no município seja ainda mais eficiente. “Já antecipando o que é previsto na Política Nacional, estaremos realizando, em parceria com a Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), um diagnóstico para identificação e quantificação da população de rua no município. Também estamos realizando um projeto inédito em Juiz de Fora: a abertura de 450 vagas para cursos de qualificação profissional e ingresso ao mercado de trabalho. Serão 22 cursos oferecidos por diversos parceiros, para incentivar as pessoas que estão nas ruas no resgate de sua cidadania”, afirmou. O evento reuniu mais de cem pessoas e contou com a presença dos secretários de Educação, Weverton Vilas Boas de Castro; de Saúde, José Laerte; e de Atividades Urbanas, Basileu Tavares; do diretor-presidente da Emcasa, Luiz Carlos dos Santos; do representante da Câmara Municipal, vereador Nilton Militão; da representante do Movimento Nacional da População em Situação de Rua, Anita Gomes dos Santos; e do presidente do Fórum Municipal da População de Rua, Márcio Esperidião dos Santos, entre outras autoridades. A Política Nacional “A Política Nacional surgiu em processo conjunto com a sociedade civil organizada. Ela foi lançada em 2009, junto com a implantação de um comitê. Desde então vem sendo criadas estratégias para que essa política seja implementada nos municípios”, explicou Carlos Alberto Ricardo Júnior. A Política Nacional para a População em Situação de Rua possui os seguintes princípios: promoção e garantia da cidadania e dos direitos humanos; respeito à dignidade do ser humano, sujeito de direitos civis, políticos, sociais, econômicos e culturais; direito ao usufruto, permanência, acolhida e inserção na cidade; não-discriminação por motivo de gênero, orientação sexual, origem étnica ou social, nacionalidade, atuação profissional, religião, faixa etária e situação migratória; supressão de todo e qualquer ato violento e ação vexatória, inclusive os estigmas negativos e preconceitos sociais em relação à população em situação de rua. Atendimento à população em situação de rua A PJF, através da SDS, possui três unidades socioassistenciais que atendem cidadãos com vivência de rua e migrantes em Juiz de Fora: o Centro Pop, o Núcleo do Cidadão de Rua e a Casa da Cidadania. O Centro Pop oferece refeições, acompanhamento psicossocial e oficinas artísticas, entre outras atividades voltadas para a reinserção do morador em situação de rua na sociedade, e buscando sempre referenciar aos atendidos às suas respectivas famílias. A unidade conta ainda com uma biblioteca e uma sala de artes para a promoção de oficinas de artesanato. O Centro tem capacidade para atender, em média, 120 pessoas por dia. A unidade funciona na Rua Oswaldo Veloso, 190, no Centro, sempre de segunda a sexta-feira, das 8 às 24 horas, e aos finais de semana, das 8 às 18 horas. O Núcleo do Cidadão de Rua atende a população adulta em situação de vulnerabilidade social e pessoal e que vive nas ruas de Juiz de Fora. Os moradores de rua, abordados ou por demanda espontânea, que chegam ao núcleo, além da possibilidade de pernoitarem, recebem alimentação e cuidados com higiene. Todo trabalho é supervisionado por uma equipe técnica multidisciplinar. O núcleo possui 134 leitos masculinos e 16 femininos. Fica na Rua José Calil Ahouagi, 592, Centro. A Casa da Cidadania realiza o acolhimento institucional de cidadãos que se encontram em vivência de rua, em situação de alto risco e vulnerabilidade social. São oferecidos 55 leitos masculinos e 15 femininos. A Casa da Cidadania fica na Alameda Ilva Mello Reis, 6.001, Bairro Jardim Esperança. O cidadão pode ter acesso a estes serviços por demanda espontânea, quando o mesmo vai até as unidades, ou através do serviço de abordagem, que pode ser solicitado por qualquer pessoa, pelo telefone 3690-7770. Expansão dos serviços Buscando o aprimoramento no atendimento à população em situação de rua, a SDS deverá expandir o serviço de abordagem social a moradores em situação de rua e indivíduos em situação de risco pessoal e social. Será realizado um reordenamento dos serviços, promovendo a capacitação dos profissionais envolvidos. A qualificação incluirá temáticas relativas à abordagem e trabalho e reinserção social de pessoas em situação de risco nos espaços públicos, inclusive relacionadas ao uso de crack e outras drogas. A Prefeitura ainda está buscando junto ao Governo federal a possibilidade de cofinanciamento para o Serviço de Acolhimento em República, destinado a pessoas adultas, com vivência de rua, em fase de reinserção social, que estejam em processo de restabelecimento dos vínculos sociais e construção de autonomia. O acolhimento possui tempo de permanência limitado, podendo ser reavaliado e prorrogado em função do projeto individual de atendimento ao usuário formulado em conjunto com os profissionais da equipe técnica. O atendimento deverá apoiar a qualificação e inserção profissional e a construção de projeto de vida. ]]> 2013-08-30 12:03:41Segurança Alimentar - SDS inicia projeto interdisciplinar nos Cras do municípiohttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11274foto Com a proposta de conhecer as demandas da segurança alimentar em Juiz de Fora e estimular o diálogo intersetorial sobre o tema, a Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) iniciou, nesta quarta-feira, 21, o projeto “Proseando sobre Segurança Alimentar e Nutricional”. A iniciativa prevê, na primeira etapa, a realização de duas oficinas interdisciplinares em todos os nove centros de Referência de Assistência Social (Cras) da cidade. O objetivo é reunir representantes dos setores de saúde, assistência social e educação da área de abrangência de cada unidade, além de associações de produtores rurais, para conhecer a realidade de cada região. Na manhã desta quarta-feira, foi realizada a primeira oficina do projeto, no Cras Norte Benfica, localizado na Rua Tomé de Souza, 95. Durante as atividades, são abordados os conceitos básicos de Segurança Alimentar e Nutricional (SAN), Soberania Alimentar (SA) e o Direito Humano à Alimentação Adequada (DHAA), assim como a necessidade da intersetorialidade e da participação popular. A metodologia empregada inclui dramatização de textos, dinâmicas em grupo e estímulo à reflexão sobre os hábitos alimentares atuais, o que é alimentação saudável e adequada e a cultura alimentar local. De acordo com a coordenadora do projeto, Bettina Koyro, a proposta foi dividida em duas etapas. “A primeira (etapa) é a realização das oficinas nos Cras. Vamos buscar conhecer a realidade de cada região e montar um relatório sobre as principais demandas encontradas. Na segunda etapa, vamos promover o Seminário de Segurança Alimentar e Nutricional, em que serão apresentados os resultados das oficinas, um relatório da demanda do município nessa área e a formulação de propostas para buscar soluções”, explica. Ainda segundo Bettina, a previsão é de que as oficinas sejam encerradas em outubro. A realização do seminário está prevista para o mês de novembro. O secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker, destacou a importância de disseminar a cultura da segurança alimentar em Juiz de Fora. “A segurança alimentar é uma atividade que perpassa várias secretarias e áreas do governo, mas é, essencialmente, uma atividade que deve merecer o olhar atento do Desenvolvimento Social, na perspectiva de difundir uma cultura alimentar adequada e assegurar o direito humano à alimentação. Com este projeto, a SDS procura avançar nesta direção”, frisou. A política de segurança alimentar A partir de fevereiro de 2010, a alimentação foi incluída entre os direitos sociais previstos na Constituição Federal. Esta inclusão foi resultado da concepção de que é direito de cada pessoa ter o acesso físico e econômico à alimentação adequada ou aos meios para obter estes alimentos, sem comprometer os recursos de outros direitos fundamentais, como saúde e educação. Em Minas Gerais, a discussão da Segurança Alimentar e Nutricional – SAN, foi incorporada à política em 1999, com a criação do Consea-MG. A partir desta data, diversos programas vêm sendo implementados com o objetivo de garantir a segurança alimentar e nutricional da população. As discussões acerca da institucionalização de uma política nacional de segurança alimentar e nutricional resultaram na promulgação da Lei nacional n° 11.346, que cria o Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional – Sisan, em setembro de 2006. Em Juiz de Fora, a sociedade civil organizada, através de seus movimentos sociais, sindicatos e pastorais, vem discutindo segurança alimentar desde 1999. O Conselho Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional (Comsea/JF) foi criado em 2007. Hoje, Juiz de Fora tem o direito à alimentação adequada fundamentado na nova Lei Orgânica do município. ]]> 2013-08-21 19:01:06Colhendo resultadoshttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11269 A solenidade contou ainda com a presença da juíza da Vara da Infância e da Juventude, Maria Cecília Golnner Stephan; do promotor da Vara da Criança e da Juventude, Alex Fernandes Santiago; e de autoridades dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, além do Ministério Público, órgãos de controle social e participantes do sistema de garantia de direitos. Flávio Cheker falou sobre a importância da reestruturação feita no modelo de acolhimento institucional. “Estamos trabalhando para que o acolhimento seja cada vez mais eficaz. Já reduzimos pela metade o número de crianças e adolescentes que necessitam do acolhimento nos lares. Queremos criar uma nova concepção de trabalho para as medidas de proteção”, afirmou. Maria Cecilia destacou a importância da ação para todas as famílias que se encontram em situação de risco. “Antes de serem acolhidos nos lares, estes jovens normalmente ficam sozinhos nas casas de suas famílias, estando expostos a riscos como maus tratos e abuso sexual, alem de conviver com a dependência química e de álcool de seus familiares. Precisamos aprender a lidar com eles, proporcionando uma nova vida, buscando seu restabelecimento”, disse. A proposta dos novos lares foi anunciada em março, e buscava uma intervenção estruturante, visando a regularização das casas de Acolhimento Institucional de Juiz de Fora. Para tal, foi adotado um novo modelo, com ações estratégicas para tornar essa medida de proteção eficiente e eficaz, conforme preconiza o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Entre as medidas adotadas pelo novo modelo estava o remanejamento das crianças para três novos imóveis, ação que foi finalizada na última segunda-feira, 12, concluindo o fechamento das casas Aberta e Lumiar. As novas unidades ganharam os nomes de “Lar de Laura”, “Estância Juvenil” e “Vivendas do Futuro”. Em cada casa foram acolhidos pequenos grupos de crianças e adolescentes, que receberam medidas de proteção por motivos de falecimento de genitores, abandono, mendicância e maus tratos, entre outros. Outras medidas vieram através do fortalecimento e ampliação do projeto “Família Acolhedora” e da criação do programa “Família Extensa”, que aguarda parecer jurídico da Procuradoria Geral do Município para ser encaminhado à Câmara Municipal. Após aprovado, o programa irá complementar as ações emergenciais estratégicas de acolhimento no município. Ao longo do processo de implementação das ações, foram realizadas várias reuniões junto ao Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, Vara da Infância e da Juventude, conselhos tutelares e instituições executoras, para que o acolhimento institucional seja realizado de acordo com as diretrizes do ECA e orientações técnicas do Ministério do Desenvolvimento Social para esse serviço. A equipe técnica, guardiões e educadores das casas vêm passando por capacitações e alinhamentos técnicos, em conjunto com a gestão, a fim de garantir a excelência do serviço. ]]> 2013-08-21 13:31:13Economia Solidária: fortalecendo possibilidades de acesso ao trabalhohttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11263 Flávio Cheker enfatizou a importância da contribuição do município na construção deste novo mercado. “O apoio e a participação da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) com o movimento de economia solidária obedecem a uma visão estratégica da atual administração sobre a importância do fortalecimento das possibilidades de acesso ao trabalho. Este é um dos pilares da política municipal de desenvolvimento social.” afirmou o secretário. O fórum reúne os principais setores da economia solidária no município. A consolidação do grupo aconteceu devido à necessidade de se criar políticas públicas para a economia social em Juiz de Fora, visto que antes a cidade fazia parte apenas do Fórum Regional da Economia Popular Solidária, sem uma representação local. 13ª Feira Municipal da Economia Popular Solidária Em meio aos planejamentos e políticas desenvolvidas para o mercado, acontece até este sábado, 10, a 13ª Feira Municipal da Economia Popular Solidária. O evento, aberto ao público, funciona das 9 às 20 horas, na Praça do Riachuelo, em frente ao Santa Cruz Shopping. No local estão à venda doces e biscoitos caseiros, bolsas, bijuterias, enfeites e artesanatos em geral. Tudo o que está disponível no local é de produção dos próprios feirantes. ]]> 2013-08-09 13:51:54Conferência sobre assistência social busca unir e ampliar políticas públicas em Juiz de Forahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11281 Foi realizada na noite desta segunda-feira, 29, no auditório do Instituto Metodista Granbery, a abertura da 7ª Conferência Municipal de Assistência Social em Juiz de Fora. Durante a solenidade, o prefeito de Juiz de Fora, Bruno Siqueira, destacou a importância da conferencia, de um trabalho em conjunto, para que as políticas públicas possam avançar na cidade. “Nós temos, nesses dias de conferência, a importante tarefa de debater a assistência social no nosso município. É através de uma conferência como essa, escutando a população, os profissionais e as pessoas que necessitam da assistência social é que vamos conseguir ter políticas públicas aprimoradas para desenvolvermos nos próximos anos. Sabemos que o Brasil avançou muito no âmbito da assistência social e Juiz de fora precisa avançar também. Queremos avançar escutando os conselhos e as deliberações que sairão a partir dessa conferência, para que possamos, juntos, trabalharmos por uma cidade melhor, especificamente nesta área. Que os debates possam ser enriquecedores para as políticas públicas que vamos executar nos próximos anos”, ratificou o prefeito. “Certamente, essa conferencia vai discutir o quanto já avançamos e o quanto ainda podemos avançar. Logo que assumimos a pasta, a convite do prefeito Bruno Siqueira, debatemos com ele os rumos que poderíamos imprimir à assistência social na cidade. Um dos pontos mais sensíveis que discutimos era exatamente como fazer a assistência avançar em Juiz de Fora a partir desse envolvimento com o controle social, com as entidades convenientes, com a população”, afirmou o secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Cheker. Ele destacou também a importância da conferência para o andamento das políticas públicas no município. “A partir de uma proposta da atual gestão, surgiu a ideia da transformação da Secretaria de Assistência Social em Secretaria de Desenvolvimento Social, hoje a SDS. Uma decisão corajosa, tomada a partir de um diagnostico que temos da cidade, de que a porta de entrada da assistência precisa ser ampliada, mas que a grande tarefa é também abrir a porta de saída, possibilitando o acesso ao emprego e à qualificação profissional, possibilitando à pessoa gerir sua própria vida e a de seus famílias. Que as discussões que serão realizadas aqui possam avaliar a política pública que temos desenvolvido, que possam tirar diretrizes firmes para seu encaminhamento para as conferencias estadual e nacional, de modo que possamos consolidar e solidificar em Juiz de Fora não só a porta de entrada, mas também essa porta de saída da assistência social”. Além do prefeito Bruno Siqueira e do secretário Flávio Cheker, estiveram presentes na abertura o presidente do Fórum Nacional dos Conselhos Estaduais de Assistência Social, Geraldo de Oliveira Filho; o presidente do Conselho Municipal de Assistência Social, Ronaldo Gonçalves de Oliveira; e a representante do Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), Gisela Resende Garcia. Logo após a abertura, Gisela ministrou uma palestra, abordando o tema da conferência. Para fechar a noite, foi realizado um coquetel. O evento Organizado pelo Conselho Municipal de Assistência Social em Juiz de Fora (CMAS/JF), em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), o evento deste ano conta com 300 participantes. Com o tema “A Gestão e o Financiamento na Efetivação do Suas (Sistema Único de Assistência Social)”, a conferência tem por objetivo discutir o confinanciamento obrigatório da assistência social; a gestão do Suas; vigilância socioassistencial, processos de planejamento, monitoramento e avaliação; gestões do trabalho, dos serviços, programas e projetos e dos benefícios no Suas; e regionalização. O tema apresentado foi dividido em seis eixos principais, que serão discutidos durante as plenárias temáticas, que acontecem nesta terça-feira, 30, e na quarta, 31. O café de encerramento da conferência será realizado na quarta, às 17h30, logo após a apresentação dos delegados eleitos. A conferência é o espaço para se discutir as questões da assistência social com a sociedade e entidades. É um importante momento de trocas de informações e experiências com pessoas comprometidas com a construção de uma sociedade mais justa e solidária, em que o direito seja garantido a todos. A conferência é realizada a cada dois anos no Brasil e contará com a participação dos usuários do sistema, entidades, conselhos e população em geral. ]]> 2013-07-30 11:58:13Qualificação profissional: porta de entrada da cidadaniahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11230 "O acesso ao trabalho, a possibilidade de gerir sua vida e prover seu sustento, é chave para a cidadania", digo agora na Aula Inaugural para novas turmas profissionalizantes, fruto da ação da Secretaria de Assistência Social através da parceria do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego(Pronatec) com o IEF Sudeste. São cerca de 120 alunos, matriculados em cinco cursos: 1. Operador de Computador; 2. Recepcionista de Eventos; 3. Torneiro Mecânico; 4. Soldador e 5. Auxiliar Administrativo. Falo também do apoio do Banco do Brasil, através da concessão de microcrédito para os futuros formandos. foto 1 Capacitação profissional para inclusão produtiva, caminho decisivo que estamos trilhando com determinação. Boas aulas, sucesso! ]]> 2013-06-24 14:11:22Fotoshttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=3895 2013-06-17 13:48:20Assistência Social: proteger e promover!http://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11214 O prefeito de Juiz de Fora, Bruno Siqueira, e o secretário de Assistência Social, Flávio Cheker, inauguraram nesta sexta-feira, 7, a unidade do programa Curumim no Bairro Jóquei Clube. O Curumim Santa Maria atenderá crianças e adolescentes fora do horário escolar, divididos entre os turnos da manhã (das 8 às 11 horas) e da tarde (das 13 às 16 horas). No total, a nova unidade terá capacidade para atender 160 meninos e meninas, com idades entre 6 e 14 anos, que serão contemplados com oficinas de artes, recreação e esporte. "Sempre trabalhei por esse bairro e fico muito satisfeito por estar inaugurando esse Curumim. Como prefeito de Juiz de Fora, em parceria com a Câmara Municipal e com o Governo do estado, posso afirmar que é uma alegria muito grande poder proporcionar a toda a comunidade um espaço como este. Espaço que nós precisamos, através do trabalho dos nossos colaboradores da Prefeitura e da Amac, fazer com que seja muito produtivo para fortalecer a consciência e o desenvolvimento social e educativo das crianças. Vamos valorizar esse lugar e buscar, a cada dia, melhorar a situação do cidadão da nossa cidade”, declarou Bruno Siqueira, durante seu discurso. Localizado na Rua Venina Rocha de Almeida s/nº, o Curumim Santa Maria conta com três salas para atendimento aos usuários, refeitório, quadra esportiva e banheiros simples e adaptados, além das áreas administrativas. Para a construção da unidade, foram investidos cerca de R$ 424 mil, com recursos oriundos de um convênio entre a Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) e o Governo de Minas. “Para fazermos uma excelente administração nós não precisamos reinventar a roda, basta permitirmos que ela rode e rode bem, indo ao encontro dos anseios da população e atendendo a todos dentro dos padrões de excelência que os cidadãos merecem”, destacou Cheker. A cerimônia de inauguração ainda contou com a presença do presidente da Câmara Municipal, Júlio Gasparette; do presidente da Associação Municipal de Apoio Comunitário (Amac), João Batista da Silva; de vereadores; secretários e subsecretários; de representantes da OAB; lideranças do bairro; colaboradores da Prefeitura e da Amac; além do advogado, Flávio Salles, que fez a doação do terreno para a construção do equipamento. De acordo com a chefe do Departamento de Proteção Básica, Carla Salomão, a inauguração do Curumim Santa Maria é uma resposta da administração à uma demanda trazida da comunidade. “Esse programa, nessa comunidade, é uma reivindicação antiga dos próprios moradores. Na Assistência Social isso é algo fundamental: que a assistência coloque a oferta, mas que também receba a demanda da comunidade”, observou. Sonho realizado “É um sonho realizado. Começamos esse trabalho em 2007, criando a Associação Beneficente Santa Maria, e esse terreno seria destinado a essa associação. Posteriormente, foi feita uma parceria com a Prefeitura, pois precisávamos captar recursos junto ao poder público. Vendo a possibilidade da criação do Curumim, doamos o terreno para o município. Para a comunidade é uma obra importantíssima. Como empresário, como proprietário da fazenda vizinha eu só posso dizer que a obra vai privilegiar a comunidade, para que as crianças tenham um espaço de educação, de lazer. Nós estamos verdadeiramente empolgados e satisfeitos com o que foi feito”, ratificou Flávio Salles. Segundo a presidente da Sociedade Pró Melhoramento (SPM), Veridiana Rodrigues, a instalação do programa no bairro Jóquei Clube tende a estimular as crianças e adolescentes à pratica esportiva, cultural e intelectual. “Para quem conhece a realidade do nosso bairro, sabe o quanto esse Curumim vai ser bom, pois vai tirar muitas crianças das ruas, tirar os jovens da ociosidade e estimular as crianças a voltarem para a escola e a se interessarem pelos esportes e pela cultura”, afirmou. Ainda durante a solenidade foram realizadas atividades de recreação para as crianças, promovidas em parceria com a Secretaria de Esporte e Lazer (SEL). Ao final do evento, o prefeito Bruno Siqueira conheceu todas as instalações do local, que terá capacidade de atender cerca de 160 crianças e adolescentes. Matrículas Desde a última segunda-feira, 3, equipe técnica já está na unidade, orientando sobre o processo de matrícula. Enquanto isso acontece, os educadores estão sendo capacitados para que as atividades com as crianças sejam iniciadas. O Curumim é um programa da PJF que busca estimular a formação cidadã de crianças e dos adolescentes, com idades entre 6 e 14 anos, por meio de práticas esportivas, artísticas e culturais. Além disso, ainda são ofertadas duas refeições diárias e espaço para os jovens estudarem. A unidade do Jóquei Clube se soma às dos bairros Vila Esperança, Santa Rita, Vila Olavo Costa, São Benedito, São Pedro, Santa Luzia e Benfica. ]]> 2013-06-07 14:00:49Seminário discute temas ligados ao direito à convivência familiar da Criança e do Adolescentehttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11202 A Coordenadoria da Infância e Juventude de Juiz de Fora está realizando, durante todo o dia, no Centro Cultural do Banco do Brasil (Rua Halfeld, 770, 3º andar), seminário voltado para a troca de experiências com o Poder Executivo sobre ações desenvolvidas com vistas a apoiar os direitos de crianças e adolescentes à convivência familiar e comunitária. Entre os convidados que compõem a mesa, está o secretário de Assistência Social, Flávio Cheker. O evento é voltado para técnicos e juízes ligados aos direitos da Infância e da Juventude, mas também estão presentes profissionais da Secretaria de Assistência Social da Prefeitura de Juiz de Fora e da Amac e outros interessados. “O que se busca neste seminário é mostrar para as técnicas do judiciário como se movimenta o Cadastro Nacional de Adoção. Para isso, vamos ter que abordar vários temas, como o Estatuto da Criança e do Adolescente, medidas de proteção, entre outros. Vai ser um apanhado jurídico, reforçando a importância do Cadastro ”, explicou a Juíza de direito da Infância e Juventude, Maria Cecília Stephan. DSC02578 De acordo com a Juíza, o número de crianças em situação de acolhimento em Juiz de Fora tem diminuído e isso se deve ao trabalho de aproximação realizado com as famílias que pretendem adotar, aliado ao trabalho de toda a Rede de Proteção realizado pela Prefeitura de Juiz de Fora. “Temos buscado as famílias que estão no Cadastro, que geralmente optam por adotar crianças de zero a dois anos, e realizado um trabalho de aproximação das famílias às crianças, mesmo que não estejam dentro do perfil, da faixa etária pretendida. E estamos tendo sucesso, ampliando o perfil de adoção para até oito anos. Com isso, o número de crianças acolhidas em Juiz de Fora é muito menor. E isso aliado ao trabalho da Prefeitura, de toda a rede de proteção, que funciona e muito bem. As pessoas que coordenam os trabalhos são pessoas que gostam do fazem e que vestem a camisa das crianças e dos adolescentes”, ratificou. O Seminário acontece até as 17 horas. Entre os temas abordados, estão o programa Família Acolhedora; adoções tardias e necessárias; Cadastro Nacional de Adoção: avanços, experiências e reflexões; além de assuntos ligados diretamente à garantia do direito à convivência familiar. ]]> 2013-04-12 19:51:48Nova mesa diretora do Conselho Municipal do Programa Bolsa Família http://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11197 A cerimônia contou com a presença do secretário de Assistência Social, Flávio Cheker. Em seu discurso, ele “que o objetivo do conselho é que o beneficiário seja totalmente atendido em suas necessidades”. Na avaliação do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), o Bolsa Família contribui com 21% da redução da desigualdade social. A presidente eleita do conselho, Maria Emilda Teixeira, relatou “que, em Juiz de Fora, 19 mil famílias estão cadastradas, 159 mil pessoas são atendidas e 16 mil recebem o benefício”. Nova mesa diretora Após a plenária, aberta ao público, aconteceu a eleição da nova mesa diretora do conselho. Para a presidência, foi eleita a representante do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher, Maria Emilda Teixeira. A nova diretoria ficou composta também pela vice- presidente, Geovana Brito, representante da Secretária de Assistência Social (SAS); pelo primeiro-secretário, Juarez Polisseni Braga, do Conselho Municipal de Educação; e pela segunda-secretária, Ana Paula Medeiros, da Secretaria de Assistência Social (SAS). ]]> 2013-04-12 19:42:31Centro Pop registrou mais de 3.300 atendimentos em março!http://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11192 Já o atendimento ao migrante recebeu 119 pessoas em março. O acolhimento é provisório, com espaço para pernoite e estrutura para receber com privacidade pessoas do mesmo sexo ou grupo familiar, com ou sem crianças, respeitando o perfil do usuário, bem como sua orientação sexual. Em 17 de março, a unidade participou da 1ª Ação Cidadã, evento voltado para a população em situação de rua da cidade, que contabilizou mais de 400 atendimentos. Na ocasião foram ofertados serviços como emissão de certidão de nascimento e CPF, corte de cabelo, orientações sobre saúde bucal e informações referentes ao programa Bolsa Família. O serviço O Centro Pop é um serviço da Secretaria de Assistência Social (SAS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), executado pela Associação Municipal de Apoio Comunitário (Amac), que oferece atendimento a cidadãos que vivem nas ruas, por meio de serviços de alimentação, higiene pessoal, oficinas socioeducativas e serviço de migração, entre outros. A unidade funciona de segunda a sexta-feira, das 8 às 24 horas, e nos finais de semana, das 8 às 18 horas. O serviço de abordagem pode ser solicitado pelo telefone 3690-7700. ]]> 2013-04-04 13:49:56Secretário de Assistência Social visita instalações do Cras Linhareshttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11179 O secretário de Assistência Social, Flávio Cheker, visitou na manhã desta segunda-feira, 25, as instalações do Centro de Referência da Assistência Social (Cras) Leste I, no Bairro Linhares. Acompanhado da chefe do Departamento de Proteção Básica, Carla Salomão, e da chefe do Departamento de Medidas Sócio Jurídica, Mara Valle, o secretário conheceu as demandas, verificou as necessidades e sugeriu ações para a otimização dos serviços. Entre os assuntos discutidos está a implantação de um projeto piloto voltado para agilizar o cadastro das famílias. Atualmente, os formulários do cadastro único para inserção dos usuários em programas sociais do Governo federal são preenchidos manualmente e levados à sede da Secretaria de Assistência Social (SAS). A ideia é que esses cadastros passem a ser preenchidos no computador e sejam repassados à secretaria via internet, diminuindo o problema de logística e tornando todo o processo mais rápido. Outro assunto abordado foi a inserção de ações do programa “Crack, é possível vencer” não só no Cras Linhares, mas em todos os centros de referência, respeitando as características de cada um. O Cras Linhares, inaugurado em 2006, foi o primeiro centro de referência da proteção básica instalado em Juiz de Fora. Hoje, o equipamento abrange 16 bairros (Alto Bairu, Bairu. Bom Jardim, Bonfim, Borborema, Fazenda do Yung, Linhares, Manoel Honório, Marumbi, Nossa Senhora Aparecida, Progresso, Recanto das Pedras, Santa Paula, Santa Rita, São Tarcisio e Três Moinhos) e realiza o atendimento de cerca de 540 famílias por mês. DSC02321 Juiz de Fora possui atualmente nove centros de referencia da assistência social. O Cras é a porta de entrada para os serviços da proteção básica e ainda recebe e promove encaminhamentos para a proteção especial, além de prestar atendimento às famílias e pessoas em situação de vulnerabilidade social, com o objetivo de fortalecer os vínculos familiares e comunitários. O Cras Linhares está localizado na Rua Diva Garcia, s/nº. O telefone de contato é 3690-2304. * Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Assistência Social pelo telefone 3690-8314 ou com a Amac pelo telefone 3690-7945. ]]> 2013-02-25 13:38:33Cheker participa de encontro para combate ao crack.http://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11175 Conforme o secretário de Assistência Social, Flávio Checker, as ações do programa são divididas em três eixos de atuação - Cuidado: destinado às áreas da saúde e assistência social, operando no aumento da oferta de tratamento de saúde e atenção aos usuários; Autoridade: destinado à área de segurança, promovendo o enfrentamento ao tráfico de drogas e às organizações criminosas; e Prevenção: destinado às áreas de educação, capacitação e informação, com ações que devem fortalecer este fator e reduzir riscos. O programa “Crack, é Possível Vencer” conta com a atuação direta dos ministérios da Justiça, da Saúde e do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, além da Casa Civil e da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República. A PJF pretende envolver outras secretarias, além de órgãos e instituições públicas e da sociedade civil. Os encontros da comissão gestora acontecerão semanalmente. Após a definição dos membros que farão parte do grupo, o próximo passo será a apresentação dos diagnósticos específicos de cada secretaria, órgãos, instituições e especialistas envolvidos no trabalho. * Informações com a Secretaria de Comunicação pelo telefone 3690-7245 ou 3690-8597. ]]> 2013-02-22 13:29:13Secretário Flávio Cheker discute propostas da Política de Segurança Alimentar em reunião do COMSEA.http://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11171 Cheker apontou os desafios para que a política da segurança alimentar seja exercida plenamente. "Há, ainda, um grande caminho a percorrer, que passa pela elaboração de um diagnóstico para conhecer concretamente a realidade que vivenciamos nessa área, assim como a realização da segunda conferência municipal. Além dos equipamentos de grande acesso ao público, como o restaurante popular, existe uma série de ações que precisa ser feita, intersetorialmente, nesse processo de implantação. A nossa disposição é de, efetivamente, contribuir com essas ações", concluiu. O secretário de Governo, José Sóter Figueirôa, frisou a importância da realização do diagnóstico do problema na cidade, responsável por detectar a parcela da população que está em situação de insegurança alimentar. A partir daí, seriam traçadas estratégias de enfrentamento dessa realidade. "O ponto de partida é o diagnóstico. Temos trabalhado muito na possibilidade de realizar esse trabalho o mais rápido possível. Não se tem política e não se tem um plano de ações se não conhecermos a nossa realidade, e a realidade está no diagnóstico. A partir daí, vamos buscar a realização da conferência municipal e da construção compartilhada da política de segurança alimentar. Nós (do Executivo) estamos nos esforçando muito na perspectiva de construir uma agenda política e de trabalho junto ao Comsea, para fazer com que a questão da segurança alimentar seja, de fato, uma política pública", declarou. Após o discurso dos secretários, a plenária foi aberta para perguntas dos participantes. Dentre as principais questões apontadas estavam a produção do diagnóstico, que será produzido pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF); a realização da 2ª Conferência Municipal de Segurança Alimentar; as adequações do restaurante popular para a melhoria do serviço; e a criação do banco de alimentos. A política de segurança alimentar A partir de fevereiro de 2010, a alimentação foi incluída entre os direitos sociais previstos no artigo da 6ª da Constituição Federal. Esta inclusão foi resultado da concepção de que é direito, de cada pessoa, ter o acesso físico e econômico à alimentação adequada ou aos meios para obter estes alimentos, sem comprometer os recursos de outros direitos fundamentais, como saúde e educação. Em Minas, a discussão da Segurança Alimentar e Nutricional (SAN), foi incorporada à política em 1999, com a criação do CONSEA-MG. A partir daí, diversos programas vêm sendo implementados, com o objetivo de garantir a segurança alimentar e nutricional da população. As discussões acerca da institucionalização de uma política nacional neste sentido resultaram na promulgação da Lei Federal n° 11.346, que criou o Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Sisan), em setembro de 2006. Em Juiz de Fora, a sociedade civil organizada, através de seus movimentos sociais, sindicatos e pastorais, vem discutindo segurança alimentar desde 1999. O último conselho municipal foi criado em 2007. Hoje, Juiz de Fora tem o direito à alimentação adequada, fundamentado na nova Lei Orgânica do município. O Comsea As atribuições do Comsea são de propor as diretrizes gerais da Política Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional, articular e mobilizar a sociedade civil organizada quanto ao tema e acompanhar permanentemente os assuntos fundamentais ligados a essa área. O conselho também formula o Plano Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional. Além disso, o Comsea ajudou o município na conquista da implantação do restaurante popular, como parte desta política, para a garantia de uma alimentação saudável à população com maior vulnerabilidade social. * Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Assistência Social pelo telefone 3690-8314. SECRETARIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL ]]> 2013-02-21 13:06:46Secretário de Assistência Social Flávio Cheker recebe visitantes em visita ao Centro POPhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11165 A secretária de Assistência Social de Lavras (MG), Paula Lloyd, e a coordenadora do Departamento de Proteção Especial, Roseli Oliveira, estiveram em Juiz de Fora nesta terça-feira, 19, para conhecer o Centro de Referência Especializado de Assistência Social para População de Rua (Centro Pop) e o Núcleo do Cidadão de Rua. Acompanhadas do secretário de Assistência Social de Juiz de Fora, Flávio Cheker; do subsecretário de Gestão do Sistema Único de Assistência Social (Suas), Rogério de Souza; do chefe do Departamento de Proteção Especial, Lindomar José da Silva; e da chefe do Departamento de Medidas Sociojurídicas, Mara Valle, as representantes da Prefeitura de Lavras vieram ao município conhecer a experiência dos serviços socioassistenciais voltados para a população de rua. “O nosso município tem se deparado com essa situação e nunca houve um serviço especializado. Viemos conhecer os equipamentos voltados para a população em situação de rua, para saber como esse serviço é feito, desenvolvido e os objetivos desse trabalho, para levarmos para Lavras a experiência de Juiz de Fora”, afirmou Paula. De acordo com Roseli, as informações obtidas na cidade servirão como base na implantação dos serviços em Lavras. “Tivemos boas referências do trabalho que é realizado aqui, por isso não pretendemos visitar outras cidades. No nosso entendimento, o trabalho se torna mais eficaz quando baseado em uma experiência que tem dado certo,como é o caso de Juiz de Fora”, completa. As unidades O Centro Pop e o Núcleo do Cidadão de Rua, serviços oferecidos pela Prefeitura de Juiz de Fora através da Secretaria de Assistência Social, e executados pela Associação de Apoio Comunitário (AMAC), têm como público alvo cidadãos com vivência de rua e migrantes em Juiz de Fora. 101_0725 O Centro Pop oferece refeições, acompanhamento psicossocial e oficinas artísticas, entre outras atividades voltadas para a reinserção do morador em situação de rua na sociedade, e buscando sempre referenciar os atendidos às suas respectivas famílias. A unidade conta ainda com uma biblioteca e uma sala de artes, para a promoção de oficinas de artesanato. O centro tem capacidade para atender, em média, 120 pessoas por dia. A unidade funciona na Rua Oswaldo Veloso, 190, Centro, sempre de segunda a sexta-feira, das 8 às 23 horas, e aos finais de semana, das 8 às 18 horas. O Núcleo do Cidadão de Rua atende a população adulta em situação de vulnerabilidade social e pessoal e que vive nas ruas de Juiz de Fora. Os moradores de rua, abordados ou por demanda espontânea, que chegam ao núcleo, além da possibilidade de pernoitarem, recebem alimentação e cuidados com higiene. Todo esse trabalho é supervisionado por uma equipe técnica multidisciplinar. O núcleo possui 134 leitos masculinos e 16 femininos. Ele fica na Rua José Calil Ahouagi, 592, Centro. Além desses dois equipamentos, Juiz de Fora conta com mais uma unidade socioassistencial voltada para a população em vivencia de rua: a Casa da Cidadania. Esse equipamento realiza o acolhimento institucional de cidadãos que se encontram em vivência de rua, em situação de alto risco e vulnerabilidade social. São oferecidos 55 leitos masculinos e 15 femininos, e, em geral, são pessoas que fazem uso de substâncias psicoativas. A Casa da Cidadania fica na Alameda Silva Mello Reis, 6001, Bairro Jardim Esperança. ]]> 2013-02-19 12:51:25Secretário de Assistência Social participa de videoconferência para discutir implementação do Programa do Governo Federal “Crack, é possível vencer”http://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11159 O Secretário de Assistência Social, Flávio Cheker, participou na manhã desta sexta-feira (15), no auditório do Banco do Brasil, da videoconferência do programa “Crack, é possível vencer”, desenvolvido pelo Governo Federal. Também estiveram presentes secretários de Governo, vereadores, autoridades da Polícia Militar, Polícia Federal e da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), além de representantes da sociedade civil organizada, envolvidos com a temática das políticas públicas de prevenção do uso, tratamento, reinserção social do usuário de crack e outras drogas. A videoconferência foi transmitida ao vivo de Brasília, simultaneamente, para municípios do estado de Minas Gerais e Porto Alegre. O encontro teve por objetivo sensibilizar os órgãos públicos ligados à questão sobre a metodologia do Programa “Crack, é possível vencer” e contribuir para a elaboração de um plano de ações para cada município, levando em conta a situação de cada um. O Governo Federal irá disponibilizar recursos financeiros a estados e municípios, que poderão aderir ao programa assumindo contrapartidas e implementando os equipamentos de saúde, assistência social e segurança pública. Inicialmente ocorrerá a adesão de todos os municípios com mais de 200 mil habitantes, sendo dez cidades na região Norte, 26 na região Nordeste, 69 na Sudeste, 21 na região Sul, e na região Centro Oeste serão seis municípios mais o Distrito Federal. Para municípios com população inferior a 200 mil habitantes, as adesões ocorrerão a partir de 26 de março. A videoconferência teve como alvo prefeitos, secretários das áreas de segurança, saúde, assistência social, direitos humanos e educação. Participaram os ministros José Eduardo Cardozo (Justiça) e Maria do Rosário Nunes (Direitos Humanos), além de representantes de seis Ministérios do Governo Federal (Casa Civil, Justiça, Saúde, Desenvolvimento Social, Educação e Direitos Humanos). O encontro teve apoio técnico do Banco do Brasil e seguiu cronograma decidido de acordo com cada região. “O Banco do Brasil, como um banco que representa a sociedade, tem a visão participativa, de elo condutor, organizador e orquestrador. Temos integração com o poder público, com a Polícia Militar, com a AOB, secretarias, associações e com o Governo Estadual e Federal. Nossa função é unir essas peças em prol desse objetivo comum que é o combate a essa droga devastadora, que é o crack”, ratificou o superintende Regional do Banco do Brasil de Juiz de Fora, Alberto Maia. DSC02232 Para o Comandante da 4ª Região de Polícia Militar, Coronel Ronaldo Nazareth, o momento é muito oportuno para essa parceria, que vem consolidar uma estratégia que é o combate ao uso do crack. “Essa droga tem sido considerado um mal do século e vem causando muitos males a sociedade, sendo responsável, muitas vezes, por crimes graves, como o homicídio. Essa parceria é de grande valia, pois vai dividir as responsabilidades, ampliar e socializar os conhecimentos, e também motivar os órgãos, organizações e até mesmo a própria sociedade em um engraxamento comum que é a prevenção do uso e o combate ao crack e outras drogas”. Já antecipando as ações no combate às drogas, a Prefeitura de Juiz de Fora lançou no último dia 6, o Grupo Intersetorial de Trabalho, que tem como um de seus objetivos subsidiar o Conselho Municipal de Políticas Integradas sobre Drogas (Compid). “Uma das palavras mais repedidas nessa videoconferência foi "integração". Já com a idéia de fazer um trabalho integrado, foi criado, por iniciativa do Poder Executivo, o Grupo Intersetorial de Trabalho, que envolve secretários e titulares de sete órgãos da Prefeitura de Juiz de Fora: secretarias de Governo; Saúde; Educação; de Assistência Social; de Esporte e Lazer; e Planejamento de Desenvolvimento Econômico, além da Funalfa. Em paralelo a esse Grupo procedeu-se à instalação do Compid, que pode estabelecer uma perfeita interlocução com tudo que foi sugerido e proposto pelos Ministros e Secretários nacionais nesta videoconferência”, observou o Secretário de Assistência Social e Integrante do Grupo Intersetorial de Trabalho, Flávio Cheker. Programa “Crack, é possível vencer” Lançado em dezembro de 2011, o programa “Crack, é possível vencer” abrange um conjunto de ações interministeriais para enfrentar o crack e outras drogas. Com investimento de R$ 4 bilhões da União até 2014 e articulação com estados, Distrito Federal e municípios, além da participação da sociedade civil, tem o objetivo de aumentar a oferta de tratamento de saúde e atenção aos usuários drogas, enfrentar o tráfico e as organizações criminosas e ampliar atividades de prevenção. Em 2012, os 14 Estados com maiores problemas nesta área aderiram ao projeto. Para 2013 a proposta é que mais 13 Estados pactuem com o Programa. A adesão se dará através de reuniões de esclarecimento; elaboração e inserção do Plano de Ação no sistema; avaliação e reuniões de participação; e a assinatura dos planos para inicio da execução do programa, previsto para até junho deste ano. As ações e serviços do programa são divididos em três eixos de atuação: Cuidado, destinado as áreas da saúde e assistência social, operando no aumento da oferta de tratamento de saúde e atenção aos usuários; Autoridade, destinada a área de segurança, promovendo o enfrentamento ao tráfico de drogas e as organizações criminosas; e a Prevenção, destinada as áreas de educação, capacitação e informação, com ações que devem fortalecer fatores de prevenção e reduzir fatores de riscos. O programa Crack, é Possível Vencer conta com a atuação direta dos ministérios da Justiça, da Saúde e do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, além da Casa Civil e da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República. ]]> 2013-02-15 20:29:58Secretário de Assistência Social retoma projeto do Banco Travessia e visita equipamentos no Bairro Olavo Costahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11144DSC02135 O secretário de Assistência Social, Flávio Cheker, visitou na tarde desta sexta-feira, 8, as instalações do Banco Travessia, na Rua Jacinto Marcelino, no bairro Olavo Costa. O titular da pasta aproveitou a ocasião para visitar o Centro de Referência da Assistência Social (Cras) e o Curumim, também no Olavo Costa. Acompanharam-no na visita o Chefe do Departamento de Proteção Especial, Lindomar José da Silva; a Chefe de Departamento de Proteção Básica, Carla Salomão; e os assistentes executivos da Secretaria de Assistência Social (SAS) Márcio Ferreira da Costa e Elisângela Mateus. O objetivo foi verificar a situação do Banco Travessia, tomar ciência das necessidades dos equipamentos e estabelecer metas para otimizar a prestação dos serviços. Nas instalações do Banco Travessia Cheker constatou a falta de infra-estrutura e segurança no local, motivo pelo qual os serviços estavam suspensos. Para solucionar temporariamente o problema, o Banco terá sua sede física transferida, já nas próximas semanas, para o Centro de Referência da Assistência Social (Cras) Olavo Costa, localizado na Rua da Esperança. O atendimento será realizado as segundas, quartas e sextas-feiras, das 8h às 12h e das 14h às 18h. Os serviços deverão retornar ao seu local de origem depois que as obras do Núcleo Travessia, que inclui o Banco e o Travessia Social, forem concluídas. “O Governo do Estado disponibilizou o recurso para o município e não podemos nos dar o luxo de perdê-lo destinado a uma tarefa tão nobre e estratégica que é propiciar o fortalecimento do vínculo com a escolaridade formal, além de vários outros benefícios”, ratificou. Em Juiz de Fora, a sede do Banco Travessia foi inaugurada no dia 16 de dezembro de 2011, mas prestou atendimento apenas nos meses de julho e agosto de 2012. Neste período 33 famílias foram cadastradas. DSC02163O Banco Travessia consiste na abertura de uma poupança conjunta para a família. A moeda corrente também chama-se Travessia e equivale a R$ 1. Dessa forma, se algum membro retoma os estudos, todos os integrantes que residem no mesmo endereço recebem por isso. A cada nova etapa educacional cumprida, mais Travessias são depositadas no banco. Cada ação da família que garanta mais qualificação profissional ou eleve o nível de escolaridade também é transformada em mais dinheiro na poupança. Depois de dois ou três anos, a família retira toda a quantia depositada, já convertida em Real, que pode chegar a R$ 5 mil. O dinheiro acumulado pode ser gasto da maneira que a família preferir. Entretanto, durante o período de qualificação, os membros serão orientados a utilizar o recurso da melhor maneira para o desenvolvimento familiar. ]]> 2013-02-09 13:35:33Flávio Cheker compõe Grupo Intersetorial de Trabalho para desenvolvimento de Políticas Integradas sobre Drogashttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11128 O secretário de Assistência Social, Flávio Cheker, é um dos membros que compõem o Grupo Intersetorial de Trabalho, criado nesta quarta-feira, 6, em um ato solene realizado na sede da Prefeitura de Juiz de Fora. O Grupo terá como objetivo o desenvolvimento de estudos de uma política municipal sobre drogas e deverá subsidiar o Conselho Municipal de?Políticas Integradas sobre Drogas (COMPID) no seu processo de instalação. O Grupo ainda é formado por secretários e titulares de mais seis órgãos ligados a Prefeitura de Juiz de Fora: Secretaria de Governo, de Saúde, de Educação, de Esporte e Lazer, Planejamento de Desenvolvimento Econômico e Funalfa. O ato de criação contou com a presença do Prefeito de Juiz de Fora, Bruno Siqueira e dos membros que irão compor o Grupo, além de autoridades do poder executivo, legislativo e judiciário; e representantes de entidades, organizações e movimentos envolvidos com o tema. COMPID O Conselho Municipal de Políticas Integradas sobre Drogas (COMPID) tem a atribuição de orientar a ações de redução e prevenção ao uso de entorpecentes, bem como na definição de diretrizes e fiscalização dos serviços de tratamento e recuperação de usuários de drogas. 101_0474 O conselho terá como objetivo o assessoramento e fomento das políticas sobre drogas em Juiz de Fora. Ele atua também como o principal interlocutor entre o Poder Público e a sociedade civil organizada, integrado aos conselhos de políticas sobre drogas nos níveis estadual e nacional. O órgão tem ainda a incumbência de realizar estudos sobre o uso de entorpecentes na cidade, bem como de registrar e fiscalizar as entidades destinadas à recuperação do vício de drogas A instituição do Compid é um dos requisitos necessários para que as cidades brasileiras possam participar do Sistema Nacional de Políticas sobre Drogas, instalado pelo Governo Federal em 2006. Cheker empenhou-se durante vários anos, juntamente com o Fórum-DH, entidade que reúne as principais entidades de direitos humanos em Juiz de Fora, pela criação do COMPID, o que agora acontece, numa histórica decisão do governo municipal do prefeito Bruno Siqueira. ]]> 2013-02-07 18:24:08Secretário de Assistência Social visita Casa da Cidadaniahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11118 O secretário de Assistência Social, Flávio Cheker, visitou na tarde desta quarta-feira, 6, a Casa da Cidadania, localizada no bairro Jardim Esperança. Também estiveram presentes o subsecretário de Gestão do Sistema Único de Assistência Social (Suas), Rogério de Souza; o Chefe do Departamento de Proteção Especial, Lindomar José da Silva; e a Chefe do Departamento de Medidas Sociojurídicas, Mara Valle. O objetivo foi verificar quais são as necessidades da unidade e estabelecer metas para otimizar a prestação dos serviços. A Casa da Cidadania é um serviço gerenciado pela Secretaria de Assistência Social (SAS) de Juiz de Fora e executado pela AMAC. A Casa da Cidadania realiza o acolhimento institucional a cidadãos em vivência de rua, em situação de alto risco e vulnerabilidade social. São oferecidos 55 leitos masculinos e 15 femininos e, em geral, são pessoas que realizam o uso de substâncias psicoativas. “A Casa da Cidadania, no serviço de acolhimento que presta, realiza o cuidado que o conjunto da sociedade deveria ter com aqueles a quem o acesso à cidadania é precário”, afirma Cheker. 101_0430 Além da Casa da Cidadania, Juiz de Fora conta com mais dois equipamentos dentro da rede de proteção à população em situação de Rua. O Núcleo do Cidadão de Rua, situado na Rua José Calil Ahouagi, é um albergue com capacidade para abrigar, todas as noites, 150 pessoas, que recebem jantar, café da manhã e possibilidade de higiene pessoal. O município conta ainda com o Centro de Referência para População de Rua (Centro Pop), no bairro Poço Rico. No local são oferecidas refeições, acompanhamento psicossocial, oficinas artísticas, entre outras atividades voltadas para a reinserção do morador em situação de rua na sociedade. ]]> 2013-02-06 02:20:46Secretário de Assistência Social visita unidades socioassistenciais da Prefeiturahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11109 O secretário de Assistência Social da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), Flávio Cheker, visitou na quarta-feira, 30, as instalações do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) Idoso/Mulher e do Creas Infância e Juventude. Também estiveram presentes o subsecretário de Gestão do Sistema Único de Assistência Social (Suas), Rogério de Souza, e chefes de departamentos. A visita teve como objetivo verificar as necessidades de cada unidade e estabelecer metas para otimizar a prestação dos serviços. Os Creas são unidades polo de referência, coordenadores e articuladores da proteção social especial de média complexidade. Estes centros são responsáveis pela oferta de orientação e apoio especializados e continuados a indivíduos e famílias com direitos violados, direcionando o foco das ações para a família, na perspectiva de potencializar e fortalecer sua função protetiva. foto O Creas Idoso/Mulher é responsável pela oferta de atenção especializada de apoio, orientação e acompanhamento a indivíduos e famílias com idosos e/ou mulheres em situação de ameaça ou violação de direitos. As denúncias são acolhidas por telefone, encaminhamento de outras instituições ou através de atendimento presencial. A unidade oferta acompanhamento técnico especializado desenvolvido por uma equipe multiprofissional, de modo a verificar a denúncia acolhida e favorecer a reparação da situação de violência vivida. O Creas Idoso/Mulher funciona no Centro da cidade, na Praça Antônio Carlos, 371. Localizado na Rua Espírito Santo, 444, também no Centro, o Creas Infância e Juventude presta atendimento a crianças e adolescentes vítimas de todo tipo de violência – exploração e abuso, trabalho infantil e adolescentes autores de ato infracional em medida de proteção (liberdade assistida e prestação de serviço à comunidade). Dentro da unidade funciona também o Disque Denúncia Municipal, que fica à disposição da comunidade para queixas sobre qualquer situação de violação de direitos, seja de crianças, adolescentes, adultos ou idosos. Após repassadas as informações, a denúncia é encaminhada para o Creas de referência. ]]> 2013-01-31 07:25:02SAS promove encontro com entidades da rede SUAShttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11104 2013-01-26 01:00:18Flávio Cheker participa de reunião com Conselhos de Direitos http://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11093 Durante aproximadamente duas horas de reunião, a diretoria de cada conselho apresentou suas principais dificuldades e as questões que devem ser resolvidas de forma mais urgente. Entre as principais situações destacadas, Cheker sistematizou aquelas recorrentes nas falas dos Conselhos, a saber: 1. a reestruturação da Casa; 2. a necessidade de operacionalidade legal e 3. a representatividade do governo dentro de cada conselho. Ainda durante a reunião, os integrantes dos conselhos entregaram aos representantes do Executivo um documento com uma proposta formal sobre o funcionamento da Casa dos Conselhos, chamado de “Projeto Interface”. Ao fim da reunião, foi acertado um calendário definindo as datas dos próximos encontros, desta vez, separadamente com a diretoria de cada conselho. Uma reunião específica para discutir o projeto apresentado também foi marcada. Todas deverão acontecer ainda na próxima semana. Para o secretário de Assistência Social, Flávio Cheker, a formação dos conselhos é uma conquista da sociedade brasileira. “Fundamentalmente, eles foram apresentados ao país a partir da Constituição Federal de 88. Daí em diante, os governos Federal, estaduais e municipais têm feito um exercício de implementação dessa forma de cogestão, de copoder, que são os conselhos. Ainda é uma experiência recente sob o ponto de vista histórico, por isso há ainda várias debilidades, tanto do lado governamental quanto do lado da representação da sociedade. Mas é essencial a disposição do governo em dar aos conselhos o seu papel de protagonistas, tanto no controle social quanto na busca de definições das políticas públicas relativas aos direitos do cidadão”, observou. Juiz de Fora é pioneira no processo de institucionalização dos conselhos municipais. Em 1983, instituiu-se o Conselho Comunitário Municipal, hoje, Conselho Municipal da Cidade de Juiz de Fora. Na cidade, hoje, busca-se investir no fortalecimento dos conselhos, que estão em busca permanente de afirmação diante da responsabilidade que lhes cabe no processo de fortalecimento da democracia e de aprimoramento da participação cidadã. Ainda nos próximos dias está previsto a instalação de mais um conselho municipal, chegando ao total de 34. ]]> 2013-01-25 00:46:45SAS promove encontro com entidades da rede SUAShttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11106 O subsecretário de Gestão do SUAS, Rogério de Souza, ressalta que o diálogo com as instituições parceiras é essencial para a reconstrução da política municipal de assistência social. “Esse primeiro encontro serviu para conhecermos a realidade e a necessidade dessas entidades. Temos que buscar o diálogo constante com cada uma delas, com o Conselho Municipal de Assistência Social e com todos os setores competentes, a fim de construir uma política efetiva de assistência social no município”, declarou. O evento aconteceu no auditório da Casa dos Conselhos (Rua Halfeld, 450 – 7° andar) e contou com a participação do secretário de Assistência Social, Flávio Cheker; do subsecretário de Gestão do SUAS, Rogério de Souza, e da subsecretária de Vigilância e Monitoramento, Valeska Aragão, além de chefes de departamento e outros profissionais da SAS. Também estiveram presentes representantes do Abrigo Santa Helena, Alae, Aldeia SOS, Apae, Associação Assistencial Criança Feliz, Associação São Vicente de Paulo, Associação Casa Viva, Caia, Centro de Recuperação Resgatando Vidas, Fundação Maria Mãe, Gedae, Grupo Casa, Imepp, Instituto Jesus, Instituto Bruno Vianna, Lar Fabiano de Cristo, Nata, e Sociedade Eunice Weaver ]]> 2013-01-24 01:01:16SAS em Ação - 01http://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11070 ]]> 2013-01-22 20:17:19Secretário Flávio Cheker visita casas de acolhimento institucional da Prefeiturahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11065 O secretário de Assistência Social, Flávio Cheker, visitou na manhã dessa quarta-feira, 16, as unidades de acolhimento institucional da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF). A vistoria aconteceu nas casas Lumiar e Aberta. O secretário foi acompanhado por uma equipe técnica formada por nove profissionais da Secretaria de Assistência Social (SAS) e dois da Amac. Na ocasião, a equipe analisou a estrutura das unidades e conversou com os coordenadores para propor soluções aos problemas encontrados. “Conhecer a realidade para além das aparências é essencial na busca de uma nova política assistencial para as casas de acolhimento. É preciso garantir que a medida protetiva seja cumprida e que haja condições adequadas para os trabalhadores", declarou Cheker. Integraram a equipe de visita o subsecretário de Gestão do SUAS, Rogério de Souza; a subsecretária de Vigilância e Monitoramento, Valeska Aragão; a chefe do Departamento de Medidas Sociojurídicas, Mara Valle; o chefe do Departamento de Proteção Especial, Lindomar da Silva; a chefe do Departamento de Proteção Básica, Carla Salomão, a chefe do Departamento de Regulação e Acompanhamento da Rede SUAS, Ana Paula Medeiros; além de mais três profissionais da SAS. Pela Amac, participaram a superintendente da instituição, Mariléia Reis, e a coordenadora executiva de Alta Complexidade, Valéria Martins. foto As casas Aberta e Lumiar oferecem atendimento a adolescentes de ambos os sexos, vítimas de abandono ou violência doméstica. A assistência é prestada em regime de abrigo, inclusive em caráter excepcional e de urgência. O encaminhamento é realizado através dos Conselhos Tutelares e da Vara da Infância e da Juventude. ]]> 2013-01-16 11:18:28Secretário de Assistência Social inicia série de visitas aos equipamentos socioassistenciais da Prefeiturahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11047 O Secretário de Assistência Social, Flávio Cheker, iniciou na manhã desta segunda-feira, 14, uma série de visitas às unidades socioassistenciais da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF). O titular da pasta conheceu as instalações do Centro de Referência da Assistência Social (Cras) Centro e do Centro de Convivência do Idoso Dona Itália Franco (CCI). Também estiveram presentes o subsecretário de Gestão do SUAS, Rogério de Souza; a subsecretária de Vigilância e Monitoramento, Valeska Aragão; a chefe do Departamento de Proteção Básica, Carla Salomão; e a chefe do Departamento de Regulação e Acompanhamento da Rede SUAS, Ana Paula Medeiros. interna Ao longo das próximas semanas, Cheker pretende percorrer todos os equipamentos da Secretaria. O objetivo é verificar quais são as necessidades de cada unidade e estabelecer metas para otimizar a prestação dos serviços. “Nos próximos dias, iremos visitar todas as unidades dos Cras, que são a porta de entrada da assistência social para os cidadãos juiz-foranos. Queremos conversar com os coordenadores e trabalhadores das unidades e analisar as demandas de cada local para, assim, propor um plano de ação efetivo e integrado”, afirma o secretário. Na manhã desta terça-feira, 15, será a vez da visita aos Cras Sul e São Pedro. Até o fim da semana, o secretário percorrerá, ainda, os Cras Leste, São Benedito, Norte e Nordeste, além da unidade do Curumim Vila Esperança. O ciclo de visitas aos equipamentos da chamada Proteção Básica, que gerencia as diretrizes básicas para a execução da política de assistência social, se encerra na próxima segunda-feira, 21, com as unidades do Cras Sudeste e Vila Olavo Costa. ]]> 2013-01-14 22:15:59Discurso de despedidahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11039 ]]> 2012-12-22 16:11:43Valorizando as diferenças e combatendo as desigualdadeshttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11035Supermercados, hipermercados e shopping centers de Juiz de Fora deverão ter o piso dos corredores e da frente de suas lojas demarcado com faixas específicas, com relevos próprios para a leitura por deficientes visuais. É o que determina Projeto de Lei aprovado nesta quinta (13) pela Câmara de Juiz de Fora, de autoria do vereador Flávio Cheker. A medida busca aumentar o nível de segurança para as pessoas com deficiência visual, diminuindo o risco de acidentes provocados na tentativa de entrar nas lojas, sobretudo quando estas dispõem de portas de vidro. As faixas deverão servir de guia para a entrada e deslocamento em segurança no interior destes recintos. “Trata-se de uma medida simples, mas que traz muita diferença para a vida das pessoas com deficiência visual. O que o projeto quer ê contribuir na construção de uma cidade adaptada às necessidades de seus cidadãos e cidadãs, algo que deve ser feito não apenas nas ruas e parques, mas em todos os espaços de trânsito público”, ressalta Cheker. ]]> 2012-12-18 18:34:44FELIZ NATALhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11011 ]]> 2012-12-17 17:28:07Direito à Verdade histórica como um dos Direitos Humanos essenciaishttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11022Juiz de Fora agora conta com o Dia Internacional para o Direito à Verdade em Relação às Violências Graves aos Direitos Humanos em seu calendário oficial. A proposta é do vereador Flávio Cheker, e foi aprovada quinta (13) pela Câmara Municipal de Juiz de Fora. A data será comemorada anualmente no dia 24 de março. O Projeto de Lei nasceu a partir de sugestão da Rede Legislativa pela Memória, Verdade e Justiça, de que os municípios brasileiros também pudessem realizar a reflexão sobre o tema. O evento foi criado em 2010 pela Organização das Nações Unidas (ONU), e tem por propósito disseminar o pleno reconhecimento do direito das vítimas à dignidade e à verdade como um direito humano de valor equivalente aos direitos fundamentais de formulação mais antiga. A data escolhida faz referência ao martírio de Monsenhor Óscar Arnulfo Romero, bispo de EI Salvador, que pagou com a própria vida por sua dedicação à defesa dos direitos humanos, à proteção de vidas humanas e à promoção da dignidade do ser humano. O vereador Flávio Cheker destacou o pioneirismo de Juiz de Fora nos empreendimentos recentes referentes à defesa da Memória, Verdade e Justiça. A cidade teve aprovada este ano a criação de sua Comissão Municipal da Verdade, no âmbito parlamentar, a partir de iniciativa da Comissão Municipal de Direitos Humanos e Cidadania, da qual Cheker é presidente. Além disso, foi a primeira cidade no país a possuir um Comitê da Verdade, formado por entidades da sociedade civil, que busca contribuir de modo permanente com os esforços das comissões municipal e nacional da Verdade. “Com esta lei aprovada, permitimos que nossa população tenha a chance de refletir sobre este importante tema, e estenda esforços para que os Direitos Humanos sejam definitivamente respeitados na cidade, em particular no que se refere à verdade e à memória”, conclui. ]]> 2012-12-17 17:05:42Câmara derruba veto ao Plano Diretor Cicloviário!http://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11007Foi derrubado o veto do Executivo sobre o Projeto de Lei que cria o Plano Diretor Cicloviário Integrado. A proposta, apresentada pelo vereador Flávio Cheker, define as diretrizes para a instalação de todos os equipamentos e infraestrutura necessários para o uso da bicicleta como modal de transporte. Falando ao plenário, o vereador Flávio Cheker mostrou a não procedência das razões apresentadas pelo Executivo por meio do veto. O parlamentar lembrou que a proposta não possui o alegado vício de iniciativa – não determina a execução de obras ou a realização de qualquer tipo de gasto. “O projeto não determina alterações imediatas no sistema viário da cidade. Ele traça diretrizes para que as novas vias e conjuntos viários a serem implantados na cidade levem em conta o modal cicloviário. A implementação das ciclovias e ciclofaixas no restante da cidade fica à cargo da própria Prefeitura, a partir de seu próprio planejamento”, justificou. A proposta do Plano Diretor Cicloviário nasceu de exemplos semelhantes, implementados em cidades como Porto Alegre. Antes de ser apresentado à Câmara como Projeto de Lei, foi debatido por inúmeros representantes da sociedade civil, em particular defensores do modal bicicleta e especialistas em mobilidade urbana. O tema também foi objeto de Audiência Pública, realizada em julho deste ano. O vereador Flávio Cheker comemorou a queda do veto. Em sua opinião, a cidade dá mais um passo para a melhoria do trânsito e do meio ambiente. “Este projeto foi sonhado por muitos, que, para além do transporte cicloviário, desejam uma Juiz de Fora melhor. É neste sentido que estamos caminhando, ao lado da população, em favor de nossa sociedade”. ]]> 2012-12-12 18:45:16Trajetóriahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=2933 2012-12-12 17:21:04Necessidades e urgências em tempo integralhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=11001A Câmara aprovou na tarde desta terça (11) Projeto de Lei do vereador Flávio Cheker que estende para tempo integral a reserva de vagas em estacionamento para pessoas com deficiência ambulatorial. Atualmente, o acesso a estas vagas está limitado ao horário comercial. A proposta nasceu a partir de reivindicação de usuários e acompanhantes. De acordo com Cheker, a proposta visa corrigir a restrição delimitada pelo texto original, cumprindo ainda com as determinações trazidas pela Lei Federal de Acessibilidade (nº 10.410, de 20 de março de 2003). “Não é correto supor que as pessoas com deficiência necessitem destas vagas – que já existem – apenas durante o horário comercial. Este direito deve valer em tempo integral. Trata-se de uma medida para fazer com que a cidade esteja cada vez mais adaptada às pessoas com deficiência”, afirma. Por pessoas com deficiência ambulatorial, entende-se aquela pessoa com incapacidade motora autônoma permanente nos membros inferiores, ou membros superiores e inferiores, que obrigue a utilizar, temporária ou permanentemente, cadeira de rodas, aparelhagem ortopédica ou prótese, e pessoa com incapacidade motora autônoma decorrente de incapacidade mental. A proposta prevê a destinação de 5% de todas as vagas existentes em vias públicas e estacionamentos, sejam públicos ou privados, para as pessoas com deficiência. Estas serão escolhidas entre as de mais fácil acesso e sinalizadas por placas. Não há mudança no regime de cobrança pelo uso destas. ]]> 2012-12-11 19:21:54Ministério Público Federal oficia à Câmara sobre destino de militantehttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=10994O vereador Flávio Cheker (PT) teve aprovado nesta quinta (06) requerimento ao Executivo solicitando a instalação da Comissão Municipal da Verdade, aprovada pela Câmara em julho, a partir de Projeto de Lei de iniciativa da Comissão Municipal de Direitos Humanos e Cidadania, da qual o parlamentar é presidente. Cheker lembra que Juiz de Fora participa de diferentes histórias envolvendo a Ditadura Militar. Entre as quais o caso de Milton de Castro, gaúcho que lutou na resistência ao regime autoritário e cujo paradeiro permaneceu incerto durante 35 anos. O seu destino só foi revelado em 2002, a partir de reportagem produzida pela jornalista Daniela Arbex para o jornal Tribuna de Minas. Milton foi sepultado como indigente em uma cova simples no Cemitério Municipal. “O caso de Milton de Castro reúne condições que podem servir aos trabalhos da Comissão Municipal da Verdade. É a possibilidade de que a história deste cidadão brasileiro seja estabelecida à luz da verdade”, disse. Recentemente, o Ministério Público Federal, por meio da Procuradoria da República, requisitou à Câmara Municipal informações e documentos referentes ao caso de Milton de Castro. Em 2002, o então vereador petista Gabriel do Santos Rocha (Biel) solicitou ao Ministério da Justiça a exumação e identificação do corpo, o que não acabou ocorrendo até hoje. “É importante perceber que a Comissão Municipal tem muito a contribuir com a Comissão Nacional da Verdade. Cremos ser importante que a cidade colabore neste esforço por devolver às famílias, e ao próprio país, o pleno direito à memória, à verdade e à justiça”, encerra Cheker. Leia também Cheker participa de fórum sobre Memória, Verdade e Justiça Apresentado projeto que cria Comissão Municipal da Verdade ]]> 2012-12-07 11:51:10Juiz-foranos apoiam transporte cicloviáriohttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=10985O transporte por meio de bicicletas é visto como alternativa viável para a melhoria do trânsito de Juiz de Fora. Em enquete realizada no site do vereador Flávio Cheker, 98% dos participantes manifestaram apoio à proposta de instalação de ciclovias na cidade. Dos 150 votos, 147 foram a favor da medida. Cheker é autor do Projeto de Lei que cria o Plano Diretor Cicloviário Integrado da cidade. A proposta estabelece as diretrizes para estabelecimento de um sistema de transporte municipal por meio do modal bicicleta, garantindo a divisão do espaço público de uma maneira mais democrática, justa e, em especial, segura para ciclistas e pedestres. O texto foi aprovado pela Câmara em outubro, mas acabou vetado pelo Executivo no último dia 21. De acordo com o parlamentar, o resultado da enquete apenas ratifica o apoio que o Plano Cicloviário tem recebido desde que foi apresentado à Câmara. “É muito significativo perceber que a população está atenta a este tipo de tema, e deseja efetivamente a melhoria do transporte na cidade. Esperamos que isso sensibilize o Poder Público de Juiz de Fora, especialmente os demais vereadores, para que possamos derrubar o veto do Prefeito e oferecer à cidade este presente”, conclui. Leia também: Modal bicicleta: sociedade mostra os caminhos para o Poder Público Mobilidade Urbana sem saia justa: quem pedala a todos ajuda Uma pedalada histórica: obrigado pessoal e vamos à luta ]]> 2012-12-03 17:49:27TRABALHADORES EM EDUCAÇÃO-LEI COMPLEMENTAR 100: SEM GARANTIAShttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=2595 Representação assinada pelos vereadores será enviada às principais autoridades do governo de Minas Gerais, para que possa ser revista a Lei Complementar 100/07, que instituiu a Unidade de Gestão Previdenciária Integrada e trouxe inquietação e angústia aos profissionais da Rede Estadual de Educação. Tendo em vista os critérios utilizados em quase 98 mil “efetivações”, e em atendimento à categoria, o vereador Flávio Cheker realizou Audiência Pública, no dia 23 de abril, na Câmara Municipal, com o objetivo de tornar mais clara a legislação estadual. “A LC-100, como ficou conhecida a nova lei, trouxe instabilidade aos funcionários estaduais designados (não concursados) que, embora efetivados, não possuem estabilidade e não são considerados efetivos, já que podem perder o cargo a qualquer momento, sendo obrigados a ceder a vaga ao profissional aprovado em concurso público, como previsto na Constituição”, alertou Cheker. Para os trabalhadores da educação, a legislação precisa ser revista e deverá receber emendas em seu texto, para que haja justiça com os profissionais que dedicaram anos à educação e que foram alijados desse processo, por não estarem no exercício da função em 2006 e no dia da sanção da lei, em 06 de novembro do ano passado. Tanto os contemplados pela Lei, quanto os excluídos da mesma, questionaram, durante a audiência, a constitucionalidade e os critérios usados pelo governo do Estado. Além da estabilidade, que não se equipara à do concursado, as aposentadorias também foram motivos de preocupação levantados pela categoria, que considera as ações estaduais como: “arbitrárias, incoerentes e em dissonância com a Constituição Brasileira, já que o direito previdenciário também não está garantido pela nova lei.” O vereador afirmou que a LC-100, além de prejudicar e desvalorizar os profissionais, está sucateando a educação e sacrificando a qualidade de ensino dos educandos, que se encontram na ponta de todo o processo. Isto porque, segundo denúncia do Sind-UTE, na falta de um profissional com determinada habilitação coloca-se como substituto outro professor que pode não ter a mesma habilitação ou até mesmo nem ser da área. “Há professores de matemática lecionando português. Isto é inaceitável. Os trabalhadores da educação vêm sendo tratados como peças de reposição em série”, desabafou Flávio. Representantes do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação (Sind-UTE/ SubsedeJF) denunciaram que “o governo de Minas vem implementando o neoliberalismo em nome de um choque de gestão, que promove o enxugamento da máquina, desmoraliza a educação pública, retira verbas da merenda dos cursos noturnos, além de extinguir escolas profissionalizantes e oferecer falso piso salarial à categoria”. Os temores, dúvidas e as denúncias foram foco da audiência entre os profissionais que, apreensivos, solicitaram a ajuda da Câmara Municipal para que as reivindicações possam ressoar junto às autoridades estaduais, na tentativa de mudar a lei. O vereador Flávio Cheker sugeriu que o encaminhamento da Representação seja direcionado ao Governador, aos agentes políticos que tenham assento no governo de Minas e às lideranças das bancadas partidárias na Assembléia Legislativa. “Precisamos romper com a possibilidade enganosa e discutir uma política plena e verdadeira para os professores e demais servidores. O que foi debatido aqui é de extrema gravidade. Não podemos permitir o sucateamento da educação e nem a desmoralização dos profissionais. Continuaremos com a incessante luta em defesa dos interesses dos trabalhadores de ensino”, concluiu Cheker. ]]> 2012-12-03 16:57:28Publicada Lei de Cheker que torna Café Galeria bem de utilidade públicahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=10982Foi promulgada nesta quarta (28) o texto da Lei que torna o Café Galeria bem de utilidade pública. A matéria, apresentada pelo vereador Flávio Cheker, busca preservar este tradicional ponto de encontro da cidade. O espaço, localizado na Galeria Pio X, funciona há cerca de 60 anos, servindo de referência para diversos grupos e para quem visita a cidade, além de possibilitar o convívio e encontro das pessoas. ]]> 2012-11-30 18:09:11Cidade passa a adotar rede subterrânea a partir de lei de Chekerhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=10975A Câmara aprovou nesta terça (27) Projeto de Lei do vereador Flávio Cheker (PT) que prevê utilização exclusiva de redes subterrâneas para a instalação de fios e cabos de transmissão de energia, telefonia, fibra ótica e de TVs por assinatura. A proposta prioriza o uso desta modalidade nas regiões arborizadas da cidade, como praças e parques, além da região central de Juiz de Fora. Falando ao plenário durante a sessão que aprovou o projeto, o vereador Flávio Cheker lembrou que as redes subterrâneas já são utilizadas em diversas cidades do país e do mundo. Esta opção se dá por diferentes razões, entre elas por proporcionar maior segurança para a população, diminuindo a possibilidade de acidentes, mas também reduzindo a chance de interrupção das transmissões. “De todo modo, precisamos ressaltar também os grandes benefícios ambientais que a medida traz. Conseguimos diminuir a poluição visual proporcionada pelos fios presos nos postes, valorizando o espaço urbano, a própria cidade”, destacou o parlamentar. Cheker fez questão de lembrar que o projeto apenas indica as regiões onde o cabeamento deve ser feito, cabendo ao Executivo a opção de definir como as obras deverão ser feitas, inclusive com a possibilidade de não trazer ônus ao erário. Além disso, a proposta prevê o compartilhamento das redes entre as empresas que prestam os serviços por meio de cabos. A construção dos dutos no centro e em praças e parques devem ocorrer em até dois anos. Tal obra deverá ocorrer a partir de concessão, permissão ou autorização da Prefeitura, e estar em conformidade com a legislação municipal que disciplina os serviços de infraestrutura que utilizam o solo e o subsolo de propriedade municipal e que estabelece remuneração pela utilização e pela passagem dos dutos no bem público, bem como a que prescreve normas referentes à preservação do meio ambiente. ]]> 2012-11-29 18:53:34Na abertura do Primeiro Plano...http://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=10969O vereador Flávio Cheker participou na noite desta segunda (26) da abertura do Primeiro Plano – Festival de Cinema de Juiz de Fora e Mercocidades. Ele foi convidado a falar durante a apresentação desta nova edição devido ao histórico de contribuição e apoio ao evento. Cheker ressaltou a importância do evento para a cidade. Ele lembrou como o festival tem servido de incentivo aos jovens produtores de audiovisual da cidade, inclusive pela concessão de premiação a estes. Para o parlamentar, o Primeiro Plano é um dos grandes fomentadores da cultura local. “Juiz de Fora tem um longo histórico de produção cinematográfica, reconhecido nacionalmente. O Festival, além de toda a excelência do evento, tem o mérito de permitir que esta tradição tenha sequência, garantindo ainda que nosso público tenha acesso a produções importantes”, disse. O Primeiro Plano foi contemplado neste ano com emenda parlamentar, apresentada pelo vereador, garantindo R$ 25 mil para a realização desta edição. O Luzes da Cidade, grupo de cinéfilos e produtores culturais que organiza o festival, também teve aprovado o título de entidade de utilidade pública, a partir de projeto de lei proposto por Cheker. ]]> 2012-11-27 19:15:57Luzes da cidade brilham ainda mais intensamentehttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=10963O Luzes da Cidade, grupo formado por cinéfilos e produtores culturais da cidade, agora é considerado de utilidade pública. O título foi obtido a partir de Projeto de Lei do vereador Flávio Cheker, aprovado em segunda votação pela Câmara nesta sexta (23). Com isso, a entidade tem o merecido reconhecimento dos serviços prestados à sociedade de Juiz de Fora, atuando pelo bem geral, sem fins lucrativos. O Luzes da Cidade é o promotor do Primeiro Plano – Festival de Cinema de Juiz de Fora e Mercocidades. O evento realiza em 2012 sua décima primeira edição, com abertura marcada para a próxima segunda (26). De acordo com o vereador Flávio Cheker, iniciativas como esta são exemplares, o que por si só justifica e indica a necessidade da concessão do título. “São iniciativas e grupos como o Luzes da Cidade que fazem nossa sociedade ser mais viva. Em geral, desempenham atividades de alto interesse, mas com pouco apoio do Poder Público. Com a titulação recém aprovada, abre-se maior perspectiva para modificar esta situação”, afirma o parlamentar. A luta em favor de iniciativas que valorizem a cultura é uma antiga bandeira do vereador Flávio Cheker. Ele é autor de projetos e leis como a que faz com que os contemplados pela lei Murilo Mendes recebam os recursos no mesmo ano em que ocorreu o edital – matéria aprovada também esta semana. Além disso, o parlamentar tem continuamente destinado recursos para a Lei Murilo Mendes, e também para o próprio Primeiro Plano, por meio de emendas parlamentares. De acordo com o coordenador geral do Primeiro Plano e integrante do Luzes da Cidade, Aleques Eiterer, há grandes dificuldades em se manter um projeto cultural de longa duração no Brasil. Por isso mesmo, ações como o título e o apoio do Poder Público são mais do que necessários. “Assim, podemos afirmar com toda categoria que só conseguimos comemorar nossos dez anos de existência graças ao apoio incondicional do Vereador Flávio Cheker, que percebe a cultura como um traço essencial do nosso desenvolvimento”. ]]> 2012-11-23 16:44:32Lei Murilo Mendes: melhor condição para os produtores culturaishttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=10958Os artistas contemplados pela Lei Murilo Mendes poderão agora ter acesso aos recursos no mesmo ano de lançamento do edital. É o que prevê Projeto de Lei do vereador Flávio Cheker, aprovado na tarde da última quarta-feira (21) pela Câmara Municipal. A proposta busca contribuir diretamente com os produtores culturais, que terão assim melhor condição para a execução de seus projetos. De outro lado, também facilita a fiscalização pela Prefeitura. A proposta aprovada inclui no texto da Lei Murilo Mendes um novo parágrafo, o qual torna obrigatória a liberação dos recursos no mesmo ano em que o edital é realizado. Atualmente, muitas vezes os contemplados somente têm acesso à totalidade da verba no ano seguinte ao da liberação do edital. O vereador Flávio Cheker enfatiza que a Lei Murilo Mendes é um dos principais instrumentos de política cultural de Juiz de Fora, razão pela qual tem destinado recursos para a mesma por meio de emendas parlamentares. Do mesmo modo, melhorias e aperfeiçoamentos devem ocorrer continuamente na Lei. “Temos o desafio de sempre melhorar nossas práticas. A Lei Murilo Mendes é uma ferramenta que pode e deve permanentemente aperfeiçoada. Cremos que, por meio deste Projeto de Lei, corrigimos uma situação atípica. E ganha também a população, com a otimização dos recursos públicos e o acesso aos produtos culturais feitos através da Lei”, afirma Cheker. ]]> 2012-11-22 19:22:10Cultura: Cinema em primeiro planohttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=10953Costumeiramente utilizadas para atender interesses eleitorais, as emendas parlamentares ao Orçamento devem buscar beneficiar a sociedade de modo geral. O vereador Flávio Cheker tem orientado sua atuação nesta perspectiva, destinando recursos a programas e causas que contribuem para o desenvolvimento material e cultural da cidade. Isso se concretiza novamente este ano. Emenda de R$ 25 mil apresentada pelo parlamentar deu impulso importante para a realização do Primeiro Plano 2012 – Festival de Cinema de Juiz de Fora e Mercocidades. O Primeiro Plano se constitui há vários anos como um dos principais eventos culturais de Juiz de Fora. O evento contempla mostras competitivas nacional e regional de curtas metragens, exibição de produções cinematográficas brasileiras e latino-americanas, além de diversas oficinas sobre produção audiovisual. Parte das atividades são realizadas também fora do centro da cidade, no Centro Cultural de Benfica. Apesar de sua relevância, o festival tem encontrado historicamente inúmeras dificuldades para se realizar – principalmente financeiras. Ao longo das últimas edições, o vereador Flávio Cheker tem se colocado como parceiro do evento, buscando a interlocução entre os organizadores e potenciais colaboradores, como o Executivo e entidades privadas. Neste ano, a contribuição se estendeu à liberação de recursos por meio de emenda parlamentar. Cheker destina recurso de emendas parlamentares para Cultura e Habitação “É importante o papel desempenhado pelo Primeiro Plano como promotor da cultura da cidade. Não somente por levar importantes obras a um público amplo, mas também como um grande incentivador aos produtores locais, que encontram meio para que suas produções se tornem difundidas em Juiz de Fora e no país. É muito importante que o Poder Público esteja atento a isso. Esperamos contribuir e que mais pessoas e instituições se sensibilizem para que o festival se firme cada dia mais”, afirma Cheker. O Primeiro Plano ocorre entre os dias 26 de novembro e 1° de dezembro. As mostras competitivas, exibições de filmes e oficinas ocorrem no Cine Alameda, Centro Cultural Bernardo Mascarenhas, Casa de Cultura da UFJF e Centro Cultural de Benfica. A programação completa do festival e outras informações do evento podem ser encontradas aqui. ]]> 2012-11-20 17:28:39Um ano após Audiência, incêndios ainda são risco para a cidadehttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=10949Um ano após o maior incêndio da história da cidade, segue inalterado o quadro de despreparo e insegurança para este tipo de ocorrência. De acordo com reportagem publicada recentemente pela Tribuna de Minas, menos da metade dos estabelecimentos vistoriados pelos Bombeiros possui algum tipo de irregularidade, sendo a ausência do Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB) a principal delas. Em dezembro do ano passado, poucas semanas após o incêndio, o vereador Flávio Cheker fez realizar Audiência Pública na Câmara para discutir a estrutura de Juiz de Fora para a prevenção e o combate a incêndios. À época, números do Corpo de Bombeiros davam conta que a minoria dos estabelecimentos da cidade possuía AVCB. De acordo com os dados, das 1432 lojas existentes no polígono vermelho – região definida pela interseção das avenidas Barão de Rio Branco, Itamar Franco, Francisco Bernardino e Benjamin Constant –, somente 46 possuíam o documento. Para o vereador Flávio Cheker, a reportagem publicada deve servir de alerta por duas razões. Primeiro, ela demonstra que mesmo o incêndio de grandes proporções do ano passado não conseguiu sensibilizar os lojistas a readaptarem seus empreendimentos, em conformidade com as normas mínimas de segurança requerida. “Por outro lado, apesar do inestimável trabalho realizado, fica claro mais uma vez que o Corpo de Bombeiros tem atualmente um reduzido e aguerrido quadro de militares. Como resultado, apenas um terço das lojas foram fiscalizadas desde o incêndio”. De acordo com a publicação, há somente 25 bombeiros destacados para as inspeções. Para Cheker, o apelo de dezembro do ano passado continua mais do que válido. “Sempre há tempo para medidas de prevenção. Não é necessário que a cidade coloque a vida de seus cidadãos e cidadãs em risco. De nossa parte, continuaremos a cobrar que o Poder Público tome as medidas necessárias, inclusive orientando e auxiliando os lojistas na adequação aos requisitos de segurança”. ]]> 2012-11-14 16:00:26Remando contra a maré: CDH e Cidadania completa 15 anos!http://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=10944Há 15 anos, Juiz de Fora ganhava uma de suas principais ferramentas de defesa da dignidade humana e de luta contra toda forma de discriminação. A Comissão de Direitos Humanos e Cidadania foi criada a partir de Projeto de Lei do vereador Flávio Cheker, promulgado em 22 de novembro de 1997. Composta por três parlamentares, a comissão tem por objetivos principais acompanhar os assuntos relativos ao respeito à dignidade humana na cidade, atuando também junto à sociedade para discussão e formulação de políticas específicas para a área. Além de proponente do projeto, Cheker tem presidido a Comissão de Direitos Humanos e Cidadania por diversas vezes desde sua instalação. Para ele, a aprovação do projeto consolidou a luta em favor sobretudo da promoção da igualdade de direitos para a população menos assistida da cidade. “A defesa dos Direitos Humanos vem de muito tempo em Juiz de Fora. Inúmeras pessoas têm dedicado sua vida a esta causa, contribuindo para que o tema avance. A criação da Comissão veio reconhecer isto, institucionalizando e fortalecendo propósitos, princípios e ações”, afirma. A Comissão de Direitos Humanos e Cidadania tem atuado de modo marcante desde que foi criada. Entre suas principais ações, está o acolhimento a centenas de denúncias de violações de direitos; a promoção de debates, seminários e atividades visando à disseminação de uma cultura de paz, além de visitas e vistorias aos jovens internos no Centro Socioeducativo de Juiz de Fora e inspeções quanto às condições oferecidas pelas unidades prisionais em Juiz de Fora, bem como o estímulo a projetos de trabalho para presos e egressos. Também está em sua pauta a criação de uma APAC local. Em 2012, a comissão propôs Projeto de Lei para a criação da Comissão da Verdade em Juiz de Fora. De acordo com o vereador Flávio Cheker, a comissão tem conseguido cumprir com sua função, atuando em benefício da sociedade. “Com o passar do tempo, temos conseguido fazer com que a Comissão se torne um canal para a defesa dos Direitos Humanos e a promoção da cidadania". ]]> 2012-11-12 17:50:14Se é popular, conforto e qualidade não podem faltarhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=10939O vereador Flávio Cheker está encaminhando à direção do COMSEA a Lei 12.691, que cria o Fundo Municipal de Manutenção e Funcionamento do Restaurante Popular, promulgada nesta quinta (08) pelo Executivo. O fundo permite a arrecadação e a gestão de recursos para melhorias do Restaurante Popular, em particular para manutenção predial e dos equipamentos utilizados, além da realização de estudos sobre a operação da unidade e possível abertura de novos restaurantes. De acordo com Cheker, a concretização do fundo permite que se avance na melhoria em questões específicas sobre o Restaurante Popular, já há muito cobradas pelos usuários. “É urgente resolver o problema das filas. Às vezes as pessoas chegam a esperar uma hora e meia para almoçar. Também é urgente a instalação de um ar condicionado central para o prédio, propiciando melhores condições tanto para os funcionários como sobretudo para os usuários”. Segundo o texto da lei, o fundo é gerido pela Secretaria de Agricultura e Abastecimento, sendo o Secretário o responsável pela aplicação dos valores, bem como pela correta interlocução junto ao grupo gestor do Restaurante Popular. Os recursos têm como fonte contribuições do setor público e privado, de pessoas físicas e jurídicas, além do montante referente a 2% de cada refeição oferecida, descontado o subsídio oferecido à empresa gestora do empreendimento. O marco legal proíbe que o fundo seja utilizado para pagamento de pessoal ou despesas do gestor. Para o parlamentar, o funcionamento do fundo é essencial para que o Restaurante e a própria luta pela segurança alimentar continuem caminhando na cidade. “Ações imediatas na estrutura do empreendimento são urgentes. Mas podemos pensar além. Juiz de Fora necessita da operação de mais restaurantes populares, consolidando este tipo de política pública. O fundo pode contribuir neste sentido”, conclui. ]]> 2012-11-08 18:19:56Teste da Orelhinha, dez anos, ouviu?http://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=10834 No próximo sábado, dia 10 de novembro, comemora-se o Dia Nacional de Prevenção e Combate à Surdez. A data busca reforçar os esforços contra doenças que ameaçam a saúde auditiva, uma das deficiências mais comuns na população brasileira. De acordo com a Sociedade Brasileira de Otologia, de cada mil crianças nascidas no país, três a cinco já nascem com deficiência auditiva. Já de acordo com a Organização Mundial da Saúde, mais de 15 milhões de brasileiros têm problemas auditivos. Em Juiz de Fora, a luta pela saúde auditiva ganhou um importante reforço com a Lei do Teste da Orelhinha, originada a partir de Projeto do vereador Flávio Cheker, e que em 2012 completou dez anos de sua promulgação. Atualmente, todas as crianças nascidas na cidade, seja na rede pública, ou particular, passam por este exame, que verifica possíveis problemas auditivos logo após o nascimento. Esta ação preventiva tem contribuído para que milhares de recém nascidos descubram precocemente estas doenças, garantindo tratamento adequado e resolutivo a tempo. De acordo com Cheker, o Poder Público deve investir cada vez mais neste tipo de alternativa, preventiva, de baixo custo, mas com grande impacto sobre a qualidade de vida das pessoas. “É uma medida simples, mas capaz de evitar que um incontável número de pessoas deixe de ter problemas auditivos, garantindo saúde e bem-estar e desonerando o Sistema Único de Saúde. É necessário levar cada vez mais informação sobre este tipo de ação à sociedade. Por isso, datas como a do próximo dia 10 são relevantes” afirma. ]]> 2012-11-05 18:38:10Agora é só o Prefeito assinar!http://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=10820Está perto de ser sancionado o Plano Diretor Cicloviário Integrado, aprovado pela Câmara Municipal no último dia 22. O Projeto de Lei, iniciativa do vereador Flávio Cheker, estabelece as diretrizes para a instalação de todos os equipamentos e infraestrutura necessários para o uso das bicicletas como modal de transporte. O Executivo tem quinze dias úteis para publicar a proposta no Diário Oficial do município. A proposta foi aprovada por unanimidade entre os vereadores. O Plano inspirou-se em iniciativas semelhantes, como a realizada em Porto Alegre, e contou com a participação de inúmeros representantes da sociedade civil, em particular defensores do modal bicicleta e especialistas em mobilidade urbana. Em julho, uma Audiência Pública na Câmara, também convocada pelo vereador Flávio Cheker, discutiu o Projeto de Lei. Na oportunidade, demonstrou-se a plena viabilidade da adoção do transporte cicloviário em Juiz de Fora. Na enquete realizada no site do parlamentar, nova prova do apoio popular às bicicletas. Dos 145 votantes, 142 (ou 98%) disseram acreditar que o transporte cicloviário pode contribuir com a melhoria do trânsito e da qualidade de vida em Juiz de Fora. Para o vereador Flávio Cheker, a aprovação do Plano Diretor Cicloviário marca um momento único para a cidade. Segundo ele, o sucesso premia os esforços de muitos que há anos têm se dedicado em favor deste modal. “Mais que isso, temos agora a oportunidade de lançar bases para, um dia, conseguirmos uma significativa melhoria no trânsito de Juiz de Fora, funcionando de modo mais racional e, em especial, de forma menos poluente, mais sustentável e mais saudável", conclui. ]]> 2012-10-29 17:07:14Economia Solidária: debatendo em praça públicahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=10831O vereador Flávio Cheker participou na tarde desta quarta de mais uma edição do Pós-TV, promovido pelo Coletivo Sem Paredes. O evento utilizou-se do Largo do Riachuelo, onde ocorrida uma feira de produtores de economia solidária, para debater "a cidade que queremos". Cheker falou sobre esta modalidade de produção, enfatizando sua capacidade de gerar renda de modo cooperativo, com benefícios para diversos setores da sociedade. O parlamentar cobrou ainda que a cidade, ainda mais neste período de segundo turno eleitoral, possa dedicar-se mais ao debate sobre o uso de seus espaços públicos em favor de si própria, como ocorreu naquele evento. ]]> 2012-10-10 19:00:53Feira de Troca de Livros: novo sucessohttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=10760Mais de 600 visitantes e mais de 350 livros trocados, em um dia de sol, cultura e compartilhamento. Este é o saldo da segunda edição da Feira de Troca de Livros, que ocorreu no último domingo. O evento ainda contou com diversas oficinas, contação de histórias, rodas de conversa com escritores, entre outras atividades. A Feira de Troca de Livros teve início a partir de Projeto de Lei do vereador Flávio Cheker, aprovado no ano passado, e inspirado em proposta similar de Porto Alegre (RS). O evento busca oferecer um espaço onde os amantes da leitura -- e principalmente aqueles que ainda não o são!-- têm a oportunidade de trocar seus livros já lidos, obtendo novas edições e fazendo circular as obras. Diversas bancas foram montados, de acordo com temas e públicos, permitindo aos leitores procurar os itens de seu interesse. O vereador Flávio Cheker alegrou-se com o novo êxito da Feira. Segundo ele, com um pouco mais de investimento, ela tem potencial para se tornar um dos mais importantes eventos culturais da cidade. “Mesmo com a pequena divulgação e com a atribulação do período atual, muitas pessoas voltaram à Feira, levaram novos livros para a troca, a presença da família e das mais diversas tribos foi, mais uma vez, uma constante. Só há motivos para comemorar”, conclui. Leia também Está provado! Desafiando a gravidade, os livros voam! ]]> 2012-10-03 11:30:43Lei de Cheker, 2ª Feira de Troca de Livros ocorre neste domingohttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=10725Uma experiência única de convívio, cidadania e compartilhamento de conhecimento. Juiz de Fora realiza no próximo domingo a segunda edição da Feira de Troca de Livros. O evento tem origem a partir de Lei do vereador Flávio Cheker, e busca oferecer uma oportunidade onde os amantes dos livros possam se encontrar, trocar exemplares e, sobretudo, exercitar esta saudável e prazerosa atividade. A Feira acontece na Praça Antônio Carlos, entre 9 e 17h. Além dos stands de livrarias e espaços para a troca de livros, o encontro ainda contará com contação de história, piquenique literário, encontro com autor e café com poesia. De acordo com o vereador Flávio Cheker, a expectativa é de que, apesar de mais uma vez pouco divulgado pela Prefeitura, o evento seja um grande sucesso. “Há uma tradição literária muito forte na cidade. E parece que isso se manifesta também no gosto pelos livros. A Feira é uma grande oportunidade para reunir pessoas e celebrar esta paixão, contribuindo para que ela seja ainda mais compartilhada. Estou certo que o evento mais uma vez alcançará seu objetivo”. ]]> 2012-09-28 17:30:41Segunda edição da Feira de Troca de Livros ocorre neste domingohttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=10697Fruto de Lei de autoria do vereador Flávio Cheker, ocorre neste domingo a II Feira de Troca de Livros, na Praça Antônio Carlos. O evento reúne colecionadores e afixionados por livros, além de livrarias e editores. Quem tiver livros em casa e quiser trocá-los por outros, basta levar e trocar. Mais uma vez, o evento foi pouco divulgado pelo Executivo. Por isso, contamos com a ajuda de todas e todos na divulgação do evento! Para conhecer a lei da Feira de Troca de Livros, clique aqui Para saber como foi a I edição da Feira de Troca de Livros, clique aqui ]]> 2012-09-26 19:22:05Ações do Vereador Flávio Cheker recebem destaque na mídiahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=10645A atuação do vereador Flávio Cheker recebeu grande destaque na imprensa de Juiz de Fora nesta quinta (20). Os veículos de comunicação da cidade noticiaram duas importantes ações lideradas pelo parlamentar, que mantém-se ativo mesmo durante o período eleitoral. A Audiência Pública que debateu possíveis intervenções no trânsito dos bairros Alto dos Passos e São Mateus (com modificações significativas sobre a praça Jarbas de Lery Santos) foi um dos principais temas dos noticiários do dia. Tribuna de Minas, Ter Notícias e Diário Regional, além do site Acessa.com, destacaram a ampla mobilização em torno do encontro, em especial de moradores das regiões afetadas. O vereador Flávio Cheker, proponente do encontro, enfatizou que o debate surgiu a partir de demanda da própria população, e que visava corrigir a falta de transparência e abertura do Executivo ao tocar obras como estas. A imprensa também divulgou a aprovação, em segunda votação, do Projeto de Lei do vereador Flávio Cheker que declara o Café Galeria como bem de utilidade pública para fins de tombamento como Patrimônio Cultural. O espaço, situado à Galeria Pio X e em funcionamento há mais de 50 anos, constitui-se como um dos últimos cafés de galeria da cidade, sendo ponto de encontro de diversas turmas e grupos há muitos anos. A proposta deve receber aprovação definitiva ainda nesta quinta. Já o colunista César Romero ressalta a homenagem prestada pelo vereador Flávio Cheker ao jornalista e crítico de artes plásticas e cinema Décio Lopes, importante referência da cultura em Juiz de Fora. Falecido em janeiro deste ano, Décio empresta o nome para praça no bairro Santos Dumont. De acordo com Cheker, a convergência entre mandato e período eleitoral cria uma situação dúbia, onde coexistem candidato e parlamentar. Isso, contudo, não pode permitir que o trabalho como vereador seja interrompido. “Nosso primeiro compromisso é com a população e com o exercício do mandato. Por isso mesmo, continuar nossas atividades parlamentares é uma de nossas prioridades, daí nossa alegria em ver o trabalho sendo reconhecido”, afirma. ]]> 2012-09-20 19:26:45Audiência Pública: governar sem ouvir o povo não dáhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=10632Um apelo pela preservação da Praça Jarbas de Lery Santos e pela valorização dos espaços públicos de convívio. E também um clamor de moradores e comerciantes do Alto dos Passos para que não haja a implantação do "binário" planejado pela Prefeitura para a região, sobretudo para a Rua Belmiro Braga. Este é o saldo da Audiência Pública realizada nesta quarta (19), e que discutiu possíveis intervenções na praça do São Mateus para modificações no trânsito da área. O evento foi convocado pelo vereador Flávio Cheker e contou com ampla mobilização dos moradores da região e de outros bairros, como o Alto dos Passos, bem como de estudantes de cursos de Arquitetura e Urbanismo e representantes de entidades. Abrindo a Audiência, o vereador Flávio Cheker ressaltou que o encontro tinha por objetivo proporcionar uma verdadeira discussão sobre o tema, fazendo valer o princípio da participação popular – expresso inclusive no próprio Estatuto das Cidades, que especifica que toda ação de intervenção urbana deve ser precedido pelo debate público. Ele lembrou que o encontro nasceu a partir de contato realizado a partir de uma moradora, que havia sido convocada pelo Executivo para uma reunião para discutir a intervenção e que se assustou com a proposta. Cheker lembrou que, a seu ver, o projeto é um equívoco duplo. Primeiramente, a proposta é um erro técnico, porque não resolve o problema do trânsito da região e da cidade. Para além disso, trata-se de um erro também do ponto de vista humanista, porque retira o direito das pessoas ao convívio proporcionado pela praça, pelo espaço público. Presente ao encontro, o secretário de Transporte e Trânsito afirmou que não existiria uma proposta final de modificação na praça, apenas “um esboço inicial de projeto”, no qual as obras apenas margeariam a praça de São Mateus, interferindo muito pouco sobre esta. A posição foi contestada por Cheker, que questionou a ambigüidade da fala do representante do Executivo. “A esta altura, não se pode aceitar que a Prefeitura deixe dúvidas sobre a proporção das obras. Mais do que isso, se há um projeto inicial, este deve explicitar que não haverá interferências na praça”. A professora da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da UFJF, Raquel Dias Vieira, contrapôs-se à afirmação do representante do Executivo. Segundo ela, o projeto apresentado prevê sim grande intervenção sobre a praça de São Mateus, modificando-a amplamente. Além disso, ela afirmou que a Prefeitura não realizou qualquer tipo de ação voltada para os pedestres, não possuindo qualquer dado estatístico sobre isso. Já o professor Mauro Campello, da mesma instituição, ressaltou que obras como a que se pretende realizar em São Mateus não melhoram em nada o fluxo do tráfego. Segundo ele, é preciso que se realizem propostas de longo prazo, que pensem a cidade de modo amplo e, em particular, valorizem aqueles que se deslocam à pé. Encerrando a Audiência Pública, o vereador Flávio Cheker ressaltou que o Executivo não deixou claro que tipo de intervenção haverá na praça. Pelo contrário, preferiu-se manter a ambigüidade, a dúvida. Para ele, este é um governo que não possui política de trânsito e em nenhum momento priorizou os pedestres, valendo-se de “soluções técnicas” para valorizar outros interesses. De acordo com o parlamentar, esta reunião demonstra como a raiz de todos os problemas é a falta de diálogo e participação popular. Mas espera que após este encontro tenha ficado claro que a cidade quer não apenas a manutenção da praça, mas também projetos estruturantes. “Ou o Poder Público acolhe este forte clamor da população, ou então ele não merece estar no lugar que ocupa”, concluiu. ]]> 2012-09-19 20:35:02E se acabam com nossas praças, para que servirão as ruas?http://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=10593A possibilidade de desfiguração da Praça Jarbas de Lery Santos, no bairro São Mateus, para alterações no sistema viário, motivam requerimento de Audiência Pública apresentado pelo vereador Flávio Cheker. De acordo com o parlamentar, a reunião busca instituir um espaço de debate entre Prefeitura e a população, que corre o risco de não ser ouvida sobre as obras e quanto aos impactos sobre a região, e pior, pode acordar algum dia e ver que sua pracinha virou rua. De acordo com Cheker, há informações desencontradas sobre obras na praça. Não há um posicionamento oficial de parte do Executivo sobre quando elas serão feitas, nem sobre que tipos de modificações serão realizadas. “Para além disso, mais uma vez a Prefeitura dá sinais de que planeja ações sem consultar efetivamente a população atingida. É inadmissível que ações deste porte ocorram sem transparência e sem debate de alternativas”, afirma. O vereador alerta ainda para os impactos proporcionados pela obra. Segundo ele, é necessário conhecer o projeto, debater se ele de fato trará resultados positivos para a região, sem prejudicar o bem-estar dos moradores. “É preciso reafirmar que as praças cumprem um papel único para a cidade. São espaços de socialização, convivência e lazer, que melhoram a qualidade de vida da população. Tal relevância, contudo, não tem sido valorizada. Perder a pracinha de São Mateus, ou vê-la encolhida, seria lamentável e um prejuízo para a nossa e as gerações futuras ”, ressalta Cheker. O requerimento convoca para a Audiência Pública o secretário de Transporte e Trânsito da Prefeitura e convida representantes da Sociedade Pró-Melhoramento (SPM) do Bairro São Mateus, o Conselho de Segurança Pública (Consep) do mesmo bairro, além dos moradores da região. O evento ocorre dia 19 de setembro, quarta-feira, às 15horas, na Câmara Municipal e a palavra é livre para os que comparecerem, bastando se inscrever alguns minutos antes do início da Audiência. ]]> 2012-09-17 10:30:58http://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=10571 ]]> 2012-09-12 19:20:50Agora é Lei. Fest Ler: Prefeitura tem que fazer!http://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=10408 O FEST LER está legalmente de volta. A Lei nº 12.645/2012, publicada hoje, assegura sua realização anual. A Câmara derrubou na última quarta veto do Executivo ao Projeto de Lei do vereador Flávio Cheker, que inclui o evento no Calendário Oficial de Eventos do Município. A maioria dos parlamentares discordou dos argumentos do Governo Municipal e decidiu pela retomada do Festival da Leitura de Juiz de Fora. O FEST LER tem por objetivo difundir o livro e a prática da leitura na cidade, mobilizando leitores, livreiros, editoras, estudantes e professores, estes se utilizando do evento para também realizar atualização de sua formação. Ao todo, foram realizadas três edições da feira, a última em 2008, sendo abandonada durante a atual administração. O vereador Flávio Cheker comemora a promulgação da Lei. De acordo com ele, a Lei representa uma grande conquista para os professores e para toda a cidade. “Trata-se de um grande evento, para educadores, estudantes, alunos e livreiros. Mas vai além, à medida que consegue fazer com que toda a sociedade se volte para o tema da leitura, uma das principais portas de libertação e formação do espírito crítico. Todos ganham, sobretudo a cidadania", conclui. ]]> 2012-08-30 13:28:15A gota d'água: se explodir, se ferir, de quem é a culpa?http://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=10377Instalações da Cesama em diferentes estações de tratamento estão seriamente deterioradas, colocando em risco os trabalhadores que ali operam, o próprio sistema de cuidado da água, e mesmo a população do entorno. A denúncia foi feita pelo vereador Flávio Cheker na sessão desta sexta (24), na Câmara Municipal. Tais irregularidades são apontadas em relatório de fiscalização do Ministério do Trabalho e Emprego, entregue ao parlamentar esta semana. A fiscalização tinha por objetivo verificar as condições de trabalho em quatro estações de tratamento de água (ETA), de Dias Tavares, Castelo Branco, Distrito Industrial e São Pedro, além das estações de tratamento de esgoto (ETE) de Barbosa Laje e Barreira do Triunfo. Durante as inspeções, o engenheiro Luiz Carlos dos Santos Cruz, que assina o documento, encontrou as instalações gravemente deterioradas, principalmente quanto ao armazenamento de produtos químicos, como ácido. Em sua conclusão, o fiscal afirma que os locais “apresentam-se com potencial de serem acometidas por acidentes que podem (...) ser classificados como Acidente Industrial Maior com conseqüências danosas para os trabalhadores, o meio ambiente e a coletividade”. Ele ainda exige que medidas de caráter emergencial sejam tomadas pela Cesama. Foram expedidos ao todo quinze autos de infração, que se referem desde deixar de adquirir equipamentos de proteção individual e falta de higienização a más condições de instalações elétricas, falta de segurança para estocagem de produtos tóxicos e armazenamento indevido. A Cesama também foi autuada por deixar de remunerar o exercício do trabalho em condições de insalubridade. O relatório produzido pelo fiscal destaca os diferentes tipos de irregularidades. Na ETA de Dias Tavares, ele chama a atenção para o processo de dosagem das soluções de produtos químicos, algo que se repete em outras estações, a qual define como improvisada e amadora, “não condizente com uma empresa de saneamento do porte da Cesama”. Na ETA do Distrito Industrial, os vasilhames utilizados para armazenar o ácido fluossilício não possuem qualquer sinalização de alerta. Ali também, o material de proteção individual encontra-se empoeirado, com traças e teias de aranha. Já na ETA de São Pedro, o armazenamento de gás cloro está sendo feito de modo inadequado, permitindo danos às ligações e propiciando o vazamento, que “se torna de alto risco para moradores que residem na vizinhança”, conclui o engenheiro. As fotos do relatório impressionam pela deterioração dos equipamentos e grau de risco. Além da denúncia, o vereador Flávio Cheker teve aprovado Pedido de Informação, inquirindo o Executivo sobre se tem ciência deste quadro e quais medidas corretivas planeja. Para o parlamentar, a situação é particularmente grave por colocar sobre risco o meio ambiente e a segurança dos trabalhadores e comunidades próximas. “O pior é perceber, como nos atestou o engenheiro responsável pela fiscalização, que a correção deste quadro é de baixo custo, podendo ser feita a qualquer momento pela Cesama e Prefeitura. Diante disso, é intolerável encontrar a empresa nestas condições”, conclui. ]]> 2012-08-24 16:55:12Imprensa dá seguimento a denúncia ambiental de Chekerhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=10353As ações iniciadas pelo vereador Flávio Cheker quanto a um bota-fora no bairro Cidade do Sol ganharam as páginas de uma das principais publicações da cidade. Pedido de Informação e Requerimento apresentados pelo parlamentar em 17 de agosto inquiriam sobre a adequação do referido local para o recebimento de resíduos da construção civil, frente à possibilidade de contaminação do lençol freático existente ali. Nesta quarta, a Tribuna de Minas destaca que o espaço está sendo utilizado para vários tipos de despejos. O vereador Flávio Cheker ressalta que este tipo de irregularidade traz inúmeros problemas. Segundo ele, a população tem reclamado do intenso tráfego de caminhões na região, que tem proporcionado muita poeira no local além de provocar rachaduras nas casas. “No entanto, o que mais preocupa é a contaminação do lençol freático, uma grave violação ambiental que deve ser evitada a todo custo”. Cheker ainda protesta contra a ausência de fiscalização no local. O vereador destaca que trata-se de um espaço cedido pela Prefeitura, e que esta tem o dever de garantir sua correta utilização. “Infelizmente, esta falha colocou sobre risco a população do bairro e pode ter levado à contaminação do córrego que ali passa. Trata-se de algo que não pode ocorrer, já que a recuperação é extremamente difícil”, conclui. ]]> 2012-08-22 20:10:55Fica Vivo, viva feliz: os jovens merecem mais que só a nossa atençãohttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=10341Em Representação enviada ao Governo Estadual, o vereador Flávio Cheker requer a implantação do Programa de Segurança Fica Vivo em Juiz de Fora. O pedido é uma demanda do Fórum Permanente de Direitos Humanos (Fórum-DH). De acordo com a entidade, a medida é uma das respostas necessárias para se diminuir os índices de violência na cidade, principalmente aqueles relacionados à juventude. O Programa Fica Vivo foi criado em 2003 e busca combinar ações de intervenção estratégica e oficinas de treinamento para os jovens de localidades violentas, discutindo particularmente o tema da prevenção à criminalidade. A proposta combina ações do Governo do Estado, Polícias Federal, Militar e Civil, além do Poder Judiciário, Ministério Público e Universidade Federal de Minas Gerais. Doze municípios de Minas Gerais já contam com o programa. De acordo com o vereador Flávio Cheker, o atual quadro da criminalidade de Juiz de Fora, bem como a importância da cidade no estado, fazem com que o Fica Vivo deva ser implantado, urgentemente, aqui também. “Há um quadro inegável e crescente de violência em Juiz de Fora. Diversos bairros são marcados por conflito de gangues, especialmente relacionados ao tráfico de drogas. E as principais vítimas desta realidade são os jovens, ora aliciados pelo crime organizado, ora impedidos de estudar e viver com tranquilidade junto às suas famílias. Na ausência de outras políticas mais específicas, a implantação do Fica Vivo daria uma contribuição importantíssima para modificar tal situação”, explica Cheker. ]]> 2012-08-20 19:15:51Arlindo, o Trevo, Daibert, o Artistahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=10286Em 1998, a interseção que liga a BR-040 com a avenida Deusdeth Salgado, popularmente conhecida como “Trevo do Salvaterra”, passou a se chamar Trevo Arlindo Daibert. Isto se deu a partir de Projeto de Lei do vereador Flávio Cheker, que buscou homenagear o grande artista plástico juiz-forano, internacionalmente conhecido por suas obras inspiradas no regionalismo brasileiro. No entanto, mais de catorze anos depois, pouquíssimas pessoas da cidade conhecem esta denominação. Visando corrigir isto e valorizar o espaço, e a partir de uma visita e sugestão da irmã do artista, Eveline Daibert -- que lembra que, este ano, Arlindo completaria 60 anos, e no ano que vem, completam-se 20 anos de sua morte-- , o vereador Flávio Cheker apresentou na sessão plenária da manhã de hoje Pedido de Informação ao Executivo. No mesmo, o parlamentar inquire sobre se há intenção da Prefeitura em efetivar ações para dar ciência à população sobre o nome correto do Trevo. Ele ainda pergunta se há projetos para a colocação de um marco alusivo ao homenageado no local e, em caso negativo, se há possibilidade de se pensar conjuntamente nesta proposta, incluindo instituições parceiras para a elaboração do mesmo. Cheker pensa sobretudo na UFJF, onde Arlindo foi professor. De acordo com o vereador Flávio Cheker, a medida vai além da mera divulgação do nome correto do logradouro público. “Vemos na proposta uma forma de se melhorar o "rosto" da urbe, que ganha proporções mais significativas nesse caso, à medida que se trata da principal entrada da cidade, nosso ‘cartão de visita’ para aqueles que aqui chegam. Mais do que isso, trata-se de um meio de fortalecer nossa identidade com Juiz de Fora, agora através da preservação da memória e legado deste importante juiz-forano”. Eveline Daibert diz que a medida é uma forma de a cidade conhecer e fazer jus ao trabalho feito por ele. “Trata-se de algo para retomar esta memória, mas queremos ir além, inclusive propondo um concurso para eleger uma obra em homenagem a ele no trevo”. Arlindo Daibert foi um dos artistas mais significativos da arte contemporânea brasileira. Nasceu em Juiz de Fora, em 1952. Apesar de formado em Letras, destacou-se como artista plástico e ilustrador, trabalhando em obras como Macunaíma (Mário de Andrade) e Alice no País das Maravilhas (Lewis Carroll). Foi ainda parceiro da obra de Guimarães Rosa. Participou de diversas exposições coletivas e recebeu inúmeros prêmios. Em 1974, ganhou o prêmio Ambassade de France, projetando seu nome internacionalmente. Faleceu em 1993, em São Paulo, com apenas 41 anos de idade. ]]> 2012-08-17 11:30:24Restaurante Popular em funcionamento: é preciso sonhar, com a condição de crer no sonho. Sempre.http://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=10180Finalmente! Após mais de sete anos de espera, o Restaurante Popular de Juiz de Fora foi inaugurado. A luta pela concretização do empreendimento foi uma das principais frentes de atuação do vereador Flávio Cheker. Durante todo o período, o parlamentar liderou ações pela retomada e conclusão do projeto, realizando ainda vistorias periódicas ao canteiro de obras, junto com outros integrantes do Conselho Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional (Comsea). Para Cheker, o saldo de todo o processo é positivo. “Este feito só foi possível a partir da mobilização da sociedade, que se organizou e pressionou o Executivo para que não abandonasse o empreendimento e realizasse a conclusão do Restaurante. Agora, a população que mais precisa tem à sua disposição um instrumento essencial de segurança alimentar: um lugar para realizar refeições de qualidade e a custo reduzido". Leia também Restaurante popular: segurança a alimentar Novos atrasos na conclusão do Restaurante Popular Apesar da conclusão do empreendimento, Cheker ressalta que o processo foi marcado por inúmeros problemas. “O fato é que o Restaurante Popular poderia estar pronto há muito tempo. Infelizmente, a atual administração não assumiu a segurança alimentar como prioridade. Por isso mesmo, a obra sofreu várias interrupções, seja por falta de planejamento, seja por erros de realização”, destaca o parlamentar. Cheker ainda ressalta que o Restaurante Popular passa a operar em Juiz de Fora sem contemplar outras políticas de segurança alimentar a ele associadas. De acordo com o modelo de funcionamento escolhido pela atual administração, o empreendimento opera sem priorizar a produção local, seja aquela oriunda da agricultura familiar da cidade ou do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA, que estabelece compra direta de produtores agrícolas do município). O vereador lamenta também a não construção do Banco de Alimentos, que recolhe junto a supermercados, quitandas e feirantes alimentos consumíveis mas sem condição de comercialização, distribuindo-os para outros instituições – como o próprio Restaurante Popular e instituições beneficentes. Leia também Ministério do Desenvolvimento Social realiza inspeção em RP Novos atrasos nas obras do Restaurante Popular A construção do Restaurante Popular de Juiz de Fora teve início ainda em 2005, com a compra do terreno situado na Rua Halfeld pela administração anterior. Devido a inúmeros problemas a obra ficou parada. A mudança na administração municipal não modificou o quadro. O novo prefeito, Custódio Mattos, em reunião com membros do Comsea, solicitada pelo vereador Flávio Cheker, afirmou que não daria continuidade ao projeto e que pretendia dispor do espaço, investindo os recursos na aquisição de cestas básicas. Mais do que a não realização da proposta, isto significaria o desperdício de mais de R$ 1 milhão liberados pelo Governo Federal. Frente a isso, o Comsea e diversas outras entidades organizaram-se para pressionar o Executivo pela retomada do projeto. As mobilizações tiveram seu ápice em Audiência Pública convocada pelo vereador Flávio Cheker e realizada na Câmara em junho de 2009. O encontro contou com a participação de representantes do Ministério do Desenvolvimento Social, que manifestaram intenção em liberar mais recursos para a conclusão das obras. Também gestores de Restaurantes Populares de outras cidades do país mostraram ser viável o subsídio das Prefeituras para que a refeição fosse servida a baixo preço. Diante disso e da pressão da sociedade, a administração Custódio Mattos admite levar a frente a proposta. Leia também Audiência Pública mostra desejo social pelo Restaurante Popular Mobilização pelo Restaurante Popular é intensificada Com o novo aporte de recursos, as obras tiveram continuidade, com previsão de conclusão para março de 2011. Mais uma vez, as atividades foram marcadas por inúmeros problemas de construção e planejamento. Em todo esse tempo o Executivo passa a excluir o Comsea dos debates sobre a gestão do empreendimento, que culminaram na adoção de um modelo de terceirização completa, ao contrário do que é realizado na maioria dos Restaurantes Populares do país. E somente após nova mobilização social, a Prefeitura anuncia de fato a intenção de subsidiar parte do valor da refeição, diminuindo os custos para os usuários. “Apesar das inúmeras dificuldades que tivemos neste período, hoje temos o Restaurante Popular. É uma vitória, uma conquista! Isto deve dar ânimo a todos nós. Não apenas porque conseguimos beneficiar aqueles que viviam em situação de insegurança alimentar, mas principalmente para que possamos levar a frente novas lutas, como pela inclusão da sociedade na gestão do mesmo, pelo controle social e pela construção do Banco de Alimentos de Juiz de Fora, bem como a adoção plena do Sistema Municipal de Segurança Alimentar", conclui o vereador. Leia também Restaurante Popular começa a funcionar em março Urgente: Prefeitura pode abandonar Banco de Alimentos ]]> 2012-08-03 18:04:08Amsterdã, Juiz de Fora e Rio Novo têm algo em comum?http://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=10156• Há lei em Juiz de Fora, que defina o que seja bicicletário, ciclorrota, faixa compartilhada? • Há integração entre ciclovias e transporte público? • O Projeto de Lei em tramitação na Câmara obriga o Poder Público a incluir em seu planejamento, e nas programações de obras, o modal bicicleta? • Para o órgão responsável, o ciclista é um estorvo? • Há interesse das empresas em abrir espaço para o modal bicicleta? • O Ministério das Cidades apóia a adoção de Planos Diretores Cicloviários nos municípios? • O tema Modal Bicicleta entra na pauta da cidade em definitivo a partir de agora? Veja resposta a essas e outras perguntas nas considerações finais do vereador Flávio Cheker na Audiência Pública que, por sua iniciativa, debateu a implantação de um Plano Diretor Cicloviário para Juiz de Fora. O encontro contou com a participação de especialistas em mobilidade urbana, além de muitos e diversos apoiadores do movimento ciclista. Em todas as falas, ficou patente o quanto este tipo de ação tem a contribuir com o trânsito da cidade, trazendo ainda inúmeros benefícios para o meio ambiente e a saúde de cidadãs e cidadãos. Para o vereador Flávio Cheker, o Executivo tem todas as condições para investir neste modal de transporte, mas isso não foi uma prioridade em nenhum momento, até agora. Pelo contrário, o ciclista continua sendo visto como um empecilho para o trânsito, percepção que tem que mudar. Para assistir o vídeo, clique aqui. ]]> 2012-07-26 17:17:45Lei Murilo Mendes: não basta o sopro do ventohttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=10149Reconhecida amplamente como uma das mais importantes políticas culturais da cidade, a Lei Murilo Mendes tem permitido a diversos artistas locais concretizarem suas obras, seja pelo lançamento de livros, CDs, realização de exposições e encenações teatrais, além de várias outras realizações, como montagem de bibliotecas públicas e etc. Apesar de efetiva --embora sempre necessitando de aperfeiçoamentos-- , tal política encontra um obstáculo: os projetos contemplados em determinado ano freqüentemente têm acesso aos recursos somente ao longo de meses, às vezes passando para o ano seguinte, criando dificuldades imensas aos artistas e produtores culturais. O novo Projeto de Lei do vereador Flávio Cheker procura corrigir esta limitação. A proposta inclui parágrafo em um dos artigos da Lei, especificando que a liberação dos recursos “será feita obrigatoriamente no mesmo exercício financeiro em que foi feito o anúncio dos projetos relacionados”. De acordo com o vereador, a emenda atende aos anseios da classe artística da cidade, que necessita de maior agilidade para realizar --e divulgar-- seu trabalho. “Desta forma, podemos possibilitar melhores condições para que os artistas executem suas obras. Mas não apenas isso. O projeto cria condições para uma fiscalização da aplicação dos recursos de forma mais efetiva, posto que em único exercício”, afirma o parlamentar. Cheker enfatiza, na Justificativa ao Projeto de Lei, que "A Lei Murilo Mendes é, sem dúvida, um dos mais importantes instrumentos de política cultural do município, devendo – como tem acontecido – sempre passar por melhorias aperfeiçoamentos, bem como aumentar os recursos destinados a ela (o que temos feito sobretudo através de emendas parlamentares ao longo dos anos, diga-se de passagem). "Trata-se de assegurar, no presente Projeto de Lei, a liberação dos recursos da Lei Murilo Mendes no mesmo ano do anúncio dos projetos a serem contemplados pela Lei, medida que beneficiará não só os produtores culturais, que terão, assim, melhor condição para a execução de seus projetos, como também ao próprio Executivo Municipal, através da FUNALFA, que terá assim melhor condição de fiscalização da correta aplicação dos recursos disponibilizados". ]]> 2012-07-18 19:34:17Modal bicicleta: sociedade mostra os caminhos para o Poder Públicohttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=10136O ciclismo em Juiz de Fora deu nova prova de força e organização. Em Audiência Pública nesta quarta (11), ciclistas e apoiadores do movimento manifestaram a importância e a urgência de se pensar a cidade incluindo a mobilidade por meio de bicicletas como uma alternativa viável de transporte. O evento foi proposto pelo vereador Flávio Cheker, e buscou discutir Projeto de Lei do parlamentar que cria o Plano Diretor Cicloviário Integrado. Durante a abertura da Audiência, Cheker destacou a urgência deste tipo de proposta. Diante do trânsito caótico e da falta de investimento em transportes públicos, a mobilidade por bicicleta torna-se a melhor alternativa, em particular por ser simultaneamente sustentável e saudável. Lembrou que milhões de pessoas, em todo o Brasil, já se utilizam da bicicleta em seus deslocamentos diários. O parlamentar referiu-se ainda ao Programa Brasileiro de Mobilidade Urbana, do Governo Dilma, que tem incentivado cidades e estados a construir ciclovias, inclusive com disponibilização de recursos. “Hoje o país pensa a bicicleta como uma possibilidade real de melhoria do tráfego das cidades. Há diferentes iniciativas neste sentido, seja através da construção de ciclovias, seja integrando-as a outros modais. O mais importante é reconhecê-la como uma alternativa efetiva, o que até agora não tem sido feito pela administração municipal”, afirma o parlamentar. Diversos ciclistas tiveram a oportunidade de se manifestar durante o evento. Para Tiago Godoy, é preciso que a cidade invista mais em planejamento, de modo que os ciclistas não tenham que disputar espaço com os carros. Já Mariana Rebelatto destacou que a experiência do ciclismo proporciona uma outra visão sobre a cidade. Segundo ela, há maior proximidade, o que gera maior intimidade. “A gente percebe que a cidade precisa ser realmente de todos, o que hoje em dia não acontece”. O evento também contou com a participação de especialistas no tema. De acordo com o professor José Alberto Castañon, um estudo recente demonstrou que a ausência de infraestrutura, estacionamento e segurança é o grande empecilho para que mais pessoas façam uso da bicicleta como meio de transporte. Já o gestor ambiental Ugo Nogueira ressalta que há grande demanda reprimida de espaços específicos para ciclistas na cidade. Em toda Juiz de Fora, há apenas 2,2 km de ciclovias. Diversos outros oradores e oradoras se manifestaram, com importantes contribuições. Muitos falaram do uso da bicicleta como meio de transporte para o trabalho, mostrando que, mesmo com a falta de investimentos públicos, a bicicleta é também essencial para permitir uma melhoria no orçamento familiar. Outro segmento que fez bradar bem alto sua voz foram os cadeirantes, que estiveram presentes em grande número. Nunca o Palácio Barbosa Lima, sede do Legislativo, recebera tantos de uma só vez. Os relatos mostraram que os usuários de cadeiras de rodas sofrem as muitas limitações e inseguranças vivenciadas pelos ciclistas. Ao encerrar a Audiência, Cheker cobrou uma nova postura do Executivo Municipal sobre o tema. “É preciso virar a página na forma como se pensa o transporte público em Juiz de Fora. Não se pode mais pensar no ciclista como um "estorvo", nem no modal bicicleta como um ‘problema’, como faz hoje a Prefeitura”. O parlamentar lembrou ainda que nas reformas das avenidas Rio Branco e Costa e Silva, em nenhum momento se pensou na inclusão das ciclovias, ou mesmo na integração com outros modais. "Este é um movimento irreversível. O modal bicicleta entrou na pauta da cidade para não mais sair. É daqui para frente", disse. ]]> 2012-07-12 15:48:24É quarta, dia 11, 15h, pra fazer acontecer!http://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=10127Ciclistas e apoiadores do movimento se preparam para, em Audiência Pública na próxima quarta (11), a partir das 15h, debater e demonstrar seu apoio ao Plano Diretor Cicloviário Integrado, Projeto de Lei proposto pelo vereador Flávio Cheker. Nos últimos dois meses, muitas pessoas, de diferentes espaços da cidade, têm se reunido para discutir a proposta e encontrar formas de levar este debate para o restante da sociedade. “O uso de formas alternativas de transporte é uma necessidade que se impõe. Há um consenso de que o trânsito não comporta o atual volume de veículos, e de que isto tem trazido grandes prejuízos para todos. Por isso a sociedade tem se unido em torno do transporte cicloviário. Queremos, nesta Audiência, demonstrar como Juiz de Fora necessita e tem condições de possuir um sistema cicloviário eficiente, capaz de solucionar vários problemas da cidade”, afirma Cheker. De acordo com especialistas em trânsito de Juiz de Fora, é grande o número de pessoas que se utilizam de bicicletas para fazer o deslocamento de casa até o trabalho. Elas são favorecidas pelo fato de que parte significativa da cidade ser plana, em particular no eixo Zona Norte/Centro – ainda que a existência de elevações no terreno não inviabilizem o transporte cicloviário. Além disso, diversas empresas locais têm incentivado seus funcionários a fazer uso deste modal. “Nesta Audiência, queremos demonstrar a toda sociedade, e em especial ao Executivo, que o ciclista não deve ter visto como um obstáculo ao trânsito. Muito pelo contrário, ele contribui com a eficiência do mesmo. Assim, aprovar o Plano Diretor Cicloviário é dar pedaladas à frente, promovendo um sistema viário mais eficiente para Juiz de Fora, garantindo mais segurança para quem faz uso das bicicletas, e incentivando e permitindo seu uso ”, ressalta o parlamentar. A Audiência busca também ser espaço para que os próprios ciclistas possam dar testemunho de sua experiência, ressaltando como é possível utilizar este meio de transporte para deslocamentos entre casa e trabalho, e para o lazer saudável. Estão convocados para o evento os secretários de Transporte e Trânsito, de Planejamento e Desenvolvimento Econômico, e de Esporte e Lazer. Também estão convidados o Conselho Municipal de Esporte, associações esportivas, empresários do setor e ciclistas em geral. Você também pode demonstrar seu apoio ao Plano Diretor Cicloviário. Já está no ar, aqui no nosso site, nova enquete que pergunta: “Você acredita que o transporte cicloviário pode contribuir com a melhoria do trânsito e da qualidade de vida em Juiz de Fora?” Dê sua opinião e participe da Audiência Pública! ]]> 2012-07-06 16:01:01Participe da Audiência Pública sobre o Plano Diretor Cicloviário Integradohttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=10120 ]]> 2012-07-05 12:24:37Deficientes visuais: Legislação em braile é agora realidadehttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=10115Toda a legislação municipal que trata da acessibilidade de portadores de deficiência visual agora conta com cópias traduzidas para o sistema Braile. A medida foi tomada a partir de solicitação do vereador Flávio Cheker, presidente da Comissão de Direitos Humanos e Cidadania, ao Centro de Atenção ao Cidadão (CAC) da Câmara Municipal, que realizou a conversão. “Trata-se de uma medida inicial, de garantia mínima de direitos. É inconcebível que nem ao menos a legislação referente aos próprios deficientes esteja traduzida para sua linguagem. No entanto, já é tempo de começarmos a pensar na tradução de todas as leis municipais para esta parcela da população”, afirma Cheker. A tradução de todo ato normativo referente à acessibilidade de portadores de deficiência visual já estava prevista pela lei n.° 10.187/02. No entanto, não havia sido cumprida até a solicitação do parlamentar ao CAC. Em fevereiro, a Associação de Defesa dos Direitos Humanos e Cidadania procurou a Câmara, requisitando o cumprimento da legislação. “A atenção e a iniciativa da sociedade civil foram determinantes neste caso. É essencial que cidadãs e cidadãos estejam atentos aos seus direitos. Como vereador, é nosso dever representar e concretizar estas atitudes. Desta forma, temos maiores condições de oferecer melhorias para Juiz de Fora e sua população, sobretudo suas parcelas mais frágeis”, conclui Cheker. ]]> 2012-07-04 17:33:49Manhã de sol, manhã de trabalho, manhã de busca do interesse públicohttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=10108Uma possível nova irregularidade em propaganda da Prefeitura de Juiz de Fora motiva Pedido de Informação do vereador Flávio Cheker. O parlamentar inquire o Executivo sobre os motivos que levaram à retirada da placa com informações sobre a obra do Restaurante Popular, e subseqüente afixação de cartazes com os dizeres “Obra da Prefeitura” nos tapumes que protegem a entrada do espaço. De acordo com a Lei n.° 8341, de autoria de Cheker, toda obra realizada pela Prefeitura deve ser acompanhada de uma placa informativa, na qual devem constar dados como fontes dos recursos, empresa contratada, data de início e de conclusão das atividades, e tipo e finalidade da obra. Nenhum destes requisitos é cumprido nos cartazes recentemente afixados. “Às vésperas do período eleitoral, é contraditório -- e grave-- ver o descumprimento de uma lei municipal, numa ação que beneficia de modo irregular a Prefeitura. Não podemos tolerar este vale-tudo, ainda mais possivelmente financiado com recursos públicos. Como vereador, é nosso dever garantir que o interesse público seja preservado , e a legislação cumprida”, diz Cheker. Expediente anterior do parlamentar já inquiria o Executivo sobre o descumprimento da Lei n.° 8341. Em fevereiro, Cheker requisitava que a Prefeitura informasse sobre a localização da placa referente às obras da avenida Barão de Rio Branco. A resposta só chegaria meses depois. Ainda assim, o painel instalado omite informações necessárias, como a procedência dos recursos e data de conclusão das atividades. EJA A manhã desta terça foi de luta pela preservação do Ensino para Jovens e Adultos (EJA). O vereador Flávio Cheker esteve reunido com a Secretária de Educação do município, Eleuza Barbosa. O parlamentar argumentou sobre a importância desta modalidade de educação, e dos prejuízos para o público-alvo e para os docentes que seriam causados com sua interrupção. A Secretária comprometeu-se a não modificar as turmas antes que as matrículas para o próximo semestre estejam concluídas, em agosto. “A Educação de Jovens e Adultos cumpre hoje um papel de extrema relevância, ao garantir que jovens e adultos que perderam a escolaridade formal no tempo próprio possam concluir sua educação básica. Isto qualifica a buscar uma melhor situação no mercado de trabalho, além de contribuir para sua vida como cidadãs e cidadãos. Além disso, são muitos os professores envolvidos nesse processo e que serão diretamente afetados. Não vamos medir esforços para buscar a manutenção destas turmas”, conclui o parlamentar. ]]> 2012-07-03 20:44:18Encontro em preparação para Audiência Pública - Plano Diretor Cicloviáriohttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=10089 ]]> 2012-06-28 11:04:29Junho. 1980. Democracia, onde você andava?http://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=10100O Brasil tem dado passos importantes para trazer à luz parte significativa de sua História. Com a Comissão da Verdade, o país tem a chance de – a exemplo do que já fizeram diversas nações pelo mundo, como Argentina e Uruguai – restabelecer a verdade para milhares de cidadãs e cidadãos que sofreram com o desmando de governos autoritários. Finalmente, documentos e informações sobre prisões, desaparecimentos e mortes de militantes e ativistas políticos poderão se tornar públicos, explicando como estes regimes agiam e ratificando a relevância da democracia. O vereador Flávio Cheker é testemunha deste processo. Em junho de 1980, ele era "procurado", junto com outros estudantes e mais pessoas, durante visita do então presidente da República, general João Baptista Figueiredo, à Juiz de Fora. Cheker, 21 anos, era então coordenador geral do DCE (Diretório Central dos Estudantes) da UFJF (Universidade Federal de Juiz de Fora), e presumivelmente seria detido para averiguações. Cheker estava dando aula e deixou a sala onde lecionava minutos antes da chegada dos policiais. Outras lideranças foram presas e soltas logo após o presidente deixar a cidade. Este episódio está registrado no livro Minas no Senado, a partir de discurso proferido pelo então senador Itamar Franco naquele mesmo dia. Itamar fala como representante de Minas e de Juiz de Fora para protestar contra aquelas prisões, ressaltando que este tipo de atitude contrariava o processo gradual de redemocratização, que o país então vivia. “O que estranhamos (...) quando se fala na normalidade democrática deste país, na busca da normalidade democrática, é que pessoas sejam detidas sem o devido mandado”, disse então o futuro presidente da República. Para o vereador Flávio Cheker, a memória desta data deve servir de reflexão para o período que vivemos. “Mirando o passado histórico, evidencia-se a importância da democracia para o país. E isso se torna mais forte à medida que a verdade sobre os fatos vem à tona. A Comissão da Verdade – seja a nacional, seja a municipal, que buscamos instituir – é mais uma ferramenta para cumprir esta dupla função: restabelecer a verdade e valorizar a democracia”, conclui o vereador. ]]> 2012-06-27 19:47:15Obras? Não fiz, mas dou aí umas maquetes para vocêshttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=10069A recente instalação de uma estrutura física para a exposição de maquetes e materiais publicitários de projetos do Executivo motiva Pedido de Informação apresentado pelo vereador Flávio Cheker. O expediente questiona a Prefeitura sobre o volume dos gastos na montagem do espaço, localizado no Parque Halfeld, bem como dos custos da produção das miniaturas. De acordo com o parlamentar, o objetivo é tanto questionar a publicidade em si, quanto apurar se o total dos custos é condizente e justificável do ponto de vista do gasto público. “É evidente que o Poder Público tem o direito de dar visibilidade a projetos. No entanto, é preciso verificar se este tipo de ação é realmente necessária, se os valores são compatíveis, se se trata de um investimento efetivamente relevante”. Em fevereiro deste ano, Cheker já havia apresentado Pedido de Informação ao Executivo, questionando sobre onde localizava-se o painel informativo sobre os custos da reforma da avenida Rio Branco, conforme Lei n° 8341, de tanto de 1999, de autoria de Cheker, e que determina a obrigatoriedade de colocação de placas com diversas informações em obras públicas. A resposta só viria dois meses depois, afirmando que o stand encontra-se na mesma via, próximo ao Mergulhão. Contudo, a placa lá afixada omite informações exigidas pela legislação, como o nome da empresa contratada, a data de início e término da obra e a procedência dos recursos. “Quando se trata de recursos públicos, é necessário não só responsabilidade mas em especial transparência. A Prefeitura tem que assumir concretamente esta exigência, para que a população possa fazer o devido juízo sobre se os gastos e investimentos estão feitos de modo correto e apropriado”, conclui o parlamentar. ]]> 2012-06-26 19:08:39Ensino de jovens e adultos: um apelo à sensibilidadehttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=10074Falando ao plenário da Câmara nesta sexta (22), o vereador Flávio Cheker tentou sensibilizar a Prefeitura contra o fechamento de turmas de Ensino para Jovens e Adultos (EJA), com a adoção de salas bisseriadas e multisseriadas. O fato foi confirmado pela Secretaria Municipal de Educação, que comunicou diversas escolas municipais sobre a necessidade de readequação da configuração das turmas e do quadro de professores a partir de agosto. De acordo com o parlamentar, a adoção de turmas bisseriadas ou multisseriadas representa um significativo recuo na qualidade da educação oferecida. “Prejudica o processo pedagógico, dificultando o aprendizado destes estudantes, que perderam a oportunidade de realizar a educação regular. Prejudica ainda os professores e professoras, que veem seu contrato de trabalho alterado unilateralmente, sendo obrigados a buscar a readequação de seu horário, sofrendo prejuízos em sua remuneração e dificilmente obtendo aulas em outras escolas, em outros horários”, afirma. Cheker destacou que não faz sentido que estas alterações se deem às vésperas do segundo semestre, em pleno ano letivo. Ele lembrou que a cidade vive atualmente um processo que pode culminar em mudanças em seu curso político, e deste modo, nas prioridades assumidas pelo Executivo. O vereador propôs que a Câmara tente rever a situação por meio da Comissão de Educação, contando com a mediação dos parlamentares da situação para tanto. Segundo ele, tal medida ainda pode ser revista. “O fato é que não há justificativa para tanto, apenas prejuízos. Convém lembrar que há sim demanda pelo EJA, e a Secretaria deveria estimular o acesso às turmas e não impedi-lo. Apelamos ao Executivo, para que ele se sensibilize e modifique sua posição”. ]]> 2012-06-22 16:26:42Paradas de ônibus: Cheker aciona Ministério Públicohttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=10061Atendendo as contínuas manifestações de diversas categorias de trabalhadores, o vereador Flávio Cheker reuniu-se com o Ministério Público nesta quarta (20), a fim de tentar restabelecer a parada de ônibus intermunicipais e interestaduais dentro do perímetro urbano. Acompanhado do vereador Betão, Cheker explicou aos promotores Plínio Lacerda e Daniel Rangel todo o processo que culminou na proibição, pela ANTT, dos embarques e desembarques fora do Terminal Rodoviário de Juiz de Fora, em 2009. De acordo com o parlamentar, a decisão da Agência se baseou em critérios ambíguos quanto à infra-estrutura destes pontos. Além disso, a posição contraria o Decreto Municipal 9.946/2009, que estabelece as diretrizes sobre o itinerário das linhas interestaduais e intermunicipais no perímetro urbano, definindo quais vias e em que horários tais ônibus podem transitar pela cidade. “Tais pontos são de grande importância para um número significativo de pessoas, como professores e estudantes e diversas outras categorias de trabalhadores, que têm que se deslocar até o estado do Rio de Janeiro diariamente. São pessoas que têm seu direito negado, sofrendo grandes transtornos em seu dia a dia de trabalho, por uma postura de grande insensibilidade da ANTT”, afirma. À época da publicação do Decreto Municipal, a Settra (Secretaria Municipal de Transporte e Trânsito) ratificou que, a partir de estudos realizados, a passagem destes ônibus no centro e na zona sul da cidade não traz nenhum tipo impacto sobre a fluidez do trânsito. O texto do decreto determina que tais paradas devem ser apenas para embarque e desembarque de passageiros com bagagem de mão. Além disso, o Decreto especifica quais pontos podem ser utilizados pelos ônibus. Partindo do Terminal Rodoviário em direção à BR-040, as paradas ocorrem na Praça da Estação e Trevo do Teixeiras, e na volta no mesmo trevo bem como na Avenida Brasil (altura do número 1975). No horário que vai das 20 às 7h, também são permitidas paradas na avenida Itamar Franco, na altura do número 2340 (ponto do antigo Bifão) na ida, além da Praça Jarbas de Lery na volta. Tal horário é o único em que os ônibus que vão para Petrópolis e Rio de Janeiro podem transitar pelo trajeto. Já as linhas para Três Rios e Paraíba do Sul podem trafegar por ali durante todo o dia. A partir da reunião e da orientação dos promotores, Cheker e Betão deverão encaminhar ofícios à ANTT e a Settra, buscando verificar qual é o atual estágio do processo, para depois recorrer novamente ao Ministério Público, tanto o federal como o estadual. “Entendemos que o decreto municipal, que garante tais paradas de ônibus, está sendo desrespeitado pela norma da ANTT. Por isso, vamos recorrer à Justiça para que ela instaure os procedimentos legais cabíveis, para garantir o cumprimento do interesse público”. Leia também: Cheker quer volta das paradas de ônibus interestaduais na cidade Vereadores conseguem reativar pontos de ônibus interestaduais Vereadores voltam a negociar paradas fora da Rodoviária ]]> 2012-06-20 19:29:08Nova edição do Informe-se celebra volta do FEST LERhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=10055A Educação e os professores são o grande destaque da nova edição do Informe-se, informativo do mandato do vereador Flávio Cheker. A publicação ressalta a aprovação do Projeto de Lei do parlamentar que inclui o Fest Ler – Festival da Leitura de Juiz de Fora – no calendário oficial de eventos do município, tornando obrigatória sua realização, uma grande conquista para todo o Magistério e para os amantes dos livros. O Informe-se destaca ainda a luta de Cheker por melhores condições de trabalho para os educadores de Juiz de Fora, sejam da rede municipal ou estadual. O parlamentar está empenhando-se em diferentes frentes, como a dos professores do estado, para que possam continuar a fazer refeições a partir da merenda escolar. Também está acionando o MP pelo restabelecimento das paradas de ônibus interurbanos fora do Terminal Rodoviário, o que beneficiará professores que lecionam em outras cidades. Quer receber o Informe-se em sua casa? Basta enviar um email com seu nome e endereço para o email amigosdoflaviocheker@gmail.com, ou ligar para (32) 3691-4709 e nós enviaremos um exemplar para você. ]]> 2012-06-15 16:23:01A gente precisa ver o luarhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=10022

“Uma vez que existe só para ser visto                   Se a gente não vê, não há”,                diz a canção. Então por que não pôr mãos à obra?

A poluição visual proporcionada por fios e cabos presos a postes em praças, parques e no Centro da cidade pode acabar em breve. Projeto de Lei apresentado pelo vereador Flávio Cheker propõe que estas redes passem exclusivamente de forma subterrânea nestes locais. De acordo com o projeto, a rede de fios e cabos de energia elétrica, telefonia, fibra ótica, TVs a cabo e outros cabeamentos passa a ser constituída por meio de dutos subterrâneos, em vez da tradicional rede área, feita através de postes. Para além de diminuir a poluição visual nestas áreas, tal medida proporciona um aumento na segurança do sistema, principalmente na diminuição de acidentes. “Hoje em dia, tempestades e outras intempéries, ou mesmo acidentes de veículos contra postes, costumam provocar o rompimento destes fios e cabos. Há aí um grande risco de vida para as pessoas. Além disso, os serviços como os de telefonia e Internet acabam prejudicados. As redes subterrâneas são uma alternativa viável para contornar o problema”, afirma o parlamentar. A proposta prevê que o cabeamento subterrâneo deve ocorrer no centro da cidade, parques, praças e ruas densamente arborizadas. A construção dos dutos deverá ser feita a partir da formação de consórcios, de modo que a utilização das valas se dê de modo coletivo. Tal obra deverá ocorrer a partir de concessão, permissão ou autorização da Prefeitura, e estar em conformidade com a legislação municipal que disciplina os serviços de infraestrutura que utilizam o solo e o subsolo de propriedade municipal e que estabelece remuneração pela utilização e pela passagem dos dutos no bem público, bem como a que prescreve normas referentes à preservação do meio ambiente. De acordo com o Projeto de Lei, as atuais redes aéreas no centro e em praças e parques têm o prazo de até dois anos para serem substituídas por redes subterrâneas, a se contar a partir da publicação da lei. No caso de obras em andamento, tal troca deve ocorrer em até 360 dias. ]]>
2012-06-06 16:15:35
Vamos tomar um cafezinho?http://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=10006Mais uma medida para a preservação da memória e da identidade de Juiz de Fora. Projeto de Lei do vereador Flávio Cheker busca declarar o Café Galeria como bem de utilidade pública para fins de tombamento como Patrimônio Cultural da cidade. Localizado na Galeria Pio X, o espaço é há muitos anos ponto de encontro de diversas turmas e grupos da cidade. “O Café Galeria é um dos espaços mais simbólicos de Juiz de Fora. Congrega, num único lugar, todos os tipos de pessoas que constituem nossa cidade, sendo ponto de encontro do trabalhador cotidiano, do estudante, do político, do aposentado. Todos eles se encontram e convivem em harmonia ali, num ambiente em que a ‘vida em comunidade’ ganha pleno sentido”, afirma o parlamentar. O Café Galeria está em funcionamento há mais de 50 anos. Além do Projeto de Lei, o vereador Flávio Cheker vai ainda solicitar ao Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Cultural (Comppac) que o espaço seja reconhecido também como bem cultural da cidade. Confira abaixo a íntegra da justificativa do Projeto de Lei: “O Café Galeria, fundado há mais de 50 anos, está localizado no coração de Juiz de Fora, à Galeria Pio X, sendo um dos raros cafés de galerias ainda existentes no município. Ponto de encontro, de convívio diário, de verdadeira pausa no movimento incessante da sociedade, o Café Galeria destaca-se ainda como ponto de parada obrigatória para políticos e candidatos em campanha, do passado e do presente. Ali pararam para tomar seu cafezinho vários ex-Presidentes da República e Governadores de Estado, além de incontáveis deputados e senadores. Conforme relato de sua proprietária Maria Elizabeth Conde Arantes Costa – responsável pela permanência e condução do estabelecimento nos últimos anos e pelo padrão de excelência dos salgadinhos e do café servidos ao público –, também têm encontro marcado no Café Galeria, diversas turmas da urbe, tais como a turma dos aposentados, a turma dos executivos, a turma dos estudantes, a turma dos advogados, a turma dos jogadores de porrinha, a turma de sábado pela manhã e uma infinidade de outras turmas, além do grande público em geral, que fazem do Café Galeria o seu agradável ponto de referência, encontro, conversa e degustação. Imaginemos por um instante a cidade sem o Café Galeria e de imediato teríamos um grande número de cidadãos órfãos, empobrecidos em seu convívio e desorientados em sua jornada diária. É notória, assim, a importância do estabelecimento para os juiz-foranos, bem como para todos e todas que aqui chegam e elegem nossa cidade como local de vida. É inegável o seu papel agregador e aglutinador dos cidadãos, de propiciador de momentânea interrupção na marcha atônita do cotidiano. Assim, devido ao inestimável valor cultural, histórico, social, ambiental, que envolve o Café Galeria, apresentamos o presente Projeto de Lei, no qual se solicita que referido estabelecimento seja declarado como bem de utilidade pública para fins de tombamento para efeito de proteção e preservação, conforme tem sido votado ultimamente por esta Casa Legislativa e sancionado pelo Exmo. Prefeito Municipal para matérias afins, com o objetivo de que se mantenha vivo aquele espaço citadino e preserve-se, além de nossa memória afetiva, a memória histórico-cultural urbana de Juiz de Fora”. ]]> 2012-06-01 18:12:46Festival de Leitura, festa da culturahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=9979O Fest Ler está de volta. Foi aprovado nesta sexta (25), Projeto de Lei do vereador Flávio Cheker que inclui o Festival Anual da Leitura de Juiz de Fora no Calendário Oficial do município. O evento tem por meta a difusão do livro e da prática da leitura na cidade, favorecendo professores, livreiros, estudantes e apaixonados por livros. Ao todo, foram realizadas três edições do Fest Ler, a última delas em 2008. Durante o festival, cada professora e professor recebem um montante financeiro para ser despendido unicamente na aquisição de livros. Além de incentivar a leitura, o evento tornou-se um instrumento de importante atualização e formação dos educadores. “No entanto, sem qualquer tipo de justificativa, o Executivo Municipal simplesmente abandonou a realização do Fest Ler, sem implementar qualquer outro tipo de prática semelhante. Aprovando esta lei, esperamos retomar esta grande ferramenta de valorização do magistério municipal e de incentivo a leitura", afirma Cheker. Já aprovado, o Projeto de Lei agora aguarda sanção do Executivo. “Esperamos que o Executivo passe a reconhecer como política pública o Fest Ler e volte a realizá-lo, valorizando os profissionais da educação e colocando a leitura como uma das prioridades e um dos bens maiores de Juiz de Fora”, diz o parlamentar. Clique aqui e leia a íntegra do Projeto de Lei e sua justificativa. ]]> 2012-05-25 13:27:36Restaurante popular: segurança a alimentarhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=9992O vereador Flávio Cheker apresentou nesta quarta (23) novo requerimento de Audiência Pública para debater a instalação do Restaurante Popular em Juiz de Fora. Desta vez, o foco da discussão é o recém-lançado edital de licitação, para seleção da concessionária que vai operar o equipamento, o qual, de acordo com a proposta da Prefeitura Municipal, vai ser operado de modo completamente terceirizado. Desde semana passada, diversas entidades locais têm realizados protestos contra o modelo de gestão do Restaurante Popular e a forma como o edital foi lançado. Apesar das inúmeras promessas, a Prefeitura excluiu a sociedade civil – e em especial o Comsea (Conselho Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional) – de qualquer participação na operação do equipamento. Pela proposta, a empresa vencedora da licitação vai operar por contra própria o Restaurante, sendo responsável pela compra dos alimentos, definição do cardápio e contratação de funcionários. De acordo com o vereador Flávio Cheker, há inúmeros problemas na proposta adotada pelo Executivo. Em particular, o edital não se enquadra dentro dos parâmetros do Sistema de Segurança Alimentar e Nutricional, que especifica que os Restaurantes Populares cumprem uma função de garantir alimentação de qualidade, feita com alimentos da região, sem agrotóxicos, e priorizando produtores familiares. “O edital lançado pela Prefeitura não oferece qualquer tipo de garantia quanto à segurança alimentar. Não se especifica que tipo de alimentação deve ser servida, produzida de que forma e por quem. Deste modo, o Restaurante Popular deixa de cumprir sua função original e desvincula-se da Política de Segurança Alimentar, da qual é um dos componentes", afirma o parlamentar. Além do modo de operação, há diversas dúvidas quanto à política de acesso ao Restaurante. O edital apenas especifica que o vencedor da licitação será a empresa que oferecer o menor custo pela refeição, com valor máximo de R$ 4,70. Até agora, a Prefeitura apenas se comprometeu em garantir gratuidade a 200 pessoas selecionadas pela Secretaria de Assistência Social, dentre a população em situação de risco. “Trata-se de medida insuficiente, que não atende à demanda local. Pior, vai contra a política nacional de Restaurantes Populares, de se oferecer as refeições a baixo custo para toda a população, e não apenas para aquela mais carente. É preciso que a Prefeitura se disponha a subsidiar o preço praticado, o que é feito em todas as outras cidades em que há este equipamento, mas que até agora tem sido visto pela Prefeitura de Juiz de Fora como uma despesa esdrúxula". A Audiência busca incentivar ainda a inclusão da agricultura familiar local na operação do equipamento. Sobre o tema, a Prefeitura afirma que a produção local não seria suficiente para subsidiar o Restaurante Popular. “No entanto, nada impede que se use a maior quantidade possível de produtos locais". O Requerimento de Audiência Pública prevê a convocação das secretarias de Assistência Social, de Planejamento e Desenvolvimento Econômico, de Agropecuária e Abastecimento, além dos convites à EMATER e ao Conselho Municipal de Segurança Alimentar – COMSEA. A data da reunião só deve ser definida posteriormente, pela Mesa Diretora da Câmara Municipal. ]]> 2012-05-24 14:17:09Derrubado veto ao Programa Agricultura Familiar nas Escolashttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=9986Por doze votos contra três, a Câmara Municipal de Juiz de Fora derrubou nesta quarta (23), veto do Executivo sobre o Programa Agricultura Familiar nas Escolas. Criado a partir de Projeto de Lei do vereador Flávio Cheker, a proposta busca levar às escolas municipais noções sobre alimentação segura e sustentável, valorizando ainda a produção da agricultura familiar de Juiz de Fora. O programa Agricultura Familiar nas Escolas recebeu veto total do Executivo no início deste ano, argumentando restrição nos produtos contemplados e que a proposta iria se chocar com os projetos pedagógicos de cada unidade de ensino. Falando ao plenário da Câmara durante a apreciação do veto, o vereador Flávio Cheker rebateu tal justificativa. “Nossa proposta explicita que o programa será implementado gradualmente, a partir das posições de cada conselho, seja o escolar, de Educação, de Segurança Alimentar. Pelo contrário, o projeto prioriza este debate, levando a reflexão sobre a segurança alimentar e agricultura familiar para dentro das escolas. De modo semelhante, não há nenhuma restrição à gêneros agrícolas”, afirma o parlamentar. No debate oral, representantes do Executivo ainda justificaram o veto argumentando que a produção da agricultura familiar não é capaz de suprir a demanda das escolas. “Mais uma vez, a Prefeitura se engana sobre a orientação da proposta. A aquisição de alimentos já é feita a partir de lei federal, que fixa percentual para a agricultura familiar. Queremos é que a reflexão sobre tal alimentação chegue aos estudantes, desde como tal produção é feita até os itens ideais de consumo. Contudo, cabe refletir o porquê de o Executivo referir-se a agricultura familiar sem investir nada na área”, conclui. ]]> 2012-05-23 19:40:05Comissão Municipal da Verdadehttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=9971Projeto de Lei apresentado nesta quinta (17) cria a Comissão Municipal da Verdade em Juiz de Fora. A proposta, apresentada pela Comissão de Direitos Humanos e Cidadania da Câmara, visa incluir a cidade entre aquelas que vão colaborar com a Comissão Nacional da Verdade nas investigações sobre violações contra os Direitos Humanos, ocorridas entre 1946 e 1982 no país. De acordo com o vereador Flávio Cheker, presidente da Comissão de Direitos Humanos e Cidadania da Câmara, a Comissão Municipal da Verdade deverá apurar as violações cometidas em Juiz de Fora. Tal investigação busca esclarecer os fatos e as circunstâncias relacionados aos crimes, torturas, desaparecimento, mortes e ocultação de cadáveres ocorridos durante o período de tempo estipulado pela lei. “É preciso ter claro que a Comissão da Verdade não tem em vista julgar ou condenar quem quer que seja por estas violações. Trata-se de garantir às famílias das vítimas este direito básico e elementar à verdade; o direito de conhecer o destino que tiveram seus filhos e filhas, perseguidos, torturados e assassinados por defender seus ideais”, explica o parlamentar. Ainda de acordo com Cheker, a Comissão da Verdade vai colaborar com medidas que permitam erradicar em definitivo práticas como a da tortura. Segundo o texto do Projeto de Lei, a Comissão será composta por sete membros, sendo um representante da Prefeitura e outro da Câmara Municipal (este, deverá ser integrante da Comissão de Direitos Humanos e Cidadania do Legislativo). A Comissão tem 180 dias para concluir os trabalhos, a partir de sua homologação, e apresentar seu relatório. Para tanto, ela poderá receber testemunhos e informações de interessados, preservando o sigilo dos dados; requisitar informações ao Poder Público, inclusive ao Judiciário, a partir de solicitação da Câmara; fazer entrevistas, determinar perícias, audiências públicas, bem como solicitar proteção quando necessário. Para todas estas ações, o Executivo deverá contribuir. Juiz de Fora já conta atualmente com um Comitê da Verdade, formado por membros da sociedade civil e que igualmente busca contribuir com os trabalhos da Comissão Nacional da Verdade. De acordo com Cheker, todas estas iniciativas são relevantes pois permitem esclarecer um período de grande importância para a História do país. “A Comissão tem o mérito de possibilitar que se reconstrua, que se reconte a História de nosso país. Podemos agora fazer com que a dedicação e os esforços de milhares de brasileiros sejam conhecidos por todas e todos nós”. Em Juiz de Fora, há diferentes casos de pessoas que tiveram seus direitos violados no período. Entre eles, o da família Troiano, que até hoje luta para conhecer o paradeiro de Rodolfo de Carvalho Troiano, militante do Partido Comunista do Brasil (PC do B), tendo desaparecido em 1974 após atuar na Guerrilha do Araguaia. ]]> 2012-05-17 19:40:30Mobilidade Urbana sem saia justa: quem pedala a todos ajudahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=9959O Plano Diretor Cicloviário Integrado, Projeto de Lei do vereador Flávio Cheker, foi um dos destaques do Seminário de Mobilidade Urbana, realizado na última quinta (10) pelo curso Arquitetura e Urbanismo da UFJF. Convidado para apresentar a proposta, em debate com conceituados escritórios de arquitetura, o parlamentar abordou a importância de uma abordagem pública do tema da mobilidade, algo hoje ainda pouco desenvolvido em Juiz de Fora. De acordo com Cheker, Juiz de Fora, de modo semelhante a diversas cidades do país, tem seu trânsito dependente e saturado pelo transporte automotivo, congestionando as vias e sempre contribuindo para poluição sonora e atmosférica. E o pior de tudo, segundo o parlamentar, é a ausência de transporte público de qualidade e sem tampouco integração entre os modais. “Debater a adoção de redes que sirvam ao transporte cicloviário, nesse contexto é, não só oportuno, como absolutamente necessário, posto que este apresenta-se como uma solução extremamente eficaz, sendo o modal mais rápido em percursos de até seis quilômetros, além de contribuir para um ambiente sustentável”. Cheker ainda lembrou dos inúmeros benefícios que o transporte cicloviário trouxe para as cidades que o adotaram e adotam, no Brasil e fora dele. Os exemplos são abundantes, alguns emblemáticos, como Amsterdã, na Holanda. Ali, as bicicletas foram encaradas como um dos elementos estruturantes de todo o sistema viário, não sem muita luta -- o que normalmente é desconhecido -- da população. “Uma de nossas dificuldades é que, desde o governo Mello Reis, com o IPPLAN, Juiz de Fora não possui um planejamento estratégico de urbanismo e de transporte. Este é hoje o nosso desafio: estar atento à realidade presente de modo a responder às necessidades do futuro”, disse. Para o parlamentar, tal atenção poderia ter sido aplicada à obras recentes na cidade, como a da avenida Deusdeth Salgado, o que não ocorreu: "Nada impediria, desde que planejada, a instalação integrada de uma ciclovia ali". O Plano Diretor Cicloviário Integrado ainda tramita nas comissões da Câmara Municipal, devendo em breve ir à votação em plenário. A proposta determina as diretrizes para estabelecimento de um sistema cicloviário municipal, cria conceitos para isso e propõe garantir a divisão do espaço público de uma maneira mais democrática, justa e, em especial, segura para ciclistas e pedestres. O projeto prevê ainda o mapeamento das vias que possuem potencial para aproveitamento pela rede cicloviária, observando-se as condições de relevo, pavimento e tráfego, bem como a instalação de toda a rede de apoio necessária para o ciclista. Elaborado após conhecimento da realidade de outros municípios, do país e do mundo, e após consulta a inúmeras leis análogas, o projeto de lei ganhou impulso com a promulgação recente, pela Presidenta Dilma, da Lei Nacional de Mobilidade Urbana, a qual determina prioridade para meios de locomoção não-motorizados. Para conhecer o projeto, basta clicar aqui. Envie também críticas e sugestões ]]> 2012-05-11 20:01:16A agonia da democracia em Juiz de Forahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=9953A tarefa de legislar – produzir leis para o bem da cidade – tem encontrado um inesperado adversário em Juiz de Fora: a própria Prefeitura Municipal, a quem cabe, por definição, cumpri-las. Utilizando-se de diferentes argumentos, o Executivo vem impondo diferentes barreiras para esta que é uma das funções primordiais dos vereadores. Do início do ano até agora, quatro diferentes Projetos de Lei do vereador Flávio Cheker foram vetados pelo Executivo Municipal. Nos casos mais recentes, deixaram de ser sancionados o Programa Agricultura Familiar nas Escolas, a Rede Municipal de Atendimento ao Dependente Químico e o Programa de Distribuição Domiciliar e Gratuita de Medicamentos. Anteriormente, já havia sido vetado o Programa Táxi Turismo. A manobra empregada pela Prefeitura é bastante simples. Em seu parecer, o Executivo encontra nos Projetos de Lei – todos aprovados pela Câmara – uma possível geração de despesas. Como estas só podem ser indicadas pelo próprio governo, institui-se o “vício de iniciativa”, que lhe permite vetar a proposta. Além de comprometer o processo democrático na cidade, o expediente adotado pela Prefeitura encontra pouco respaldo jurídico. Todos os Projetos de Lei aprovados pela Câmara são submetidos a uma criteriosa análise, realizada pela Procuradoria da Casa. Os pareceres produzidos buscam garantir, antecipadamente, que as propostas apresentadas possuam sustentabilidade legal, de modo a evitar possíveis vetos, entre os quais, por vício de iniciativa. “Está claro que esta postura da Prefeitura tem provocado um sério desequilíbrio entre os Poderes. Não há uma verdadeira democracia se apenas o Executivo tem a possibilidade de cumprir com suas funções”, adverte Cheker. Segundo ele, além de impedir a tarefa de legislar, o Executivo também tem dificultado o exercício da fiscalização pelos vereadores. “Temos apresentado diversos Pedidos de Informação, Requerimentos, além de convocarmos secretários para Audiências Públicas. Apesar disso, as respostas tardam a chegar, quando chegam, e a maioria dos convocados sequer comparece". A fim de evitar a possibilidade de que o Executivo utilize o argumento do “vício de iniciativa”, a Procuradoria da Câmara antecipadamente ratifica em seus pareceres que aquela situação configura-se apenas para casos de alienação e empréstimos de bens do Município, ou alteração em funções da administração direta, no funcionalismo público, departamentos, no plano plurianual, diretrizes orçamentárias e orçamento anual. Ou seja, versa sobre a própria estrutura administrativa e sobre a designação de recursos. A mera criação de uma política pública não se enquadra como tal, à medida que um eventual ônus financeiro deve ser suportado por dotação previamente estabelecida pelo órgão executivo próprio – portanto, sem qualquer interferência do Legislativo. “Na campanha de 2008, o então candidato Custódio Mattos prometia radicalizar a democracia, caso se elegesse prefeito. Uma vez no cargo, vemos que aquela era mais uma promessa vazia, tão etérea quanto os mergulhões e viadutos anunciados. O povo juizforano já padece nas filas em busca de saúde e no abandono em relação a serviços básicos. Como é triste perceber que também a democracia agoniza em nossa cidade” conclui Cheker. ]]> 2012-05-08 17:30:57Vamos combinar: qualidade de vida o tempo todo e não só em época de eleiçãohttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=9939 Próximo do povo e ouvindo a voz da população, o vereador Flávio Cheker tem apresentado diversos Requerimentos ao Executivo, procurando conseguir a melhoria da qualidade de vida e dos serviços prestados pelo Poder Público de Juiz de Fora. Temática de extrema importância para a população de Juiz de Fora, a questão do transporte público motivou diferentes expedientes. A partir da solicitação de cidadãs e cidadãos, o vereador Flávio Cheker pede a alteração de diversos itinerários, como o das linhas 118 (Vale Verde), 133 (Arco-Íris), 538 (Morada do Serro) e 728 (Nova Benfica). Os requerimentos ainda exigem a fiscalização quanto à linha 530 (São Pedro), bem como outras que cobrem o bairro, as quais, segundo os moradores, não têm sido cumpridas completamente. Cheker também inquire o Executivo sobre a possibilidade de se instalar uma nova linha de ônibus, que atenda as proximidades do cemitério Parque da Saudade, inclusive com deslocamento no interior do mesmo, evitando dessa forma que as pessoas tenham que subir um morro excessivamente íngreme para chegar ao local. Além disso, questiona sobre a possibilidade de alterar as linhas que vêm e vão para a zona leste. Segundo moradores daquela região, a inclusão da avenida Itamar Franco aos itinerários permitiria uma grande economia no trajeto, feito a pé, pelas pessoas que fazem este trajeto para trabalhar. A segurança dos moradores da Zona Sul é contemplada em dois requerimentos. O primeiro pede que a Settra (Secretaria de Transporte e Trânsito) instale um semáforo para pedestres, com contador regressivo, na esquina das ruas Dom Silvério e Severiano Sarmento, no bairro Alto dos Passos. Já à Defesa Civil, requer que sejam vistoriadas as estruturas dos prédios vizinhos ao do número 90, da rua Amarílio Lopes Salgado, no Cascatinha. Tanto a demolição de um imóvel quanto a construção de outro causam impactos que têm preocupado a vizinhança. A extensão dos serviços de urbanização também é contemplada pelos requerimentos. Cheker pede o asfaltamento para bairros como Nova Benfica, Vale Verde, Ladeira e Sagrado Coração, bem como a realização, pelo Demlurb, de trabalhos de capina e de coleta seletiva no Cidade do Sol, além da ampliação da rede de esgoto da Cesama no Caiçaras. Já para o Morada do Serro, os pedidos contemplam itens de infraestrutura urbana mínima, como captação de águas pluviais, rede de esgoto, limpeza e tapa-buracos nas ruas. Cheker também pede melhorias para o CEM (Centro de Educação do Menor). O vereador requer que o Executivo providencie material de aprendizado para as oficinas ali ministradas. Também pede o reparo ou mesmo a compra de novo maquinário para o espaço. Como lembra o parlamentar, o cumprimento destes requerimentos depende fundamentalmente da iniciativa do Executivo. Apesar disso, os expedientes cumprem uma importante função de pressionar o Poder Público, fazendo levantar a voz da população. “É dever do parlamentar estar próximo da população, ouvi-la. Por meio destes requerimentos, podemos fazer valer suas reivindicações, expectativas, buscando ampliar sua qualidade de vida, fazendo valer seus direitos”, conclui. ]]> 2012-05-03 18:50:43Ouvir, debater, prestar contas, planejar: Câmara, ação!http://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=9944Apoiadores e colaboradores de diferentes regiões de Juiz de Fora se reuniram no último sábado para plenária do mandato do vereador Flávio Cheker. Em pauta, a avaliação das ações empreendidas no último período pelo parlamentar, além de uma análise mais ampla da atual conjuntura da cidade, particularmente frente ao governo Custódio Mattos. Na primeira etapa, o vereador Flávio Cheker expôs as diretrizes de suas ações no atual mandato. De acordo com ele, apesar das inúmeras limitações impostas ao fazer legislativo, o trabalho tem sido feito de modo persistente, sempre em atenção às necessidades do povo. “Seguimos em linha reta, firme, coerente em nosso trabalho na Câmara. Primeiro, realizando uma oposição madura frente a este Governo, que abandonou boa parte da população à sua própria sorte. Mas, além disso, legislando, procurando construir políticas públicas para o bem-estar da cidade. E é possível dizer que várias de nossas ações têm encontrado êxito”. Cheker também lembrou das dificuldades em se fazer com que as ações do Legislativo cheguem à população. De acordo com ele, são diversas as restrições impostas aos vereadores, principalmente àqueles da oposição. “Por isso mesmo, temos que lutar com as armas que temos, em especial com a força da população, para encontrarmos sucesso”. No balanço sobre a atual realidade municipal, Cheker destacou como o governo da cidade tem falhado, desde as tarefas mais elementares até às mais complexas. Segundo ele, isso é claramente percebido nos bairros da cidade, onde praticamente inexistem serviços elementares de limpeza, capina, recolhimento de lixo. “Isso para não falarmos nos problemas relacionados à saúde, cujo abandono tem sido reconhecido até por parlamentares da base de apoio ao governo”. As cidadãs e os cidadãos presentes também expuseram as dificuldades vividas atualmente. As diversas manifestações deixaram claro como a atual administração se fez em cima de muitas promessas e poucas realizações. Algo exemplificado por Maria das Graças dos Reis, moradora do bairro Dom Bosco. Ela lembrou que, quando das obras da Curva do Lacet, o Executivo prometeu cozinha comunitária, creche, além de uma nova área de lazer. “No entanto, a única novidade no bairro é a passarela do hospital sobre a avenida Itamar Franco”, ressaltou. De acordo com o vereador Flávio Cheker, tal realidade só reforça a importância de, como parlamentar, continuar atento à voz do povo. “Além disso, devemos permanecer organizados, e lutarmos para que esta realidade de dificuldades que hoje debatemos possa se alterar num futuro breve”, concluiu. ]]> 2012-05-02 19:03:04Uma cidade melhor para todos. Eu disse: todos.http://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=9932Portadores de deficiência poderão utilizar o estacionamento reservado para eles em horário integral, e não mais apenas no período comercial. A proposta integra Projeto de Lei apresentado pelo vereador Flávio Cheker, que especifica as regras para a criação e uso de vagas para veículos dirigidos ou conduzindo pessoas com esta necessidade especial. De acordo com o Projeto, deverão ser destinadas para portadores de deficiência ambulatorial 5% de todas as vagas existentes nos estacionamentos públicos e privados, bem como aquelas situadas em vias públicas. Estas deverão ser prioritariamente as de mais fácil acesso e sinalizada por placas. Apesar da reserva das vagas, a proposta não prevê mudanças no regime de cobrança pelo uso destas. Por portadores de deficiência ambulatorial, entende-se aquela pessoa com incapacidade motora autônoma permanente nos membros inferiores, ou membros superiores e inferiores, que obrigue a utilizar, temporária ou permanentemente, cadeira de rodas, aparelhagem ortopédica ou prótese, e pessoa com incapacidade motora autônoma decorrente de incapacidade mental. Segundo o vereador Flávio Cheker, a proposta tem em vista atender às especificações trazidas pela Lei de Acessibilidade (nº 10.410, de 20 de março de 2003), ampliando os direitos criados por ela. “A necessidade destas pessoas é permanente, e não ditada pelo horário comercial. Trata-se de uma forma de fazer justiça, sobretudo respeitando sua condição”. A proposta prevê que a Settra (Secretaria de Transporte e Trânsito) ficará responsável pela implantação destas vagas, bem como pela elaboração de um símbolo alusivo à reserva para os portadores de deficiência ambulatorial. Por sua vez, caberá à SAU (Secretaria de Atividades Urbanas) o cumprimento e a fiscalização da lei, em particular nos estacionamentos privados. O projeto prevê advertência e, em caso de reincidência, multa para os estabelecimentos infratores. Cheker elaborou o Projeto de Lei a partir da solicitação de portadores de necessidades especiais. ]]> 2012-04-27 17:42:50Dependência Química: uma luz no fim da Prefeiturahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=9926Articular os esforços e ações voltados para o tratamento e acolhimento dos usuários de drogas e suas famílias. Foi com este objetivo que o vereador Flávio Cheker apresentou Projeto de Lei que cria a Rede Municipal de Atendimento ao Dependente Químico, aprovado nesta terça (24) pela Câmara Municipal. Pela proposta, diferentes unidades e centros de saúde, além de comunidades terapêuticas, previamente aprovadas, poderão unir esforços no cuidado a estas vitimas, otimizando o serviço prestado em Juiz de Fora. O projeto propõe a integração dos serviços prestados na cidade pelas UAPs (Unidades de Atenção Primária à Saúde), UPAs (Unidades de Pronto Atendimento), Centro de Atenção de Saúde Mental, e dos CAPs-AD(Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas). Há a possibilidade ainda de se trabalhar em parceria com as comunidades terapêuticas existentes na cidade. A proposta prevê ainda a ampla participação dos servidores da Estratégia Saúde da Família, que devem ser treinados para o atendimento primário aos dependentes e familiares, em casos de menor complexidade. De acordo com o vereador Flávio Cheker, a lei é uma contribuição aos esforços já existentes na cidade de cuidado aos usuários de drogas, particularmente no sentido de integrá-las de modo a facilitar que o tratamento alcance quem precisa. "Acima de tudo, é preciso reconhecer o dependente químico como alguém que precisa de cuidados, sendo um direito seu o tratamento digno e respeitoso. E dar às famílias um espaço de acolhimento. É nesta direção que a Rede precisa operar”. O projeto de lei ainda prevê a integração dos serviços locais de tratamento aos usuários à Política Nacional sobre Drogas, implementada no ano passado pelo Governo Federal e com o recém-aprovado, mas ainda não criado, Conselho Municipal de Política Integrada sobre Drogas. A proposta agora aguarda sanção do Executivo Municipal. ]]> 2012-04-24 20:57:29Audiência Pública debate alternativas para Cine Excelsiorhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=9919Após 18 anos de luta, uma prova evidente de que a mobilização pela recuperação pelo Cine Excelsior permanece fortalecida. Audiência Pública realizada nesta segunda (23) reafirmou decisivamente a importância do espaço para Juiz de Fora e demonstrou que, hoje, a preservação da sala depende em especial do Comppac (Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Cultural) e Prefeitura de Juiz de Fora. De acordo com o vereador Flávio Cheker, que pela terceira vez traz o debate para a Câmara na forma de Audiência Pública, o encontro deixou claro que há hoje na cidade dois lados: aqueles que reconhecem o Cine Excelsior como patrimônio cultural de Juiz de Fora, símbolo de pertencimento e memória viva de sua história, e aqueles só agem pelas forças do “progresso”, da “evolução”, do capital, doa a quem doer. Cheker destacou que a realização desta Audiência é sobretudo reflexo da mobilização da sociedade juizforana pelo Cine Excelsior. “Buscamos aqui uma forma de não deixar morrer um pouco da história de Juiz de Fora”, disse. Ainda de acordo com o parlamentar, a reativação da sala não deve implicar em prejuízos para os proprietários. “O que se procura é fazer com que o Excelsior volte a ser um local para a cultura e a arte. E ressaltamos que é possível que sua exploração seja economicamente sustentável como atividade comercial”. As diversas manifestações realizadas durante a Audiência ressaltaram a relevância do Excelsior para Juiz de Fora. Para o membro do Coletivo Sem Paredes, Gian Martins, o espaço é importante não só por ser um patrimônio material, dada sua arquitetura e decoração únicas, mas também imaterial, na medida em que esta é uma das principais salas de cinema de Minas Gerais e do Brasil. Gian ainda lembrou que a sala pode cumprir um papel de disseminação de cultura, de compartilhamento e de felicidade para cidadãs e cidadãos. Diversas manifestações protestaram ainda contra a possibilidade de a sala se transformar em um estacionamento. De acordo com o síndico do prédio onde se localiza o Excelsior, esta alternativa significaria um grande transtorno para o tráfego do centro da cidade, dada a proximidade do espaço do cruzamento da Avenida Barão do Rio Branco e Rua Floriano Peixoto. Além disso, as obras podem abalar as estruturas do edifício. Sobre o tema, o Executivo Municipal, representado pela secretária de Atividades Urbanas, Graziela Marques, apenas disse que a Prefeitura tem procurado agir em conformidade com a legislação, e que as autorizações expedidas para as reformas realizadas até agora respeitavam o código legal. Já o superintendente da Funalfa, Toninho Dutra, disse que a entidade está sensível à mobilização, mas disse que somente o Comppac poderá definir o tombamento ou não do espaço. Na opinião do vereador Flávio Cheker, é fundamental que o Comppac aprecie o quanto antes o projeto que hoje tramita no conselho e requer o tombamento do espaço. Ele lembra que tanto o tombamento como a declaração de interesse cultural são instrumentos legais e viáveis para tanto, inclusive impedindo que qualquer tipo de intervenção que modifique a estrutura seja ali realizada, durante a tramitação da proposição. Cheker também lembra que o processo deve ser analisado ao máximo junto à sociedade, devendo o Conselho sensibilizar-se pelos interesses e desejos desta. ]]> 2012-04-23 21:10:51Cine Excelsior: espaço de nossas emoçõeshttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=9911Uma luta iniciada há cerca de dezoito anos tem um novo capítulo nesta segunda (23). Convocada pelo vereador Flávio Cheker, a Câmara Municipal realiza nova Audiência Pública para debater a preservação do Cine Excelsior. Desativada desde 1994, a sala corre hoje o risco de ser transformada em um estacionamento para automóveis. O evento ocorre a partir das 15h, no plenário do Legislativo. Esta é a terceira Audiência Pública convocada por Cheker para discutir a preservação do Excelsior. Desde 1994, ele tem movido diferentes esforços no sentido de garantir a utilização do espaço como um bem cultural de Juiz de Fora. Além das audiências, Cheker já apresentou diversos projetos de declaração da sala como bem de interesse cultural, bem como de tombamento do prédio. A luta implementada pelo parlamentar propiciou ainda a elaboração de um alentado dossiê, chamado "Excelsior, Espaço de Nossas Emoções". Desde o ano passado, a sala onde funcionou o Cine Excelsior tem passado por obras, para transformá-la em um estacionamento. Todas as poltronas já foram retiradas. Mais do que isso, há dúvidas sobre se já não houve comprometimento da arquitetura do espaço, de inspiração Art Deco. A “reforma” chegou a ser interrompida em dezembro passado, quando constatou-se que o empreendimento não possuía o alvará necessário para tal atividade. Ou seja, a obra, feita à toque de caixa, ainda corria na ilegalidade. A Audiência insere-se num conjunto maior de atividades realizadas desde o ano passado, pela preservação do espaço. Anteriormente, o movimento Salvem o Cine Excelsior já havia realizado diferentes “protestos”, como uma choradeira, durante a apresentação da Caravana de Palhaços. Em fevereiro, o agrupamento ainda celebrou os 54 anos de existência da sala. As recentes mobilizações conseguiram sensibilizar o COMPPAC (Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Cultural) para abertura de novo processo para tombamento do imóvel. Foram convidados para a Audiência Pública o presidente da Ancine (Agência Nacional de Cinema), Manuel Rangel, o coordenador da Unidade Gestora do programa Cinema Perto de Você, Selmo Kaufmann, a secretária de Audiovisual do Ministério da Cultura, Ana Paula Santana, a secretária estadual de Cultura, Eliane Parreiras, o superintendente do IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) no estado, Leonardo Barreto de Oliveira, o presidente do IEPHA (Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico), Luiz Fernando de Almeida, o representante do CREA/JF, Flávio Viana, o representante do IAB (Instituto dos Arquitetos do Brasil) em Juiz de Fora, Marcus Olender, o presidente da OAB/JF, Wagner Parrot, o reitor da UFJF, Henrique Duque, seus pró-reitores de Cultura, José Alberto Pinho Neves, e de Graduação, Eduardo Magrone, além dos moradores do edifício onde se localiza a sala. A reunião convocou ainda a Secretaria de Atividades Urbanas, a Superintendència da Funalfa, COMPPAC e Procuradoria Geral do Município. Compareça você também, participe da luta por uma cidade com mais raízes e melhor para se viver. ]]> 2012-04-20 14:21:14É permitido voar, mas proibido equipar aeroportos?http://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=9880 Foi assim, se inspirando em versos de Drummond, aqueles sobre a liberdade para navegar e a proibição de fazer barcos, que o Vereador Flávio Cheker lembrou que no dia 20 de abril do ano passado, a Câmara Municipal de Juiz de Fora realizava Audiência Pública para debater a situação do Aeroporto Francisco Álvares de Assis, o Aeroporto da Serrinha. Convocado por iniciativa do vereador Flávio Cheker em parceria com o vereador Júlio Gasparette, o evento apontou as diferentes dificuldades vividas pelos usuários do terminal, que então conviviam com atrasos e cancelamento dos vôos, além do número diminuto de rotas, em particular pelo fato de o espaço não comportar aeronaves de maior porte. Um ano após a realização do evento, pode-se constatar que a pressão popular e a cobrança do vereador Flávio Cheker produziram efeito. Em resposta a Pedido de Informação encaminhado ao Executivo no mês passado, a Settra (Secretaria de Transporte e Trânsito) confirmou a realização de diferentes reformas no Aeroporto da Serrinha, adequando-o às normas exigidas pela Anac (Agência Nacional de Aviação Civil). Contudo, o mesmo documento ratifica que a Prefeitura ainda não possui planejamento para a compra de um novo “caminhão de Bombeiros”, que permitiria ao terminal receber os aviões de maior porte. De acordo com as normas da Anac, caso queria ampliar sua capacidade para o recebimento de aeronaves, a brigada contra incêndio do Aeroporto da Serrinha deveria possuir um caminhão do tipo AP-2, de maior capacidade no combate a eventuais acidentes no local. Este modelo é o mesmo utilizado pelo Aeroporto Regional da Zona da Mata. Em maio do ano passado, Cheker chegou a viajar para o estado do Paraná para conhecer as instalações de uma empresa que comercializa este tipo de caminhão, e para tratar alternativas para a compra do mesmo. No entanto, de lá para cá, a situação continua a mesma. Para Cheker, as modificações realizadas no Aeroporto da Serrinha são significativas, mas de pouco adiantam se o mesmo continua operando poucos vôos. “A grande questão no momento é potencializar a capacidade do terminal. Para tanto, receber aeronaves de maior porte é essencial. Enquanto a compra do caminhão de bombeiros não se tornar uma prioridade e ser efetivamente realizada, nenhuma outra atitude adiantará. A PJF irá, mais uma vez, permanecer apenas no discurso”. Além da compra do caminhão de bombeiros, o Aeroporto ainda necessita da compra de uma esteira de bagagens, equipamento essencial e de custo baixo. A reivindicação, também apresentada durante a Audiência do ano passado, até agora não foi atendida. ]]> 2012-04-19 17:58:56Novos atrasos na conclusão do Restaurante Popularhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=9891O término da construção da estrutura física do Restaurante Popular deve demorar pelo menos mais 60 dias. Foi o que confirmou Marco Aurélio Pereira, dono da Margem Construtora, responsável pela obra. Ele recebeu o vereador Flávio Cheker e outros integrantes do Comsea (Conselho Municipal de Segurança Alimentar), em vistoria realizada no local nesta terça (17). Segundo as explicações apresentadas por Pereira, há uma significativa diferença entre o projeto de obras recebido pela empresa e aquele utilizado para a compra dos equipamentos necessários ao funcionamento do Restaurante. Com isso, toda a estrutura elétrica e hidráulica terá que sofrer modificações. Além disso, outras reformas são necessárias, principalmente quanto a acessibilidade e estrutura de chegada dos alimentos. Pereira participou de uma reunião com representantes da Prefeitura na tarde de terça para tratar das novas intervenções no espaço. De acordo com ele, o Executivo requereu que a empresa proceda com as alterações necessárias. Os custos extras seriam bancados em parte por uma contrapartida do município, e em parte por uma reprogramação no orçamento acertada com a Caixa, que financia a construção do Restaurante. No entanto, o dono da construtora não quis antecipar o valor a ser dispensado para as novas modificações. Ainda de acordo com Pereira, a construtora vai precisar de ao menos 45 dias úteis, ou 60 dias corridos, para a conclusão das alterações. Só então poderá ser feita a instalação dos equipamentos, o que faz com que o término das obras no Restaurante Popular deva ocorrer apenas a partir de junho. Segundo a secretária do Comsea, Bettina Koyro, em ao menos duas reuniões com o conselho, a Prefeitura ratificou que todas as mensurações necessárias para a instalação dos equipamentos foram feitas e que nenhuma modificação seria precisa, argumento que contraria as modificações acertadas hoje com a construtora. A conselheira afirmou que a entidade vai questionar este novo atraso, além de continuar pressionando para que o Executivo modifique o modelo de gestão do aparelho, previsto para ser terceirizado. ]]> 2012-04-18 15:55:27João Carriço? Você já viu algum filme deste pioneiro e visionário?http://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=9878“A singularidade dos jornais da Carriço Filme reside, além do fato de terem sido feitos fora de São Paulo e Rio de Janeiro, o de cobrirem um período de tempo longo e significativo – do primeiro Getúlio Vargas até Juscelino Kubtschek. Mais digno de nota ainda é o fato de existir nesses filmes um enfoque muito particular, muito Zona da Mata, dos acontecimentos retratados e, principalmente, uma interpenetração quase ostensiva”. (Carlos Roberto de Souza) Há dez anos, o vereador Flávio Cheker conquistava o tombamento municipal do Acervo Cinematográfico João Carriço, e desde então tem se empenhado em garantir o retorno do mesmo para Juiz de Fora, ou pelo menos a sua disponibilização para o público. Em requerimento aprovado pela Câmara nesta terça (17), e encaminhando ao Executivo, o parlamentar inquire sobre a possibilidade da Prefeitura abrir “crédito especial” ou rubrica adequada para a digitalização dos itens que compõem a coleção e posterior disponibilização para a população da cidade. O Acervo João Carriço é composto por filmes que registram diferentes épocas de Juiz de Fora. Entre seus itens, há imagens raras de eventos, cenas do cotidiano local, além de comemorações cívicas e registros da presença de autoridades, como a visita de Getúlio Vargas à Fazenda São Mateus. A coleção deixou a cidade há quase 35 anos, quando foi levado para São Paulo para restauração. Hoje, está anexado ao conjunto de obras da Cinemateca Brasileira. No requerimento, Cheker destaca a importância desta medida, que vai permitir a disponibilização destas imagens às cidadãs e cidadãos de Juiz de Fora e a pesquisadores e estudiosos de todo o país, dado o pioneirismo de Carriço no cinema nacional. “Além de poder-se resgatar neste acervo parte importante da memória da cidade, a digitalização destes itens permitirá não só a sua ampla consulta como também a realização de cópias e reproduções sem custo”, conclui. ]]> 2012-04-17 18:22:02Legislar com sabedoria: importante ficar rouco de tanto ouvirhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=9862No intuito de debater os diversos problemas da cidade, e estando atento às reivindicações e queixas da população, o vereador Flávio Cheker apresentou novos requerimentos de Audiência Pública, instrumento que utiliza com frequência por propiciar a participação direta dos cidadãos. Entre os temas, a política fiscal do município, a preservação de nosso patrimônio histórico, as obras no centro e os impactos ambientais e urbanos da instalação de um novo empreendimento em Juiz de Fora. A primeira Audiência debate a situação do Cine Excelsior, luta de quase vinte anos, que tem motivado a realização de outras Audiências, também convocadas pelo vereador ao longo desse tempo, além de dezenas de expedientes, como requerimentos para declaração de interesse cultural do espaço, que culminaram com a edição de um "dossiê", em dois volumes, intitulados por Cheker como "Cinema Excelsior: espaço de nossas emoções". A possibilidade recente de sua transformação em estacionamento reacendeu o debate, motivando a criação do Movimento Salvem o Excelsior, que conseguiu sensibilizar o COMPPAC para abertura de novo processo para tombamento do imóvel. Estão convocados a Secretaria de Atividades Urbanas, a Superintendència da Funalfa, COMPPAC e Procuradoria Geral do Município, e convidados os deputados federais Júlio Delgado e Marcus Pestana, os deputados estaduais Lafayette Andrada e Bruno Siqueira, o presidente da Ancine (Agência Nacional de Cinema), Manuel Rangel, o coordenador da Unidade Gestora do programa Cinema Perto de Você, Selmo Kaufmann, a secretária de Audiovisual do Ministério da Cultura, Ana Paula Santana, a secretária estadual de Cultura, Eliane Parreiras, o superintendente do IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) no estado, Leonardo Barreto de Oliveira, o presidente do IEPHA (Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico), Luiz Fernando de Almeida, o representante do CREA/JF, Flávio Viana, o representante do IAB (Instituto dos Arquitetos do Brasil) em Juiz de Fora, Marcus Olender, o presidente da OAB/JF, Wagner Parrot, o reitor da UFJF, Henrique Duque, seus pró-reitores de Cultura, José Alberto Pinho Neves, e de Graduação, Eduardo Magrone, além dos moradores do edifício onde se localiza a sala. A segunda Audiência debate o aumento na alíquota de ISSQN (Imposto Sobre Serviço de Qualquer Natureza) praticado pelo Governo Municipal sobre os serviços autônomos de advocacia – e que tem gerado inúmeros protestos no meio. Em 2012, a Prefeitura reajustou fortemente a base de cálculo praticada, incluindo na cobrança mesmo os profissionais recém-formados, os quais têm, por lei, direito à isenção do tributo enquanto não praticam efetivamente a atividade. Estão convocados para o encontro o secretário municipal de Fazenda e o Procurador Geral do município. Também estão convidados a OAB, Instituto dos Advogados, a Faculdade de Direito da UFJF, faculdades particulares, e Diretórios Acadêmicos. A inclusão de mecanismos de acessibilidade nas obras da avenida Barão de Rio Branco motivam o terceiro pedido de Audiência Pública, convocada pela Comissão de Direitos Humanos e Cidadania, presidida por Cheker.A reunião prevê ainda o debate sobre o recente encerramento das atividades do CMPPD, Conselho Municipal de Pessoas Portadoras de Deficiências. As secretarias de Assistência Social e de Atividades Urbanas, além da Secretaria de Transporte e Trânsito, estão convocados. Por sua vez, o abandono e a demora na tramitação do processo de tombamento do Castelinho do Bairu são o tema da quarta audiência, convocada conjuntamente com os Vereadores José Laerte e Figueiroa. O imóvel é tido como a primeira edificação do bairro, remetendo ao estilo neocolonial hispano-americano, único na cidade. Contudo, o prédio está há muitos anos abandonado, sendo por vezes ocupado por moradores de rua. Além disso, o Comppac já analisa há tempos o pedido para que ele seja declarado bem do patrimônio histórico da cidade. Esta audiência convocou as secretarias de Atividades Urbanas e de Assistência Social, além do Núcleo de População de Rua e a Vigilância Sanitária do município. Por fim, a quinta audiência, convocada em conjunto com outros parlamentares, debate a reivindicação dos moradores do Marilândia e bairros próximos, quanto à instalação de um cemitério vertical e crematório naquela região. Eles reclamam que não houve qualquer diálogo com as associações de bairro locais quanto à instalação do empreendimento. Além disso, há o temor de possíveis impactos ambientais na região. Além da secretaria de Atividades Urbanas, serão convocadas a Secretaria de Governo e a Agenda JF. De acordo com Cheker, as Audiências Públicas têm cumprido uma importante função, sendo um espaço privilegiado para o debate público sobre a cidade. “São temas relevantes e que precisam do olhar atento e do contraditório como acessibilidade, meio ambiente, patrimônio histórico. As Audiências vão além, exigindo a presença dos responsáveis e permitindo que a população se expresse, seja ouvida”, afirma. ]]> 2012-04-13 18:45:17Cheker no Vale Verde: nos bairros, a qualidade de vida não amadurecehttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=9850Há uma Juiz de Fora que a propaganda da Prefeitura não quer mostrar. Muitos bairros da cidade sofrem com o abandono por parte do Executivo, tendo que conviver com a ausência de serviços mínimos de urbanização, como asfaltamento e calçamento de ruas, capina, limpeza e recolhimento de lixo. Esta situação tem sido constatada pelo vereador Flávio Cheker nas visitas que faz pelo município. Nesta semana, ele foi recebido pelos moradores do bairro Vale Verde, que compartilharam com ele as dificuldades vividas. O bairro Vale Verde situa-se no extremo sul de Juiz de Fora, quase divisa com a cidade de Matias Barbosa. Segundo o relato dos moradores, trata-se de uma área de ocupação que, com o passar dos anos, foi recebendo novos habitantes até tornar-se bairro. Contudo, a maioria dos moradores segue sem ter a documentação de propriedade de suas moradias. Inúmeras tratativas realizadas com diferentes gestões não resultaram em nada. Na mais recente, os valores para obtenção das escrituras mostraram-se inviáveis para tal regularização. “Esta situação gera enorme insegurança nas famílias”, afirma Cheker, “que se veem, de um lado, sem a escritura do terreno e, de outro, sem qualquer ajuda e respaldo do Executivo para definir a posse de suas residências”. Os moradores também encontram dificuldade no deslocamento entre suas casas para o centro da cidade. Além do pequeno número de ônibus, parte deles sequer alcança determinados pontos do bairro. Além disso, diversas vias não contam com calçamento e asfalto, caso das ruas Gabriel Sales Pimenta, Maria Aparecida Martins e Santos Dias. Nesta última, o terreno atrás da UAPS tem servido de espaço para a proliferação de diversos animais, entre os quais cobras – sendo cascavel a mais comum -- já se registrando diversos incidentes no local. A partir da conversa com os moradores, o vereador Flávio Cheker elaborou diversos expedientes em favor do bairro, como requerimentos de asfaltamento, calçamento, realização de serviços de urbanização (como capina, limpeza e retirada de lixo), construção de rampas de acessibilidade para cadeirantes, iluminação para o escadão que liga o Vale Verde ao bairro Umuarama, além de requisição para que os ônibus de número 118 (Vale Verde) e 133 (Arco-Íris) incluam a rua Maria Aparecida Martins em seu itinerário. Cheker apresenta ainda Pedido de Informação, que inquire o Executivo sobre a regularização dos terrenos e residências dos moradores do bairro. Especificamente, ele questiona sobre a possibilidade de se realizar escrituras coletivas, de se parcelar o pagamento, requerendo ainda subsídios para o processo e solicitando quais são os documentos necessários para tanto. De acordo com o vereador, é este tipo de contato direto com a população que permite fazer conhecer a verdadeira realidade de Juiz de Fora. “Infelizmente, diversas regiões são obrigadas a conviver com o completo abandono, praticamente esquecidas pelo Poder Público. É nosso desafio ouvir as pessoas, conhecer a sua realidade, e a partir daí cobrar energicamente ações ao Executivo para que, para além das promessas, cumpra efetivamente com suas obrigações”. ]]> 2012-04-04 18:52:14Remédios para quem não pode ir buscá-los: cada vez mais possívelhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=9833Foi aprovado na manhã de sexta (30), por unanimidade, Projeto de Lei do vereador Flávio Cheker, que prevê a distribuição domiciliar e gratuita de medicamentos para a população idosa ou com dificuldade de locomoção de Juiz de Fora. A proposta prevê a entrega de remédios para os portadores de doenças crônicas (como hipertensão e diabetes) cadastrados no SUS. Cheker comemorou a aprovação da matéria. Ele destaca a importância da medida, inserida em uma política pública de apoio e assistência ao idoso, ao garantir o direito à medicação à quem mais precisa. “Por serem remédios de uso contínuos, estas pessoas não podem correr o risco de não tê-los a tempo e hora. O Poder Público deve estar atento e valer dos meios que tem para atendê-las”. Os idosos já merecem atenção diferenciada da Saúde a partir do PSF e da Política Nacional de Idosos. Estes programas instituem medidas para promover os direitos sociais desta parcela da população, criando condições para a promoção de sua autonomia, integração e participação efetiva na sociedade. A distribuição domiciliar de medicamentos é uma destas políticas. Segundo o Projeto de Lei apresentado, os idosos com direito a receber os medicamentos em casa devem ser previamente cadastrados pela Prefeitura, a partir dos dados disponibilizados pelo SUS. A distribuição fica a cargo dos Agentes Comunitários de Saúde, não gerando qualquer tipo de despesa extra para o Executivo. “Um dos méritos da lei é não gerar ônus para a Prefeitura, que vai se utilizar da estrutura que possui. Isso permite que o projeto seja implementado desde agora, o que vamos buscar junto à Secretaria de Saúde e ao Prefeito. Para alívio de todos os que necessitam, com urgência, da entrega domiciliar". Acesse o texto do Projeto de Lei aprovado e sua justificativa clicando aqui. ]]> 2012-04-02 14:23:53Memória. Verdade. Justiça.http://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=9826O vereador Flávio Cheker participou nesta quarta (28) do 12° Fórum Parlamentar Nacional de Direitos Humanos, na Câmara dos Deputados, em Brasília. O encontro, transmitido pela TV Câmara e pela internet,  reuniu vereadores, deputados estaduais, federais e senadores de todo o país, e debateu a criação de uma Rede Legislativa Nacional pela Memória, Justiça e Verdade. Trata-se de uma articulação de comissões de direitos humanos para colaborar no esclarecimento das violações de direitos cometidas por agentes públicos entre 1946 e 1988. A Rede Legislativa Nacional busca contribuir com os trabalhos previstos para a Comissão da Verdade, aprovada pelo Congresso no ano passado e que ainda aguarda a designação dos seus componentes. Serão feitas, deste modo, investigações e entrevistas, de modo a se esclarecer que fim tiveram vítimas de crimes cometidos pelo Estado, em especial durante a Ditadura Militar (1964-1985). Cheker participou do encontro como presidente da Comissão de Direitos Humanos e Cidadania da Câmara Municipal de Juiz de Fora. Em sua opinião, a Rede terá uma importância fundamental para a apuração dos crimes do período ditatorial, principalmente por ampliar as investigações da Comissão da Verdade. “Desde a Redemocratização, o Legislativo tem sido instituição de ponta na busca da reparação aos que sofreram violência de direitos. Isto inclui cuidar da memória de nosso país, daqueles que tiveram a vida extinta pela liberdade”. Presente no Fórum, o ex-Secretário de Direitos Humanos da Presidência da República e ex-deputado federal Nilmário Miranda ressaltou a importância de os legislativos municipais e estaduais participarem do esforço de criação da Rede. Citando nominalmente o vereador Flávio Cheker, ele destacou que a Comissão da Verdade é um movimento incompleto, e que toda atividade complementar é um passo a mais. “A busca pela verdade não vai sair de pauta enquanto crimes como de tortura não forem esclarecidos”. De acordo com Cheker, Juiz de Fora tem muito a contribuir com este processo. “Nossa cidade guarda muito da história da Ditadura Militar. Aqui também houve busca intensa pela liberdade. Agora, temos a oportunidade e o dever de fazer com que a busca pela memória seja uma nova forma de se fazer justiça”. A Comissão Parlamentar Memória, Verdade e Justiça, criada junto à Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados, deve realizar em breve novos encontros para discutir a criação da Rede, inclusive com a possibilidade de se reunir fora de Brasília. Há ainda a proposição de que os municípios e estados brasileiros lutem por incluir em seu calendário oficial o Dia Nacional das Vítimas de Violações Graves de Direitos Humanos, já instituído pela ONU, e celebrado no dia 24 de março, em referência ao martírio de Dom Oscar Romero, ex-bispo de El Salvador, assassinado por causa de sua luta pelos Direitos Humanos ]]> 2012-03-29 13:37:30Prefeito, deixa o táxi melhorar, deixa o Parlamento legislarhttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=9741 Ao tramitar na Câmara, o projeto recebeu parecer favorável da Procuradoria Jurídica da Casa, que atestou a constitucionalidade da matéria, indicando não haver qualquer problema com o chamado vício de iniciativa – quando o Legislativo toma para si atribuições exclusivas do Executivo. Aprovado pelos vereadores, a proposta foi inacreditavelmente vetada pela Prefeitura em fevereiro deste ano. A prática do veto, que já chama a atenção pela singularidade do caso do Projeto de Lei do Táxi Turismo, ganha contornos mais preocupantes quando se observa ser esta a sexta proposta do vereador Flávio Cheker vetada pelo Executivo desde o início da atual administração. Na maioria dos casos, o argumento é o mesmo: vício de iniciativa. De acordo com o parlamentar, a situação se torna grave não tanto pelo veto em si, mas pelo que ele implica. “Tais projetos tem sustentação legal no parecer da Procuradoria da Câmara. Ao serem vetados, configura-se o oposto do que o Governo Municipal argumenta. Não é o Legislativo que interfere sobre o Executivo, mas este é que promove ingerência no parlamento, impedindo-o de produzire leis, em particular, políticas públicas para áreas que carecem de atenção”. De acordo com Cheker, a questão também precisa ser vista politicamente. Como lembra o parlamentar, após vetar o Projeto de Lei do Táxi Turismo, o prefeito lançou poucos dias depois um programa extremamente similar, com rigorosamente os mesmos objetivos. “Como se vê, não é o mérito da lei que está em discussão. O Governo parece querer travar uma disputa particular, buscando apenas autopromoção, e não o benefício da cidade. Definitivamente, não é este tipo de política que Juiz de Fora merece”, conclui. ]]> 2012-03-28 11:30:40Construções irregulares: era preciso votar o justo para impedir o incentivo à ilegalidade http://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=9742 O objetivo era garantir a possibilidade de cidadãs e cidadãos, sobretudo os mais carentes, regularizarem suas construções e reformas iniciadas em imóveis e terrenos, mas também não "premiar" os que constroem ao arrepio da Lei para obterem lucros, prejudicando toda a cidade e prejudicando também os empresários corretos, que atuam dentro da lei. Também possibilitar que a atual legislação sobre transferência do potencial construtivo, visando à proteção de imóveis tombados -- e a desonerar seus proprietários-- pudesse ser utilizada na regularização. Foi com essa expectativa que o vereador Flávio Cheker apresentou uma série de emendas ao Projeto de Lei de regularização de imóveis, em tramitação na Câmara. No entanto, emendas importantes nesta direção acabaram infelizmente sendo rejeitadas por alguns parlamentares, em votação apertada, ontem à noite. De positivo, a aprovação das emendas que ampliam a metragem das construções das áreas A, B, C e D para 100 metros quadrados, isentando-as de multas e taxas, e a que dispõe sobre a transferência do potencial construtivo. EMENDAS DE CHEKER As emendas apresentadas por Cheker orientam-se em duas direções. Primeiro, oferecem oportunidade para que famílias de baixa renda e com terrenos de até 100 metros quadrados, possam regularizar sua situação, isentando-as de taxas e multas. Segundo, impõe sanções àquelas edificações que claramente desrespeitaram a legislação sobre ocupação do solo, e que são destinadas à comercialização. Em sua opinião, na mesma medida em que o Projeto de Lei deve oferecer condições para que as pessoas saiam da ilegalidade, ela não pode ser conivente com quem desrespeita a lei visando lucro. “Em diversos pontos da cidade, principalmente aqueles de grande expansão imobiliária, diversas construções foram feitas à margem do código municipal. Deixar de taxar estes casos é fechar os olhos, permitir --e mesmo incentivar-- que este tipo de situação volte a acontecer”. Assim as emendas preveem que as multas e taxas deverão ser calculadas tendo-se em vista a área total ocupada. Além disso, levam em conta a região da cidade em que se encontram, bem como o coeficiente de aproveitamento. Como medida para favorecer a regularização, uma emenda permite que a lei de transferência de potencial construtivo seja utilizada e que os recursos sejam revertidos na preservação do patrimônio histórico da cidade. “É preciso pensar a cidade de modo criativo. Por meio da lei de transferência de potencial construtivo nós conseguimos resolver dois problemas ao mesmo tempo: regularizamos os imóveis fora de conformidade com a lei, enquanto incentivamos a preservação dos bens tombados de Juiz de Fora, ao mesmo tempo desonerando os proprietários de imóveis tombados. Trata-se de uma solução que faz com que todos ganhem”, conclui. ]]> 2012-03-27 09:09:32Uma pedalada histórica: obrigado pessoal e vamos à lutahttp://www.flaviocheker.com.br/index.php?link=verNoticia&id=9746 Ganha a cada dia mais apoiadores o Projeto de Lei do vereador Flávio Cheker que cria o Plano Diretor Cicloviário Integrado de Juiz de Fora. E mais que isso, cresce a noção da necessidade do município ter tal legislação. No último sábado, mais de trinta pessoas estiveram reunidas para bate-papo na Câmara Municipal, onde discutiram as dificuldades vividas pelos ciclistas na cidade, e formas de fazer com que a proposta ganhe fôlego junto à sociedade. O evento reuniu ciclistas e apoiadores do movimento. Em comum, a certeza de que Juiz de Fora necessita de um sistema viário mais eficiente e seguro, e também que tem todas as condições para implantar esta modalidade de transporte. Os participantes lembraram de experiências semelhantes implantadas em diferentes partes do mundo, como em São Francisco (EUA) e Amsterdã (Holanda), onde o transporte cicloviário foi criado de maneira integrada aos outros modais. O caso de Brasília também foi citado por seu programa de educação para o trânsito, que permitiu que veículos, bicicletas e pedestres possam conviver em harmonia. De acordo com o vereador Flávio Cheker, o evento é um pontapé inicial para que a cidade discuta a questão da mobilidade urbana de modo mais amplo. “A questão da mobilidade assume hoje em dia uma posição crucial. Trata-se do direito à própria cidade, dos cidadãos poderem usufruir de todos os benefícios que ela proporciona. De poderem deslocar-se de casa para o trabalho, ou a lazer, com segurança e fluidez. É algo que Juiz de Fora precisa debater, e que começa a ganhar espaço a partir de agora”.